Você está na página 1de 3

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS JURÍDICOS

Entre:

1º. Outorgante:
MATRIXMASSIVE UNIPESSOAL - LDA, adiante designada BOT, NIPC n.
514654767, com sede na Praça Mouzinho de Albuquerque, n. 113, 3º Andar, 4100-359,
Porto, neste ato representada pelo sócio Paulo Braga.

2º. Outorgante:
THIAGO VIEIRA, NIF 297058207, OA n. 60.571-L, com sede na Rua Irmãos de Sousa,
n. 9 - 201, 4715-216, Braga.

É celebrado o presente contrato de aquisição e prestação de serviços, nos termos das


seguintes cláusulas:

Cláusula 1.a
Objecto do contrato

O Segundo Outorgante obriga-se à prestação de serviços jurídicos em forma de


consultoria e assessoria jurídica mensal.

Cláusula 2.a
Preço e condições de pagamento

1. Pela prestação de serviços objecto do contrato, bem como pelo cumprimento das
demais obrigações constantes do presente contrato, a BOT, pagará ao adjudicatário a
quantia de 80,00 (oitenta euros) por mês, sem inclusão do IVA.

2. Os serviços objecto do contrato serão pagos até o dia 10 de cada mês, mediante depósito
no NIB 0023 0000 45546391905 94 .

3. Em caso de atraso no pagamento, serão devidos juros de mora, à taxa legal fixada nos
termos do § 3 do artigo 102.º do Código Comercial, em cumprimento do n.º 5 do artigo
5.º do Decreto-Lei n.º 62/2013, de 10 de maio.

Cláusula 3.a
Local do fornecimento, vigência e resolução antecipada

1. Os serviços jurídicos contratados são prestados exclusivamente por escrito e por meios
electrónicos.

2. O presente contrato possui prazo mínimo de 07 (sete) meses, renovando-se


automaticamente caso não seja denunciado com antecedência mínima de 30 (trinta) dias.

1
3. Em caso de resolução antecipada ao prazo mínimo previsto no item 2 (supra), o
primeiro outorgante deverá pagar penalização no valor das mensalidades estipuladas na
Cláusula 2ª que remanescerem e vencerem até a data prevista de fim do contrato, qual
seja, 07/12/2019.

Cláusula 4.a
Obrigações principais da BOT

1. Colaborar com o segundo outorgante, prestando-lhe todas as informações de que


disponha e que, tendo em conta as circunstâncias, se mostrarem necessárias para a boa
execução do contrato;

2. Pagar o valor contratado.

Cláusula 5.a
Sigilo

1. O adjudicatário garantirá o sigilo quanto a informações que os seus técnicos venham a


ter conhecimento relacionadas com a actividade da BOT.

2. A informação e a documentação cobertas pelo dever de sigilo não podem ser


transmitidas a terceiros, nem objecto de qualquer uso ou modo de aproveitamento que
não o destinado directa e exclusivamente à execução do contrato.

3. O dever de sigilo mantém-se em vigor até ao termo do prazo de 5 anos a contar do


cumprimento ou cessação do contrato.

Cláusula 6.a
Foro competente

Os litígios emergentes da interpretação e aplicação do presente serão resolvidos por


comum acordo entre a primeira e a segunda outorgante. Se não for possível o acordo, o
assunto será resolvido por arbitragem. Na necessidade de resolução por via judicial fica
desde já estipulada a exclusiva competência do foro da Comarca de Braga, com expressa
renúncia a qualquer outro.

Cláusula 7.a
Comunicações e notificações

1. Sem prejuízo de poderem ser acordadas outras regras quanto às notificações e


comunicações entre as partes do contrato, estas devem ser dirigidas, nos termos do CCP,
para o domicílio ou sede contratual de cada uma, identificados no contrato.

2. Qualquer alteração das informações de contacto constantes do contrato deve ser


comunicada à outra parte.

Cláusula 8ª
Resolução por parte da SEGUNDA OUTORGANTE

2
1. Sem prejuízo de outros fundamentos de resolução previstos na lei, a SEGUNDA
OUTORGANTE pode resolver o contrato quando qualquer montante que lhe seja devido
esteja em dívida há mais de 60 (sessenta) dias, ou o montante em dívida, excluindo juros,
exceda 50% do valor contratual.

2. No caso previsto no n.º 1, o direito de resolução pode ser exercido mediante declaração
enviada ao outorgante, que produz efeitos 30 (trinta) dias após a receção dessa
declaração, salvo se este último cumprir as obrigações em atraso nesse prazo, acrescidas
dos juros de mora a que houver lugar.

3. O direito de resolução com outros fundamentos, que não o mencionado no nº 1 da


presente cláusula, é exercido por via judicial.

4. A resolução do contrato nos termos dos números anteriores não determina a repetição
das prestações já realizadas pelo adjudicatário, cessando, porém, todas as obrigações
deste ao abrigo do contrato.

Cláusula 9.a
Legislação aplicável

Em tudo quanto for omisso o presente contrato, observar-se-á o disposto na legislação


portuguesa, em particular as disposições vigentes sobre Contratos de Prestação de
Serviços, previstas nos artigos 1154.º e seguintes do Código Civil, e pela demais
legislação e regulamentação aplicável, na sua redacção actualizada.

Braga, 07 de maio de 2019.

Primeira Outorgante:

Segunda Outorgante: