Você está na página 1de 14

Capitulo 15 – Fluidos

01) Três líquidos imiscíveis são despejados dentro de um recipiente cilíndrico. Os volumes e as massas
específicas dos líquidos são 0,5 l e 2,6 g/cm3; 0,25 l e 1,0 g/cm3; 0,4 l e 0,80 g/cm3. Qual a força
que estes líquidos exercem sobre o fundo do recipiente?

V1  0,5l F  P  mg
1  2, 6 g / cm3 FT  g  m1  m2  m3 
V2  0, 25l
m   .V
 2  1, 0 g / cm 3
FT  g  1V1   2V2  3V3 
V3  0, 4l
3  0,8 g / cm3 FT  9,8  2, 6 x103 x0,5 x103  1, 0 x103 x0, 25 x10 3  0,8 x103 x0, 4 x10 3 
 FT  18, 23N 
 

02) Uma janela de escritório possui dimensões 3,4 m por 2,1 m. Em consequência da passagem de uma
tempestade, a pressão do ar externo cai para 0,96 atm, mas no interior a pressão é mantida a 1,0
atm. Qual a força resultante que empurra a janela para fora?

pext  0,96atm
pint  1, 00atm
2,1 m
F  p. A
FR  FInt  FExt
FR   pInt  pext  . A
3,4 m
FR  1, 00  0,96  x1, 01x105 x  2,1x3, 4 
 FR  28,85 x103 N 

03) Um peixe mantém a sua profundidade em água doce ajustando a quantidade de ar em ossos porosos
ou em bexigas de ar para fazer a sua massa específica média igual à da água. Suponha que com as
suas bexigas de ar murchas, um peixe tem uma massa específica de 1,08 g/cm3. Até que fração do
seu volume de corpo expandido o peixe deve inflar as bexigas de ar para reduzir a sua massa
específica até a da água?

m m
A sua massa específica, sem ar, é:    1, 08  .
V V

Quando inflar as suas bexigas, a massa do peixe permanecerá a mesma. No entanto, seu volume
aumentará para V', e sua masa específica deverá ficar igual à da água, que é = 1,00 g/cm³;

m m
'  '
 1, 00  '
V V

V'
Dividindo as duas equações acima, temos: 1, 08  .
V

A fração do volume do corpo expandido que o peixe deve inflar é (V' - V)/V':
V '  V  1,08V  V  0, 08
 
V' 1, 08V 1, 08
V '  V 
  0, 074 
 V' 

04) Calcule a diferença hidrostática na pressão sanguínea entre o cérebro e os pés em uma pessoa de
1,83 m de altura. A massa específica do sangue é de 1,06x103 kg/m3.

h  1,83m
  1, 06 x103 kg / m3

p  po   gh
p  po   gh
p  1, 06 x103 x9,8 x1,83
 p  19, 0 x103 Pa 

05) Membros da tripulação tentam escapar de um submarino avariado 100 m abaixo da superfície. Que
força deve ser aplicada a uma escotilha, de 1,20 m x 0,60 m, para empurrá-la para força a essa
profundidade? Suponha que a massa específica da água do oceano é de 1025 kg/m3.

p  po   gh
h  100m
  1025kg / m3 FR  FH 2O  FAr   po   gh  . A  po A
FH 2O  p. A
F ? FR   ghA  1025 x9,8 x100 x1, 2 x0, 6
FAr  po A
A  1, 2 x0, 6m 2  FR  723, 24 x103 N 

06) Em uma represa, a água armazenada atrás da face vertical de montante da barragem possui uma
profundidade D, como mostrado na Fig.03. Considere que a largura da represa seja igual a W.
Determine (a) a resultante devido a essa força (e portanto da pressão manométrica) em torno de
uma linha que passa por O paralela à largura da barragem. (b) Determine o braço de alavanca da
força horizontal resultante em torno da linha que passo por O.
a) b)
1
Arepresa  b.h  W . y
 (torque)  r  F    rf sin 
dA  Wdy
d  Fdr  Fdy
fazendo : p  po   gy
D2
F  pA d   gW dy
2
substituindo : D  y
FR D
dF  pdA   dF   pdA y2
d   gW
0 0
D D
dy
2
FR    gyWdy  gW  ydy D 2
y
0 0    gW  dy
2 D 0
2
y
FR   gW 
2 D3 
  
