Você está na página 1de 33

PORTARIA Nº 437, DE 19 DE SETEMBRO DE 2016.

'O DIRETOR DE ANÁLISE TÉCNICA, no uso das atribuições que lhe confere o inciso I do
art. 33, combinado com o art. 5º, todos da Lei Complementar nº 109, de 29 de maio de
2001, e art. 23, inciso I, alínea "a", do Anexo I do Decreto nº 7.075, de 26 de janeiro de
2010, e considerando as manifestações técnicas exaradas no Processo MPAS nº
44000.003540/1997-16, sob o comando nº 416976440 e juntada nº 423099562, resolve:

Nº 437 - Art. 1º Aprovar as alterações propostas ao regulamento do Plano de Previdência


Sistema Fiergs - Fiergsprevi, CNPB nº 2008.0014-74, administrado pela Sociedade de
Previdência Privada do Rio Grande do Sul - Indusprevi.

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.'


INDUSPREVI - SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA

DO RIO GRANDE DO SUL

REGULAMENTO

PLANO DE PREVIDÊNCIA SISTEMA FIERGS - FIERGSprevi

2016
Índice

CAPÍTULO I DO PLANO E SEUS FINS ............................................................................... 1

CAPÍTULO II DAS DEFINIÇÕES .......................................................................................... 2

CAPÍTULO III DO TEMPO DE SERVIÇO NA PATROCINADORA ....................................... 6

SEÇÃO I Do Tempo de Serviço na PATROCINADORA .............................................. 6

CAPÍTULO IV DOS PARTICIPANTES, ASSISTIDOS E BENEFICIÁRIOS ......................... 7

SEÇÃO I Do Ingresso do PARTICIPANTE .................................................................... 7


SEÇÃO II Da Perda da Qualidade de PARTICIPANTE .................................................. 8
SEÇÃO III Dos ASSISTIDOS ........................................................................................... 8
SEÇÃO IV Dos BENEFICIÁRIOS .................................................................................... 8

CAPÍTULO V DAS FONTES DE CUSTEIO DOS BENEFÍCIOS E DAS DESPESAS


ADMINISTRATIVAS .............................................................................................................. 10

SEÇÃO I Da Base de Contribuição ............................................................................. 10


SEÇÃO II Das Contribuições dos PARTICIPANTE ..................................................... 10
SEÇÃO III Das Contribuições da PATROCINADORA .................................................. 11
SEÇÃO IV Do Repasse das Contribuições ................................................................... 12
SEÇÃO V Do Custeio das Despesas Administrativas ................................................. 13

CAPÍTULO VI DAS CONTAS DO PLANO E SUA ATUALIZAÇÃO .................................... 14

CAPÍTULO VII DOS BENEFÍCIOS, FORMAS DE PAGAMENTO E RECALCULO ........... 15

SEÇÃO I Dos Benefícios ............................................................................................ 15


Subseção I Das Disposições Gerais ................................................................... 15
Subseção II Renda de Aposentadoria Normal ..................................................... 15
Subseção III Renda de Aposentadoria Antecipada .............................................. 16
Subseção IV Renda de Aposentadoria por Invalidez ............................................. 16
Subseção V Renda por Morte ............................................................................... 17
Subseção VI Abono Anual ...................................................................................... 17
Subseção VII Suplementação de Auxílio Doença ................................................... 18
SEÇÃO II Das Formas e Data de Pagamento dos Benefícios ..................................... 18
SEÇÃO III Do Recalculo dos Benefícios ....................................................................... 19

CAPÍTULO VIII DOS INSTITUTOS ...................................................................................... 20

SEÇÃO I Das Disposições Gerais .............................................................................. 20


SEÇÃO II Do Autopatrocínio ........................................................................................ 20
SEÇÃO III Do Benefício Proporcional Diferido .............................................................. 21
SEÇÃO IV Da Portabilidade .......................................................................................... 22
SEÇÃO V Do Resgate ................................................................................................. 24

CAPÍTULO IX DAS ALTERAÇÕES DO PLANO ................................................................ 26

CAPÍTULO X DAS DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS ........................................................ 27

CAPÍTULO XI DAS DISPOSIÇÕES GERAIS ..................................................................... 28


CAPÍTULO I – DO PLANO E SEUS FINS

Art. 1º O presente regulamento disciplina o Plano de Aposentadoria Sistema FIERGS, CNPB


2008.0014-74 que tem seu nome alterado para Plano de Previdência Sistema FIERGS -
FIERGSprevi, doravante denominado simplesmente FIERGSprevi, estabelecendo os
direitos e as obrigações das Patrocinadoras, dos Participantes, dos Assistidos, dos
Beneficiários e da INDUSPREVI – Sociedade de Previdência Privada do Rio Grande do
Sul, entidade fechada de previdência complementar, que administra este plano.

§ 1º O Plano FIERGSprevi é um plano de previdência complementar fechado concebido na


modalidade de contribuição definida.

§ 2º As empresas que celebraram ou que venham a celebrar o convênio de adesão a este


plano, não serão solidárias entre si.

§ 3º O Plano FIERGSprevi é totalmente desvinculado dos demais planos administrados pela


INDUSPREVI e dos demais planos mantidos pelas Patrocinadoras.

§ 4º A inscrição do Participante e seus respectivos Beneficiários neste plano, e a manutenção


desta qualidade, são pressupostos indispensáveis para a percepção de quaisquer dos
benefícios previstos neste regulamento.

§ 5º O Plano FIERGSprevi se aplica exclusivamente aos inscritos neste plano e seu(s)


respectivo(s) Beneficiário(s).

§ 6º Nenhum benefício poderá ser criado, majorado ou estendido neste plano sem a prévia
aprovação dos órgãos competentes e sem que tenha sido, em contrapartida, estabelecida
a respectiva receita de cobertura total.

-1-
CAPÍTULO II – DAS DEFINIÇÕES

Art. 2º Para efeito deste regulamento as expressões, abreviações ou siglas, sem prejuízo de
outras, terão o seguinte significado, nas quais o plural envolve o singular e o masculino
envolve o feminino ou vice versa, a menos que o contexto indique claramente o
contrário:

I Assistido: Participante ou seu Beneficiário que esteja recebendo benefício de renda


mensal pelo Plano FIERGSprevi.

II Autopatrocínio: instituto que faculta ao Participante manter sua contribuição e a da


Patrocinadora, no caso de perda parcial ou total da remuneração recebida, conforme
previsto no capítulo VIII deste regulamento.

III Beneficiário: qualquer pessoa física indicada pelo Participante ativo ou que esteja
recebendo renda de aposentadoria nos termos deste regulamento, bem como os
dependentes reconhecidos pela Previdência Social, conforme seção IV do capítulo IV
deste regulamento.

IV Benefício mínimo de referência: valor mínimo de referência, para pagamento de


renda, equivalente a 0,5 (zero vírgula cinco décimos) da unidade de referência, cujo
pagamento do benefício de renda será passível de ser convertido em parcela única,
cessando com este pagamento todas as obrigações do plano.

V Benefício proporcional diferido - BPD: instituto que faculta ao Participante, em razão


da cessação do vínculo empregatício com a Patrocinadora, optar por receber, em tempo
futuro, os benefícios calculados na forma deste regulamento, conforme previsto no
capítulo VIII deste regulamento.

VI Conta de benefícios: conta individual para pagamento de benefício de renda, formada


pela transferência dos saldos da conta de Participante, conta de recursos portados e
conta de Patrocinadora.

