Você está na página 1de 13

MASSAGEM TÂNTRICA

‘Yoni’ – Massagem Feminina

Tradução e adaptação: Cristian D. Arantes


“O corpo feminino é a prova viva de que o Sagrado existe; é o santo recinto
onde todos os homens e um dia foram alimentados, ninados e hoje adultos,
tem a chance de gratificá-las pelo dom da vida.” – autor desconhecido.

© Copyright 2016 -Cristian D. Arantes


1.O que é Tantra?

Tantra é um caminho para a libertação através da expansão do


conhecimento de si e da aceitação incondicional. Esse sistema de crenças
originou-se na Índia há milhares de anos e foi praticamente ‘extinta’
localmente com a invasão dos arianos há 3500 anos, quando impuseram a
cultura ‘brahmacharya’, cujo sistema é patriarcal, anti-sensorial e repressor
dos prazeres (sendo por isso, oportunista para que o budismo fosse mais
aceito localmente).

O Tantra se tornou uma tradição secreta até o século V d.C, quando


monges que discordavam do budismo resolveram escrever o Guhyasamãja-
tantra, uma espécie de manual do Tantra.

Tá, mas o que é tantra? É mais uma atitude em relação à vida, do que
crenças, comportamentos ou regras. Não é uma religião em si, é uma ciência.
Shiva e Shakti representam as qualidades masculinas e femininas, yin e yang,
dos seres humanos. A raiz sânscrita da palavra é expansão (tan, tanoti + tra,
trayati).

O tantra é para ser vivido e experimentado no dia a dia, não existe


scripts ou roteiros certos a se seguir; é sobre aceitar tudo que está
acontecendo, reconhecer mais profundamente nossa consciência, mover
nossa energia através de tudo que a vida nos apresenta.

A sexualidade é apenas uma faceta dessa prática espiritual, e


justamente a mais divulgada. A real beleza dessa faceta do tantra é que ele
ensina que a relação é um caminho de aprendizagem conjunta e que é
através da entrega entre os parceiros que ocorrem os avanços.

Por explorar o toque, a entrega, a devoção, o contato, o amor e o


carinho, esses toques servem como terapia para pessoas que tem bloqueios
sexuais, seja por vergonha, abusos, etc. Dessa forma, podemos considerar a
massagem tântrica como uma terapia holística vaginal, capaz de resolver
traumas, frigidez e promover autoconhecimento e libertação.

Para administrar a massagem Yoni é essencial que tanto atitude e


intenção sejam levados em conta.

Futuramente, serão discutidos qual deve ser a intenção e atitude de


quem dá e de quem recebe a massagem, bem como o que é necessário para
que a massagem não seja uma mera estimulação carnal e atinja os níveis
mental, espiritual e sexual como um só elo, dentro do ‘eu’ interior da mulher.
2. Anatomia Reprodutiva Feminina

Bem, aqui segue uma breve revisão sobre a anatomia reprodutiva


feminina .

O órgão sexual feminino, ou yoni (palavra em sânscrito que significa


‘sagrado’) é composto basicamente por lábios grandes (ou lábios maiores),
lábios pequenos (ou lábios menores), um órgão erétil situado pouco acima da
uretra (clitóris), que possui sua glande, canal vaginal pouco acima do períneo.

Pensando na fisiologia, temos duas glândulas importantes nessa região.


As glândulas de Bartholin são responsáveis pela lubrificação vaginal mediante
excitação sexual, estando localizadas próximas à abertura vaginal, na porção
inferior. As glândulas de Skene são responsáveis pela excreção de líquido
ejaculatório feminino, estando localizadas perto do meato da uretra.

O clitóris é um grande aliado feminino no prazer, pois possui quatro


vezes mais receptores nervosos que o pênis, sendo o precursor embriológico
do mesmo, sendo dotado de glande e prepúcio..
3. Preparativos

Ambos os parceiros que estarão envolvidos na massagem Yoni devem


estar estritamente conectados. Para tal, devem cultivar amor e abertura para
que eles possam manifestar-se livremente um ao outro.

Olhe para seu parceiro como sendo um bem sagrado que o Universo lhe
ofereceu, sendo grato pela chance de poder ter ao lado essa pessoa.

