Você está na página 1de 18

Intergraph CAESAR II

avalia as respostas
estruturais e de tensões
de tubulação para
sistemas de códigos e
padrões internacionais.
CAESAR II é a análise de
tensões de tubulação
padrão contra o qual
todos os outros são
medidos.
•CAESAR II é utilizado para o projeto mecânico de novos sistemas
de tubulação. Sistemas apresentam um problema exclusivo para o
engenheiro mecânico, estas estruturas "devem ser firmes o
suficiente para suportar seu próprio peso e também flexíveis o
suficiente para aceitar o crescimento térmico. Essas cargas,
deslocamentos e estresse pode ser estimado através da análise do
modelo de tubulação.
• CAESAR II incorpora muitas das limitações impostas a estes
sistemas e os equipamentos associados. Não se limita a análise
térmica de sistemas de tubulação. Também tem a capacidade de
modelar e analisar toda a gama de cargas estáticas e dinâmicas
que podem ser impostas ao sistema.
• Portanto, CAESAR II não é apenas uma ferramenta para o projeto
novo mas também é valiosa na solução de problemas ou
remodelação dos sistemas existentes. Aqui, pode-se determinar a
causa da falha ou avaliar a gravidade das condições de
funcionamento imprevistos como a interação fluido / tubulação ou
vibração mecânica causada pela rotação equipamento.
1) CARACTERÍSTICAS
• Análise Estática e Dinâmica
• Criação do modelo de análise intuitiva
• Gráficos de ponta
• Ferramentas de Design e assistentes
• Verificação de erro global
• Relatórios definidos pelo usuário
• Sísmica Análise e Solução de Suporte
• Códigos Internacionais Piping
• Material extenss bancos de dados
• Bancos de dados e modelagem de aço
• Bancos de dados comum de Expansão e gancho
• Design Hanger
• Links Bi-direcional para Intergraph CADWorxPlant
• Seminários de formação disponíveis
• Totalmente apoiado por engenheiros de desenvolvimento
• Maior regularidade de atualizações
2) ESPECIFICAÇÕES TECNICAS
• Microsoft Windows XP Pro
OU
• Windows Vista Ultimate (no mínimo)
3) ÁREAS DE APLICAÇÃO
• Processo e Plant Design, Tubulação, Equipamentos,
Siderurgia, petroquímica, química, energia, offshore,
Alimentação, Bebidas, cerveja, produtos farmacêuticos,
Tratamento de Água, edifício de serviços, construção
naval e arquitetônico.
4) ENTRADA DE DADOS
• CAESAR II torna mais fácil a entrada e exibir todos os
dados necessários à exata definição de um modelo de
análise de sistema de canalização. A entrada pode ser
acessado ou modificado em um elemento por
elemento-base, ou conjuntos de dados podem ser
selecionados para fazer alterações globais.
• O CAESAR II módulo de entrada gráfica faz o trabalho
rápido de desenvolvimento de modelos de análise,
enquanto que indique claramente as áreas de interesse
e fornecendo uma excelente idéia de flexibilidade do
sistema de tubulação de.
Quando novo é selecionado o usuário deve indicar se
este trabalho é para uma tubulação ou estruturais
modelo
Este tutorial visa explicar o
Layout básico da planilha
de entrada tubulação
O uso da planilha de César II
é extremamente intuitiva,
e permite que as
especificações do modelo
rápido e verificação dos dado
Começamos no processador
de entrada da tubulação. Isso
pode ser feito através da
entrada no menu suspenso,
ou clicando no ícone de
tubulação
Quando um arquivo é selecionado, o Menu de
entrada indica os módulos disponíveis para o tipo
de arquivo
escolhido.
• Tubulação de Entrada de um modelo CAESAR II
tubulação
• Underground-Convert modelo existente de
tubulações enterradas pipe
• Estruturas Metálicas-Input uma CAESAR II
modelo estrutural
A planilha insumo básico
tubulação é mostrada. Esta
planilha detalha todas as
informações para um único
pedaço de tubo.
Embora alguns destes dados sejam
"especificamente" ponto de entrada
de dados e exigidos em cada planilha,
a maioria dos dados é "elemento
específico" e será repetido para a
frente pelo programa
Os campos de dados são agrupados
logicamente em blocos de dados
relacionados no lado esquerdo da
tela.
Esta região da planilha
é usada para definir o
(nodal) "ponto
específico" de dados.
Esta região
(tipicamente) será
diferente para cada
elemento do modelo.
Cada elemento é identificado por seu fim "nó"
números. Como cada tela de entrada representa
um elemento da tubulação, os pontos elemento
final - a partir de nó e nó - deve ser digitado.
Estes pontos são utilizados como locais em que
as informações podem ser inseridas ou
extraídos. O de nó a nó são dados necessários.
