MOTORISTA SOCORRISTA

PERFIL PROFISSIONAL Profissional de nível básico, habilitado a conduzir veículos de urgência padronizados pelo código sanitário e pela portaria Ministerial MS 2048/GM de 5 de novembro de 2002, como ambulância, obedecendo aos padrões de capacitação e atuação previstos nesta Portaria. Requisitos Gerais: Maior de vinte e um anos; disposição pessoal para a atividade; equilíbrio emocional e autocontrole; disposição para cumprir ações orientadas; disponibilidade para a capacitação de 40 horas iniciais e duas horas semanais. Requisitos específicos: Ter segundo (2º) Grau completo Experiência mínima comprovada de dois anos de trabalho como motorista Habilitação profissional como motorista de veículos de transporte de pacientes, de acordo com a legislação em vigor (Código Nacional de Trânsito) tendo a Carteira Nacional de Habilitação Categoria “D” Certificado de participação em Curso de Direção Defensiva

Obrigações do motorista-socorrista: 1 - Conduzir veículo terrestre de urgência destinado ao atendimento e transporte de pacientes; 2 - Conhecer integralmente o veículo e realizar manutenção básica do mesmo; 3 - Estabelecer contato radiofônico (ou telefônico) com a central de regulação médica e seguir suas orientações; 4 - Conhecer a malha viária local; 5 - Conhecer a localização de todos os estabelecimentos de saúde integrados ao sistema assistencial local; 6 - Auxiliar a equipe de saúde nos gestos básicos de suporte à vida; 7 - Auxiliar a equipe nas imobilizações e transporte de vítimas; 8 - Realizar medidas reanimação cardiorespiratória básica; 9 - identificar todos os tipos de materiais existentes nos veículos de socorro e sua utilidade, a fim de auxiliar a equipe de saúde; 10 - Comparecer, atuando ética e dignamente, ao seu local de trabalho, conforme escala de serviço predeterminada, e dele não se ausentar até a chegada do seu substituto; item a) a substituição do plantão deverá se fazer na base; em caso de um atendimento prolongado, que exija permanência por mais de uma hora além da escala, o motoristasocorrista poderá solicitar a substituição no local do atendimento; item b) as eventuais trocas de plantão da escala de serviço deverão ser realizadas mediante preenchimento e assinatura de um formulário próprio, por ambas as partes, e entregue ao Diretor Técnico ou seu substituto, com antecedência de 24 (vinte e quatro) horas; item c) no caso de não haver troca oficial de plantão por opção das duas partes, a responsabilidade é do profissional que estava escalado originalmente. 11 - cumprir com pontualidade seus horários de chegada aos plantões determinados, com o mínimo de quinze minutos de antecedência;

tratar com respeito e coleguismo os outros médicos.Ser fiel aos interesses do serviço público.12 . 20 .Acatar as deliberações da direção técnica. veículos. sendo realizados em 3 plantões de 12 horas (diurnos e/ou noturnos) acrescidos de 2(duas) horas de capacitação/treinamento por semana. ou nas Unidades Móveis do SAMU ou de serviço ativado pelo SAMU em casos excepcionais. 18 . 14 .Participar da formação inicial e de. distribuídos por escala de serviço mensal.Participar das reuniões convocadas pela direção. no mínimo. sendo responsável pelo mau uso.utilizar-se com zelo e cuidado das acomodações. 15 . 16 . ajudando na preservação do patrimônio e servindo como exemplo aos demais funcionários. Local O local de trabalho será na sede do SAMU ou em base descentralizada do SAMU. 17 . Carga Horária 38 horas semanais. assim como dominar o conhecimento necessário para o uso adequado dos equipamentos da Unidade Móvel. quando requisitado pela direção técnica. 80% (oitenta por cento) dos cursos de educação continuada oferecidos Cumprir escala de serviço previamente estabelecida TABELA DE PONTUAÇÃO DOS TÍTULOS PARA MOTORISTA-SOCORRISTA . 80% (oitenta por cento) dos cursos de educação continuada oferecidos. 13 . Participar da formação inicial e de. aparelhos e instrumentos colocados para o exercício de sua profissão. Condições específicas Estar uniformizado em todo o período de trabalho no SAMU. técnicos de enfermagem e motoristas. freqüentando os cursos de educação continuada e congressos da área.manter-se atualizado. sendo que o não cumprimento acarretará em sanções sujeitas ao desligamento do profissional.Acatar e respeitar as rotinas estabelecidas. enfermeiros. dilapidá-los ou conspirar contra os mesmos. no mínimo. evitando denegri-los. liderando a equipe que lhe for delegada com ordem e profissionalismo. 19 .Participar das comissões de estudo e de trabalho.

