Você está na página 1de 7

História da Anestesia

A palavra vem do grego e significa “falta de sensação”;

1. A palavra vem do grego e significa “falta de sensação”;

2. É utilizada em procedimentos cirúrgicos, para que, os pacientes percam a consciência da dor;

3. A anestesia fez muitas operações serem práticas e plausíveis.

Durante muitos séculos, a cirurgia, de um modo geral, era um verdadeiro sofrimento.

1. Durante muitos séculos, a cirurgia, de um modo geral, era um verdadeiro sofrimento.

2. O cirurgião tentava fazer a operação o mais rápido possível, mas na falta de anestesia, o grito
era inevitável e o

3. medo também.

A China milenar utilizava acupuntura como anestesia. Está técnica obstruía a transmissão de
dor para o cérebro.

1. A China milenar utilizava acupuntura como anestesia. Está técnica obstruía a transmissão de
dor para o cérebro.

A esponja sonífera, método bastante popular entre monges europeus. Preparada a base de
várias substâncias, era colocada de baixo da narina do paciente até que este dormisse.

1. A esponja sonífera, método bastante popular entre monges europeus. Preparada a base de
várias substâncias, era colocada de baixo da narina do paciente até que este dormisse.

2. Para despertar o paciente era utilizada uma esponja embebida de vinagre.

Em 1801, o cientista Humpry Davy estava fazendo experiências quando combinou nitrogênio e
o oxigênio para produzir óxido nítrico.
1. Em 1801, o cientista Humpry Davy estava fazendo experiências quando combinou nitrogênio e
o oxigênio para produzir óxido nítrico.

Davy testou o gás incolor resultante e aspirou-o profundamente algumas vezes.

1. Davy testou o gás incolor resultante e aspirou-o profundamente algumas vezes.

2. Sentiu uma euforia cada vez maior que acabou resultando em incontroláveis acessos de riso e
soluços até que ele desmaiou.

O cientista inglês chamou-o de gás hilariante e anotou sua tendência de não ter consciência de
dor.

1. O cientista inglês chamou-o de gás hilariante e anotou sua tendência de não ter consciência de
dor.

2. Ele recomendou seu uso como anestésico durante intervenções médicas ou odontológicas.

sir Young Simpson – observou que pacientes que inspiravam poucas vezes o gás, rapidamente
ficavam relaxados e calmos, e logo em seguida, inconscientes.

1. sir Young Simpson – observou que pacientes que inspiravam poucas vezes o gás, rapidamente
ficavam relaxados e calmos, e logo em seguida, inconscientes.

O uso da droga não despertou interesse até que em 1838 a Rainha Vitória convidou Simpson
para o nascimento do seu filho;

1. O uso da droga não despertou interesse até que em 1838 a Rainha Vitória convidou Simpson
para o nascimento do seu filho;

Simpson realizou o parto dos príncipes Leopoldo e Beatriz, estes nasceram hemofílicos.

1. Simpson realizou o parto dos príncipes Leopoldo e Beatriz, estes nasceram hemofílicos.

2. Simpson foi acusado de causar o mal nas crianças.

Crawford Long foi o primeiro a usar éter numa operação;

1. Crawford Long foi o primeiro a usar éter numa operação;

2. Ele extraiu, em 1842, um tumor do pescoço de James Venable (juiz local), sem que este
sentisse dor.
Em 1844, decidiu usar éter numa operação, entretanto, por engano, desligou o gás antes da
hora e o paciente gritou de dor.

1. Em 1844, decidiu usar éter numa operação, entretanto, por engano, desligou o gás antes da
hora e o paciente gritou de dor.

Em 1846, utilizou éter em uma operação que ocorreu com sucesso.

1. Em 1846, utilizou éter em uma operação que ocorreu com sucesso.

2. Depois de vários artigos publicados o éter passou a ser um anestésico básico para médicos
europeus e americanos.

HAVEN, K. F., As 100 maiores descobertas científicas de todos os tempos, tradução


Sergio Viotti – São Paulo: Editora Ediouro, 2008.

1. HAVEN, K. F., As 100 maiores descobertas científicas de todos os tempos, tradução


Sergio Viotti – São Paulo: Editora Ediouro, 2008.

2. http://historia.abril.com.br/ciencia/anestesia-433790.shtml

3. http://www.apavet.com.br/historiaanestesia.pdf

http://www.muraljoia.com.br/02huanestesia.htm

1. http://www.muraljoia.com.br/02huanestesia.htm

2. http://acupuntura.spaceblog.com.br/292001/O-que-e-a-Acupuntura/

3. http://www.verbalog.com/cyro/

4. http://lindas-flores.blogspot.com/2009_08_01_archive.html

5. http://erico.soylocoporti.org.br/category/textos/

6. http://www.brasilescola.com/drogas/cloroformio.htm

7. http://www.girafamania.com.br/introducao/rainha_vitoria.html

8. http://homepages.ed.ac.uk/asb/JYS.htm

9. http://www.shiga-med.ac.jp/~koyama/pain/people3.html
10. http://www.choosegha.com/about_anesthesia.html

11. http://www.choosegha.com/images/History/Morton2.jpg

12. http://dentistaon.com/tag/horace-welss

13. http://www.rpec.co.uk/engineerswalk/hd_walk.html

14. http://revistagalileu.globo.com/Galileu/0,6993,ECT740625-3435,00.html

15. http://acidshop.hd1.com.br/p-pegadinhas/jokes.htm

16. http://fisicomaluco.com/wordpress/2008/10/20/gas-do-riso-o-que-e-como-fazer-como-age-no-
organismo/

17. http://www.paulohenriqueamorim.com.br/?p=6131

É bom ler estas informações, com atenção, para entender melhor o que acontece antes e durante
uma operação, e para conhecer as respostas certas para muitas dúvidas sobre ANESTESIA.

O que é Anestesia ?
Anestesia é o estado de total ausência de dor e outras sensações durante uma operação, exame
diagnóstico ou curativo. Ela pode ser geral, isto é, para o corpo todo; ou parcial, também chamada
regional, quando apenas uma região do corpo é anestesiada. Sob o efeito de uma anestesia geral, você
dorme. Com anestesia regional você pode ficar dormindo ou acordado, conforme a conveniência, embora
parte de seu corpo fique anestesiada.

Quanto tempo dura uma Anestesia ?


A Anestesia dura o tempo necessário para que o Cirurgião faça seu trabalho. Oferece, ainda, abolição da
dor por tempo variável após o procedimento. Atualmente há recursos para abolir toda a dor que vem
depois de uma operação.

Quem aplica a Anestesia?


A Anestesia é aplicada por especialistas, que cursaram seis anos da Faculdade de Medicina e mais três
anos de curso de especialização, no mínimo. Estes médicos não só aplicam a anestesia, como também
cuidam de você durante toda a operação e além dela. Controlam Pressão Arterial, Pulso, Ritmo Cardíaco,
Respiração, Temperatura e outras funções orgânicas importantíssimas. Cuidam de tudo para que você
esteja sem sofrimento, seguro e para que o cirurgião possa fazer o trabalho com tranqüilidade. O
Anestesiologista é o verdadeiro guardião de sua vida durante e logo após uma operação. Estará ao seu
lado, durante todo o tempo da cirurgia, exclusivamente para cuidar de você, mesmo que você não
perceba ou não se lembre de nada depois da anestesia.

Que tipos de anestésicos são usados ?


Existem diversos tipos de anestésicos gerais e locais. Os locais são depositados perto dos nervos,
enquanto anestésicos gerais são administrados pela veia ou através da respiração. Todos proporcionam
anestesias adequadas. A escolha do anestésico varia com o tempo e o tipo de operação, com as suas
condições físicas e emocionais. Depois de conhecê-lo, avaliar seus exames pré-operatórios, saber a
cirurgia proposta, o Anestesiologista indicará a melhor opção.

Quem esclarece você sobre a Anestesia?


Seu Médico já deve ter conversado sobre a Anestesia com você. Porém, somente na consulta com o
Médico Anestesiologista é que todos os esclarecimentos serão feitos. Não aceite qualquer informação de
pessoas não especializadas. Existem muitas fantasias e desinformações sobre a Anestesia.

Quem escolhe o Anestesista?


Você tem o direito de escolher o seu Anestesiologista. Normalmente, porém, os hospitais possuem
Serviços de Anestesia com os quais o seu Cirurgião já está acostumado a trabalhar. Afinal, operação é
trabalho de equipe, e ele gosta da equipe completa.
O que acontece antes da operação ?
Primeiro, o Anestesiologista o examinará, prestará informações e orientará sobre a Anestesia. Alguns
exames de laboratório e Raio X poderão ser necessários. Os preparativos da enfermagem, a pedido dos
médicos, podem incluir raspagem dos pelos do lugar da operação, algum remédio e muita atenção. Na
noite anterior e cerca de uma hora antes da operação, dependendo do dia e horário de sua internação, é
provável que você receba algum comprimido ou uma injeção de sedativo, para tornar mais confortável
para você o transporte e a chegada à Sala de Operações.

Como você colabora com sua própria segurança?


Não coma nem beba qualquer coisa, pelo menos oito horas antes da operação, nem água. É para ficar
em jejum mesmo. Conte, ao Anestesiologista, os nomes de todos os remédios que você toma ou tomou
regularmente. Em especial enumere aqueles a que você tem ALERGIA. Serão removidas de sua boca
quaisquer peças dentárias móveis como dentaduras, pivôs, pontes, especialmente as de menor tamanho.
Não use cosméticos ou produtos de beleza no dia da operação: deixe-os em casa. Não leve ao hospital, e
muito menos para a Sala de Operações, jóias pessoais como anéis, pulseiras, relógios de pulso, brincos,
como também retire alfinetes, grampos de cabelo, perucas, cílios postiços e outros objetos
desnecessários. Não mastigue goma de mascar antes da cirurgia, porque isto provoca aumento de ar e
de sucos no estômago, o que pode causar vômito depois da operação. O cigarro, é bom largar pelo
menos 15 dias antes da operação. Mas se é inveterado, reduza bastante: no máximo 1 cada 4 ou 5 horas.
Siga, de forma obediente, as orientações dos seus médicos.