Comprimentos dos elementos são inseridos como
dimensões delta de acordo com a X, Y, Z retangular
sistema de coordenadas estabelecidas para o sistema
de tubulação (note que o eixo Y representa a eixo
vertical). As dimensões delta DX, DY e DZ, são as
medidas ao longo do X,
Y e Z entre os eixos de nó e nó. Na maioria dos casos,
apenas um dos três células serão utilizadas como a
tubulação geralmente é executado ao longo dos eixos
global. Quando o elemento canalizações está
inclinada dois ou três inscrições devem ser feitas.
Uma ou mais entradas devem ser feitas para todos os
elementos com exceção de "tamanho zero" junções
de expansão
Neste botão "elipse" [...]
traz uma caixa de diálogo
para especificação de
local de direção co-seno.
Ajustar esses co-senos
muda o dimensões delta
do comprimento do
campo elemento de
tubulação. O elemento
pode ser usado para
continuar na direção da
existência de um
pipeline, fazendo a
definição de condutas
inclinado com extrema
facilidade
A caixa de diálogo “Element”
apresenta o comprimento total e
Direção de co-senos.
As alterações feitas no elemento de
comprimento total, ou co-senos de
direção pode afetar um ou todos
os comprimentos elemento (DX, DY,
DZ). As alterações feitas em qualquer
um dos comprimentos elemento (DX,
DY, DZ) vai afetar tanto o elemento
total comprimento e direção co-
senos.
Nesta região são
definidos os "elementos
específicos" de dados.
Geralmente esses dados
são os mesmos de
elemento para elemento.
Um usuário precisa
modificar estes dados
apenas quando algo
muda (diâmetro,
temperatura, uniforme,
cargas, etc.)
Nota-se que "cargas uniforme", "
coeficientes vento / vaga", e
"tensões admissíveis" são todos
parte do sistema operacional
"elemento" região específica.
Portanto, estes dados são
duplicados apresentados pelo
software, até modificados pelo
usuário. A caixa de seleção
"sobre esses itens mostra que os
dados foram inscritos
Diâmetro externo do elemento, espessura da parede, a
tolerância de fabricação ,costura de solda a corrosão
subsídio e da espessura do isolamento são inseridos no
bloco. Só precisam ser inseridos os elementos em que
ocorre uma mudança. Diâmetros nominais de tubulação
nominal e Schedule podem ser especificados. CAESAR II
converte estes valores para diâmetro externo real e
espessura da parede, fora isso, são necessários dados.O
diâmetro nominal, espessura, e os números de programação
são uma função do tubo especificação do tamanho. ANSI,
JIS, DIN ou são definidas através do “Tools-
Configure/Setup” (opção do menu principal).
•Essas temperaturas são para obter a tensão térmica e tensões
admissíveis para o elemento da base de dados material. Como
um subsidiariamente, as tensões térmicas podem ser
especificadas diretamente. Tensões térmicas têm valores
absolutos da ordem de 0,002, e sem unidade.
• As pressões são inseridas como valores de calibre e pode não
ser negativo.
• Cada temperatura e pressão de entrada cria uma carga para o
uso quando os casos de carga de construção. Ambos carregam a
parte térmica e dados de pressão da frente de um elemento para
o outro até ser alterado. Introduzir um valor no campo de pressão
Hydro causas
•CAESAR II para construir um caso Hydro no conjunto de casos
de carga recomendada.
•Temos como temperatura ambiente de 70 ° C, salvo se forem
alteradas usando o especial
Neste botão "elipse"
[...] é usado para
ativar
uma janela
mostrando a
entrada condições
de funcionamento
extendido). Esta
janela aumenta o
número de
temperaturas e
campos de pressão
sobre a planilha
principal.
Componentes especiais, como
curvas, elementos rígidos, juntas
de expansão e tees exigem novos
informação que pode ser definido
neste bloco
Se o elemento descrito na planilha termina em uma curva ou
um cotovelo, a caixa “Bend” deve ser definida clicando duas
vezes.
•Esta entrada abre-se a dados auxiliares,campo do lado
direito da tela de entrada para aceitar dados adicionais sobre
a curva.
•CAESAR II geralmente atribui três nós de uma curva (dando
'perto', 'médio' e 'distante' nó em da curva).
Se um elemento é uma junta de
dilatação, clicando duas vezes
que a caixa traz um auxiliar tela
que pede para os parâmetros de
rigidez e eficaz de diâmetro.
•As juntas de dilatação podem ser modeladas como comprimento
zero (com todas as rigidezes atuando em um único ponto) ou
como finitelength (Com rigidezes atuando sobre um elemento
contínuo). No primeiro caso, todas as rigidezes deve ser
indicado, no último, ou a rigidez lateral ou angular devem ser
omitidos.
•Verificando o SIF & T opção permite ao usuário especificar
qualquer componente tendo especial fatores de estresse
intensificação (SIF). CAESAR II calcula automaticamente esses
fatores para cada componente.