Atividade completos) como motorista hospitalar em (anos 0.1 Curso de capacitação SAMU 2.0 3. Habilitação como instrutor urgência/primeiros socorros cursos Na Avaliação de Títulos somente serão reconhecidos como documentos válidos aqueles que atendam aos seguintes critérios: Experiência prévia em serviços de Pré Hospitalar Privado: Certificado emitido por instituição de atendimento pré-hospitalar devidamente reconhecida pelas Secretarias de Saúde ou Conselho Regional de Medicina.0 3. Tempo de Serviço em Empresa de Atendimento 0.2 BLS 2.Motorista socorrista Cópia do certificado/diploma de segundo (2º) Grau completo Atestato de experiência mínima comprovada de dois anos de trabalho como motorista Cópia da Carteira Nacional de Habilitação Categoria “D” Certificado de participação em Curso de Direção Defensiva VALOR TÍTULOS PONTUAÇÃO MÁXIMO 1.0 ano completos) 6.0 0. na atividade de 3. descrevendo o período de atuação e .0 3.0 pontos por Atendimento de Urgência Pré-Hospitalar (anos 6.3 ponto por Médico Pré-hospitalar (UTI Móvel).0 pontos por 3.4 Cursos de urgências com carga mínima de 20 horas 10. Experiência prévia em serviços de Pré Hospitalar Público: Certificado emitido por instituição de atendimento pré-hospitalar pública.0 habilitação 7.0 3.0 ano de 1. Cursos (concluídos a partir de 1999): 2. descrevendo o período de atuação e assinado pelo Diretor Médico.3 PHTLS 2.2 ponto por 2.0 ano completos) 4. na atividade de motorista-socorrista: (anos 5.5 por curso 10.0 ano motorista-socorrista: (anos completos) 5.0 3. Tempo de Serviço em SAMU ou Serviço Público de 1. Tempo de Serviço em Corpo de Bombeiros ou 0.0 3.5 ponto por Polícias.

