Você está na página 1de 46

Pesquisa em Comunicação

Daiany Dantas
1. Escolha do
assunto
a) investigação
2. Formulação de problemas

3. Estudos exploratórios

4. Coleta e análise de dados

5. Estrutura
b) comunicação
6. Redação

7. Apresentação
• É o 1o passo da pesquisa;

• Decisão final;

• Assunto: é qualquer tema que necessita de melhores


definições, melhor precisão e clareza do que já existe;

a) Seleção: eliminar assuntos que devem ser evitados e


fixar-se naqueles que merecem prioridade;

b) Delimitação do assunto: seleção de um tópico ou


parte a ser focalizada.
• elaboração da idéia;

• confrontação da idéia com os


dados observados;

• aceitação do novo conhecimento


por parcela expressiva da
comunidade científica.
EVITAR A ESCOLHA DE ASSUNTOS
SOBRE OS QUAIS JÁ HÁ ESTUDOS
EXAUSTIVOS!
• Devemos admitir que o conhecimento é
provisório, pois assim podemos questionar déias
“aparentemente” tão alicerçadas...
No contexto Comunicação e Sociedade:
 (a) sobre a abrangência e a seleção dos
elementos de relevância do que seja a Sociedade
Mediatizada;
 (b) sobre os modos e a explicitude com que
articulamos nossos objetos mais específicos de
interesse e esse macro-objeto.
• Deve ser construído com o intuito de:

 Atrair o leitor;

 Informar o leitor;

 Não enganar o leitor;

 Não aborrecer o leitor.


 Um título fidedigno informa exatamente
 o conteúdo do trabalho;

 Ex.: A invasão de Lampião em Mossoró.

 As representações sociais do cangaço no


imaginário do jornalismo mossoroense da
década de 20.
 Palavras muito específicas impedem que as
 pessoas de áreas afins entendam o âmago de
 seu trabalho.

 Ex.: Insurreições dos homúnculos nordestinos


no periodismo provinciano do início do
século.
 Inteligência Fenômeno
 Gênio
 Reflexão
Problema

•Desencadeia a Investigação
•Via de acesso ao terreno do conhecimento científico
•Pistas para: -investigação
-coleta de material
-coleta de dados
•Condiciona os resultados: -interessantes
-banais
• Levantamento do material necessário para a
investigação;
• Matéria prima da pesquisa bibliográfica
a) Levantamento bibliográfico:Documentação
(natureza: fontes e trabalhos), forma dos trabalhos
(manuscritos, impressos em periodicidade, periódicos,
microfilmes, diversos, como audios, videos, filmes,
jornais, livros, etc...), uso da biblioteca, uso dos
documentos bibliográficos, coleta de todo material de
pesquisa (elaboração da bibliografia).
• Coleta e registro de informações, da análise e
interpretação dos dados reunidos e classificação destes–
fase decisiva
• Leitura informativa:
a) Leitura de reconhecimento e pré-leitura;
b) Leitura seletiva;
c) Leitura crítica ou reflexiva;
d) Leitura interpretativa.
plano de assunto e
plano de atividades;

• Elaborar o plano é prever o que se vai comunicar!


• Apresenta dados de uma premissa;

• “Carta de intenções”;

• Um resumo pode conter estes 5 tópicos:

Precedentes do trabalho;

Delineamento da Pesquisa (Materiais e Métodos);

Principais resultados;

Conclusões.
• oferecer informações que sejam relevantes sobre o assunto
abordado;
• oferecer condições para melhor compreensão e
interpretação dos resultados a serem apresentados no
decorrer do trabalho;
• corroborar a necessidade ou a oportunidade do estudo.
Nota: Todos os autores citados na revisão de
literatura deverão constar da listagem final das
Referências.
 O que é fundamental?

 Uma vez escolhido o tema, conhecer o


assunto abordado.

 Conhecer a área onde se situa o objeto.

