Você está na página 1de 5

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

FACULDADE DE EDUCAÇÃO
DEPARTAMENTO DE TEORIAS E FUNDAMENTOS

Disciplina: História da Educação 2 (História e Historiografia da Infância)– Código 191078


Ano Letivo: 2019/01
Carga Horária: 60h/a
Professor: Dr. Juarez José Tuchinski dos Anjos – juarezdosanjos@yahoo.com.br
Turma: Única – Segunda-feira – 19h – 22h40

1 – Ementa

A infância como objeto histórico: pressupostos teóricos e conceituais. O debate historiográfico sobre a infância:
permanências e rupturas. A história da infância no Ocidente estudada através de alguns momentos decisivos: os
mitos historiográficos da infância medieval (séculos XII a XV); as relações entre pais e filhos entre os séculos XVI e
XIX; a infância e as reformas religiosas dos séculos XVI-XVII; a assistência à infância na Era Moderna; a escola, a
escolarização e as novas categorias de infância na Modernidade; a infância no mundo do trabalho compulsório
(Escravidão nas Américas, século XIX); a infância no mundo do trabalho livre (as fábricas e o campo no século
XIX); a criança como consumidora e ator econômico (fins do século XIX e meados do XX).

2 – Objetivos
- Apreender a infância como objeto histórico e historiográfico;
- Compreender o processo histórico de constituição da infância moderna, em suas rupturas e continuidades, ao longo
dos últimos oito séculos da história ocidental;
- Identificar as mudanças e permanências na relação dos adultos com as crianças a partir de alguns momentos
decisivos na história da infância no Ocidente.

3 – Metodologia
- Aulas expositivas dialogadas;
- Debates em sala de aula;
- Seminários temáticos;

4 – Avaliação e orientações gerais


- Prova escrita, sem consulta (4,0)
- Seminários temáticos (3,0 de apresentação + 3,0 portfólio com sínteses dos seminários apresentados pelas/os
colegas)
- Frequência mínima exigida para a aprovação: 75%.
- Lembrete 1: o cálculo da frequência é feito por hora aula. No caso desta disciplina, cada dia de aula (das 19h às
22h40) equivale a 4 h/a, totalizando, em 15 semanas, a carga total de 60h/a. Portanto, o limite de 25% de faltas
equivale a faltar, no máximo, 3 dias e meio de aula, no caso desta disciplina e respectiva carga horária.
- Lembrete 2: serão realizadas duas chamadas orais em cada dia de aula, a primeira relativa às duas primeiras horas
aula e a segunda às duas últimas. Eventuais retificações por não ter ouvido a chamada, ter se atrasado em decorrência
do transporte público, saída do trabalho ou ausência momentânea da sala só serão feitas no mesmo dia de aula, desde
que o discente procure o professor ao final da aula. Não serão feitas retificações posteriores.
- Durantes as aulas, favor deixar os aparelhos celulares guardados dentro das bolsas/mochilas. É proibido gravar,
filmar ou fotografar as aulas. Slides podem ser disponibilizados mediante solicitação, respeitados direitos autorais.
- Em relação aos textos, para toda Unidade 1, está prevista a leitura de um único texto, introdutório a todo conteúdo.
A partir da Unidade 2, organizada em seminários temáticos, cada estudante ficará responsável pela leitura de um
texto que terá de ser apresentado à turma. No dia de cada apresentação serão montadas mesas coordenadas para cada
seminário temático, mas a avaliação se dará de forma individual. Quem assiste ao seminário deverá fazer anotações
do que for apresentado e que, posteriormente, serão entregues em forma de portfólio, ao final da disciplina (Vide
Anexo 2).
- Em relação às datas de realização dos seminários e avaliações, não existe segunda chamada.

5 – Programa, cronograma, bibliografia e datas das avaliações/seminários temáticos


UNIDADE 1
INTRODUÇÃO À HISTÓRIA E À HISTORIOGRAFIA DA INFÂNCIA

Leitura obrigatória da Unidade 1

GOUVÊA, Maria Cristina Soares de. A escrita da história da infância: periodização e fontes. In: GOUVEA, Maria Cristina
Soares; SARMENTO, Manuel Jacinto (orgs.) Estudos da infância. Petrópolis: Vozes, 2009, p. 97-118.

18/03 - AULA 1 – Introdução à disciplina e apresentação do Plano de Ensino (4h/a)

25/03 - AULA 2 A infância como objeto histórico: conceitos, fontes e problemáticas de pesquisa (4h/a)

Bibliografia de apoio:
BECCHI, Egle. Prefazione. In: I bambini nella Storia. Roma-Bari: Laterza, 1994.
BECCHI, Egle; JULIA, Dominique (sur la diréc.). Histoire de l’Enfance en Occident. 2 vol. Paris: Seuil, 1998.
HEYWOOD, Colin. Uma história da infância: da Idade Média à época contemporânea. Porto Alegre: Artes Médicas, 2004.
MOREL, Marie-France. Criança. In: BURGUIÈRE, André. (org.) Dicionário das Ciências Históricas. Rio de Janeiro: Imago,
1993.
SIERRA BLAS, Verónica; MEDA, Juri; GÓMEZ, Antonio Castillo. (cordinators) The Written Memory of Childhood –
Proceedings of the International Colloquium “Children’s Writings”. Berlanga Del Duero/Macerata, 2011/2012.

01/04 - AULA 3 - O debate historiográfico internacional sobre a infância (4h/a)

Bibliografia de apoio:
ARIÈS, Philippe. Historia Social da Criança e da Família. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.
BECCHI, Egle. Il bambino di ieri: breve storia di una storiografia. Studi sulla formazione. Firenze, n. 1, p. 7-21, 2010.
DeMAUSE, Lloyd. (org.) Historia de la Infancia. Madrid: Alianza, 1982.
JÍMENEZ, Pablo Rodriguez; MANARELLI, Maria Emma. Introducción. In: Historia de la infância en America Latina. Bogotá:
Universidad Externado de Colombia, 2007, p. 13-23.
LASLETT, Peter. O mundo que nós perdemos. Lisboa: Presença, 1975.
POLLOCK, Linda A. Los niños olvidados. Relaciones entre padres e hijos de 1500 a 1900. México, DF: Fondo de Cultura
Económica, 2004.
SCHAMA, Simon. O desconforto da Riqueza. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.
SOSENSKI, Susana; ALBARRÁN, Elena Jackson (coords). Nuevas miradas a la historia de la infancia en América Latina:
entre prácticas y representaciones. México: UNAM, Instituto de Investigaciones Históricas, 2012.
SOUZA, Gizele de; ANJOS, Juarez José T. dos. Entrevista com Susana Sosenski. Angelus Novus. V. 1,p.13-14, 2014.
STONE, Lawrence. Família, sexo y matrimônio en Inglaterra 1500-1800. México: Fondo de Cultura Económica, 1990.

22/04 - AULA 4 - A historiografia brasileira sobre a infância (4h/a)

Bibliografia de apoio:
ALVIM, Maria Rosilene Barbosa; VALLADARES, Lícia do Prado. Infância e sociedade no Brasil: uma análise da literatura.
BIB. Rio de Janeiro, n. 26, p. 3-37, 1988.
DEL PRIORE, Mary. (org.) História da criança no Brasil. São Paulo: Contexto, 1991.
FARIA FILHO, Luciano Mendes de; ARAÚJO, Vânia. História da Educação e da Assistência à Infância no Brasil. Vitória:
Edufes, 2011.
FREITAS, Marcos Cezar (org.). História Social da infância no Brasil. São Paulo: Cortez, 1997.
GOUVEA, Maria Cristina Soares de. A escolarização da meninice nas Minas Oitocentistas: a individualização do aluno. In:
FONSECA, Thaís Nívea; VEIGA, Cynthia Greive (org). História e historiografia da educação no Brasil. Belo Horizonte:
Autêntica, 2008, p. 189-226.
MARCÍLIO, Maria Luiza. Documentação: fontes para o estudo da criança período colonial e imperial. In: RIZZINI, Irma (org.).
Crianças desvalidas, indígenas e negras no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Universidade Santa Úrsula, 2000, p. 201-208.
MONCORVO FILHO, Arthur. Histórico da Proteção à Infância no Brasil 1500-1922. Rio de Janeiro: Graphica Editora, 1927.
OLIVEIRA, Amurabi. A meninice no pensamento de Gilberto Freyre. Política e Trabalho. Revista de Ciências Sociais. Nº 43, p.
203-218, jul/dez de 2015.

23 a 28/04 - AULA 5 - AVALIAÇÃO


A avaliação prevista para ser inicialmente realizada presencialmente em 22/04, será realizada em casa, entre os dias 16 a 21/04,
como forma de reposição da aula de 15/04, cancelada em função de Dedetização na FE. A prova deve ser entregue impressa e
preenchida manuscrita no dia 29/04.

UNIDADE 2
ALGUNS MOMENTOS DECISIVOS NA HISTÓRIA DA INFÂNCIA OCIDENTAL
ENTRE OS SÉCULOS XII E XX
Observações:
- A cada semana, até cinco aluno/as ficarão responsáveis, cada um/a, pela leitura e apresentação das ideias e argumentos centrais
de um dos textos indicados para cada aula. Terão até 20 minutos para apresentação cada (seguida de 10 minutos de debate com a
turma e/ou arguição do professor), podendo utilizar Power Point ou outro recurso didático, à escolha. No dia da apresentação,
quem for apresentar deve entregar uma síntese de sua fala, impressa, ao professor, para avaliação. (Vide Anexo 1, com roteiro de
tópicos a serem abordados na apresentação e na síntese a ser entregue)
- Critérios que serão avaliados na apresentação:
 Sequência lógica da argumentação segundo o roteiro disponibilizado/ conteúdo (1,5)
 Apresentação – 1,5 (comunicação com a turma, organização do pensamento. Não é permitida leitura da
apresentação).
- O restante da turma deverá fazer anotações das ideias principais apresentadas por cada colega relativas a cada texto/autor
discutido para, com base nelas, elaborar o portfólio a ser entregue ao final da disciplina, com a síntese de toda a discussão dos
seminários (Vide Anexo 2, com modelo de portfólio).
- Critérios que serão avaliados no portfólio:
 Síntese de cada seminário (- 0,3 décimos a cada seminário não registrado)
- Todas as segundas-feiras, das 18h às 18h45, o professor estará no gabinete, à disposição para orientação dos seminários (FE 3,
subsolo).

29/04– AULA 6 - A infância na Idade Média: desfazendo alguns mitos historiográficos (4h/a) – Seminário 1

Subtema 1: As idades da vida


OLIVEIRA, Ana Rodrigues. Diferenciar. In: A criança na sociedade medieval portuguesa. Lisboa: Teorema, 2007, p. 29-44.

Subtema 2: As relações familiares


OLIVEIRA, Ana Rodrigues. Amar. In: A criança na sociedade medieval portuguesa. Lisboa: Teorema, 2007, p.375-412.

Subtema 3: Educação e instrução das crianças


OLIVEIRA, Ana Rodrigues. Aprender. In: A criança na sociedade medieval portuguesa. Lisboa: Teorema, 2007, p.131-200.

Subtema 4: Cuidados e saúde


OLIVEIRA, Ana Rodrigues. Adoecer. In: A criança na sociedade medieval portuguesa. Lisboa: Teorema, 2007, p.271-346.

Subtema 5: Morte
OLIVEIRA, Ana Rodrigues. Morrer e Ressuscitar. In: A criança na sociedade medieval portuguesa. Lisboa: Teorema, 2007, p.
347-374.

06/05 – AULA 7 – As relações entre pais e filhos (séculos XV a XIX) 4h/a – Seminário 2

Subtema 1: relações entre pais e filhos na França


ARIÈS, Philippe. Da família medieval à família moderna. In: História social da criança e da família. Rio de Janeiro: Zahar,
1978, p. 225-271.

Subtema 2: relações entre pais e filhos na Inglaterra e Estados Unidos


POLLOK, Linda A. Actitudes hacia los niños. In: Los niños olvidados: relaciones entre padres-hijos de 1500 a 1900. México:
Fondo de Cultura Económica, 2004, p. 118-168.

Subtema 3: relações entre pais e filhos da Holanda


SCHAMA, Simon. Na república das crianças. In: O Desconforto da Riqueza: a cultura holandesa na época de Ouro. Companhia
das Letras, 1992, p. 473-550.

Subtema 4: relações entre pais e filhos na América Portuguesa


DEL PRIORE, Mary. O cotidiano da criança livre no Brasil entre a Colônia e o Império. In: História das crianças no Brasil. São
Paulo: Contexto, 1999, p. 84-106.

Subtema 5: relações entre pais e filhos na América Espanhola


ROJAS, Jorge Aguirre. Capítulo 1: primer período, 1800-1840: los niños en la sociedad tradicional. In: Historia de la infancia
en el Chile Republicano 1810-2010. Santiago: JUNJI, 2010, p. 21-46.

13/05 - AULA 8 – A infância e as reformas religiosas do século XVI-XVII (4h/a) – Seminário 3

Subtema 1: A infância e os reformadores protestantes


SPIERLING, Karen E. Protestant Reformation. In: FASS, Paula (org.) Encyclopedia of Children and Childhood in History and
Society. Online. Disponível em: http://www.faqs.org/childhood/index.html.
Subtema 2: A infância e os reformadores católicos
ARIÈS, Philippe. Do despudor à inocência. In: História social da criança e da família. Rio de Janeiro: Zahar, 1978, p. 125-154.

Subtema 3: Os protestantes e a educação das crianças nos Estados Unidos e Inglaterra


POLLOCK, Linda A. Disciplina y control. In: Los niños olvidados: relaciones entre padres-hijos de 1500 a 1900. México:
Fondo de Cultura Económica, 2004, p. 169-234.

Subtema 4: Os jesuítas e as crianças no Brasil Colonial


DEL PRIORE, Mary. O papel branco, a infância e os jesuítas na colônia. In: História da Criança do Brasil. São Paulo:
Contexto, 1991, p. 10-27.

Subtema 5: Infância e Inquisição na América Portuguesa


MONTEIRO, Alex Silva. O pecado dos anjos: infância e inquisição na América Colonial Portuguesa. Simpósio Nacional de
História, 23. Anais... João Pessoa: UFPB, 2003.

20/05– AULA 9 – A assistência à infância na Era Moderna e Contemporânea (séculos XVI a XX) – Seminário 4

Subtema 1: Do infanticídio à assistência institucionalizada da criança


VIAZZO, Pier Paolo. Abandonment. In: FASS, Paula (org.) Encyclopedia of Children and Childhood in History and Society.
Online. Disponível em: http://www.faqs.org/childhood/index.html.

Subtema 2: As rodas de expostos na Europa e no Brasil


MARCÍLIO, Maria Luiza. A roda de expostos e a criança abandonada na História do Brasil. 1726-1950. In: FREITAS, Marcos
Cezar (org). História social da infância no Brasil. São Paulo: Cortez, 2001, p. 53-80.

Subtema 3: Modalidades de assistência à infância nos Estados Unidos


ZMORA, Nurith. Orphanages. In: FASS, Paula (org.) Encyclopedia of Children and Childhood in History and Society. Online.
Disponível em: http://www.faqs.org/childhood/index.html.