integrando sua equipe. orientação e supervisão das atividades de assistência de enfermagem. PHTLS – Suporte de Vida no Trauma em Pré – Hospitalar: Certificado emitido por instituição médico-hospitalar. Exerce atividades auxiliares. de treinamento ou de ensino. BLS . sob supervisão direta ou à distância do profissional enfermeiro e nos atendimentos de urgência sob a orientação do Médico Regulador do SAMU. sendo habilitado para o atendimento Pré-Hospitalar Móvel. Experiência: Declaração emitida por instituição onde atuou e assinada pelo Diretor da Instituição (ou seu representante legal). conforme os termos deste Regulamento. Cursos de atualização na área de urgência / emergência com carga horária igual ou maior que 20 horas: Certificado emitido por instituição médico-hospitalar. explicitando a função e o período de atuação. com carga horária mínima de 16 horas. prestar cuidados diretos de enfermagem a pacientes em estado grave. de treinamento ou de ensino. Experiência prévia em Serviços SAMU: Certificado emitido por instituição de atendimento pré-hospitalar pública. de nível técnico. dentro do âmbito de sua qualificação profissional.assinado pelo Diretor Médico. TÉCNICO DE ENFERMAGEM PERFIL PROFISSIONAL Técnico de Enfermagem: Profissional com Ensino Médio completo e curso regular de Técnico de Enfermagem.Suporte Básico de Vida: Certificado emitido por instituição médico-hospitalar. com carga horária mínima de 8 horas. dentro do âmbito de sua qualificação profissional. participar de programas de treinamento e . Curso de instrutor de BLS (Suporte Básico de Vida ou Primeiros Socorros): Certificado de conclusão de curso emitido por instituição de treinamento ou de ensino descrevendo o período cursado (mínimo 24 horas) e assinado pelo Diretor da instituição (ou seu representante legal). com carga horária mínima de 30 horas. Competências/Atribuições: assistir ao enfermeiro no planejamento. programação. Além da intervenção conservadora no atendimento do paciente. Curso de capacitação SAMU (habilitação de acordo com a Portaria No 2048/02MS/GM) completo: Certificado emitido pelo gestor público de saúde. sob a orientação do Médico Regulador do SAMU. titular do certificado ou diploma de Técnico de Enfermagem. descrevendo o período de capacitação e assinado pelo Diretor Técnico da instituição. sob supervisão do profissional Enfermeiro e. nos atendimentos. descrevendo o período de atuação e assinado pelo Diretor Médico. é habilitado a realizar procedimentos a ele delegados. devidamente registrado no Conselho Regional de Enfermagem de sua jurisdição. de treinamento ou de ensino.

Conhecer a localização de todos os estabelecimentos de saúde integrados ao sistema assistencial local. atuando ética e dignamente. disposição para cumprir ações orientadas. 3 . item c) no caso de não haver troca oficial de plantão por opção das duas partes.Conhecer integralmente o todos os equiapamentos. com antecedência de 24 (vinte e quatro) horas.Comparecer.Realizar medidas reanimação cardiorespiratória básica. e dele não se ausentar até a chegada do seu substituto. item a) a substituição do plantão deverá se fazer na base. Requisitos Gerais: Maior de vinte e um anos. 7 .aprimoramento profissional especialmente em urgências/emergências.Identificar todos os tipos de materiais existentes nos veículos de socorro e sua utilidade. . 9 . ao seu local de trabalho. 6 – Proceder os gestos básicos de suporte à vida. disponibilidade para a capacitação de 40 horas iniciais e duas horas semanais. 10 .Conhecer a estrutura de saúde local. a responsabilidade é do profissional que estava escalado originalmente. materiais e medicamentos disponíveis na ambulância e realizar manutenção básica dos mesmos. disposição pessoal para a atividade. equilíbrio emocional e autocontrole. 5 . 8 .Estabelecer contato radiofônico (ou telefônico) com a central de regulação médica e seguir suas orientações.Proceder imobilizações e transporte de vítimas. o técnico de enfermagem poderá solicitar a substituição no local do atendimento. realizar manobras de extração manual de vítimas. que exija permanência por mais de uma hora além da escala. Requisitos específicos: Ter segundo (2º) Grau completo Experiência mínima comprovada de dois anos de trabalho como técnico de enfermagem Habilitação profissional técnico de enfermagem (curso regular completo) Inscição no COREN-SC Obrigações do técnico de enfermagem: 1 – Manter a assepsia dos equipamentos e materiais assim como da cabine posterior da ambulância 2 . e entregue ao coordenador de enfermagem ou seu substituto. por ambas as partes. 4 . conforme escala de serviço predeterminada. item b) as eventuais trocas de plantão da escala de serviço deverão ser realizadas mediante preenchimento e assinatura de um formulário próprio. em caso de um atendimento prolongado.

