Você está na página 1de 3

TETELESTAI - ESTÁ CONSUMADO

*“Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o


espírito”*. João 19:30
Muito embora no texto grego seja apenas uma palavra,
TETELESTAI, a tradução para o português fica “Está consumado”
ou “Está terminado”.

Mas o que realmente foi consumado na Cruz? O que significa


REDENÇÃO?

Existem significados distintos para a palavra TETELESTAI:

*Servos*: os servos utilizam essa palavra quando terminavam a


tarefa que seu senhor havia ordenado. Assim os servos diziam
Tetélestai, e isso significava que a tarefa foi executada como o
senhor ordenara no momento estabelecido.

*Sacerdotes*: os sacerdotes ao fazer o sacrifício analisavam o


animal ou a oferta e quando eram perfeitos eles diziam Tetélestai,
ou seja, o animal é perfeito para o sacrifício.

*Artistas*: quando um artista ou escritor completavam sua obra


eles diziam Tetélestai, que significava que a obra estava completa.

*Mercadores*: quando um devedor pagava sua conta ou quando o


mercador perdoava a divida de um devedor ele (o mercador) dizia
Tetélestai, que significava que a dívida foi quitada.

*Vitória*: Soldados gritavam tetelestai para anunciar suas vitórias


no campo de batalha. Era o grito de triunfo.

Mas o que isso significa quando Cristo diz Tetélestai?

Jesus Cristo é o *Servo* Santo de Deus na Terra, em *João 17.4:


Jesus diz ao Pai: “Eu te glorifiquei na terra, consumando a
obra que me confiaste para fazer”*. Ele foi o Servo fiel que foi até
o fim.
Jesus também é o *Cordeiro* Santo e perfeito de Deus, Deus
testifica a perfeição de Jesus em Mateus 3.17 quando diz: “Este é
o meu Filho amado, em que me comprazo”.

Sua *obra* no Calvário havia completado a perfeita criação de


Deus, de modo que o grande plano da salvação estava agora claro
para todos. Jesus dá sentido e significado ao passado, completando
a profecia como Messias e Salvador da Humanidade.
Por *pagar nossos pecados*, Ele nos comprou com seu precioso
sangue. Veja em Colossenses 2.13, 14 diz: *“E a vós outros que
estáveis mortos pelas vossas transgressões e pela
incircuncisão da vossa carne, vos deu vida juntamente com
ele, perdoando todos os nossos delitos; tendo cancelado o
escrito de dívida, que era contra nós e que constava de
ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o
inteiramente, encravando-o na cruz.”*

Pedro disse que Jesus sofreu em nosso lugar, *“carregando ele


mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados,
para que nós, mortos para os pecados, vivamos para a justiça;
por suas chagas, fostes sarados”* (1 Pedro 2:21,24).

Em uma única palavra Jesus Cristo completou sua missão


como *servo de Deus*, se rendeu como *Cordeiro* imaculado
para completar a *obra prima do Criador, salvando* assim toda a
humanidade da culpa do pecado e da morte. O Senhor ganhou o
direito de gritar sobre sua *vitória*. Quando ele morreu como
sacrifício perfeito, ele venceu o pecado. Ele ganhou a guerra contra
o adversário e, quando ressuscitou três dias depois, venceu
também a morte.

Poucos dias depois, ele explicou este fato para os apóstolos: *“A
seguir, Jesus lhes disse: São estas as palavras que eu vos falei,
estando ainda convosco: importava se cumprisse tudo o que de
mim está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos.
Então, lhes abriu o entendimento para compreenderem as
Escrituras; e lhes disse: Assim está escrito que o Cristo havia de
padecer e ressuscitar dentre os mortos no terceiro dia e que em seu
nome se pregasse arrependimento para remissão de pecados a
todas as nações, começando de Jerusalém. Vós sois testemunhas
destas coisas”* (Lucas 24:44-48).
Paulo explicou que a Lei identificou o problema do pecado, mas não
trouxe a justificação (Romanos 3:10; Gálatas 3:21-22). A promessa
da justificação foi cumprida em Cristo (Gálatas 3:22-24; Romanos
3:24-26). Jesus cumpriu ou completou o que faltava na Lei: “Porque
o fim da lei é Cristo, para justiça de todo aquele que crê” (Romanos
10:4). Jesus falou tudo isso quando disse: *“ESTÁ CONSUMADO!”*

Então quando o inimigo vir te acusar, diga: ESTÁ CONSUMADO,


fazendo-o se lembrar da vitória do Senhor na cruz.