VII Conta de Participante: conta individual formada pelas contribuições feitas pelo
Participante, líquidas de despesa administrativa e atualizadas pelo retorno líquido de
investimentos.

VIII Conta de Patrocinadora: conta individual formada pelas contribuições feitas pela
Patrocinadora em favor do Participante, líquidas do custeio dos benefícios de risco e
despesa administrativa e atualizadas pelo retorno líquido de investimentos.

IX Conta de recursos portados: conta individual onde são registrados os recursos


portados pelo Participante de outros planos de benefícios, atualizada pelo retorno
líquido de investimentos, segregada em subcontas definidas como valores portados de
entidades abertas e valores portados de entidades fechadas.

-2-
X Contribuição: representa o valor recolhido ao plano, conforme definido no capítulo V
deste regulamento.

XI Convênio de adesão: o instrumento que formaliza a adesão das Patrocinadoras ao


Plano de Previdência Sistema FIERGS - FIERGSprevi administrado pela INDUSPREVI
e, estabelece as condições de adesão, os direitos e deveres das partes e outras cláusulas
legais.

XII Data de adesão: data de ingresso do Participante no plano, respeitados os prazos e


demais disposições deste regulamento.

XIII Data de vigência das alterações do plano: data de aprovação pelo órgão
governamental competente observadas as disposições deste regulamento.

XIV Data efetiva do plano: data de início de vigência do plano em 01 de outubro de 2008.

XV Data de cálculo do benefício: será o primeiro dia do mês do requerimento, desde que
atendidas as condições de elegibilidade mediante a apresentação dos documentos
comprobatórios.

XVI EFPC: entidade fechada de previdência complementar que administra e executa o


presente plano, neste caso, a INDUSPREVI.

XVII EAPC: entidade aberta de previdência complementar ou seguradora.

XVIII Elegibilidade: condição fixada neste regulamento para exercer o direito a um dos
benefícios previstos neste Plano FIERGSprevi.

XIX Extrato: documento a ser disponibilizado, periodicamente, pela INDUSPREVI,


contendo as informações individuais de cada Participante sobre as contribuições
realizadas para o plano, o retorno líquido de investimentos e outras movimentações
financeiras, bem como, os respectivos saldos e, no caso de Assistidos, do saldo da conta
de benefícios.

XX Extrato de institutos: Documento fornecido ao Participante que tiver cessado o seu


vínculo empregatício com a Patrocinadora, para subsidiar a opção pelos institutos,
previsto no capitulo VIII deste regulamento.

XXI Participante: pessoa física, empregado das Patrocinadoras, inscrito e contribuindo a


este Plano FIERGSprevi, que não esteja recebendo renda deste plano.

XXII Participante fundador: Participante inscrito até 31 de outubro de 2008 que tenha
mantido suas contribuições ininterruptas a este Plano FIERGSprevi.

XXIII Participante imediato:

a) Participante inscrito no FIERGSprevi até 90 (noventa) dias após a data de


admissão na Patrocinadora;

b) Empregados sem plano que se inscreverem no FIERGSprevi até 02 de maio de


2016;
-3-
c) Ex-Participantes que reingressarem no FIERGSprevi até 02 de maio de 2016, e

d) Todos os Participante que em 01/12/2015 já estavam contribuindo para o


FIERGSprevi e mantiveram a sua contribuição.

XXIV Participante remido: Participante que optar pelo Benefício Proporcional Diferido.

XXV Participante autopatrocinado: Participante que optar pelo autopatrocínio.

XXVI Patrocinadora(s): as empresas que firmaram, bem como a(s) que venha(m) a firmar
convênio de adesão a este plano.

XXVII Plano: Significará este Plano de Previdência Sistema FIERGS – FIERGSprevi.

XXVIII Plano de benefícios originário: o Plano de Benefícios do qual serão portados os


recursos financeiros que representam o direito acumulado dos Participante.

XXIX Plano de benefícios receptor: o Plano de Benefícios para o qual serão portados os
recursos financeiros que representam o direito acumulado dos Participantes.

XXX Plano de contribuição definida: plano de caráter previdenciário cujos benefícios


programados têm seu valor permanentemente ajustado ao saldo de conta mantido em
favor do Participante.

XXXI Plano de custeio: documento no qual são estabelecidos os níveis de contribuição e


despesa administrativa do plano, revisto periodicamente e aprovado pela Patrocinadora
e pelo Conselho Deliberativo.

XXXII Portabilidade: instituto que faculta ao Participante, nos termos da legislação aplicável,
transferir os recursos financeiros correspondentes ao seu direito acumulado para outro
plano de previdência complementar, bem como transferir de outro plano para este Plano
FIERGSprevi, conforme previsto no capitulo VIII deste regulamento.

XXXIII Regulamento: documento que estabelece as disposições do Plano, disciplinando, entre


outras coisas, as condições de ingresso e saída dos Participantes, as contribuições a
serem feitas, os benefícios previstos, as condições de elegibilidade, formas de
pagamento e demais cláusulas.

XXXIV Renda por prazo determinado: valor pago, mensalmente, aos Assistidos, calculado
com base no saldo da conta de benefícios e no prazo de recebimento escolhido, nos
termos do artigo 56 deste regulamento.

XXXV Renda por prazo indeterminado: valor pago, mensalmente, aos Assistidos, calculado
por equivalência atuarial, considerando o saldo da conta de benefícios, os dados
cadastrais e as bases técnicas do plano, conforme artigo 56 deste regulamento.

XXXVI Renda por percentual do saldo da conta de benefícios: valor pago, mensalmente, aos
Assistidos considerando o saldo da conta de benefícios, conforme artigo 56 deste
regulamento.

-4-
XXXVII Resgate: instituto que faculta ao Participante, em razão da cessação do vínculo
empregatício, o recebimento do valor decorrente do seu desligamento deste plano, na
forma do capitulo VIII deste regulamento.

XXXVIII Retorno líquido de investimentos: ganho ou perda monetária resultante da aplicação


financeira dos recursos garantidores do plano, deduzidas as respectivas despesas de
administração. O retorno líquido de investimentos determina a variação da cota.

XXXIX Salário de contribuição: também denominado salário de participação, a composição


do valor da remuneração do Participante sobre o qual serão calculadas as contribuições
ao plano conforme definido na seção I do capítulo V deste regulamento.

XL Tempo de serviço na patrocinadora: tempo de serviço efetivamente prestado pelo


Participante nas Patrocinadoras, conforme definido no capítulo III deste regulamento.

XLI Tempo de vinculação ao plano: Será considerado o tempo de efetiva vinculação ao


plano o período em que tiver ocorrido contribuição a este Plano FIERGSprevi, bem
como o tempo em que ocorrer o pagamento de benefício de renda mensal, nos termos
previstos neste regulamento.

XLII Termo de opção: documento pelo qual o Participante fará a opção por um dos
institutos previstos no capitulo VIII deste regulamento.

XLIII Termo de portabilidade: documento emitido pela Entidade que administra o Plano de
Benefícios Originário, após a opção do Participante pela Portabilidade, à Entidade que
administra o Plano de Benefícios Receptor.

XLIV Unidade de Referência - UR: unidade utilizada como parâmetro do cálculo de


contribuições ou de benefícios, conforme o caso, definido neste regulamento do plano.
Equivalente a R$ 422,09 (quatrocentos e vinte e dois reais e nove centavos) em 01 de
janeiro de 2015. A UR será reajustada pelo índice de reajuste coletivo dos salários dos
empregados das Patrocinadoras.

