Você está na página 1de 2

Procedimentos experimentais

Para realização do ensaio foram utilizados os seguintes equipamentos: paquímetro,


cronometro, trena, uma bancada hidráulica, medidor de pressão e tanque.

O método utilizado para a obtenção da vazão consistiu no procedimento de encher o tanque e


cronometrar o tempo necessário para o nível d’água atingir uma altura qualquer,
posteriormente medida. Esse procedimento foi realizado três vezes, e juntamente com as
medidas da base do tanque que haviam sido obtidas com a trena, obteve-se 3 vazões
diferentes das quais foi calculada uma média para realização dos cálculos.

Na bancada hidráulica, com auxílio do paquímetro, foram medidas as dimensões do tubo de


cobre utilizado para o procedimento. Em seguida, a pressão foi aferida em dois pontos
distintos do tubo com ajuda de um medidor de pressão de mercúrio. Para os cálculos de perda
de carga foram utilizados os métodos de bernoulli e hazen willians.

Após isso, foi realizado um experimento breve em outro tubo, onde foram medidas as
pressões de três pontos para analise de resultados.

Resultados

Com as vazões obtidas chegou-se numa vazão média Q= 1,119805x10^-3 m3/s. Para o tubo de
cobre, considerou-se o coeficiente de hazen willian sendo 130, o diâmetro interno do tubo
igual a 20,8mm e o comprimento de 160,5 cm. O medidor de pressões apresentou pressões
iguais a 6,095 mca e 5,034 mca.

Com a obtenção desses resultados, pelo método de Bernoulli obteve-se uma perda de carga
de 1,061 metros. Já pelo método de hazen willians o valor obtido foi de 1,283m.

Análise crítica dos resultados

Os métodos apresentaram uma diferença bastante significativa de resultados, isso está ligado
ao fato de haver um vazamento da tubulação, constatado após fechamento do tubo estudado.
Como foram verificados todos outros registros que não estavam sendo utilizados durante o
procedimento, contatou-se que provavelmente algum estava com mau funcionamento. Nesse
caso, deve-se considerar o valor obtido pelo metodo de hazen willians como sendo mais
próximo do real pois ele considera o comportamento do material do tubo, enquanto o
teorema de bernoulli desconsidera as perdas de calor, considera o movimento como sendo
permanente e o tubo como sendo recorrente. Todas essas generalizações acabam causando
erros na prática.

No segundo procedimento verificou-se diferença bastante significativa entre os pontos de uma


das extremidades e do meio (consideramos como sendo A e B) com o de outra extremidade C.
C possuía maior pressão, ou seja, a velocidade nos pontos A e B era maior que em C.