utilizar-se com zelo e cuidado das acomodações. liderando a equipe que lhe for delegada com ordem e profissionalismo. sendo que o não cumprimento acarretará em sanções sujeitas ao desligamento do profissional. no mínimo. evitando denegri-los. técnicos de enfermagem e motoristas. Local O local de trabalho será em base descentralizada do SAMU nas Unidades Móveis do SAMU. dilapidá-los ou conspirar contra os mesmos. aparelhos e instrumentos colocados para o exercício de sua profissão.tratar com respeito e coleguismo os outros médicos. sendo realizados em 3 plantões de 12 horas (diurnos e/ou noturnos) acrescidos de 2(duas) horas de capacitação/treinamento por semana. 12 . Participar da formação inicial e de.Acatar e respeitar as rotinas estabelecidas. 16 . sendo responsável pelo mau uso. 14 . veículos.Ser fiel aos interesses do serviço público. enfermeiros. assim como dominar o conhecimento necessário para o uso adequado dos equipamentos da Unidade Móvel. com o mínimo de quinze minutos de antecedência. 20 .11 .Participar das comissões de estudo e de trabalho.Participar das reuniões convocadas pela direção. Carga Horária 38 horas semanais. 80% (oitenta por cento) dos cursos de educação continuada oferecidos.manter-se atualizado. distribuídos por escala de serviço mensal. 19 . no mínimo.cumprir com pontualidade seus horários de chegada aos plantões determinados. 13 . quando requisitado pela direção técnica. ajudando na preservação do patrimônio e servindo como exemplo aos demais funcionários. 17 . Condições específicas Estar uniformizado em todo o período de trabalho no SAMU. 15 .Participar da formação inicial e de. freqüentando os cursos de educação continuada e congressos da área.Acatar as deliberações da direção técnica. 80% (oitenta por cento) dos cursos de educação continuada oferecidos Cumprir escala de serviço previamente estabelecida . 18 .

TABELA DE PONTUAÇÃO DOS TÍTULOS Técnico de Enfermagem Cópia do certificado/diploma de segundo (2º) Grau completo Certificado de conclusão de curso de técnico de enfermagem Atestato de experiência mínima comprovada de dois anos de trabalho como técnico de enfermagem VALOR TÍTULOS PONTUAÇÃO MÁXIMO 1.3 ponto por 3.1 Curso de capacitação SAMU 10. descrevendo o período de atuação e assinado pelo Diretor Médico. descrevendo o período de atuação e assinado pelo Diretor Médico.0 2. . Cursos (concluídos a partir de 1999): 1.0 de emergência ou UTI (anos completos) ano Na Avaliação de Títulos somente serão reconhecidos como documentos válidos aqueles que atendam aos seguintes critérios: Experiência prévia em serviços de Pré Hospitalar Privado: Certificado emitido por instituição de atendimento pré-hospitalar devidamente reconhecida pelas Secretarias de Saúde ou Conselho Regional de Medicina.0 pontos por Atendimento de Urgência Pré-Hospitalar (anos 6. Tempo de Serviço em Empresa de Atendimento 0. Atividade como técnico de enfermagem em unidades 0.0 ano completos) 3. Tempo de Serviço em SAMU ou Serviço Público de 1.2 ponto por 2.0 10. Experiência prévia em serviços de Pré Hospitalar Público: Certificado emitido por instituição de atendimento pré-hospitalar pública.0 Médico Pré-hospitalar (UTI Móvel): (anos completos) ano 4.

.Experiência prévia em Serviços SAMU: Certificado emitido por instituição de atendimento pré-hospitalar pública. descrevendo o período de capacitação e assinado pelo Diretor Técnico da instituição. Curso de capacitação SAMU (habilitação de acordo com a Portaria No 2048/02MS/GM) completo: Certificado emitido pelo gestor público de saúde. descrevendo o período de atuação e assinado pelo Diretor Médico. explicitando a função e o período de atuação. Experiência: Declaração emitida por instituição onde atuou e assinada pelo Diretor da Instituição (ou seu representante legal).

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful