Você está na página 1de 5

2.

ESTRATÉGIAS COMPETITIVAS- Agrega estudos e pesquisas do fenômeno estratégico em


organizações, compreendendo identidades e propósitos e os processos de formulação, de
implementação e de avaliação de resultados. Para isto, privilegia o diagnóstico, a concepção e o
desenvolvimento de processos, métodos, sistemas, soluções e projetos técnicos que contribuam
para a sustentabilidade e a competitividade organizacionais. A ampliação do conhecimento
administrativo no contexto regional e local constitui objetivo de peso da linha de pesquisa. A
linha de pesquisa está segmentada nas seguintes áreas de atuação:
Administração da Informação
Empreendedorismo e Comportamento Empreendedor
Estratégia em Organizações
Gestão Internacional
Gestão Social e Ambiental

2.a Área de atuação: Administração da Informação

2.a.1. A gestão da informação como recurso estratégico - Trata dos aspectos de


planejamento e gestão da TI alinhada com as estratégias de negócio em nível de operação do
negócio (processos e funcionalidades), incluindo tópicos cujo principal foco está em: (a)
planejamento e alinhamento estratégico de TI, governança de TI, investimentos em TI,
centralização e descentralização de TI, papel do CIO, terceirização de TI, uso de software livre e
open source, estratégias de aquisição de sistemas, reengenharia e redesenho dos processos
administrativos e de gestão do negócio (BPR), projetos de software, sistemas de segurança; (b)
sistemas de gestão integrada em nível de operação do negócio tais como ERP (Enterprise
Resource Planning), CRM (Customer Relationship Management), SCM (Supply Chain
Management), WMS (Warehouse Management System), entre outros, e sistemas
interorganizacionais para cadeias colaborativas; (c) sistemas para gestão de ambientes virtuais
tais como computação móvel, sistemas de comércio eletrônico, e-business, Internet banking,
varejo/lojas virtuais, redes eletrônicas, desenvolvimento de sistemas web, EDI, compras virtuais,
empresas virtuais, entrega de serviços e produtos através de canais eletrônicos, relacionamento
virtual, marketing virtual e colaboração virtual; (d) implementação de sistemas e seus impactos,
fatores críticos, habilitadores e inibidores, usabilidade de sistemas, avaliação de sistemas,
produtividade de TI e integração de sistemas; (e) vantagem competitiva através de TI, impactos
organizacionais de TI e análise de fatores de sucesso de TI.
Professor integrante
Prof. Érico Veras Marques – Coordenador
( emarques@gvmail.br )
Voltar ao Topo

2.b Empreendedorismo e Comportamento Empreendedor – Envolve diversos temas


relacionados ao empreendedorismo e ao comportamento empreendedor de pessoas, grupos e
organizações. Os tópicos cobertos incluem: estudos das características sociais, psicológicas e
comportamentais de indivíduos empreendedores e suas implicações; papel do capital de risco e
de outras fontes de capital nos diferentes ambientes sociais, culturais e econômicos; estrutura
de governança em pequenas e médias empresas e seu impacto no crescimento e
desenvolvimento das organizações. Engloba o papel que o empreendedor desempenha nas
organizações privadas e públicas, assim como do terceiro setor e na sociedade como um todo e
sua relação com o desenvolvimento econômico de setores, organizações e empresas em
diferentes culturas.
Projeto de Pesquisa
2.b.1 Comportamento organizacional, empreendedorismo e intra-empreendedorismo -
Objetiva conceber estudos explicativos e descritivos, instrumentos diagnósticos para avaliar o
modelo de gestão de organizações sob a ótica do comportamento (intra)empreendedor. Para
isto, verificará padrões no processo estratégico, nas políticas e nas práticas de gestão de
pessoas de organizações cearenses. Procura também identificar e relatar práticas intra-
empreendedoras que possam explicar o desempenho e a competitividade dessas organizações.
O pressuposto geral da pesquisa é de que o crescimento dessas empresas que operam em
setores de elevada competitividade é explicado pelo desenvolvimento de comportamentos
empreendedores em todos os níveis da organização, configurando uma gestão do tipo
participativa e por resultados. Dessa maneira, a pesquisa terá como objetivos específicos: 1.
Analisar e descrever as práticas de formulação e de implementação de estratégias das
organizações estudadas; 2. Analisar e descrever as práticas de gestão de pessoas das
organizações estudadas; 3. Identificar e descrever os padrões comportamentais e instrumentais
que caracterizam o comportamento intraempreendedor nas organizações estudadas; 4.
Identificar os elementos do sistema de gestão estratégica e de pessoas que favorecem e que
dificultam a implementação de uma cultura intra-empreendedora nas organizações estudadas;
5. Desenvolver um instrumento de diagnóstico que permite avaliar o nível do comportamento
empreendedor em organizações de qualquer tipo.
Professores integrantes
Prof. Serafim Firmo de Souza Ferraz - Coordenador
( ferraz@ufc.br )
Profª. Tereza Cristina Batista de Lima
( terezacristinalima@ufc.br )

2.b.2 Indústria criativa cearense – Estratégias, organização, processos e pessoas - Objetiva


desenvolver estudos explicativos e descritivos, instrumentos diagnósticos para aprofundar o
conhecimento sobre a indústria criativa cearense.
Professores Integrantes
Prof. Serafim Firmo de Souza Ferraz - Coordenador
( ferraz@ufc.br )

Voltar ao Topo

2.c Estratégia em Organizações - Agrega pesquisas e estudos que se concentram na análise


do fenômeno da estratégia em organizações a partir de diferentes perspectivas epistemológicas,
teóricas e metodológicas. Tipicamente, envolve temas de administração estratégica visualizada
predominantemente de maneira analítica. Alguns temas centrais: conteúdo e processo
estratégico; formulação, implementação e avaliação de estratégias; estratégia, ambiente e
competitividade; relações e impactos das estratégias, ambiente e fatores organizacionais sobre
o desempenho de empresas e indústrias.
Projetos de pesquisa
2.c.1 Gestão estratégica em organizações cearenses - Desenvolve estudos que visam
identificar, descrever e analisar modelos de gestão, conceitos e práticas, além de padrões e
peculiaridades dos processos de formulação e de implementação estratégica em organizações
cearenses.
Professores integrantes
Prof. José de Paula Barros Neto - Coordenador
( jpbarros@ufc.br )
Prof. Serafim Firmo de Souza Ferraz
( ferraz@ufc.br )

2.c.2 Controladoria como Diferencial Competitivo - Desenvolve estudos visando a criação,


aperfeiçoamento e adaptação de instrumentos de gestão econômico-financeiro para
organizações, observando os seus contextos específicos. A questão da formação,
desenvolvimento de competências do profissional contábil, também se constituem objetoda
pesquisa.
Professores integrantes
Profª. Sandra Maria dos Santos - Coordenadora
( smsantos@ufc.br )
Profª. Márcia Martins Mendes De Luca
( marcia@mmconsultoria.srv.br )
Profª. Maria Naíula Monteiro Pessoa
( naiula@ufc.br )
2.c.3 Empresa e Sistema de Inovação - Analisa as fontes de financiamento e estrutura de
custos das empresas inovadoras relacionadas com os parques tecnológicos no contexto dos
sistemas de ciência e tecnologia nacional e estadual.
Professores integrantes
Prof. Francisco de Assis Soares - Coordenador
( soares@ufc.br )
Prof. José Carlos Lázaro da Silva Filho
( silvafilhode@yahoo.com.br )
Profª. Mônica Cavalcanti Sá de Abreu
( mabreu@ufc.br )
Profª. Sandra Maria dos Santos
( smsantos@ufc.br )

2.c.4 Apoio ao Desenvolvimento de Políticas Públicas e Soluções Inovadoras para o


Desenvolvimento Sustentável do Estado do Ceará - Apoiar o desenvolvimento de políticas
públicas e soluções inovadoras no Estado do Ceará que permitam ampliar a competitividade em
uma lógica de sustentabilidade que integra as dimensões econômicas, ambientais e sociais.
Projeto financiado com recursos do CNPq.
Professores integrantes
Profª. Mônica Cavalcanti Sá de Abreu - Coordenadora
( mabreu@ufc.br )
Prof. Francisco de Assis Soares
( soares@ufc.br )
Prof. José Carlos Lázaro da Silva Filho
( silvafilhode@yahoo.com.br )

2.c.5 Efeitos diferenciados do Simples sobre o nível de emprego formal - Analisa o


comportamento da indústria brasileira, no primeiro momento será estudada a indústria de
vestuário e artefatos de tecidos na presença do SIMPLES. A razão para a escolha desta indústria
se fundamenta em: primeiro, na sua universalidade (distribuição espacial ampla); segundo, na
sua heterogeneidade tecnológica; terceiro, na elevada participação das MPE’s na indústria de
Confecções; e, quarto, por se caracterizar como indústria trabalho intensivo.
Professor integrante
Prof. Francisco de Assis Soares - Coordenador
( soares@ufc.br )

2.c.6 Informatividade dos números contábeis no processo de avaliação das firmas na


economia brasileira - Objetivo: Avaliar o impacto da informação contábil nos preços e no
retorno das ações na economia brasileira; tal impacto pode ser relacionado aos momentos de
divulgação das demonstrações contábeis; pode examinar os efeitos dos processos de
evidenciação (voluntária ou obrigatória) utilizados pelos gestores; abrange também o exame da
antecipação assimétrica de perdas econômicas e seu reflexo na relação contábil – valor de
mercado. Por último, a linha de pesquisa busca examinar diferenças em termos de
informatividadde das demonstrações contábeis segundo os níveis de governança corporativa, de
grau de capitalização, de organização societária, dentre outros.
Professores integrantes
Prof. Antônio Carlos Dias Coelho - Coordenador
( acarloscoelho@terra.com.br )
Profª. Márcia Martins Mendes De Luca
( marcia@mmconsultoria.srv.br )
Profª. Vera Maria Rodrigues Ponte
( vponte@fortalnet.com.br )
Prof. Érico Veras Marques
( emarques@gvmail.br )
2.c.7 Inovação ambiental e social como oportunidade de diferenciação – Análise frente
ao marco teórico da inovação como fator competitivo e sua vertente específica ligada a
questões ambientais e oportunidades sociais das organizações.
Professores integrantes
Prof. José Carlos Lázaro da Silva Filho - Coordenador
( silvafilhode@yahoo.com.br )

Voltar ao Topo

2.d Gestão Internacional - Contempla a internacionalização de empresas, escolha de


mercados externos e modos de entrada; formação e gerenciamento de alianças estratégicas
internacionais, fusões e aquisições transfronteiras, operações de empresas multinacionais e
subsidiárias; impactos da globalização econômica nas organizações brasileiras, em particular do
capital estrangeiro no país e nas empresas; governança no nível da empresa e seus impactos
nas organizações; estudo da gerência brasileira em sua interface com o estilo de gestão de
outros países (cross-cultural management).
Projeto de pesquisa - Estratégias e processos de internacionalização – Objetivo: Investigar as
estratégias e os processos organizacionais e pessoais de internacionalização utilizados por
empresas, na busca de crescimento e competitividade. Envolve estudos relativos à formação de
alianças estratégicas, às praticas de gestão de pessoas e às questões culturais.
Professor integrante
Prof. Augusto Cézar de Aquino Cabral - Coordenador
( cabral@ufc.br )
Voltar ao Topo

2.e Gestão Social e Ambiental - Objetiva promover a discussão dos paradigmas que
estruturam a regulação dos recursos ambientais, a implementação de modelos de gestão dos
recursos ambientais em face da sustentabilidade e as relações entre sociedade e natureza na
contemporaneidade. Aborda a gestão socioambiental nas organizações públicas, privadas e não-
governamentais, visando à redução dos impactos ambientais e ao aumento da eficiência do uso
dos recursos nos processos produtivos. Investiga a gestão social das esferas privadas e públicas
e de organizações da sociedade civil; a articulação com o desenvolvimento socioterritorial local,
a gestão social de arranjos produtivos locais, os acordos ambientais, as responsabilidades
ambiental e social, o controle social (conselhos gestores). Lida com as interfaces da economia
solidária. Aborda a formação de interorganizações, redes, fóruns e conselhos.
Projetos de pesquisa
2.e.1 Uso de Equações Estruturais para Modelagem da Responsabilidade Corporativa -
Avaliar as forças motrizes (drivers), a responsabilidade corporativa, representada pelas condutas
sociais e ambientais (practices) e os resultados (outcomes) decorrentes das estratégias
adotadas em países em desenvolvimento (representados pela China e Brasil) e países
desenvolvidos (Europa, EUA e Canadá). Os dados coletados estão sendo avaliados com o
software AMOS usando modelagem de equações estruturais (SEM – Structural Equation
Modeling). O modelo ECP-Triplo foi, portanto, reespecificado gerando o Modelo de Estratégia
Corporativa Sustentável (SCS – Sustainable Corporate Strategy Model).
Professores integrantes
Profª. Mônica Cavalcanti Sá de Abreu - Coordenadora
( mabreu@ufc.br )
Prof. Francisco de Assis Soares
( soares@ufc.br )

2.e.2 Riscos e oportunidades nas estratégias empresariais decorrentes da mudança


climática - Desenvolver uma rede de trabalho com empresas que possuam um Sistema de
Gestão Ambiental ou estejam em processo de implementação. A pesquisa usa como ponto de
partida a metodologia padronizada pela ISO 14064 – Gases do Efeito Estufa e do Greenhouse
Gas Protocol, desenvolvido pelo WRI (World Resources Institute) e WBCSD (World Business
Council for Sustainable Development). Também adota a metodologia Guidelines for Identifying
Business Risk and Oportunities Arising from Ecosystem Change, proposta pelo Meridian Institute,
WRI e WBSCD. A adoção destas metodologias nas empresas permite criar a interface entre a
definição da estratégia corporativa e o aperfeiçoamento dos processos operacionais, com foco
no desenvolvimento uma empresa neutra na geração de gases do efeito estufa (Carbon neutral).
Professores integrantes
Profª. Mônica Cavalcanti Sá de Abreu - Coordenadora
( mabreu@ufc.br )

2.e.3 Impactos da produção de Biodiesel na sustentabilidade das Cadeias Produtivas


do Ceará - Avaliar os impactos da produção de Biodiesel no Estado do Ceará a partir das
empresas focais da cadeia (agroindústrias) e das repercussões nas respectivas cadeias, nos
seus diferentes elos, numa lógica de sustentabilidade (inclui estudos similares no Rio Grande do
Sul, no bojo de projeto financiado com os recursos do CNPq).
Professor integrante
Profª. Mônica Cavalcanti Sá de Abreu - Coordenadora
( mabreu@ufc.br )

2.e.4 Arranjos Produtivos Locais e a competitividade industrial - Pretende-se


empreender análise de dados em painel tri-dimensional para verificar como as diferenças
microrregionais, industriais e mudanças das políticas macroeconômicas captadas pelos efeitos
temporais afetam os patamares de especialização local, e verificar se esse efeito afeta a
competitividade das empresas.
Professores integrantes
Profª. Sandra Maria dos Santos ( smsantos@ufc.br ) - Coordenadora
Prof. Francisco de Assis Soares
( soares@ufc.br )
Prof. José Carlos Lázaro da Silva Filho
( silvafilhode@yahoo.com.br )
Prof. Serafim Firmo de Souza Ferraz
( ferraz@ufc.br )

2.e.5 Fair trade (Comércio Justo) como diferencial de inserção em cadeias globais – O
projeto visa analisar cadeias produtivas nordestinas (mel, algodão, artesanato) que se ajustem
ao conceito internacional de Fair Trade. Este projeto faz parte de uma cooperação com a
UNISINOS e Reading University-UK, em fase de desenvolvimento.
Professor integrante
Prof. José Carlos Lázaro da Silva Filho - Coordenador
( silvafilhode@yahoo.com.br )

2.e.6 Gestão ambiental e responsabilidade Social nas organizações nordestinas – O


projeto tem como finalidade analisar os determinantes (internos e externos) de sustentabilidade
empresarial e suas diferenciações regionais e setoriais.
Professor integrante
Prof. José Carlos Lázaro da Silva Filho
( silvafilhode@yahoo.com.br )

Voltar ao Topo