 Saber quais metodologias e técnicas são úteis


ao nosso objeto.
 Você deve procurar um professor-orientador
que trabalhe dentro da área de pesquisa que
você está desejando investigar, ou que tenha
interesse em começar um trabalho inédito ao
seu lado. Comunicação e interesses em
comum são os elementos-chave dentro deste
aspecto.
estando interessado, por determinados
motivos, em uma ordem de questões, creio ser
possível aí recortar um bom objeto de pesquisa,
o qual, submetido a determinadas
perspectivas teóricas deve resultar em um
problema a ser trabalhado segundo um
aparato metodológico, que parece ser
promissor para descobertas referentes a tais e
tais ângulos pertinentes àquela ordem de
questões que me interessam...
Elementos do projeto de pesquisa
1. Definição do tema e escolha do problema
- a construção do objeto

Escolhido o assunto de interesse, é


preciso lançar-lhe perguntas para que o
tema seja delimitado.
1. o tema deve ter um recorte;
2. deve tratar de uma temática atual ou
pouco discutida;
3. as referências bibliográficas utilizadas devem
ser localizadas com facilidade.
 Segundo Israel Belo de Azevedo (2004, p. 41), o tema
deve apresentar determinados aspectos para o
pesquisador, por exemplo:
• demonstrar um determinado grau de curiosidade, tanto
aos aspectos gerais quanto particulares;
• ter desenvolvido alguma experiência de pesquisa com as
áreas investigadas;
• possuir um razoável conjunto de conhecimento sobre o
tema;
• demonstrar uma postura crítica a partir dos referenciais
teóricos estudados;
• dispor de condições adequadas para colocar em prática o
projeto de pesquisa.
Estudos descritivos e exploratórios aceitam
questões de pesquisa ou perguntas
norteadoras (Triviños, 1987).

Parte da formulação do problema e tem o


suporte da teoria.
Trata da relevância da pesquisa (não do
tema), dos motivos que fazem com que ela
seja realizada, quais as contribuições para a
compreensão do problema.
 Justificar é oferecer razão suficiente para
que algo tenha acontecido ou aconteça. A
justificativa de um projeto consiste em
apresentar motivos bons o bastante para o
desenvolvimento de pesquisa acerca do
tema específico escolhido (SANTOS ,
2001, p. 82).
Duarte e Barros (2010, p. 44), nos colocam oito
aspectos que devem constar em uma boa
justificativa:
a) a escolha do tema;
b) a delimitação do objeto de estudo;
c) o recorte do objeto;
d) o corte cronológico;
e) as ferramentas de pesquisa;
f ) o material utilizado;
g) os dados selecionados;
h) o tipo da pesquisa;
i) a metodologia aplicada.
O que a pesquisa pretende. Devem ser
exeqüíveis e atrelados às questões de
pesquisa. Expressos por verbos no
infinitivo.
 Para os autores Duarte e Barros (2010, p. 43) os
objetivos podem ser divididos da seguinte
maneira:
 gerais: determinam, em nível macro, as ações que
levarão ao desenho geral da execução da
pesquisa, sem perder de vista a instância
pragmática;
 específicos (ou operacionais): expõem, em nível
micro, todas as ações necessárias para responder
às questões apontadas na problemática da
pesquisa, de tal forma que permitam a
confirmação ou refutação das hipóteses…
 os objetivos específicos devem expressar o
que será feito efetivamente em cada capítulo
ou seção do relatório final da pesquisa. Por
isso são específicos, pois expressam a
particularidade do exercício a ser realizado
pelo investigador em cada parte do trabalho.
 Verbos no infinitivo: Analisar, Apontar,
Confrontar, Configurar, Constatar, Descrever,
Elucidar, Entender, Examinar, Formular,
Historiar, Identificar, Investigar, Perceber,
Sistematizar, Verificar etc.
Mais que uma descrição formal dos métodos e
técnicas a serem utilizados, indica as opções e a
leitura operacional que o pesquisador fez do quadro
teórico.

Contempla a fase de exploração de campo e a


definição dos instrumentos de análise.
De acordo com a maneira como o problema foi
formulado e conforme as perguntas a ele dirigidas, a
pesquisa se desenha quantitiva ou qualitativa.

Trata-se de explicitar como o objeto foi construído e


como ele vai ser investigado.
Principais elementos:
a) definição da amostragem ou universo de pesquisa: sujeitos
envolvidos na investigação.
b) coleta de dados: as técnicas de recolhimento de informação
(observação participante, entrevista, questionário, história de
vida, pesquisa documental, etc.);
c) organização e análise de dados: formas pelas quais os dados
serão interpretados (análise de conteúdo, de discurso,
documental de interpretação, construção de tipologias, análise
de enquadramento, etc.);
d) cronograma;
e) referências bibliográficas.
 Justificar é oferecer razão suficiente para que
algo tenha acontecido ou aconteça. A
justificativa de um projeto consiste em
apresentar motivos bons o bastante para o
desenvolvimento de pesquisa acerca do tema
específico escolhido (SANTOS , 2001, p. 82).
 Duarte e Barros (2010, p. 44), nos colocam oito
aspectos que devem constar em uma boa justificativa:
a) a escolha do tema;
b) a delimitação do objeto de estudo;
c) o recorte do objeto;
d) o corte cronológico;
e) as ferramentas de pesquisa;
f ) o material utilizado;
g) os dados selecionados;
h) o tipo da pesquisa;
i) a metodologia aplicada..
 Para Dalberio & Dalberio (2009, p. 54)
independente do tipo de pesquisa e da
metodologia empregada na investigação é
necessário um embasamento teórico. Este é
realizado a partir de um procedimento de
leitura, análise e interpretação do material
bibliográfico. Portanto, a leitura analítica
desse material é imprescindível.
Bibliografias especializadas: são publicações
que contêm a relação de obras publicadas sobre
determinado assunto, em um periódico
específico. Como exemplo, temos a Bibliografia
Brasileira de Comunicação, publicada pela
Sociedade Brasileira de Estudos
Interdisciplinares de Comunicação (Intercom),
tanto separadamente como dentro da Revista
Brasileira de Ciências da Comunicação, de 1977
até 1997.
Índices com resumo: também denominados
Abstracts, são um índice da literatura corrente de
artigos de periódicos, contendo a referência e o
resumo de cada item.
Portais: são a porta de acesso a vários serviços e
informações, inclusive bibliográficos, disponíveis nos
sites das instituições mantenedoras. O portal portcom
– Rede de Informação em Comunicação para Países
de Língua Portuguesa
(<http://www.intercom.portcom.br>), desenvolvido
pela INTERCO M, apresenta vários serviços
bibliográficos.
Resumos de teses e dissertações: são
publicações que contêm a indicação do autor,
título, orientador, ano e universidade das
dissertações e teses defendidas nos programas
de pós-graduação de uma instituição ou país.
Catálogos de bibliotecas: são a relação de
obras de uma biblioteca, com entrada por autor,
título e assuntos.
Catálogos de editoras: para completar a busca,
o usuário poderá consultar os catálogos de
editoras” (STUMPF apud DUARTE ;
 BARROS , 2009, p. 58).
O projeto é um plano de trabalho que vai
sofrer alterações no decorrer da pesquisa.
É preciso conhecer os tipos de estudo, as
teorias que ajudam a compreender o tema e
formular o problema de pesquisa.
A Comunicação é um campo dinâmico que não
pode ser estudado por categorias estanques e
aprisionadas em teorias.
É uma área muito sensível às tentações das
prescrições (o dever ser).
É uma área ainda com muito a se conhecer.
Tema e objeo
 Exemplo:
 “as formas de expressão dos movimentos
juvenis na internet” é um tema.
 “As formas de expressão nos sites dos grupos
autodefinidos como ‘juventude anarquista’ de
São Paulo” é uma delimitação.
 Ainda “As concepções de rebeldia e autonomia
expressas nos sites dos grupos autodefinidos
como ‘juventude anarquista’ de São Paulo” é um
objeto.
No exemplo do problema “As concepções de
rebeldia e autonomia expressas nos sites dos
grupos autodefinidos como ‘juventude
anarquista’ de São Paulo”, uma questão
possível é de que maneira os sujeitos dos
grupos anarquistas definem os termos que os
caracterizam, idéia que pressupõe uma
organização de sentidos própria, e outra seria
como essas concepções se expressam no
chamado ciberespaço e de que maneira a
linguagem se relaciona com processos de
identidade.
Conceitos

 No exemplo citado, a busca dos conceitos se


volta para estudos de grupos jovens,
conceitos de juventude, anarquismo,
rebeldia, autonomia, movimentos sociais
contemporâneos, teorias da identidade,
comunicação na internet, formas de
mobilização da opinião pública, etc.
5. Objetivos
Exemplo:
OG: observar as formas de expressão nos sites
dos grupos anarquistas juvenis de São Paulo;
OE1: evidenciar sentidos atribuídos à rebeldia e
à autonomia pelos sujeitos dos grupos
selecionados;
OE2: encontrar relações entre essas definições e
suas autodefinições como grupo;
 Conheça o manual de TCC do DECOM/ UERN
e da Biblioteca da UERN.

 http://www.uern.br/controledepaginas/comu
nicacao-social-jor-
monografia/arquivos/0148manual_do_tcc_ve
rsaofinal.pdf

 http://www.uern.br/pdf/Documentos/MANU
AL_NORMATIZACAO_BIBLIOTECA.pdf