Caixa rígida (indica um elemento
que é muito mais rígido do que o
tubo de ligação, como um flange
ou válvula), abre um campo de
dados auxiliares para recolher o
componente peso.
Para os elementos rígidos, CAESAR II segue as seguintes regras:
•Quando o peso elemento rígido é inserido, ou seja, zero, CAESAR II calcula qualquer
peso extra devido ao isolamento e fluido contido, e adicioná-lo ao usuário, inscritos
valor do peso.
•• O peso do líquido adicionado a um elemento diferente de zero é igual peso rígido para o
mesmo peso que seria calculado por um tubo reto. O peso do isolamento adicionado é
igual ao peso mesmo que ser computados para o equivalente
vezes tubo reto 1,75.
•• Se o peso de um elemento rígido é zero ou em branco, CAESAR II assume o elemento é
um elemento de construção "artificial" ao invés de um elemento de tubulação real, de
modo nenhum isolamento
ou o peso líquido é calculado para esse elemento.
•• A rigidez do elemento é rígida em relação ao diâmetro (e parede e espessura)
entrou. Certifique-se que o diâmetro entrou em uma planilha elemento rígido é indicativa
da rigidez rígidas que devem ser gerados.
As caixas neste bloco abrir o campo de dados auxiliares para
permitir a entrada de itens que restringem (ou impor movimento
no) o tubo de sistemas de retenção, cabides, bicos flexíveis ou
deslocamentos. Embora não seja obrigatório, é recomendável que
essa informação seja fornecida na tela de entrada, que tem esse
ponto como o de nó ou para o nó. (Isto será de benefício, se os
dados devem estar localizados para a modificação). Os campos de
dados auxiliares permitem a especificação de até 4 apoios
(dispositivos que, de alguma forma modificar o movimento livre do
sistema), um gancho, um bocal, ou duas séries de deslocamentos
por elemento. Se necessário, itens adicionais para qualquer nó
pode ser a entrada em telas de outro elemento.
As caixas de verificação em bloco permite ao usuário definir cargas que
atuam sobre a tubulação. Estes cargas podem ser individuais ou em
momentos forças atuando em pontos discretos, distribuídos uniforme
cargas (que pode ser especificado em força por unidade de
comprimento, ou as forças gravitacionais do corpo), ou cargas de vento
(cargas de vento são inscritos, especificando a forma vento fator as
cargas se são especificados durante a criação dos casos de carga. A
carga uniforme e a forma do vento fator caixas de seleção será
desmarcada na subseqüente
telas de entrada. Isso não significa que as cargas foram retirados estes
elementos.Em vez disso, o que implica que as cargas não mudam nas
telas subseqüentes.
Módulo de elasticidade do material da tubulação, de Poisson razão, a
densidade, e (na maioria dos casos), coeficiente de expansão. O
programa oferece um banco de dados contendo os parâmetros para
muitos materiais tubulação comum. Esta informação é recuperadas
por escolher um material a partir da lista, digitando o número do
material, ou por digitar qualquer ou todos os nome e em seguida,
escolher o material que a partir da lista de correspondência. (O
coeficiente de expansão não aparecem na tela de entrada, mas pode
ser revisto durante erro verificação.)
Este bloco é usado
para inserir ou
substituir o módulo de
elasticidade e
coeficiente de Poisson
do matéria
A densidade do material de tubulação, isolamento,
e os conteúdos de fluido são especificadas no
presente bloco. A densidade do material tubulação
é uma entrada obrigatória e normalmente é extraída
da base de dados material. densidade do fluido
pode, opcionalmente, ser inscritas em termos de
gravidade específica
Nesta região da planilha é
conhecida como a área
"auxiliar". O conteúdo desta
mudança região, com base caixa
de seleção em que "tem o foco
atual. Se o elemento de
tubulação atual não tem dados
auxiliares associados, a área de
"auxiliar" mostra o status de
modelo (mostrado à direita "). A
qualquer momento, a [F12] pode
ser usado para alternar embora
todos os displays auxiliares.
Aqui, a área de auxiliar
os dados mostraram
tensões admissíveis.
valores de tensão
admissível são
ajustados
automaticamente (com
base no banco de
dados de material) ou
quando a temperatura,
material ou tubulação
alterações no código.
Aqui, a área de auxiliar
mostra a força concentrada
/ definição do momento. Até
(9) nove vetores de força
podem ser definidos. (Nove
vetores de deslocamento
também podem ser
definidos, para coincidir
com até nove temperaturas
operacionais, se necessário
O usuário é apresentado com toda a produção disponível de
tubulações e / ou cálculos estruturais, que podem ser
selecionadas para serem analisadas.
• Resultados Static-Static
• Harmonic-Resultados de carregamento harmônico
• Espectro Modal-Resultados de freqüência natural / cálculos
de forma modo
ou uniforme e carregamento do espectro de força
• História do Tempo-Resultados das simulações o tempo de
carregamento da história
• simulação Animation-gráfico animado de qualquer um dos
resultados acima