Você está na página 1de 4

A ORAÇÃO

Todo enunciado com verbo ou locução verbal constitui uma oração. Apresenta, na
maioria dos casos, um sujeito e vários outros termos (essenciais, integrantes ou
acessórios).
Dos exemplos apresentados para frases na folha anterior, pode-se concluir que
algumas frases constituem orações, como em “Corram!”, e que algumas frases
não são orações porque não têm um predicado explícito, como “Socorro!”. Mas
há orações como “... com quem manda” que não chegam a constituir frases, pois
lhes falta o sentido completo que devem ter estas unidades discursivas.
Para ser oração é necessário o verbo. Com o verbo, a oração se divide em TEMA
e DECLARAÇÃO (sujeito e predicado).
Ex.: Fernando discutia com a namorada ao lado do portão.
Tema: Fernando
Declaração: discutia com a namorada ao lado do portão.
Há orações sem sujeito (tema), mas não há orações sem predicado (declaração).
PERÍODO
Enunciado formado de uma ou mais orações e que apresenta um sentido geral
autônomo com relação aos enunciados que o precedem e seguem. O período é
finalizado por ponto final, reticências, ponto de exclamação ou de interrogação.
De acordo com o número de orações classifica-se em:
Período simples
Apresenta apenas uma oração que é chamada de absoluta.
Ex.: “Seja feliz!” (Oração absoluta)
“A Rosa punha-lhe doces-de-leite nas algibeiras, para a viagem”.
Período composto
Apresenta duas ou mais orações, ou seja, dois ou mais verbos.
Ex.: A gente respeita um homem que se respeita a si mesmo. (Balzac)
1º Oração: A gente respeita um homem
2º Oração: que se respeita a si mesmo.
Estudaremos, inicialmente, a estrutura sintática do período simples:
Termos essenciais Termos integrantes Termos
acessórios
Simples ou composto
Sujeito determin./indeterminado Objeto direto Adj. Adnominal
elíptico Objeto indireto Adj.adverbial
Oração sem sujeito
Complemento Aposto
verbal nominal
Vocativo
Predicado nominal Agente da passiva
Verbo-nominal
EXERCÍCIOS

1. Identifique: frase nominal (F), oração absoluta (A) e período composto (C).
a) ( ) Abaixo a inflação! j) ( ) Salve, brasileiros!
b) ( ) Como você gosta disso!... k) ( ) Todos deviam gostar de estudar.
c) ( ) Concordo com quem manda. l) ( ) Vitória justa do Brasil.
d) ( ) Desça daí, por favor! m) ( ) Viva o Brasil!
e) ( ) Estou com muita dor n) ( ) Você leu muito bem
f) ( ) Há séculos que não viajo de avião. o) ( ) Você não viu o acidente?
g) ( ) Marisa me disse que viu o cometa. p) ( ) Se não quiser ser importunado,
h) ( ) Ninguém viu o cometa. feche a porta.
i) ( ) Que dor!
2. Nas orações abaixo, coloque um círculo ao redor do tema e grife a declaração.
a) A assombração sabe pra quem aparece. (Provérbio brasileiro)
b) A felicidade não é para os covardes. (Anônimo)
c) A fortuna bate sempre à porta que sorri. (Provérbio indiano)
d) A generosidade consiste em dar antes de ser solicitado. (Provérbio árabe)
e) A mais alta das torres começa no solo. (Provérbio chinês)
f) A verdade nos leva a todos os lugares, até mesmo para a prisão. (P. polonês)
g) Águas mansas não fazem bons marinheiros. (Provérbio indiano)
h) As palavras voam, os escritos permanecem. (Provérbio romano)
i) Boas cercas fazem bons vizinhos. (Provérbio norte-americano)
j) Dois tagarelas não andarão juntos por muito tempo. (Provérbio espanhol)
k) Mais vale um cachorro amigo que um amigo cachorro. (Provérbio brasileiro)
l) Mulheres e elefantes nunca esquecem. (Dorothy Parker)
m) No fim do jogo, o rei e o peão voltam para a mesma caixa. (P. italiano)
n) O barro só é moldável depois de batido. (Provérbio grego)
o) O desejo mede os obstáculos: a vontade os vence. (Alexandre Herculano)
p) O elefante briga, quem sofre é a grama. (Provérbio asiático)
q) O homem fala, o sábio escuta, o tolo discute. (Provérbio oriental)
r) O mundo lisonjeia o elefante e pisa na formiga. (Provérbio indiano)
s) O sorriso custa menos que a eletricidade e dá muito mais luz. (P. escocês)
t) Os pequenos barcos não devem afastar-se da margem. (Provérbio inglês)
u) Para uma boa fome não existe pão duro. (Provérbio espanhol)
v) Quando a fome entra pela porta, o amor sai pela janela. (Provérbio brasileiro)
w) Quando a sorte chega à sua casa, ofereça-lhe uma poltrona. (P. francês)
x) Quem lhe fala mal de outra pessoa, falará também mal de ti. (Provérbio turco)
y) Quem poupa castigos a seu filho, odeia-o. (Provérbios, 13, versículo 24)
z) Sem esforço nenhuma colheita será abundante. (Provérbio africano)
aa) Teme a quem te odeia ainda que seja uma mosca e tu, um elefante. (Saadi –
Pérsia)