-5-
CAPÍTULO III - DO TEMPO DE SERVIÇO NA PATROCINADORA

SEÇÃO I – Do Tempo de Serviço na PATROCINADORA

Art. 3º O tempo de serviço na Patrocinadora significará o período contínuo e ininterrupto de


tempo de serviço de um Participante na Patrocinadora, inclusive anterior à data efetiva
do plano, nos termos deste regulamento.

§ 1º O tempo de serviço na patrocinadora será contado em meses completos e encerrar-se-á


na data do termino do vinculo empregatício.

§ 2º O tempo de serviço na patrocinadora não será interrompido, nos seguintes casos:

I Licença compulsória, sem remuneração, na hipótese do Participante retornar ao


serviço em até 30 dias e tiver os direitos de reemprego preservados;

II Licença para cumprimento do serviço militar;

III Ausência de Participante devido à invalidez, no caso de recuperação em que o


Participante retornar ao trabalho em 30 dias da confirmação do laudo de
capacidade;

IV Período em que o Participante estiver afastado por auxílio doença concedido


pelo INSS, desde que retorne ao serviço na Patrocinadora imediatamente após a
cessação da incapacidade.

§ 3º Para o Participante remido, o tempo de permanência nesta condição será contado como
tempo de vinculação ao plano e tempo de serviço na patrocinadora, exclusivamente,
para fins de elegibilidade aos benefícios de renda previstos neste regulamento.

Art. 4º O Participante que prestar serviços simultaneamente a mais de uma Patrocinadora deste
Plano, se ocorrer, ficará vinculado a cada uma delas para efeito de contribuições ao
Plano, conforme disposto neste regulamento.

Art. 5º O Participante que tiver o seu contrato de trabalho transferido de uma Patrocinadora
para outra aproveitará o tempo de serviço da anterior, observado o artigo 3º deste
regulamento.

§ único Na hipótese de transferência de Participantes entre as Patrocinadoras deste plano, as


suas contas individualizadas, bem como eventuais recursos que sobrarem, ficarão
vinculadas à última Patrocinadora.

-6-
CAPÍTULO IV – DOS PARTICIPANTES, ASSISTIDOS E BENEFICIÁRIOS

SEÇÃO I – Do Ingresso do PARTICIPANTE

Art. 6º Serão considerados Participantes, os empregados das Patrocinadoras que aderirem ao


Plano FIERGSprevi, através da inscrição própria, nos termos deste regulamento.

§ 1º Este Plano FIERGSprevi será oferecido a todos os empregados das Patrocinadoras, nos
termos do § 5º artigo 1º deste regulamento.

§ 2º Será facultada a inscrição neste plano a todos os empregados vinculados às


Patrocinadoras desde que não sejam Participantes de outros planos previdenciários
patrocinados pela mesma Patrocinadora.

§ 3º O Participante inscrito até 31 de outubro de 2008 que tenha mantido suas contribuições
ininterruptas será considerado Participante fundador.

Art. 7º O Participante deverá, no ato da inscrição, preencher os formulários, nos quais


autorizará a cobrança das contribuições por meio de desconto em folha de pagamento.

§ único Aos Participantes autopatrocinados ou Participantes remidos, o pagamento das


contribuições ao plano será feito através dos meios indicados pela INDUSPREVI.

Art. 8º O Empregado poderá a qualquer tempo ingressar ou reingressar no plano, atendendo o


disposto no artigo 7º deste regulamento.

Art. 9º O Participante e o Participante autopatrocinado poderão manifestar-se por escrito, a


qualquer tempo, visando alterar os seus percentuais de contribuição.

§ único Na hipótese de não manifestação serão mantidos os últimos percentuais praticados.

Art. 10 O ex-Participante, desligado do plano, poderá requerer o seu reingresso, reiniciando as


contribuições ao plano nos termos da sua nova opção, após o atendimento ao artigo 7º
deste regulamento.

§ 1º Na hipótese de reingresso no plano o participante deverá cumprir a carência de tempo de


vinculação ao plano necessária para fazer jus aos benefícios e institutos. O tempo de
vinculação anterior, neste plano, será somado ao novo tempo de vinculação ao plano.

§ 2º O período em que o ex-Participante estiver desligado do plano, sem contribuição


mensal, não será computado como tempo de vinculação ao plano.

§ 3º O participante fundador ou participante imediato que requerer o desligamento do plano,


mantendo o vinculo na patrocinadora, perderá esta condição.

Art. 11 É responsabilidade do Participante manter as informações atualizadas, relativas ao seu


cadastro de dados, bem como de seus Beneficiários.

-7-
SEÇÃO II – Da Perda da Qualidade de PARTICIPANTE

Art. 12 Perderá a condição de Participante aquele que:

I requerer o desligamento do plano;

II falecer;

III receber integralmente os valores dos benefícios previstos por este plano;

IV exercer a portabilidade ou resgate nos termos deste regulamento;

V perder o vínculo com a Patrocinadora, ressalvados os Participantes remidos e


Participantes autopatrocinados.

VI Deixar o Participante autopatrocinado de recolher por 03 (três) meses consecutivos o


valor de suas contribuições, ressalvada a hipótese de preenchimento das condições ao
benefício proporcional diferido.

SEÇÃO III – Dos ASSISTIDOS

Art. 13 Serão considerados Assistidos, os Participantes ou seu(s) beneficiário(s) que estiver(em)


recebendo benefícios de renda mensal por conta deste plano, conforme definido no
inciso I do artigo 2º, deste regulamento.

SEÇÃO IV – Dos BENEFICIÁRIOS

Art. 14 O Participante ativo ou que esteja recebendo renda de aposentadoria nos termos deste
regulamento poderá além de seus dependentes reconhecidos pela Previdência Social
inscrever como seus Beneficiários, qualquer pessoa física.

§ 1º Os Beneficiários inscritos concorrem em iguais condições com os dependentes


reconhecidos pela Previdência Social e prevalecem em relação aos possíveis e demais
herdeiros legais, que poderiam ter sido designados.

§ 2º Serão considerados os últimos Beneficiários designados pelo Participante e pelo


Assistido. Somente será valida a designação de Beneficiário efetivada formalmente por
escrito junto a entidade.

§ 3º Em caso de falecimento do Participante ou do Assistido, não havendo Beneficiários


serão considerados os herdeiros legais, mediante apresentação de alvará competente.

§ 4º Aos Beneficiários de ex-Participante em caso de seu falecimento, restará a restituição da


conta de participante e conta de recursos portados.

§ 5º Será vedado ao Assistido de Renda por Morte a inscrição de Beneficiários.

-8-
§ 6º Será cancelada automaticamente a elegibilidade do Beneficiário que perder esta
qualidade, nos termos do regime da Previdência Social e não estiver inscrito neste
plano.

§ 7º Na hipótese de falecimento de Participante sem que tenha sido feita a inscrição de


Beneficiário, este ou o seu representante legal poderá fazê-lo, mediante o
reconhecimento junto à Previdência Social.

-9-
CAPÍTULO V – DAS FONTES DE CUSTEIO DOS BENEFÍCIOS E DAS
DESPESAS ADMINISTRATIVAS

SEÇÃO I – Da Base de Contribuição

Art. 15 A base de contribuição será o salário de contribuição do Participante ou salário de


participação, que é composto pelas parcelas sobre as quais incidirá a contribuição ao
plano, da seguinte forma:

a) Para o Participante, cujo contrato de trabalho esteja em curso regular, o salário


básico mensal, incluindo as gratificações fixas e adicionais não variáveis e
excluídas horas extras não habituais, gratificações de férias e de resultados, pagos
no mês pela Patrocinadora;

b) Para o Participante autopatrocinado, o salário de contribuição definido e aprovado


considerando a remuneração referente ao mês precedente ao término do vínculo
empregatício, ou da alteração do contrato de trabalho, para o caso de perda parcial
de remuneração, reajustados nas mesmas épocas e nos mesmos índices concedidos
aos empregados da Patrocinadora.

c) Para o Participante em auxílio doença ou com o contrato de trabalho suspenso, o


salário de contribuição será correspondente ao que receberia na Patrocinadora na
sua normalidade.

§ 1º Não haverá contribuição de Participante ou Patrocinadora sobre o 13º salário.

§ 2º O custeio do plano será de responsabilidade da Patrocinadora, dos Participantes e dos


Assistidos e poderá ser alterado anualmente, observada a legislação vigente.

SEÇÃO II – Das Contribuições dos PARTICIPANTES

Art. 16 As contribuições normais dos Participantes destinadas a prover o pagamento dos


Benefícios do Plano são as seguintes:

I Contribuição Básica

II Contribuição Voluntária

III Contribuição Esporádica

Art. 17 As contribuições dos Participantes terão descontadas a despesa administrativa nos


termos definidos no plano de custeio, sendo depositadas em seu valor líquido, nas
respectivas contas de Participante.

- 10 -
Art. 18 A Contribuição Básica será compulsória, mensal e corresponderá ao percentual
escolhido pelo Participante entre 5% (cinco por cento) a 8% (oito por cento) aplicável
sobre o Salário de Contribuição do Participante.

Art. 19 A Contribuição Voluntária será opcional, mensal, em percentual livremente escolhido


pelo Participante, aplicável sobre o seu salário de contribuição, não havendo
contrapartida da Patrocinadora.

Art. 20 A Contribuição Esporádica será opcional, eventual, em valor livremente escolhido pelo
Participante e Assistido, podendo ser realizado em qualquer época do ano, não havendo
contrapartida da Patrocinadora.

Art. 21 As contribuições de Participantes serão destinadas à constituição da conta de


Participante, nos termos que dispõe o capítulo VI deste regulamento, visando o custeio e
a manutenção dos benefícios.

§ único O valor das Contribuições Básica e Voluntária será automaticamente alterado quando da
variação do salário de contribuição do Participante.

Art. 22 O Participante afastado da Patrocinadora por doença contribui ao plano nas mesmas
condições que faria se estivesse em atividade, recebendo também a contribuição da
Patrocinadora.

Art. 23 Na hipótese de cessação das contribuições da Patrocinadora, na forma do artigo 30 deste


regulamento, será facultado ao Participante continuar contribuindo para o plano, sem a
contrapartida da Patrocinadora, responsabilizando-se, inclusive, pelo custeio
administrativo.

Art. 24 Será facultado ao Participante nas condições descritas nos incisos I, II e IV do § 2º do


artigo 3º e que tenha, no mínimo, 01 (um) ano de tempo de vinculação ao plano
suspender as contribuições ao Plano, inclusive as contribuições da Patrocinadora, por
um período de um ano, podendo ser renovado por, no máximo, igual período, desde que
homologado pela Patrocinadora.

§ 1º Nesta hipótese o período de suspensão das contribuições não será contado como tempo
de vinculação ao plano para efeito de elegibilidade dos benefícios e dos institutos,
preservando somente a condição de Participante fundador ou Participante imediato.

§ 2º Findo o período descrito no caput o Participante, deverá retornar suas contribuições ao


plano.

Art. 25 Os Assistidos poderão recolher contribuições esporádicas ao plano que serão aportadas
à conta de benefícios e estarão sujeitas ao custeio administrativo conforme as regras
previstas no plano de custeio.

SEÇÃO III – Das Contribuições da PATROCINADORA

Art. 26 A contribuição da Patrocinadora será classificada como Contribuição Normal.


- 11 -
Art. 27 A Contribuição Normal da Patrocinadora será mensal em percentual igual à
Contribuição Básica do Participante.

Art. 28 O montante da Contribuição Normal recolhida ao Plano FIERGSprevi pela


Patrocinadora terá a seguinte destinação, observando a ordem abaixo:

I A constituição de recursos suficientes e necessários para a cobertura da


Suplementação do Auxílio Doença, em conta coletiva do Plano FIERGSprevi,
segregada por Patrocinadora.

II A dedução da despesa administrativa definida no plano de custeio estabelecido


para cada uma das Patrocinadoras.

III O valor restante será depositado em conta individual do Participante e será


acumulado na respectiva conta de Patrocinadora, nos termos do inciso III do
artigo 36, deste regulamento.

Art. 29 O percentual de contribuição necessário para cobertura da Suplementação do Auxílio


Doença será definido anualmente no plano de custeio e será acumulado em conta
coletiva do plano.

§ único Na hipótese de não haver saldo suficiente na conta coletiva deste plano para a cobertura
da Suplementação do Auxílio Doença, será utilizado o fundo de reversão previsto no
artigo 87 deste regulamento, cabendo reavaliar o custeio, nos termos deste regulamento
e da legislação vigente.

Art. 30 As contribuições recolhidas pela Patrocinadora ao Plano FIERGSprevi em favor do


Participante cessarão 06 (seis) meses após o Participante completar, simultaneamente,
pelo menos 65 (sessenta e cinco) anos de idade e 10 (dez) anos de tempo de vinculação
ao plano.

Art. 31 As Contribuições da Patrocinadora assumidas pelo Participante autopatrocinado serão


acumuladas, após a dedução correspondente às parcelas mencionadas nos incisos I e II
do artigo 28, em sua respectiva conta de Participante.

SEÇÃO IV – Do Repasse das Contribuições

Art. 32 Será assegurado à Patrocinadora reduzir ou suspender temporariamente as contribuições


para o plano e só fazer as contribuições destinadas à satisfação dos benefícios que, até
aquela data, já estiverem creditados ou prestados aos Participantes e Assistidos.
§ 1º Será assegurado também ao Participante o direito de reduzir ou suspender as
contribuições para o plano, durante o período da redução ou suspensão das
contribuições da Patrocinadora.

§ 2º Essa medida deverá ser previamente aprovada pelos órgãos competentes e comunicada
aos Participantes e Assistidos.

- 12 -
§ 3º Durante o período de suspensão temporária de contribuições, serão mantidas as
contribuições para cobertura da Suplementação do Auxílio Doença e as necessárias para
o custeio das despesas administrativas.

Art. 33 A Contribuição Normal da Patrocinadora, as Contribuições Básicas e Voluntárias dos


Participantes descontadas em folha de salário, bem como as contribuições dos
Participantes autopatrocinados, deverão ser recolhidas até o 3º (terceiro) dia útil do mês
subsequente à competência.

Art. 34 A falta do recolhimento das contribuições no prazo previsto no artigo 33 deste


regulamento sujeitará às seguintes penalidades:

I multa de 2% (dois por cento) sobre o valor devido e não pago;

II juros de mora correspondente a 1% (um por cento) ao mês ou sua equivalência


diária, sobre o valor não recolhido;

III Atualização monetária com base no retorno líquido de investimentos do período


ou a variação do INPC, o que for maior, nos débitos que excederem a 45
(quarenta e cinco) dias do seu vencimento.

§ único Os valores relativos à multa e aos juros, previstos no caput, serão destinados ao custeio
administrativo do plano.

SEÇÃO V – Do Custeio das Despesas Administrativas

Art. 35 As despesas administrativas serão custeadas pelas Patrocinadoras, pelos Participantes e


Assistidos, nos termos do plano de custeio, observada a legislação aplicável, atendendo
a limites e critérios estabelecidos pelo órgão regulador e fiscalizador.

§ 1º A taxa para cobertura da despesa administrativa será descontada das contribuições feitas
a este plano, nos termos do plano de custeio.

§ 2º Os Participantes autopatrocinados custearão integralmente, além das contribuições de


Participante, as contribuições de Patrocinadora, a contribuição para cobertura da
Suplementação de Auxílio Doença e a despesa administrativa, nos termos estabelecidos
no plano de custeio.

§ 3º Para a administração dos recursos, dos Participantes remidos, dos ex-Participantes com
saldo ou dos Participantes com contribuição suspensa, incidirá despesa administrativa
que será descontada do saldo de conta de participante, nos termos do plano de custeio.

- 13 -
CAPÍTULO VI – DAS CONTAS DO PLANO E SUA ATUALIZAÇÃO

Art. 36 Serão mantidas as seguintes contas individuais para os Participantes, visando a alocação
das contribuições ao Plano:

I Conta de Participante: formada pelas Contribuições básica, voluntária e esporádica


do participante, nos termos do regulamento e do plano de custeio.

II Conta de recursos portados: formada pelos valores portados de outros Planos de


previdência complementar, segregada em subcontas:

a. Valores portados de planos administrados por EAPC;

b. Valores portados de planos administrados por EFPC.

III Conta de Patrocinadora formada pela contribuição normal, conforme o disposto nos
artigos 27 e 28 deste regulamento.

IV Conta de benefícios formada pela transferência dos saldos da conta de Participante,


conta de recursos portados e conta de Patrocinadora.

Art. 37 Para custeio da Suplementação de Auxílio Doença, será formada a conta coletiva.

Art. 38 O saldo total das contas previstas neste regulamento serão mensuradas em reais,
atualizadas mensalmente pelo retorno líquido de investimentos deste plano.

§ único A atualização das contas dar-se-á exclusivamente pelo retorno líquido de investimentos,
não havendo outra forma ou outro índice de atualização por mais benéfica que seja.

- 14 -
CAPÍTULO VII – DOS BENEFÍCIOS, FORMAS DE PAGAMENTO E
RECÁLCULO

SEÇÃO I – Dos Benefícios

Art. 39 São previstos os seguintes benefícios neste plano:

I Renda de Aposentadoria Normal

II Renda de Aposentadoria Antecipada

III Renda de Aposentadoria por Invalidez

IV Renda por Morte

V Abono Anual

VI Suplementação de Auxílio Doença

Subseção I – Das Disposições Gerais

Art. 40 O valor dos benefícios previstos pelo plano, exceto Suplementação de Auxílio Doença,
será calculado com base no saldo total da conta de benefícios.

Art. 41 A concessão dos benefícios do plano será condicionada ao atendimento e comprovação


das elegibilidades previstas, além do protocolo do requerimento junto a INDUSPREVI,
exceto o abono anual que será pago independente de requerimento.

§ único O Participante deverá manifestar por escrito sua opção por uma das formas de
pagamento previstas no artigo 56 deste regulamento, para o respectivo benefício.

Art. 42 O Assistido poderá optar, a qualquer tempo, por suspender o recebimento do valor de
sua renda mensal, cabendo a este o custeio da despesa administrativa, que será
descontada do saldo de Conta de benefícios, nos termos do plano de custeio.

Subseção II – Renda de Aposentadoria Normal

Art. 43 O Participante tornar-se-á elegível ao benefício de Renda de Aposentadoria Normal


quando preencher, concomitantemente, as seguintes condições:

I Ter, no mínimo, 55 (cinqüenta e cinco) anos de idade;

II Ter, no mínimo, 10 (dez) anos de tempo de vinculação ao plano;

- 15 -
III Ter, no mínimo, 10 (dez) anos de tempo de serviço na patrocinadora;

IV Término do vínculo empregatício.

§ único Será computado para fins de cumprimento de carência pelo Participante remido, o
tempo decorrido após sua opção pelo BPD como tempo de vinculação ao plano e tempo
de serviço na Patrocinadora, conforme § 3º, do artigo 3º deste regulamento.

Subseção III – Renda de Aposentadoria Antecipada

Art. 44 O Participante poderá requerer, antecipadamente, a concessão do benefício de Renda de


Aposentadoria, quando preencher, concomitantemente, as seguintes condições:

I Ter, no mínimo, 50 (cinqüenta) anos de idade;

II Ter, no mínimo, 05 (cinco) anos de tempo de vinculação ao plano.

III Ter, no mínimo, 05 (cinco) anos de tempo de serviço na Patrocinadora;

IV Término do vínculo empregatício.

Art. 45 O Participante fundador terá dispensado a exigência mínima do tempo de serviço na


Patrocinadora e terá reduzido para 02 (dois) anos o tempo mínimo de tempo de
vinculação ao plano, para obter os benefícios de Renda de Aposentadoria Normal e
Renda de Aposentadoria Antecipada.

Art. 46 Os benefícios de renda de Aposentadoria Normal e Antecipada serão calculados com


base no saldo total da conta de benefícios na data de cálculo do benefício, e será pago na
forma escolhida pelo Participante, nos termos do artigo 56 deste regulamento.

Subseção IV – Renda de Aposentadoria por Invalidez

Art. 47 O Participante fará jus ao benefício de Renda de Aposentadoria por Invalidez, a partir
do pagamento da primeira Contribuição Básica a este plano, desde que tenha concedido
a invalidez pela Previdência Social.

§ único O Participante aposentado pela Previdência Social poderá ter dispensada a


comprovação da concessão de invalidez pela Previdência Social, mediante laudo
médico, atestando a invalidez, a sua natureza e, se for o caso, a necessidade de
reexame, cabendo à INDUSPREVI a análise, habilitação e concessão do benefício.

Art. 48 O benefício de Renda de Aposentadoria por Invalidez será calculado com base no saldo
total da conta de benefícios na data de cálculo do benefício, e será pago na forma
escolhida pelo Participante, nos termos do artigo 56 deste regulamento e enquanto durar
a invalidez.

- 16 -
Subseção V – Renda por Morte

Art. 49 O Beneficiário será elegível ao benefício de Renda por Morte, quando do falecimento
do Participante ou Assistido, mediante as comprovações de falecimento e da sua
condição de Beneficiário, nos termos definidos no artigo 14 deste regulamento.

Art. 50 O benefício de Renda por Morte concedido ao Beneficiário de Assistido será com base
no saldo total da conta de benefícios, e pago na forma de renda mensal pelo tempo
remanescente, conforme a opção do Participante para o recebimento da renda, por
ocasião do requerimento do benefício e que vinha recebendo até o seu falecimento.

Art. 51 O benefício de Renda por Morte, concedido ao Beneficiário de Participante, de


Participante autopatrocinado e de Participante remido, será com base no saldo total da
conta de benefícios.

§ único O benefício de Renda por Morte será pago 25% (vinte e cinco por cento) do saldo de
conta de Participante à vista e o restante por prazo indeterminado, nos termos do inciso
II artigo 56 e observado o artigo 57 deste regulamento, considerando o valor total do
benefício.