O que é a Sala de Recuperação?


Quando termina a cirurgia, o Anestesiologista suspende os anestésicos e inicia-se o processo de
recuperação. Isto pode demorar alguns minutos ou algumas horas, dependendo da duração e do tipo da
anestesia aplicada. Durante este tempo, você estará sob cuidados de pessoal qualificado para evitar
complicações e surpresas. Você ficará na Sala de Recuperação Pós-Anestésica, dentro do bloco
cirúrgico, até estar completamente desperto ou recuperado. Só aí que o Anestesiologista dará autorização
para que você seja levado de volta a seu quarto. Nos casos de grande operação, que causam sofrimento,
você poderá ser levado para uma sala de cuidados mais atentos, para que não haja sofrimento ou risco.
Se isso tiver que acontecer, o Anestesiologista lhe explicará antes.

O que você vai sentir após a Anestesia?


Depende muito da operação, do tipo de anestesia e de suas condições físicas. Graças às modernas
técnicas de Anestesia, apenas um número muito pequeno de pacientes chega a sentir-se mal. O que
deve ser ressaltado é que você, provavelmente, não sentirá nada, nem se lembrará de nada. O
Anestesiologista zelará para que lhe seja assegurado o máximo conforto.

Qual o risco de uma Anestesia?


São muito raros, atualmente, os acidentes ou complicações de uma Anestesia. Com instrumental,
técnicas, conhecimentos e medicamentos modernos, o Anestesiologista reduz ao máximo os riscos de
acidentes anestésicos. O Anestesiologista, além do conhecimento e da especialização médica empregará
toda sua perícia e experiência clínica para o sucesso completo do tratamento.
Por que o medo da Anestesia?
Todas as pessoas tem medo do desconhecido. É como viajar de avião. Quem nunca o fez, morre de
medo. Outros, mesmo viajando sempre, também se preocupam. Mas milhares de vôos são realizados, no
mundo todo, na mais absoluta segurança. Os poucos acidentes que acontecem são matéria para a
imprensa divulgar com estardalhaço. Isso ajuda as pessoas a terem mais medo. A mesma coisa acontece
na anestesia: há medo do desconhecido e muitas divulgações alarmistas de raros acidentes. Como nas
viagens de avião, diariamente anestesiologistas qualificados aplicam milhares de anestesias, em todo o
mundo, com toda a segurança. É bem por isso que você deve exigir que somente Anestesiologista
qualificado o examine antes da operação, o oriente e faça a sua anestesia. Assim você pode evitar ou
diminuir o medo da anestesia. Ouvir explicações sinceras e seguras reduz muito as ansiedades.

Quanto custa uma Anestesia?


Depende bastante da operação, do tempo de trabalho e da complexidade. Mas, se você é paciente
particular, tudo será discutido, com antecedência, sem surpresas. Se você possui algum convênio, serão
seguidas as regras e exceções da sua Instituição. As vezes poderão aparecer algumas diferenças que
também serão discutidas com antecedência.

CONHEÇA E CONVERSE COM SEU ANESTESIOLOGISTA

5. Quais os tipos principais de Anestesia?


I – ANESTESIA GERAL: O paciente fica totalmente inconsciente sem percepção ao
procedimento, seja ele cirúrgico ou exame.
II – SEDACAO: A consciência fica alterada, induzida por medicamentos, no caso
sedativos, podendo o paciente estar em vários níveis, desde acordado e tranqüilo ate em
uma sonolência profunda, podendo receber anestesia local e/ou medicamentos
analgésicos.
III – ANESTESIA REGIONAL: É um procedimento anestésico no qual o Médico
Anestesiologista injeta a medicação anestésica próximo a um nervo ou feixe de nervos. O
paciente poderá permanecer acordado ou receber um sedativo.
• Raquianestesia: Ou a tão famosa “raqui” – o paciente fica sentado ou deitado em posição
lateral, é realizada uma punção com uma agulha fina na região lombar até localizar o
líquido cefalorraquidiano (que envolve a medula espinhal). Nesta região é injetada a
medicação anestésica levando a perda da sensibilidade dolorosa, tato e o movimento das
pernas.
• Peridural: A técnica é semelhante a raquianestesia, porem a agulha é introduzida mais
superficialmente, o calibre da agulha é um pouco maior e a quantidade de medicação
anestésica também é maior. A sensibilidade dolorosa desaparece juntamente com o
movimento das pernas, mas o tato normalmente é preservado, dando ao paciente a falsa
impressão de que sente alguma dor.
• Local: É aplicada a medicação anestésica no local (pele ou tecido próximo). Muito
realizada em punções com agulhas (mama – nódulos, Ultrassonografia, angiografia). Pode
ser ou não acompanhada de sedação.
27. Existe algum “teste” de alergia usado para quem vai tomar anestesia?
- NÃO ! Não existe “teste” de anestesia, a exemplo dos testes utilizados para identificar
alergias.
Clinica

Interesses relacionados