Você está na página 1de 4

FICHAMENTO DE CITAÇÃO JEAN PIAGET E VYGOTSKY

Principais conceitos de Jean Piaget VYGOTSKY, psicologia do


desenvolvimento cognitivista humano:

PIAGET/ CONSTRUTIVISMO

“Partindo da concepção de que cognitivo significa


conhecimento e que, cognição é o processo através do qual o
mundo de significados tem origem, a psicologia cognitiva
envolve o estudo das bases do conhecimento humano.
Preocupa-se com o processo de compreensão, transformação,
armazenamento e utilização das informações no plano da
cognição, envolvendo muitos assuntos relevantes para a
educação, tais como a aprendizagem, a linguagem, o
raciocínio, a memória, a percepção, o pensamento, dentre
outros”. (Jean Piaget, 1989, P.70, Psicologia da Educação )

Estágios do desenvolvimento do conhecimento:

Sua formação inicial em Biologia, o levou a considerar impossível separar o


crescimento orgânico do desenvolvimento psicológico.

Piaget afirmava que desde que um bebê nasce ele já é


inteligente. Isso porque esse sujeito (chamado sujeito
epistêmico) precisa aprender a interagir com o mundo físico ou
cultural. Não só precisa, como vai, inevitavelmente. Por
exemplo, o bebê aprende a sugar o leite da mãe porque
percebe com o passar dos dias que, tomando aquela ação,
saciará a fome. Os fenômenos humanos são biológicos em
suas raízes, sociais em seus fins e mentais em seus meios.
(Jean Piaget, P.72,1896)

Com essa frase Piaget está dizendo: somos humanos biológicos por natureza,
pensamos e agimos para, enfim, interagir socialmente com o nosso meio. Ou seja,
criamos esquemas mentais que resultam em atitudes físicas que nos tornam capazes
de viver, aprender, assimilar e alterar tudo o que nos rodeia.

Piaget e os considerados estágios de aprendizagem


O desenvolvimento cognitivo, em que se baseia a aprendizagem, acontece por dois
processos: assimilação e acomodação. Quando a pessoa consegue assimilar alguma
informação, a mente não se modifica. E quando não consegue, ou ela desiste de
tentar assimilar, ou aprende algo novo. Se aprender algo novo ocorre a acomodação,
ou seja, ela se adapta a uma nova situação agindo de uma nova forma.
É nesse esquema de assimilação e acomodação que se dá a evolução da
aprendizagem. É por isso que Piaget afirma que:

“Cada vez que alguém ensina prematuramente a uma criança


algo que ele poderia ter descoberto, essa criança é impedida
de inventá-la e, consequentemente, de compreendê-la
completamente.” (Jean Piaget, 1896)

Autor de uma vasta obra composta de mais de 70 livros e muitos artigos, Piaget
alcançou grande repercussão desde a publicação dos seus primeiros cinco livros:

1. A Linguagem e o Pensamento na criança – 1923


2. O julgamento e o Raciocínio na Criança – 1924
3. A Representação do Mundo na Criança – 1926
4. La Causalité Physique Chez L’enfant – 1927
5. O Julgamento Moral na Criança – 1932

Piaget criou quatro estágios de aprendizagem, que demonstram estruturas de


raciocínio que substituem umas às outras conforme a criança cresce: o sensório-motor
(até 2 anos de idade), o pré-operacional (dos 3 aos 7 anos), o operatório concreto (dos
8 aos 11 anos) e o operatório formal (a partir dos 12 anos).
Em cada um deles a criança aprende e constrói conhecimento através de
experiências.
Assim que a linguagem estiver um pouco mais
aprimorada, ocorre a fase dos “por quês”, surgindo
aproximadamente aos cinco anos e meio de idade. Para a
criança, tudo deve ter uma explicação, um motivo, nada é por
acaso. Muitas vezes, os adultos não acham respostas para as
interrogações infantis, devido às perguntas serem sobre
assuntos triviais (PIAGET, 2003).

Piaget constatou que a conservação da substância aparece por volta dos sete-
oito anos, a do peso por volta dos nove-dez anos e a conservação do volume por volta
dos onze-doze anos. Ora, apesar destas diferenças cronológicas, diz ele, a criança,
para justificar suas considerações sucessivas, emprega exatamente os mesmos
argumentos que se traduzem por expressões verbais rigorosamente idênticas.

PIAGET E A EDUCAÇÃO

Segundo Piaget (1998), a escola tradicionalista não leva em conta o processo de


assimilação (conhecimento prévio) para atingir a acomodação (aprendizagem de um
novo conhecimento). Assim, segundo Moreira (1999), só há aumento de conhecimento
quando o esquema de assimilação sofre acomodação

” A transmissão social pela linguagem, contatos educacionais ou


sociais é um fator necessário, na medida em que a criança pode
receber uma grande, quantidade de informações. Entretanto, não é
suficiente, pois ela só assimilará as informações que estiverem de
acordo com o conjunto de estruturas relativas ao seu nível de
pensamento. Um dos principais equívocos da escola tradicional,
afirma Piaget (1982).
PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO VYGOTSKY

EXISTEM QUATRO PLANOS GENÉTICOS.

1) Filogênese - história da espécie humana. Define limites e possibilidades da

Espécie que não servir de fundamento para o desenvolvimento. Plasticidade do

cérebro - é o menos pronto ao nascer, por isso se adapta ao meio.

2) Ontogênese - história do indivíduo da espécie. É a sequência de desenvolvimento


do ser: engatinhar, andar, sentar...

3) Sociogênese - história cultural do meio em que o indivíduo está inserido. Forma de


funcionamento cultural que interferem ou definem o funcionamento psíquico. Cultura
alarga as possibilidades humanas. Ex: puberdade, fenômeno biológico, mas
compreendido diferentemente em cada cultura (adolescência – conceito cultural, hoje
é muito mais extensa que antigamente. Ex: 3ª idade, outra categoria criada pela
cultura, diz respeito ao modo como a cultura olha o idoso.

4. Microgênese - aspecto microscópico do desenvolvimento. Cada fenômeno psíquico


tem sua própria história. Entre não saber e saber algo aconteceu (ex: como aprendeu
a amarrar o sapato?). Porta aberta para o não determinismo. Construção da
singularidade do sujeito.

MEDIAÇÃO SIMBÓLICA

PENSAMENTO E LINGUAGEM

DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM

ZONA DE DESENVOLVIMENTO PROXIMAL

IMPORTÂNCIA DA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA

Vygotsky estudou o desenvolvimento infantil vinculado à


história, a cultura e à sociedade. “Estudar algo do ponto de
vista histórico, não consiste em analisar acontecimentos
passados, mas significa estudá-lo em seu processo de
mudança” (VYGOTSKY, Psicologia da Educação, p.82/ 1979).

Aprendizagem e desenvolvimento, na perspectiva de Vygotsky, estão inter-


relacionados. A aprendizagem antecede o desenvolvimento, ou melhor, o objetivo da
aprendizagem é prever o desenvolvimento potencial, e interferir na zona de
desenvolvimento proximal, promovendo o desenvolvimento do sujeito. O aprendizado
humano, segundo Vygotsky (1979), pressupõe uma natureza social específica e um
processo através do qual as crianças penetram na vida intelectual daquelas que as
cercam. Vygotsky enfatiza o papel do outro, da escola, como conjunto de mediadores
da cultura, que possibilita o desenvolvimento da criança. Para Vygotsky, a relação do
indivíduo com o mundo é sempre mediada pelo outro. O outro é quem dá o significado
aos objetos, às experiências, é quem interpreta o mundo para a criança.

REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO ,ANDRADE.

WWW.EDITORAREALIZE.COM.BR