Art. 52 Na existência de dois ou mais Beneficiários, o benefício de Renda por Morte será
rateado entre eles, em igual proporção. Não será protelado o pagamento, se for o caso,
da Renda por Morte na falta de outros possíveis Beneficiários.

§ 1º Caso haja inscrição de novo Beneficiário após a concessão do benefício de Renda por
Morte, em função de reconhecimento da Previdência Social, proceder-se-á naquela
oportunidade o rateio do Benefício de Renda por Morte, sendo certo que o novo
Beneficiário somente fará jus à sua cota-parte após o processamento da inscrição.

§ 2º A exclusão de Beneficiário após a concessão implica novo rateio do benefício de Renda


por Morte entre os Beneficiários remanescentes.

§ 3º Na hipótese de pagamento em parcela única inclusive os 25% (vinte e cinco por cento)
pagos a vista, será pago aos Beneficiários, na proporção do saldo da conta de benefícios
que caberia a cada um, caso a renda mensal fosse concedida.

§ 4º Não havendo Beneficiários ou em caso de falecimento dos Beneficiários, o saldo


existente na conta de benefícios será pago em parcela única nos termos do § 3º do artigo
14 deste regulamento.

Subseção VI – Abono Anual

Art. 53 O Abono Anual será igual ao valor da Renda de Aposentadoria ou Renda por Morte,
devido no mês de dezembro de cada ano ou no mês do término do benefício de renda,
proporcionalmente ao número de meses durante os quais o Assistido percebeu o
benefício de renda, no curso do mesmo ano.

- 17 -
Subseção VII – Suplementação de Auxílio Doença

Art. 54 Será habilitado à Suplementação de Auxílio Doença, o Participante incapacitado para o


desempenho de suas atividades por motivo de doença ou acidente, a partir da data de
início do benefício concedido pela Previdência Social ou previsto no § único deste
artigo:

I Ter, no mínimo 01 (um) ano de tempo de vinculação ao plano;

II Ter concedido o auxílio doença pela Previdência Social.

§ único A doença poderá ser atestada por laudo médico, para os Participantes aposentados pela
Previdência Social, na falta da comprovação prevista no inciso II do Caput, cabendo à
INDUSPREVI a análise, habilitação e concessão do benefício, podendo, se for o
caso, solicitar perícias ou documentos complementares. Nesta hipótese, a data de
início do benefício deverá ser atestada.

Art. 55 A Suplementação de Auxílio Doença será igual ao valor mensal correspondente ao


maior valor entre (a) e (b), na data de início do benefício concedido pela Previdência
Social, onde:

a) 80% (oitenta por cento) do salário de contribuição do Participante ao plano menos o


valor referente a 10 (dez) unidade de referência do plano;

b) 10% (dez por cento) do salário de contribuição do Participante ao plano.

§ 1º A Suplementação de Auxílio Doença será paga durante os 9 (nove) primeiros meses de


afastamento por benefício concedido, contados da data em que preencher os requisitos
mencionados.

§ 2º O valor da Suplementação de Auxílio Doença não sofrerá alterações nas hipóteses em


que uma ou mais variáveis do cálculo tenham reajustes automáticos.

SEÇÃO II - Das Formas e Data de Pagamento dos Benefícios

Art. 56 O Participante que tiver direito a receber os benefícios de Renda de Aposentadoria


Normal, Renda de Aposentadoria Antecipada ou Renda de Aposentadoria por Invalidez,
poderá optar por receber, na data do calculo do benefício, até 25% (vinte e cinco por
cento) do Saldo de conta de Participante, pago por ocasião da primeira parcela do
benefício. O valor restante será transferido para conta de benefícios para calculo do
benefício de renda, de acordo com uma das opções descritas abaixo:

I Renda por prazo determinado, cujo prazo mínimo não poderá ser inferior a 05
(cinco) anos, contados na data do cálculo do benefício;

II Renda por prazo indeterminado, calculada por equivalência atuarial, considerando


o valor do saldo da conta de benefícios, os dados cadastrais dos Participantes e, se
for o caso, dos Beneficiários e as bases técnicas do plano vigentes por ocasião do

- 18 -
cálculo, podendo ser com ou sem a reversão em Renda por Morte, por opção do
Participante;

III Renda por percentual do saldo da conta de benefícios, calculada conforme a opção
do Participante, entre 0,5% (zero vírgula cinco por cento) e 1,5% (um vírgula cinco
por cento) do saldo da conta de benefícios.

§ único O Assistido poderá rever sua opção pelo recebimento de renda, após a concessão do
benefício, observado o benefício mínimo de referência, previsto no artigo 57 deste
regulamento.

Art. 57 Na hipótese de o valor do benefício de renda resultar, a qualquer tempo, inferior ao


benefício mínimo de referência, por comum acordo entre o Assistido e a INDUSPREVI,
o saldo total da conta de benefícios poderá ser pago em parcela única, cessando com
este pagamento todas as obrigações do Plano FIERGSprevi.

Art. 58 Os benefícios de que trata este regulamento serão pagos até o 5º (quinto) dia útil do mês
subsequente.

SEÇÃO III - Do Recálculo dos Benefícios

Art. 59 Os benefícios de renda, previstos neste regulamento, terão o seu valor recalculado
anualmente no mês de abril, com base no saldo da conta de benefícios:

I Para recálculo do benefício de renda por prazo determinado será considerado o


prazo de opção remanescente.

II Para recálculo do benefício de renda por prazo indeterminado calculado por


equivalência atuarial, terá esta equivalência revisada com base nos dados cadastrais
dos Participantes, Assistidos e Beneficiários, se houver, e bases técnicas vigentes,
podendo ser com ou sem a reversão em Renda por Morte, por opção do Participante
ou Assistido.

III Para recálculo do benefício de renda por percentual do saldo da conta de benefícios
será considerado o percentual já definido pelo Assistido.

§ único A Suplementação de Auxílio Doença não será recalculada nos termos previstos no § 2º
do artigo 55 deste regulamento.

- 19 -
CAPÍTULO VIII – DOS INSTITUTOS

SEÇÃO I – Das Disposições Gerais

Art. 60 O Participante que cessar o vínculo com a Patrocinadora, observadas as condições


expressas neste regulamento e a legislação vigente, poderá optar por um dos seguintes
institutos:

I Autopatrocínio;

II Benefício proporcional diferido;

III Portabilidade;

IV Resgate.

Art. 61 A Patrocinadora e/ou o Participante deverá comunicar, por escrito, à INDUSPREVI,


mediante protocolo, a ocorrência do término do vínculo empregatício.

Art. 62 A INDUSPREVI disponibilizará ao Participante, o extrato de institutos, contendo as


informações de sua situação no Plano FIERGSprevi, após o recebimento da
comunicação do término do vínculo empregatício.

Art. 63 O Participante terá o prazo máximo de 60 (sessenta) dias, a partir do recebimento do


extrato de institutos, para a formalização da opção por um dos institutos referidos neste
regulamento, mediante a entrega do termo de opção.

§ 1º Na hipótese da não entrega do termo de opção no prazo referido, o Participante terá


presumida a sua opção pelo benefício proporcional diferido, observadas as condições do
artigo 69 deste regulamento.

§ 2º Não atendidas as condições exigidas para a opção pelo benefício proporcional diferido,
o Participante terá presumida a opção pelo resgate.

Art. 64 No caso de invalidez ou morte do Participante, no período compreendido entre o


término do vínculo com a Patrocinadora e antes da opção por um dos institutos ou a
presunção pelo benefício proporcional diferido, previstos nesse regulamento, serão
aplicadas as regras para concessão de renda previstas na subseção IV e V do capítulo
VII.

§ único Na hipótese de não atender a elegibilidade à presunção pelo BPD será pago o resgate.

SEÇÃO II – Do Autopatrocínio

Art. 65 O Participante poderá optar pelo instituto do autopatrocínio para manter sua
contribuição e a da Patrocinadora, no caso de perda parcial ou total do salário de
contribuição, permanecendo no plano na condição de Participante autopatrocinado.

- 20 -
§ único A cessação do vínculo empregatício com a Patrocinadora deverá ser entendida como
uma das formas de perda total do salário de contribuição.

Art. 66 O prazo para opção pelo autopatrocínio em decorrência da perda parcial da remuneração
é de 60 (sessenta) dias a partir do evento, sendo permitido o pagamento do período
faltante, acrescido das incidências, previstas no artigo 34 deste regulamento.

Art. 67 A opção pelo autopatrocínio não impede posterior opção pelo benefício proporcional
diferido, portabilidade ou resgate.

§ único Ao optar pelo autopatrocínio, o Participante poderá suspender as contribuições ao plano


nos 3 (três) primeiros meses.

Art. 68 As contribuições do Participante não poderão ser distintas daquelas previstas no plano
de custeio, mediante a utilização de critérios uniformes e não discriminatórios.

§ único As contribuições vertidas ao Plano FIERGSprevi, em decorrência do autopatrocínio,


realizadas em substituição à Patrocinadora serão entendidas como contribuições do
Participante, exceto a contribuição para cobertura da Suplementação do Auxílio Doença
e a despesa administrativa.

SEÇÃO III - Do Benefício Proporcional Diferido

Art. 69 O Participante poderá optar pelo instituto do benefício proporcional diferido, hipótese
em que se tornará Participante remido, desde que preenchidos, concomitantemente, os
seguintes requisitos:

I Término do vínculo com a Patrocinadora;


II Ter, no mínimo, 03 (três) anos de tempo de vinculação ao plano;
III Não ser elegível a benefício pleno.
§ único A concessão de benefício pelo plano, inclusive sob a forma antecipada, impede a opção
pelo benefício proporcional diferido.

Art. 70 O Participante que tiver optado pelo instituto do BPD fará jus aos benefícios de Renda
de Aposentadoria Normal, Renda de Aposentadoria Antecipada e Renda de
Aposentadoria por Invalidez, previstos neste regulamento quando requerer, após
cumpridas as condições de elegibilidade.

§ único O Participante remido não fará jus à Suplementação do Auxílio Doença, previsto neste
regulamento.

Art. 71 No caso de morte do Participante remido durante o período de diferimento, o


beneficiário terá direito ao benefício de Renda por Morte nos termos do artigo 49,
previsto neste regulamento.

Art. 72 A opção pelo benefício proporcional diferido implicará, a partir da data do


requerimento, a cessação das contribuições para o Plano FIERGSprevi.
- 21 -
§ 1º Será permitido ao Participante remido efetuar contribuições esporádicas, nos termos do
artigo 20 deste regulamento.

§ 2º O Participante remido será responsável pelo custeio administrativo, prevista no artigo


35 deste regulamento.

§ 3º A opção do Participante pelo benefício proporcional diferido não impede posterior


opção pela portabilidade ou resgate.

§ 4º Na hipótese de resgate após opção do Participante ou presunção pelo benefício


proporcional diferido, o valor a ser resgatado previsto no inciso II do artigo 82,
corresponderá àquele apurado para Resgate na data da cessação das contribuições,
acrescido do retorno líquido de investimentos.

Art. 73 O benefício decorrente da opção pelo instituto do BPD será devido a partir da data em
que o Participante remido tornar-se-ia elegível à Renda de Aposentadoria Normal ou
Renda de Aposentadoria Antecipada ou Renda de Aposentadoria por Invalidez, caso
mantivesse a condição de Participante e requerer o respectivo benefício.

Art. 74 Ao benefício decorrente da opção pelo benefício proporcional diferido serão aplicadas
as mesmas regras previstas para o pagamento e ajustes concedidos aos Assistidos.

SEÇÃO IV – Da Portabilidade

Art. 75 O Participante poderá optar pelo instituto da portabilidade, transferindo os recursos


financeiros correspondentes ao saldo da conta de Participante, conta de valores portados
e da conta de Patrocinadora para outro plano de previdência complementar, desde que
atendidos os seguintes requisitos:

I Término do vínculo com a Patrocinadora;

II Ter, no mínimo, 03 (três) anos de tempo de vinculação ao plano;

III Não esteja recebendo benefício de renda pelo plano.

Art. 76 A opção do Participante pela portabilidade é em caráter irrevogável e irretratável e dar-


se-á através do termo de opção e do requerimento de portabilidade, observadas as
condições deste regulamento e da legislação em vigor.

§ 1º A opção pela portabilidade neste plano implica na transferência do direito acumulado do


Participante, inclusive os valores portados, se houver. Não será exigido o tempo mínimo
de 03 (três) anos de tempo de vinculação ao plano previsto no inciso II do artigo 75
deste regulamento, para portabilidade de recursos portados de outros planos.

§ 2º O direito acumulado do Participante no plano, para fins de portabilidade, será igual ao


valor do saldo da conta de Participante, conta de recursos portados e da conta de
Patrocinadora, na data do cálculo, acrescido do retorno líquido de investimentos, até a
efetiva transferência dos recursos, nos termos da legislação vigente.

- 22 -
§ 3º A portabilidade será facultada nos termos da legislação em vigor e seu exercício
implicará o cancelamento da inscrição do Participante neste plano, extinguindo-se, com
a transferência dos recursos, toda e qualquer obrigação do para com o Participante e / ou
seus Beneficiários.

Art. 77 A portabilidade dar-se-á mediante Termo de Opção e requerimento do Participante à entidade


cedente, contendo as seguintes informações:

I identificação do Participante;

II denominação do plano originário;

III número de registro no Cadastro Nacional de Planos de Benefícios – CNPB ou


número do Processo Susep, conforme o caso, do plano originário;

IV identificação da entidade que administra o plano receptor;

V número de registro no Cadastro Nacional de Planos de Benefícios – CNPB ou


número do Processo Susep, conforme o caso, do plano receptor;

VI data em que o plano receptor foi contratado ou data de adesão do Participante ao


plano;

VII dados da conta corrente bancária titulada pela entidade que administra o plano
receptor, para a qual a entidade cedente deverá transferir os recursos;

VIII valor a ser portado, informando o respectivo percentual dos recursos financeiros
do plano originário;

IX regime tributário, de alíquotas progressivas ou regressivas, a que estão sujeitos os


recursos a serem portados; e

X declaração de concordância, por parte da entidade cessionária, em recepcionar os


recursos.

Art. 78 Manifestada pelo Participante à opção pelo instituto da Portabilidade, conforme artigo
77, a INDUSPREVI emitirá o Termo de Portabilidade e o encaminhará ao Participante
no prazo máximo estabelecido pela legislação vigente, contado da data do protocolo do
requerimento, contendo além das informações apresentadas no requerimento:

I data de cálculo dos recursos financeiros a serem portados;

II valor dos recursos financeiros a serem portados, posicionados na data do cálculo;

III critério de atualização do valor a ser portado, referente ao período entre a data de
cálculo e a data de transferência dos recursos ao plano de benefícios receptor; e

IV no caso de adoção do regime de tributação por alíquotas regressivas, informações


sobre as datas e valores dos aportes vertidos ao plano, em moeda da época,
disponibilizadas em meio magnético indexável.

