Você está na página 1de 23

Universidade Católica de Pelotas

Centro de Ciências da Vida e da Saúde


Anatomia e Embriologia

Articulações

Profa. Dra. Mariana Soares Valença


• Definição de articulação

• Funções

• Esquemas de classificação:

Classificação funcional
1. Sinartrose
2. Anfiartrose
3. Diartrose

Classificação estrutural (quanto a natureza da articulação)


1. Fibrosa
2. Cartilagínea
3. Sinovial
1. Articulações Fibrosas
a) Suturas
Retilínea
Denteada
Bisel
1. Articulações Fibrosas
b) Sindesmoses
Gonfose ou sindesmose
dentoalveolar:
Cavilha coniforme que se ajusta
em uma cavidade.

O tecido conjuntivo denso não


modelado entre um dente e seu
alvéolo é o fino periodonto.

Uma gonfose saudável não


permite movimento.

Inflamação e degeneração das


gengivas, periodonto e osso são
chamadas doença periodontal.
1. Articulações Fibrosas
c) Membranas interósseas
2. Articulações
Cartilagíneas
a) Sincondroses
*sinosdose

b) Sífises
Cartilagem hialina e disco de fibrocartilagem
Local da sincondrose esfeno-occipital
Sínfise
manubrioesternal
3. Articulações Sinoviais
Estrutura das articulações sinoviais

Cavidade articular envolta por cápsula que fixa os ossos da articulação

As faces ósseas dentro da cavidade articular são envoltas por cartilagem hialina
(cartilagem articular)

A cartilagem articular lubrificada reduz o atrito e ajuda na absorção de choques, mas não
une as faces ósseas da articulações

A cápsula articular possui duas membranas:


Membrana fibrosa
Membrana sinovial
a)Articulações sinoviais planas
Movimentos laterais e de deslizamento
Ex: Intercarpais, intertarsais, esternoclaviculares, acromioclavicular,
esternocostais, costovertebrais.
b) Articulações sinoviais do tipo gínglimo
Em um gínglimo a face convexa do osso se encaixa na face côncava de outro osso. Os
gínglimos produzem um movimento angular de abrir e fechar, como aquele de uma
porta articulada. Permitem apenas flexão e extensão. São monoaxiais (uniaxiais).
Exemplos de gínglimos são as articulações do joelho, cotovelo, talocrural e
interfalângicas.
c) Articulações sinoviais trocóideas
Em uma articulação trocóidea, a face pontiaguda ou arredondada de um osso se articula
com um anel formado parcialmente por outro osso e parcialmente por um ligamento

Ex: articulações atlantoaxiais e a articulação radiulnar, que permite girar as palmas


anterior e posteriormente, assim como a cabeça do rádio gira em torno de seu eixo
longo na incisura radial da ulna
d) Articulação sinovial elipsóidea

Em uma articulação elipsóidea a projeção oval convexa de um osso se encaixa na


depressão oval de outro osso. É biaxial, por que permite movimento em torno de dois
eixos. Ex: articulação metacarpofalângica que possibilita que movimentemos o indicador
para cima quanto para baixo (flexão-extensão) e de um lado quanto para o outro
(abdução-adução). Articulação radiocarpal é outro exemplo.
e) Articulação sinovial selar

A face articular de um osso tem o formato de uma sela e a face articular do outro osso
se encaixa na “sela”, assim como um cavaleiro sentado o faria. Também é biaxial.
Ex: articulação carpometacarpal, entre o trapézio do carpo e o osso metacarpal do
polegar.
f) Articulação sinovial esferóidea

Consiste na face esferoide de um osso se encaixando na depressão caliciforme de outro


osso. EX: articulação entre fêmur e quadril e articulação glenoumeral no ombro.
Referências

TORTORA, Gerard J.; NIELSEN, Mark T. Princípios de anatomia


humana. 12. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013. 1 recurso
online. ISBN 978-85-277-2301-5. Disponível em:
<https://integrada.minhabiblioteca.com.br/books/978-85-277-2301-5>.
Acesso em: 15 mar. 2016.

DANGELO JG; FATTINI CA. Anatomia Humana Básica dos Sistemas


Orgânicos. 2ª ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 2001.