Você está na página 1de 13

Ações de prevenção e

controle de carências
nutricionais:
Suplementação de Ferro
Ministério da Saúde
Secretaria de Atenção à Saúde
Departamento de Atenção Básica
Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição
Público

Crianças de até
dois anos

Gestantes Janela de oportunidade para intervenções


que visam potencializar o pleno
desenvolvimento e contribuir para
aumentar o capital humano de um
país.
Determinantes da anemia

Recomendação
diária de ingestão
6 – 12 meses:
11 mg/dia
1 – 3 anos:
7 mg/dia

Ingestão crianças de 12 a 24 meses:


~4 a 5 mg/dia

(Bortolini & Vitolo 2007; Lacerda & Cunha 2001; Vitolo


& Bortolini 2007; Oliveira et al 2007)
Prevalência de Anemia em crianças menores de 5 anos.
Brasil, 1997-2008

Estudos No. Amostra Prevalência


estudos (n) (%)

Brasil – PNDS/2006* 1 3.455 20,9

Base Populacional** 9 6.199 40,1

Escolas/Creches** 8 2.740 52,0

Área de iniquidades** 6 1.131 66,5

Serviços de Saúde** 12 10.789 60,2


Povos Indígenas*** 1 5.522 51,3
Fonte: * Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher 2006
** Viera & Ferreira (2010) Rev. Nutr. 23:433-444
*** Inquérito Nacional de Saúde e Nutrição dos Povos Indígenas 2008/2009
Programa Nacional de Suplementação de Ferro
O programa foi instituido pela Portaria nº 730 de 13 de maio
de 2005
Objetivos:
• Prevenir e controlar a anemia por deficiência de ferro
• Potencializar o pleno desenvolvimento infantil

2012 - Expansão do acesso aos suplementos de ferro em


todas as Unidades Básicas de Saúde (público crianças de 6
a 24 meses de idade).

2013 - Descentralização da compra e aumento da cobertura


(Pactuado CIT em fev/13)
• Portaria nº 1.555 de 30 de julho de 2013.
Conduta de prevenção da anemia

Público Conduta* Periodicidade Apresentação RENAME

1mg ferro elementar/kg


Diariamente até Sulfato ferroso gotas 25
Crianças ou 1 gota de ferro
completar 24 meses mg/mL
elementar/Kg

Sulfato ferroso
comprimidos 40 mg
40mg de ferro elementar Crianças de 6 a 24 meses
Gestantes Ácido fólico solução oral
e 400mcg de ácido fólico
0,2 mg/mL

Sulfato ferroso
Diariamente até o 3º mês
Mulheres no pós-parto e comprimidos 40 mg
40mg de ferro elementar pós-parto e até o 3º mês
pós-aborto
pós-aborto
*Essas condutas estão de acordo com as recomendações oficiais da Organização Mundial de Saúde (OMS, 2001; 2012); da Sociedade Brasileira de
Pediatria (2011) para prevenção e controle da deficiência de ferro e da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (2012) para
prevenção da ocorrência de Defeitos do Tubo Neural.
Quantidade de ferro em exemplos de cardápio para alimentação de crianças menores de 2 anos.

Criança de 6 meses Criança de 7-11meses Criança de 12 meses


Lanche da manhã: Lanche da manhã: Café da manhã:
Goiaba – ½ unidade (55 g) 0,11 mg Ameixa– unidade grande (100 g) 0,2 mg Morango – 3 unidades médias (80g) 0,72 mg

Almoço: Almoço: Almoço:


Carne moída cozida – 3 colheres sopa Arroz -2 colheres de sopa rasas (40g) 0,04 mg Arroz - 2 colheres de sopa (40g) 0,04 mg
(50g) 1,2 mg Feijão – 1 colher de sopa cheia (20g) 0,4 mg Feijão – 1 colher de sopa cheia (20g) 0,4 mg
Abóbora cozida – 2 colheres de sopa (20g) Ovo de galinha cozido – 1 unidade (50g) 0,75 Frango desfiado – 2 colheres de sopa cheias
0,06 mg mg (50g) 0,95 mg
Batata cozida – duas unidades pequenas (100 Cenoura cozida – 2 colheres de sopa rasas Tomate - 1 fatia média (20g) 0,12 mg
g) 0,70 mg (20g) 0,02 mg Vagem cozida – 1 colher de sopa cheia (20g)
Couve – 1 folha (10g) 0,22 mg Abobrinha - 2 colheres de sopa (20g) 0,04 mg 0,23 mg

Lanche da tarde: Lanche da tarde: Lanche da tarde:


Mamão papaia - 1/4 unid (60g) 0,48 mg Banana – unidade média (80g) 0,16 mg Mamão papaia - 1/3 unid (90g) 0,18 mg

Leite materno – 770 ml 0,38 mg Jantar: Jantar:


Feijão – 1 colher de sopa cheias (20g) 0,86 mg Carne cozida - 2 colheres sopa (50g) 1,9 mg
Carne cozida - 2 colheres sopa (50g) 1,9 mg Feijão – 1 colher sopa cheia (20g) 0,4 mg
Batata baroa – 1 unidade (60g) 0,40mg Mandioca – 1 colher de servir (70g) 0,63 mg
Couve – 1 folha (10g) 0,22 mg Abóbora cozida – 2 colheres de sopa (20g)
0,06 mg
Leite materno – 650 ml 0,32 mg Brócolis cozido – 1 galho médio (20g)
0,12 mg

Leite materno – 450ml 0,22 mg

Recomendação: 11 mg Ferro diário Recomendação: 11 mg Ferro diário Recomendação: 7 mg Ferro diário


Ferro: 3,15 mg Ferro: 5,31 mg Ferro: 5,97 mg
71,4% de inadequação 51,7% de inadequação 14,7% de inadequação
Alimentos fontes de Ferro
Estratégias de Intervenção
Prática Clínica

Orientação para consumo de ferro de alta biodiponibilidade:


Inibidores:
Polifenóis
Fosfatos
Facilitadores: Oxalatos
Vitamina C Fitatos
Vitamina A Minerais
Carnes

FERRO HEME
FERRO NÃO-HEME
Absorção: 2 – 18%
Ferro nos alimentos (100 g)

4 fatias grandes =
0,2 mg Bífe de Fígado = 5,8 mg

1 concha =
1,5 mg

Carne de gado -1,9 a 4 mg


2 unidades – 1,5 mg
Monitoramento do PNSF
Sistema de gestão do PNSF foi encerrado para inserção de
dados em junho/2013, diponível acesso aos relatórios de 2005-
2013 em www.saude.gov.br/dab
• Hórus - Sistema Nacional de Gestão da Assistência Farmacêutica:
propicia o adequado registro da dispensação dos medicamentos e o
gerenciamento estratégico dos insumos pelos municípios;
• e-SUS Atenção Básica: estratégia do DAB no Plano de reestruturação
dos Sistemas de Informação em Saúde do MS. A partir da versão 3.0,
haverá integração com demais sistemas de informação sendo possível o
registro dos insumos dispensados associado ao acompanhamento
individualizado do usuário;
• PMAQ-AB: as equipes de saúde no preenchimento do formulário de
auto-avaliação analisam o desempenho das ações de atenção integral à
saúde da população, dentre estas a orientação para a prevenção e
controle das carências
Monitoramento: nutricionais,
Hórus, E-Sus especialmente
e PMAQ a anemia ferropriva e
deficiência de vitamina A.
Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição – CGAN
Departamento de Atenção Básica / SAS
Ministério da Saúde
E-mail: cgan@saude.gov.br
55 (61) 3315-9024/9033

Página da CGAN: www. saude.gov.br/dab