- 23 -
Art. 79 A transferência dos recursos entre os planos de benefícios originário e receptor, em
decorrência do instituto da portabilidade, dar-se-á em moeda corrente nacional, nos
termos e prazos previsto na legislação em vigor.

Art. 80 Na transferência dos recursos de outro plano, será mantido controle em separado destes
recursos, desvinculado do direito acumulado pelo Participante neste plano, na forma e
condições definidas neste regulamento e na legislação vigente e serão acrescidos
mensalmente pelo retorno líquido de investimentos.

SEÇÃO V - Do Resgate

Art. 81 O Participante que não esteja recebendo benefício de renda por este plano poderá optar
pelo instituto do resgate, para recebimento de valor decorrente do seu desligamento do
Plano FIERGSprevi, condicionado à cessação do vínculo empregatício.

§ 1º A opção pelo instituto do resgate implicará no cancelamento da inscrição do


Participante neste plano, extinguindo-se, com o seu pagamento, todo e qualquer
compromisso do plano para com o Participante ou seus Beneficiários, mesmo na
hipótese de pagamento parcelado do Resgate, ficando, neste caso, apenas o
compromisso da INDUSPREVI da quitação das parcelas vincendas.

§ 2º O Resgate será pago em parcela única. Excepcionalmente, por opção exclusiva do


Participante, o Resgate poderá ser pago em até 12 (doze) parcelas mensais e
consecutivas, corrigidas mensalmente pelo retorno líquido de investimentos, nos termos
deste regulamento.

§ 3º Em caso de morte do Participante, sem que tenham sido quitadas todas as parcelas do
resgate, o saldo remanescente será pago em parcela única, aos Beneficiários, conforme
artigo 14 deste regulamento.

§ 4º É vedado o resgate de eventuais recursos oriundos de portabilidade, constituídos em


planos de previdência complementar administrados por EFPC. Assim, estes recursos
devem obrigatoriamente ser objeto de nova portabilidade, na forma prevista neste
regulamento.

§ 5º Será facultado o resgate de recursos, oriundos de portabilidade, constituídos em planos


de previdência complementar administrados por EAPC.

Art. 82 O valor do resgate corresponderá à:

I Totalidade da conta de Participante;

II Parte da conta de Patrocinadora, condicionado a que o Participante esteja


contribuindo a este plano pelo tempo mínimo de 12 (doze) meses ininterruptos,
calculado na seguinte proporção:
- 24 -
a. Para os Participantes fundadores e os Participantes imediatos: 0,2% (zero
vírgula dois por cento) por mês completo de tempo de serviço na
patrocinadora, podendo receber até o limite máximo de 60% (sessenta por
cento) da conta de patrocinadora.

b. Para os demais Participantes: 0,1% (zero vírgula um por cento) por mês
completo de tempo de serviço na Patrocinadora, podendo receber até o
limite máximo de 30% (trinta por cento) da conta de Patrocinadora.

III Totalidade da conta de recursos portados, caso o valor portado tenha sido
constituído em plano de previdência complementar administrado por EAPC,
observado o disposto no § 5º do artigo 81 deste regulamento.

§ único As Contribuições Básicas do Participante vertidas para o plano FIERGSprevi a partir da


data de vigência das alterações do plano, serão passíveis de resgate em sua
integralidade, deduzidas apenas as retenções legais.

- 25 -
CAPÍTULO IX – DAS ALTERAÇÕES DO PLANO

Art. 83 As propostas de alterações a este regulamento poderão ser originadas por decisão
conjunta das Patrocinadoras deste Plano e estarão sujeitas à aprovação do Conselho
Deliberativo da INDUSPREVI e do órgão fiscalizador competente.

Art. 84 A retirada de Patrocinadora dar-se-á na forma estabelecida no convênio de adesão,


observada a legislação aplicável.

§ único Eventual retirada de Patrocinadora poderá ocorrer independentemente das demais


Patrocinadoras, não sendo as demais afetadas.

- 26 -
CAPÍTULO X – DAS DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS

Art. 85 O empregado não inscrito no plano que, na data de vigência das alterações do plano
estiver afastado da Patrocinadora por auxílio doença ou por aposentadoria por invalidez
pela Previdência Social, poderá se inscrever no Plano FIERGSprevi no prazo de até 90
(noventa) dias após o seu retorno ao trabalho.

§ único O deferimento da inscrição pela Patrocinadora, permitirá, neste caso, ao Participante a


condição de Participante imediato.

Art. 86 A parcela do saldo de conta de Patrocinadora deste plano, que não for destinada ao
pagamento de benefícios e resgate, em decorrência do término do vínculo empregatício
do Participante, será destinado para constituição de um fundo de reversão.

Art. 87 O fundo de reversão, mencionado no artigo 86 deste regulamento, será utilizado para
cobertura de insuficiências dos compromissos do plano com a conta coletiva para
cobertura da Suplementação de Auxílio Doença ou outras insuficiências, nos termos
previsto no plano de custeio.

Art. 88 O Participante que, na data de vigência das alterações do plano, estiver efetuando
contribuição básica em percentual superior a 8% (oito por cento), limite previsto no
artigo 18 deste regulamento, terá a diferença superior considerada como contribuição
voluntária.

- 27 -
CAPÍTULO XI – DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 89 Sem prejuízo do benefício, prescreve em 05 (cinco) anos o direito às prestações não
pagas nem reclamadas na época própria, resguardados os direitos dos menores
dependentes, dos incapazes ou dos ausentes, na forma do Código Civil.

§ único Os recursos não procurados por Participantes ou Beneficiários após os 05 (cinco) anos,
terão aplicada taxa de administração prevista no plano de custeio, extinguindo-se a
elegibilidade do crédito quando o valor atingir 2% (dois por cento) da UR.

Art. 90 Se, por qualquer motivo o Participante, Assistido ou o Beneficiário receber da


INDUSPREVI qualquer valor que não tenha direito, ficará obrigado à imediata
devolução, podendo a INDUSPREVI fazer, a qualquer tempo, compensação com
qualquer outro crédito do Participante, Assistido e/ ou Beneficiário.

§ único Nos pagamentos ou transferências, inclusive por portabilidade, poderão ser deduzidos os
créditos pendentes do Participante em favor do plano, a fim de quitá-los.

Art. 91 Se, por qualquer motivo, a Patrocinadora ou o Participante recolher contribuições a


maior ou a menor do que deveria, deverá ser restituído, pago ou compensado com outro
crédito, imediatamente após a constatação.

Art. 92 Aos Participantes serão disponibilizadas cópias do Estatuto da INDUSPREVI e deste


regulamento, além de outros documentos que descrevam, em linguagem simples e
precisa, as características principais do Plano FIERGSprevi, sem prejuízo de outros
exigidos pelo órgão fiscalizador competente.

Art. 93 Os casos omissos e as dúvidas suscitadas na aplicação deste regulamento serão


resolvidos pela Diretoria Executiva da INDUSPREVI, observada a legislação vigente,
bem como os princípios gerais de direito.

Art. 94 As alterações processadas neste plano descritas no texto deste regulamento aplicam-se a
todos os Participantes inscritos e produzirão efeitos a partir do primeiro dia do segundo
mês subsequente a sua aprovação pelo órgão fiscalizador competente.

- 28 -

Interesses relacionados