Subtema 4: As instituições correcionais na Europa: entre assistência e punição


PERROT, Michelle. As crianças da Petite-Roquette. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 9, n. 17, p. 115-128, set. 1988.

Subtema 5: Assistência à infância, higiene e Medicina: a Gota de Leite, na Costa Rica (séc. XX)
SOBRADO, Ana María Botey. Infancia, alimentación y filantropia en Costa Rica: la Gota de Leche (1913). In: ARIAS, David
Díaz (Ed.) Historia de la infancia en Costa Rica del siglo XX: cinco aproximaciones. San José: Novas Perspectivas, 2012, p. 15-
62.

27/05 – AULA 10 – A escola e a produção de novas categorias de infância ( séculos XVII e XX) – Seminário 5

Subtema 1: As relações entre infância, modernidade e educação


VEIGA, Cynthia Greive. Infância e modernidade: ações, saberes e sujeitos. In: FARIA FILHO, Luciano Mendes de (org.) A
infância e sua educação: materiais, práticas e representações (Portugal e Brasil). Belo Horizonte: Autêntica, 2004, p. 35-82.

Subtema 2: Impactos da escolarização da infância na Europa


POSTMAN, Neil. Os incunábulos da infância. In: O Desaparecimento da Infância. Rio de Janeiro: Graphia Editorial, 2006, p.
33-42.

Subtema 3: A criança e a escolarização nos Estados Unidos


REESE, William J. United States Education. In: FASS, Paula (org.) Encyclopedia of Children and Childhood in History and
Society. Online. Disponível em: http://www.faqs.org/childhood/index.html.

Subtema 4: A criança e a escolarização no Brasil


GOUVÊA, Maria Cristina Soares de; SCHUELER, Alessandra Frota Martinez de. Condições de instrução da infância: entre a
universalização e a desigualdade. In: ARAÚJO, José Carlos; SOUZA, Rosa Fátima; PINTO, Rubia-Mar (orgs.) Escola primária
na Primeira República 1889-1930: subsídios para uma história comparada. Campinas: Junqueira e Marin, 2012, p. 329-351.

Subtema 5: Os kindergarden (jardins de infância) e a institucionalização da educação da infância pequena


KUHLHMANN JR., Moysés. O Jardim de infância e a educação das crianças pobres: final do século XIX, início do século XX.
In: MONARCHA, Carlos (org.). Educação da infância brasileira (1875-1983). Campinas: Autores Associados, 2001, p. 3-30.

03/06– AULA 11 – A infância no mundo do trabalho compulsório (Escravidão nas Américas, século XIX) –Seminário 6

Subtema 1: A infância na África, antes e depois da escravidão


CARTON, Benedict. Africa. In: FASS, Paula (org.) Encyclopedia of Children and Childhood in History and Society. Online.
Disponível em: http://www.faqs.org/childhood/index.html.
Subtema 2: Infância e escravidão nos Estados Unidos
KING, Wilma. United States Slavery. In: FASS, Paula (org.) Encyclopedia of Children and Childhood in History and Society.
Online. Disponível em: http://www.faqs.org/childhood/index.html.

Subtema 3: Infância e escravidão na América Espanhola


MASTAFERRER LEON, Cristina. Niños y niñas esclavos de origen africano en la capital novohispana (siglo XVII). In:
VELAZQUEZ, María Elisa (coord.) Debates históricos contemporâneos: africanos y afrodescendientes em Mexico e
Centroamerica. Mexico: Oppen Books, 2011, p. 109-134.

Subtema 4: Infância e escravidão no Brasil


GOÉS, José Roberto; FLORENTINO, Manolo. Crianças escravas, crianças dos escravos. In: DEL PRIORE, Mary. (org.)
História das crianças no Brasil. São Paulo: Contexto, 1999, p. 177-191.

Subtema 5: Infância no pós-abolição no Brasil


PAPALI, Maria Aparecida et al. Cenários do pós-abolição no Vale do Paraíba Paulista: tutela, trabalho infantil e violência
sexual (1888-1889). Afro-Ásia. Salvador, n. 56, p. 147-167, 2017.

10/06 – AULA 12– A infância no mundo do trabalho livre (as fábricas, o campo e a cidade nos séculos XIX-XX) – Seminário 7

Subtema 1: Os dilemas do trabalho infantil na História


HEYWOOD, Colin. Crianças trabalhando. In: Uma História da Infância: da Idade Média à época contemporânea no Ocidente.
Porto Alegre: Artes Médicas, 2004, p. 161-192.

Subtema 2: O trabalho infantil nas fábricas: o caso chileno


FLORES, Jorge Rojas. Los niños cristaleros: trabajo infantil de la industria. Chile, 1880-1950. Santiago: DIBAM, 1996
(Introdução e capítulos 1 e 2, p. 15 a 52).

Subtema 3: O trabalho infantil urbano: os jornaleiros no Brasil


WENHARDT, Otávio Augusto Ganzert. Trabalho, infância e controle a partir dos meninos jornaleiros em Curitiba (passagem do
século XIX para o XX). Simpósio Nacional de História, 29º. Anais... Brasília: UnB, 2017.

Subtema 4: O trabalho infantil no campo: o caso das crianças ítalo brasileiras


LUCHESE, Terciane Ângela. A infância entre imigrantes e ítalo-descendentes no Rio Grande do Sul. In: MIMESSE, Eliane
(org.). A infância das crianças italianas e ítalo-brasileiras. Jundiaí: Paco Editorial, 2013, p. 93-132.

Subtema 5: O trabalho infantil normatizado nas Américas: o caso da OIT


SANTOS JÚNIOR, José Pacheco dos. Pelos pequenos trabalhadores do Novo Mundo: OIT e o trabalho infantojuvenil nas
Américas (1936-1939). Anuario del Instituto de Historia Argentina. Buenos Aires, v. 17, n. 1, 2017.

17/06 – AULA 13 – A criança como consumidora e ator econômico (fins do século XIX e meados do século XX) – Seminário8

Subtema 1: Infância e cultura do consumo


CROSS, Gary. Consumer culture. In: FASS, Paula (org.). Encyclopedia of Children and Childhood in History and Society.
Online. Disponível em: http://www.faqs.org/childhood/index.html.

Subtema 2: Brinquedos para o consumo infantil no Chile


FLORES, Jorge Rojas. Historia del juguete en Chile. In: MÁRQUEZ, Juan Antonio Santis (coord.) Jugetes: 100 años de
fabricación chilena. Santiago: Ocho Libros, 2010, p. 20-73.

Subtema 3: Cinema e consumo infantil no México


SOSENSKI, Susana. Diversiones malsanas: el cine y la infancia en la ciudad de México en la década de 1920. Secuência.
Revista de Historia e Ciências Sociales. México, n. 66, p. 35-64, 2006.

Subtema 4: Literatura para consumo infantil (Estados Unidos e Brasil)


RAFFAINI, Patrícia Tavares. Cartas de crianças: reflexões sobre a leitura nas décadas de 1930 e 1940. Angelus Novus. São
Paulo, n. 10, p. 129-158, 2015.

Subtema 5: Alimentação e comércio para infância: as guloseimas na Argentina


SCHEINKMAN, Ludmila. Publicidades de golosinas, consumo y felicidad infantil (Argentina, 1930-1943). Anuário del
Instituto de Historia Argentina. Buenos Aires, v. 18, n. 1, jun. 2018.

24/06 – AULA 14 – Conclusão dos seminários – Entrega dos portfólios

01/07 – AULA 15 – Encerramento da disciplina – Entrega de notas

Você também pode gostar