3.1 Atitude de quem oferece

Presença é a atitude que quem presenteia o outro mais precisa


cultivar. Quando você está presente, a mulher tende a se abrir mais
facilmente. Ela se sentirá adorada e capaz de expressar o que precisar ser
expressado sem qualquer restrição. O parceiro que presenteia o outro
precisa ser atencioso e ter empatia, perguntando sempre que achar
necessário, como o outro está se sentindo.

Comunicação durante a massagem Yoni é essencial para entender o


que está funcionando para ela e o que não. Observe a linguagem do corpo e
os sinais. Ela está expressando tensão nos olhos, face ou pescoço ou ela se
abriu e está gostando do que você está fazendo?

Não importa o que faça, faça com uma atitude desapegada de ego.
Você está adorando o sagrado feminino e o ideal é não querer nada em
retorno. Sua presença irá ajudar você a saber o quanto você deve apertá-la,
quais seus limites e quanto ela pode aguentar.

Massagens Yoni podem ser muito curativas mas também muito


dolorosas no começo, não apenas fisicamente mas emocionalmente. Pode
ser que traumas se aflorem nesse momento, então abrace-a com ternura.
3.2 Atitude de quem recebe

As mais importantes atitudes quando recebendo uma massagem Yoni


são confiança e rendição.Quando você confia em seu parceiro, irá abrir-se
mais facilmente e deixar o medo e tensão esvair-se – quando você pode
deixar ir a sua tensão, mágica acontece.

A rendição, o ato de entregar-se, é um aspecto muito feminino e


frequentemente mal entendido. Não significa ser passiva e sem força, mas
exatamente o oposto, ser ativa e poderosa com confiança, amor e suavidade.
Ter a coragem para deixar ir os velhos padrões e tensão. É hora de
transformar a si mesma e deixar ir o que precisa ir.

Seja clara sobre sua intenção mas tente ficar separada dos efeitos da
prática ao mesmo tempo (isso irá ajudar a permanecer grata a o que quer
que vá acontecer). Não tem um objetivo. Apenas aproveite o processo.

Novos sentimentos e sensações irão aparecer, então deixe seu


parceiro saber o que está acontecendo, ele saberá o que é bom para você.
Autoconhecimento irá ajudar você a transformar cada trauma que se aflorar.
A luz da consciência traz cura para os becos escuros de sua alma.

3.3 Preparando o ambiente

Torne o ambiente o mais confortável possível. Travesseiros o


suficiente, lençóis limpos e de cores suaves, cortinas, música instrumental
suave, incenso ou um ambiente aromatizado com cheiros suaves podem
ajudar. Imagine estar num templo indiano ancestral.

Sempre deixe por perto toalhas e lençóis o suficiente, pois algumas


mulheres jorram bastante líquido após alcançar o orgasmo do ponto G.

Use óleos naturais, como óleo de coco,óleo de semente de uva, óleo


de amêndoas, óleo de sésamo ou óleo de oliva. Na área genital utilize apenas
lubrificante intimo comercializado. Peça para a mulher vestir um sarong
quando estiver começando a massagem, ou uma canga. Se forem um casal e
ela se sentir à vontade, podem iniciar nus mesmo.

4. Ritual de Convite

Começar a massagem Yoni com uma meditação é algo essencial para


o Tantra. Convidar as energias curativas para si e desprender-se dos frutos
da ação do momento ajuda a livrar-se do ego, sendo menos egoísta e ao
mesmo tempo, abrir-se para o que virá a seguir. Isso diminui expectativas e
ao mesmo tempo livra-os do medo.

Sentem encarando um ao outro, pernas cruzadas e segurem as mãos


um do outro. Você pode utilizar músicas de yoga ou músicas calmas (sem
voz) que ajudem a relaxar e concentrar-se no seu interior. Uma vez que
tenha relaxado o suficiente para não pensar em absolutamente nada, ofereça
os frutos da massagem Yoni ao Universo.

Respirem pelo nariz, sem congestão nasal, com boca fechada,


procurem respirar pelo diafragma, conectando-se pelo ritmo respiratório,
enquanto seguram as mãos. Para iniciar a respiração diafragmática, quando
inspirar deixe a barriga ‘ir para cima’ e ao expirar, deixe-a descer totalmente
sem forçar. Respirem profundamente e logo estarão mais calmos e
relaxados. A massagem só deve ser iniciada quando a receptora estiver
totalmente relaxada.
Acordando Os Sentidos

Uma vez que esteja sincronizado com o coração de sua parceira, você
pode finalmente começar. A receptora deita em um colchão macio coberto
com o sarong ou saída de praia que vestia antes, fecha seus olhos e se rende
à situação.

Como a pessoa que oferece a massagem, saiba que seus braços são a
extensão de seu coração; esteja conectado com seu coração e respiração e
tente checá-los agora, e então manter-se em contato com o coração do
receptor e sua respiração.

Comece lentamente, acordando os sentidos através da toalha de


seda ou sarong. Depois de algum tempo você pode deslizar o sarong para
fora de seu corpo até os pés. Isso dá uma sensação mágica e celestial que
permite passar de forma suave para a nudez.

A pele é nosso maior órgão sensitivo e quer ser tocada, massageada,


acariciada, etc. Use penas, pelúcia, seda, seus dedos, bolinhas de massagem
e suas unhas para produzir diferentes sensações. Brinque com a intensidade,
algumas vezes suavemente, outras vezes mais intensamente.

Você também pode usar aromaterapia para estimular os órgãos


olfatórios. O que quer que você faça, deve se encaixar na situação, inclusive
algumas bolinhas de chocolate podem ser um bom estímulo para começar.
6. Yoni

Comece a massagem usando técnicas de respiração profunda e se os


corpos estiverem em contato próximo, tente sincronizá-los, dessa forma
enquanto um inala o outro exala, de forma que compartilham o mesmo ar.

Todo toque deve ser dado com intenção respeitosa e com afeto,
fazendo tanto contato ocular quanto for confortável. É muito normal para
que o que esteja recebendo a massagem entrar em situação de transe – isso
não deve ser forçado, mas se alcançado pode aumentar a intensidade e
prazer da experiência.

Antes de mover as mãos diretamente para a yoni, primeiro acaricie as


pernas, seios, braços e coxas para gentilmente relaxar o corpo e se aproximar
em preparação para uma massagem mais intima. A massagem yoni somente
deverá começar quando o corpo estiver completamente relaxada e toda
tensão do corpo for liberada.

Coloque um pouco de lubrificante ou óleo de alta qualidade nas mãos


e deixe um pouco cair nos lábios da yoni.

Coloque uma das mãos no centro do coração e outra na pele externa


da yoni. Permita que as mãos relaxem e muito lentamente comece a espalhar
o óleo entre os dedos e ao redor da yoni, fazendo pequenos círculos com os
dedos e acariciando o osso púbico.

Gaste algum tempo acariciando e massageando com óleo durante


algum tempo, mantendo contato ocular se possível e focando puramente no
sensual, não no lado sexual do toque.

Massageie a parte interna das coxas, aumentando e diminuindo a


pressão e também alterando de movimentos circulares para movimentos de
avançar e recuar com os dedos.
Usando as pontas dos dedos mova-se pra cima e pra baixo na crista
da yoni, suavemente deslizando os lábios juntos entre as pontas dos dedos e
o polegar.

Deslize um dedo lubrificado lentamente e com uma pequena


quantidade de pressão pra cima e pra baixo ambos na parte dos grandes
lábios, alternando a massagem de um lado a outro.

Massageie o clitóris em sentido horário e então antihorário. Puxe de


leve e em seguida volte a acariciar.

Suavemente comunique-se com a receptora para confirmar se cada


movimento está sendo prazeroso e que níveis de velocidade e pressão deseja
receber.

No sexo tântrico, a mão direita é associada com polaridade, então


gentilmente insira o dedo médio direito na abertura da yoni. Nesse estágio,
encoraje a receptora a relaxar e aprofundar a respiração e não se preocupar
com nada, focando-se apenas nos sentimentos que a massagem está a
despertar.

Lenta e gentilmente explore e massageie dentro da yoni com o dedo


médio, massageando as paredes internas com uma pequena pressão. Alterne
a velocidade e pressão e certifique-se que isto é relaxante e que a receptora
está confortável.

