Você está na página 1de 2

2019/04/26

3) Horário concentrado – 209ºCT: Decorre deste regime a possibilidade de um aumento


do período normal de trabalho diário, podendo ir até 4 horas com o objetivo de concentração
em menos dias. Este era o caso porque ele trabalhava mais duas horas, e já não vinha à sexta
feira trabalhar. Este regime pode ser estabelecido por IRCT ou por acordo entre o empregador
e o trabalhador, sendo que no caso é-nos dito que houve um acordo. No caso tínhamos um
modelo rígido, e não flexível, já que, é estalecido um número de horas por dia e por semana.
Esta concentração pode ir até 4 dias de trabalho por semana e em relação não haveria problema
porque ele trabalhava de 2º a 5º feira – 209/1 a) CT.

4) Banco de horas – 208ºCT: sendo que neste caso a compensação é feita não só pela
compensação no descanso, mas também pela compensação pecuniária, ao contrário daquilo
que sucede no caso da adaptabilidade. Neste caso seria por IRCT. Em relação aos limites admite-
se mais horas em IRCT do que em termos individuais, tendo em conta ao desequilibro da relação
laboral e porque no IRCT há uma representatividade que está subjacente. É uma cedência do
legislador.

5) Isenção do horário de trabalho: 218 CT: Desta forma, o trabalhador tem uma maior
flexibilidade quanto às horas de entrada e saída da empresa, contundo, tem sobretudo
vantagens ao nível da gestão da empresa. É estabelecida por acordo entre o empregador e o
trabalhador que tem de ter forma escrita. Porém, apenas podem ser sujeitos a este regime as
categorias de trabalhadores que consta do 218 n1. Eduardo exercia funções de direção, portanto
aplicava-se a aliena a). Neste caso seria de aplicar o artigo 219 aliena c). O trabalhador tem
direito a um acréscimo remuneratório global para compensar a sua maior disponibilidade
perante o empregador, sendo que é fixado por instrumento de IRCT (265ºCT). É possível que
Eduardo renuncia-se desta retribuição.

Casos especiais em relação ao tempo de trabalho:

 Trabalho por turnos 220 CT: Estes turnos podem ser rotativos ou não rotativos.
Estes Podem ser também contínuos ou descontínuos.
 Trabalho noturno: 223 CT: Quem determina quando começa e acaba e o que é
abrangido será o IRCT normalmente. A partir das 20 horas já é considerado
trabalho noturno. Se não há IRCT é considerado tendo em conta o que consta
da lei.
 Trabalho suplementar: Trabalho prestado fora do horário de trabalho. Está
relacionado com as necessidades anormais da gestão na empresa ou com a
ocorrência de uma situação de força maior segundo o artigo 227ºCT, sendo que
fora desses casos constitui uma contraordenação grave. O trabalho suplementar
está sujeito a limites temporais que se encontram no artigo 228ºCT.
Tem direito a um regime compensatório que se encontra regulado no artigo
229ºCT, sendo que o regime compensatório de descanso decorre consoante o
dia de trabalho. Se o trabalho suplementar decorrer num dia norma de trabalho,
impeditivo do descanso diário, o trabalhador tem o direito ao descanso
correspondente a essas horas, segundo o n3 do 229. Se for prestado em dia de
descanso semanal obrigatório confere o direito a um dia de descanso. Este é um
regime imperativo por estar em causa o direito mínimo do trabalhador ao
repouso.

Interesses relacionados