6 
0 gW
 D2  
 R  
2 
F gW

07) Um pistão com uma pequena área de seção transversal a é usado em um prensa hidráulica para
exercer uma pequena força f sobre o líquido confinado. Uma tubulação de ligação conduz a um
pistão maior com área de seção transversal A. (a) Qual a intensidade F da força que o pistão maior
resistirá sem se mover? (b) Se o pistão menor possuir um diâmetro de 3,80 cm e o pistão maior um
diâmetro de 53,0 cm, que intensidade da força sobre o pistão menos equilibrará uma força de 20,0
kN sobre o pistão maior?

a)
F1 F2  A
  F  f 
A1 A2  a
Equilíbrio

2
d
b)  
d2
f  F   2 F  2 F
a 2
d  3,8cm
A D D
D  53cm  
2
F  20 x103 N 2
 3,8 
f ? f   x 20 x10
3

 53 
 f  102,8 N 
08) Um bote flutuando em água doce desloca um peso de água igual a 35,6 kN. (a) Qual seria o peso da
água que este bote deslocaria se ele estivesse flutuando em água salgada com massa específica de
1,10x103 kg/m3? (b) O volume da água deslocada mudaria? Se isso acontecesse, de quanto?

PbD  35, 6kN


 AS  1,10 x103 kg / m3

a) Pelo princípio de Arquimedes o peso da água deslocado deve ser o mesmo nos dois casos.

b)
m m
 AS   AD    VAD  VAS 
VAS VAD
Fempuxo   AS gVAS
35, 6 x103
VAS  3
 3, 63m3 
1,10 x10 x9,8

V  3, 63  3,30
 V  0,33m3 

09) Uma âncora de ferro com massa específica igual a 7870 kg/m3 parece 200 N mais leve na água do
que no ar. (a) Qual o volume desta âncora? (b) Quanto ela pesa no ar?

Fempuxo  200 N a) b)
 Fe  7870kg / m 3 Fempuxo   fluido gVdeslocado P  mg
200 P  V  Fe g
V
1000 x9,8 P  20, 41x103 x7870 x9,8
V  20, 41x103 m3   P  1574 N 

10) Um bloco de madeira flutua em água doce com dois terços do seu volume submerso. Em óleo, o
bloco flutua com 0,90 do seu volume submerso. Encontre a massa específica (a) da madeira e (b) do
óleo.
a)
b)
2 Fempuxo  PM
VAD  V Fempuxo  PM
3
 gVd  mM g  gVd  mM g
Voleo  0,9V
2
M  ?  V  M V oleo 0,9 V   M V
3
oleo  ? 666, 67
2 oleo 
 M  x1000 0,9
3
  M  666, 67 kg / m3    M  740, 74kg / m3 

11) Cerca de um terço do corpo de uma pessoa flutuando no Mar Morto está acima da linha d’água.
Supondo que a massa específica do corpo humano seja de 0,98 g/cm3, determine a massa específica
da água no Mar Morto.

1
Acima : V
3 Fempuxo  PC
2
Vdeslocado  V  gVd  mC g
3
2
 c  0,98 g / cm3  V  C V
3
 ?
3
 x0,98
2
  M  1, 47 g / cm3 

12) Uma casca esférica oca de ferro flutua quase completamente submersa em água. O diâmetro
externo é de 60,0 cm, e a massa específica do ferro é igual a 7,87 g/cm 3. Determine o diâmetro
interno.

Fempuxo  P
D  60cm
4 3
 Fe  7,87 g / cm3  fluidoVdeslocado g  mg   fluido R   FeVFe
3
d ?
4 D 4   D3 d 3 
3

 fluido     Fe   
3 2 3  8 8 
 fluido D 3   Fe  D 3  d 3 
com _ isso :
 Fe   fluido
d  D. 3
 Fe
7,87  1
d  60. 3
7,87
 d  57,34cm
13) Um bloco de madeira possui uma massa de 3,67 kg e uma massa específica de 600 km/m 3. Ele será
carregado com chumbo de tal forma que flutuará na água com 0,90 do seu volume submerso. Qual
a massa de chumbo necessária (a) se o chumbo estiver preso à parte mais alta do bloco de madeira e
(b) se o chumbo estiver preso à parte mais baixa do bloco de madeira? A massa específica do
chumbo é de 1,13x104 kg/m3.

a ) Pb _ não _ desloca _ água  Vdeslocado  0,90Vm


mm  3, 67 kg
Fempuxo  Pm  PPb
 m  600kg / m3
 f Vd g  mm g  mPb g
Vdeslocado  0,90Vm
 f 0,9Vm  mm  mPb
a )cima
mPb  ?  mm
b)abaixo  f 0,9  mm  mPb
m
mm 1000 x0,9 x3, 67
 f 0,9  mm  mPb   3, 67
m 600
 mPb  1,835kg 

b) Pb _ desloca _ água
Fempuxo  Pm  PPb
 f Vd g  mm g  mPb g
 f  0,9Vm  VPb   mm  mPb
 mm mPb 
 f  0,9    mm  mPb
 m  Pb 
 mm   Pb
  f 0,9  mm   mPb
 m   Pb   f
  1,13 x10
4
3, 67
mPb  1000 x0,9 x  3, 67 
  1,13 x10  1000
4
600
 mPb  2, 013kg 
14) Qual a área mínima da superfície superior de uma placa de gelo com 0,30 m de espessura flutuando
sobre água doce que suportará um automóvel de massa igual a 1100 kg?

mc  1100kg Fempuxo  P
e  0,3m  f gVd   mc  mg  g
A?  f . A.e  mc  mg
mc  mg mc   g . A.e
A 
 f .e  f .e
1
m  g  1
1100  917 
A  c 1     1  
 f .e   f  1000 x0,3  1000 
 A  44,18m 2 
15) Três crianças, cada uma pesando 356 N, fazem uma jangada amarrando toras de madeira com 0,30
m de diâmetro e 1,80 m de comprimento. Quantas toras serão necessárias para mantê-las à tona em
água doce? Considere a massa específica das toras como sendo 800 kg/m3.

l  1,8m Fempuxo  Pcrianças  PM


d  0,3m  f gVd   mc  mM  g
Pc  356 N  f gVd   mc  mM  g
N toras  ?
 
Vd  N x d2  x l
Total / crianças  4  tamanho / toras
 2   
 f gN d  l  Pc   M Ng  d 2  l
4  4 
4 Pc 4 x3 x356
N 
g d l   f   m  9,8 x3,14 x0,3 x1,8 1000  800 
2 2

N  4,33
 N  5 _ toras 

16) Uma mangueira de jardim com um diâmetro interno de 1,9 cm está ligada a um irrigador de
gramado (parado) que consiste simplesmente em uma carcaça com 24 furos, cada um com 0,13 cm
de diâmetro. Se a água na mangueira possuir uma velocidade de 0,91 m/s, a que velocidade ela sairá
dos furos do irrigador?

(1) Equação / continuidade


d m  1,9 cm
vm  0,9 m / s A1v1  A2 v2
 2 
d1 v1  24 x d 22 v2
(2) 4 furos 4
di  0,13 cm  2 
d m vm  24 x d i2 vi
vi  ? 4 furos 4
2
v d 2 0,9  1,9 
vi  m m2 
24 d i 24  0,13 
 vi  8, 01m / s 
17) Um tanque de área grande é cheio com água até a profundidade D = 0,30 m. Um furo com área da
seção transversal A = 6,5 cm2 no fundo do tanque permite que a água seja drenada para fora. (a)
Qual a vazão de saída da água, em metros cúbicos por segundo? (b) A que distância abaixo do
fundo do tanque a área da seção transversal da corrente de água é igual à metade da área do furo?

D  0,3m a) b)
A  6,5cm 2
R  Av A1v1  A2 v2
A mas : A1 Av Av1
a v2  v1  1   2v1
2 v 2  vo2  2 gh A2 a A
R? 2
v  2 gD
h? v2  2 2 gD  2 x 2 x9,8 x0,3
então
v2  4,85m / s
R  A 2 gD  6,5 x104 x 2 x9,8 x0,3
 R  1,58 x103 m3 / s 
v22  v12  2 gh
v22  v12 4,852  2, 422
h
2g 2 x9,8
 h  0,9m

18) O ar escoa sobre a parte do alto de uma asa de um avião de área A com velocidade Va e pelo lado de
baixo da asa (também de área A) com uma velocidade Vb. Mostre que nesta situação simplificada a
equação de Bernoulli prevê que a intensidade L da força de sustentação dirigida para cima sobre a
asa será L   A  va2  vb2  .
1
2

Fsustentação  L   pb  pa  A
onde :
1 2 1
pa   gya   va  pb   gyb   vb2
2 2
como :
 gya   gyb
temos :
1 2 1
pa   va  pb   vb2
2 2
1 1
pb  pa   va2   vb2
2 2
pb  pa    va2  vb2 
1
2
então :
 2 
 L  2  A  va  vb   c.q.d .
1 2

19) Na figura abaixo, água escoa através de uma tubulação horizontal e depois sai para a
atmosfera com uma velocidade de 15 m/s. Os diâmetros das seções esquerda e direita da
tubulação são de 0,50 cm e 3,0 cm, respectivamente. (a) Que volume de água escoa para a
atmosfera durante um período de 10 mim? Na seção do lado esquerda da tubulação, (b) qual
a velocidade V2 e (b) qual a pressão manométrica?

d 2  5cm
d1  3cm
v1  15m / s
t  10 min
V ?
v2  ?
p?

a)
R  A.v b)
V A1.v1  A2 .v2
 A.v  V  A.v.t 2
d 
2
t A 3
v2  1 v1   1  v1    x15
3,14 x  3 x10 2 
2
 d12 A2  d2  5
V .v1.t  x15 x600
4 4  v2  5, 4m / s 
V  6, 4m3 

c)
1 1
p1   v12   gh1  p2   v22   gh2
2 2
 h1  h2 
1 1
p1   v12  p2   v22
2 2
1 1
p1   v12   v22  p2
2 2
p2  p1    v12  v22 
1
2
p2  1, 01x105  x1, 0 x103 152  5, 4 2 
1
2
 p2  1,99 x10 Pa  1,97 atm 
5
20) Um tanque está cheio de água até uma altura H. Faz-se um furo em uma das paredes a uma
profundidade h abaixo da superfície da água (Fig.06). (a) Mostre que a distância x da base do
tanque até o ponto no qual a corrente resultante atinge o chão é dada por x  2 h  H  h  . (b) Seria
possível fazer um furo em outra profundidade para produzir uma Segunda corrente que tivesse o
mesmo alcance? Se possível, em qual profundidade? (c) A que profundidade deveria ser colocado o
furo para fazer com que a corrente de saída atingisse o chão a uma distância máxima da base do
tanque?

a) ainda :
Eq.Bernoulli 1
y  yo  voy t  at 2
1 2 1 2
p1   gy1   v1  p2   gy2   v22
2 2 1
0  yo  0.t  gt 2
1 1 2
po   gy1   v12  po   gy2   v22
1
2 2   H  h    gt 2
  1 2
 g  y1  y2    v22 2  H  h
  2 t
 h 
g
1
 gh   v22  v2  2 gh por tan to
2
mas 2  H  h
x x 2 gh
x  xo  vxt g
x  v2t 4 gh  H  h 
x
então g
x  t 2 gh  x  2 h  H  h   c.q.d .
 
b)
Sim.
h '  nova _ profundidade.
x 2  H  h  h  2  H  h h
' '

 H  h  h   H  h h
' '

h  Hh   Hh  h   0
'2 ' 2

soluções :
h1'  h
h2'  H  h
log o :
 h '  H  h 

21) Na figura abaixo, um objeto cúbico com a dimensão L = 0,600 m de lado e com uma massa de 450
kg está pendurado por uma corda em um tanque aberto com líquido de massa específica igual a
1030 kg/m3. (a) Determine a intensidade da força total para baixo que o líquido e a atmosfera
exercem sobre a parte de cima do objeto, supondo que a pressão atmosférica seja de 1,00 atm. (b)
Determine a intensidade da força total para cima sobre o fundo do objeto. (c) Determine a tração na
corda. (d) Calcule a intensidade da força de empuxo sobre o objeto usando o princípio de
Arquimedes. Qual a relação existente entre todas estas grandezas?

L  0, 6m
M  450kg
  1030kg / m3

a) b)
 L   L 
F1  p1 A   po   g  L2 F2  p2 A   po   g  L    L2
 2   2 
 0, 6    0, 6  
F1  1, 01x105  1030 x9,8 x  x0, 6
2
F2  1, 01x105  1030 x9,8 x  0, 6    x0, 6
2

 2    2 
 F1  37, 45 x103 N   F2  39, 63x103 N 
c) d)
T  F2  F1  P  T  F1  P  F2
Fempuxo   gVdeslocado  1030 x9,8 x0, 63
T  37, 45 x10  450 x9,8  39, 63x10
3 3

 Fempuxo  2,18 x103 N 


T  2, 23x10 N 
3

22) A água doce atrás da barragem de um reservatório possui uma profundidade de 15 m. uma
tubulação horizontal com 4,0 cm de diâmetro atravessa a parede da represa 6,0 m abaixo da
superfície da água, como indicado na Fig.09. Um plugue impede a abertura da tubulação. (a)
Determine a intensidade da força de atrito entre o plugue e a parede da tubulação. (b) O plugue é
removido. Que volume de água escoa para fora da tubulação em 3,0 h?

a) b)
F  f atrito v  2 gh
pA  f atrito d2
V  A.v.t  . 2 gh .t
f atrito    gh  A 4
 x  4 x102 
2
d2
f atrito    gh 
4
V
4
x  
2 x9,8 x 6 x  3 x60 x60 

 x  4 x102 
2
V  46,52m3 
f atrito  1000 x9,8 x 6  x
4
 f atrito  73,85 N 
23) Um medidor Venturi é usado para medir a velocidade de escoamento de um fluido em uma
tubulação. O medidor está ligado entre duas seções da tubulação (Fig.10); a área da seção
transversal A da entrada e da saída do medidor coincide com a área da seção transversal da
tubulação. Entre a entrada e a saída, o fluido escoa vindo da tubulação com velocidade V e
depois atravessa uma “garganta” estreita com área da seção transversal a com velocidade v.
um manômetro liga a porção mais larga do medidor com a porção mais estreita. A variação
na velocidade do fluido é acompanhada por uma variação ∆p na pressão do fluido, que
provoca uma diferença de altura h do líquido nos dois ramos do manômetro. (a) Aplicando a
equação de Bernoulli e a equação da continuidade aos pontos 1 e 2 da figura abaixo, mostre
que
2A2 p
v .
 
 A2  a 2
Onde  é a massa específica do fluido. (b) Suponha que o fluido é água doce, que as áreas
das seções transversais são iguais a 64 cm2 na tubulação e a 32 cm2 na garganta, e que a
pressão é de 55 kPa na tubulação e 41 kPa na garganta. Qual a razão de água em metros
cúbicos por segundo?

A equação da continuidade nos dá AV = av, e a equação de Bernoulli p  12  v  12 V , onde p = p1 – p2.


2 2

Da primeira equação temos: V = (a/A)v. Substituindo na segunda temos p  12  v  12   a A  v . Com isso


2 2 2

chegamos a:

2p
v

 (a / A) 2  1 
 2 A2 p 
v  c.q.d .

 
 A2  a 2 
 
(b) Substituindo os valores, temos:
2(64  104 m 2 )2 (55  103 Pa  41  103 Pa)
v
(1000 kg / m3 )  (64  104 m 2 ) 2  (32  104 m 2 ) 2 

v  6, 05 m/s

O fluxo é dado por

Av  (64  104 m 2 ) (6, 05m/s)  3,9  102 m3 / s  .