Sinta a textura da pele e mova os dedos muito lentamente,


prestando atenção para cada parte interna da yoni. Se pequenas áreas de
tensão forem sentidas, pare o movimento mas gentilmente pressione e solte
a área. Regularmente pergunte se ela está bem para continuar e se sim, com
cada movimento adicione um pouco mais de pressão para liberar tensões
específicas que são preenchidas de traumas negativos.

Esse é um processo de libertação para quem recebe a massagem,


então pode ser um pouco esmagadora. Lágrimas, soluços, gemidos e
suspiros são perfeitamente normais. Apenas certifique-se que quem recebe
não deseja que você pare a algum momento. A primeira vez que uma
massagem yoni é recebida pode ser a mais poderosa e intensa, então deixe
que a experiência siga seu rumo.

Com a palma para cima e o dedo médio inserido, puxe o dedo em


direção ao osso púbico e sinta a área suave e esponjosa que parece ter
rugosidades, esse é o ponto G. Mova o dedo pra frente e para trás
empurrando firme, mas gentilmente nessa área e massageando em volta,
movendo em movimentos circulares. Expanda o circulo para que toda a área
seja massageada, deslize o dedo para cima e para baixo, para frente e para
trás.

Para uma sensação mais intensa, o anular pode entrar junto com o
dedo médio, mas cheque com a receptora primeiro, isso só deve ser feito se
for confortável e a receptora estiver de acordo.

A mão esquerda pode estar massageando e acariciando outras áreas


sensuais do corpo, então isso irá criar uma conexão mais profunda e uma
excitação mais intensa. Se um orgasmo for alcançado, continue massageando
como antes, prestando atenção à pessoa que está recebendo a massagem, e
mova os dedos em um movimento suave mas rítmico para alavancar o
orgasmo e mantê-lo tão intenso por tanto tempo quanto possível.

Se a parceira e você concordarem, pratique o que chamamos no


Tantra de ‘segurar o mistério do universo’ nas mãos. Insira o dedo mínimo no
anus enquanto o anular e médio estão dentro da yoni e o polegar está no
clitóris.

Quando a excitação pelo acariciar do ponto G alcançar o clímax, pare


o dedo pressionando levemente no ponto G e mantenha parado. Isso irá
provocar um orgasmo em ondas poderoso, de corpo inteiro.

Quando for a hora de finalizar a massagem, muito lentamente


remova os dedos, mas continue a massagear a parte externa da yoni e
também o restante do corpo até que as ondas de orgasmos cheguem e se
dissipem. A mulher deve se sentir completamente respeitada e adorada
através da experiência.

Lembre-se, isso é uma massagem, não é direcionada para criar


orgasmos, o orgasmo ocorrerá quando (e se) as sensações permitirem. A
massagem yoni não deve se concentrar em apenas uma área- deve envolver
todas as partes do corpo e penetrar na mente.

O ponto G que está sendo acariciando é conhecido como o ponto da


Deusa e quando estimulada é uma zona intensamente sensível e altamente
erógena, que pode manter ambas as memórias prazerosas e dolorosas. É
uma pequena área localizada na parede interna frontal superior da yoni,
cerca de 1 a 2 polegadas para dentro da abertura e quando excitada se torna
ligeiramente mais suave e mais sensível.

Se a massagem yoni libera a tensão que foi construída, então


claramente o caminho para a penetração se torna menos doloroso e acorda o
ponto G que ajuda a tornar o orgasmo por penetração possível.

Se o orgasmo for alcançado isso pode durar até cerca de uma hora e
tremer e chacoalhar o corpo é normal, pois as energias negativas estão sendo
liberadas do corpo inteiro.

A emergência da massagem yoni é uma das maiores preocupações


universais e é dotada de uma maior consciência de que é necessário acordar
a energia primordial Kundalini. O corpo e o coração são conectados
significando que nós estamos abertos a um nível mais profundo de
autenticidade e que algumas verdades dentro de nossas vidas se tornarão
mais claras, pois veremos as coisas com maior clareza.

A limpeza da alma e cura, e efeitos benéficos da massagem yoni


seguirão desde o começo da massagem até os dias seguintes.

Depois de uma massagem yoni a mulher irá finalmente obter proveito e


reconhecimento de toda sua energia divina feminina, alcançando uma maior
conexão com sua mente, corpo e espírito. Aproveitem!