Você está na página 1de 55

Óptica: Conceito e denição

ÓPTICA

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA


Educandário Sagrada Família
Ensinando a aprender
Física

03 de Maio de 2019

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Sumário

1 Óptica: Conceito e denição

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Óptica: Conceito e denição

Óptica

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Óptica: Conceito e denição

Óptica

Por que conseguimos enxergar? Como as cores se formam? Por que nossa
imagem é reetida no espelho?

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Óptica: Conceito e denição

Óptica

Por que conseguimos enxergar? Como as cores se formam? Por que nossa
imagem é reetida no espelho?
De modo geral a Óptica se preocupa em estudar as propriedades da luz, como
ela produzida, propagada, detectada e medida.

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Óptica: Conceito e denição

Óptica

Por que conseguimos enxergar? Como as cores se formam? Por que nossa
imagem é reetida no espelho?
De modo geral a Óptica se preocupa em estudar as propriedades da luz, como
ela produzida, propagada, detectada e medida.
Óptica geométrica e Óptica Física.

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Óptica: Conceito e denição

Óptica

Por que conseguimos enxergar? Como as cores se formam? Por que nossa
imagem é reetida no espelho?
De modo geral a Óptica se preocupa em estudar as propriedades da luz, como
ela produzida, propagada, detectada e medida.
Óptica geométrica e Óptica Física.
A Óptica geométrica se preocupa apenas com os fenômenos luminosos sem se
preocupar com a natureza da luz, ou seja, de onde ela se provém. Estuda
aspectos relacionados a lentes, projetores, prismas, lunetas e espelhos.

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Óptica: Conceito e denição

Óptica

Por que conseguimos enxergar? Como as cores se formam? Por que nossa
imagem é reetida no espelho?
De modo geral a Óptica se preocupa em estudar as propriedades da luz, como
ela produzida, propagada, detectada e medida.
Óptica geométrica e Óptica Física.
A Óptica geométrica se preocupa apenas com os fenômenos luminosos sem se
preocupar com a natureza da luz, ou seja, de onde ela se provém. Estuda
aspectos relacionados a lentes, projetores, prismas, lunetas e espelhos.
Já a Óptica física estuda os fenômenos luminosos que dependem da natureza da
luz. tais como: polarização, a difração, a interferência, os espectros, etc.
ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA
Óptica: Conceito e denição

Luz

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Luz

O que é Luz?

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Luz

O que é Luz?
Luz é o agente físico responsável pelas sensações visuais.
Classicação

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Luz

O que é Luz?
Luz é o agente físico responsável pelas sensações visuais.
Classicação

A rigor, todos os corpos visíveis são fontes de luz e podem ser classicados
como fontes de luz próprias ou secundária.

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Luz

O que é Luz?
Luz é o agente físico responsável pelas sensações visuais.
Classicação

A rigor, todos os corpos visíveis são fontes de luz e podem ser classicados
como fontes de luz próprias ou secundária.
Qual a diferença entre fonte de luz própria para a secundária?

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Luz

O que é Luz?
Luz é o agente físico responsável pelas sensações visuais.
Classicação

A rigor, todos os corpos visíveis são fontes de luz e podem ser classicados
como fontes de luz próprias ou secundária.
Qual a diferença entre fonte de luz própria para a secundária?
Exemplos: A chama de uma vela, o sol, as estrelas;

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Luz

O que é Luz?
Luz é o agente físico responsável pelas sensações visuais.
Classicação

A rigor, todos os corpos visíveis são fontes de luz e podem ser classicados
como fontes de luz próprias ou secundária.
Qual a diferença entre fonte de luz própria para a secundária?
Exemplos: A chama de uma vela, o sol, as estrelas; A lua.

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Luz

O que é Luz?
Luz é o agente físico responsável pelas sensações visuais.
Classicação

A rigor, todos os corpos visíveis são fontes de luz e podem ser classicados
como fontes de luz próprias ou secundária.
Qual a diferença entre fonte de luz própria para a secundária?
Exemplos: A chama de uma vela, o sol, as estrelas; A lua.
As fontes primárias subdividem em:

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Luz

O que é Luz?
Luz é o agente físico responsável pelas sensações visuais.
Classicação

A rigor, todos os corpos visíveis são fontes de luz e podem ser classicados
como fontes de luz próprias ou secundária.
Qual a diferença entre fonte de luz própria para a secundária?
Exemplos: A chama de uma vela, o sol, as estrelas; A lua.
As fontes primárias subdividem em: Incandescentes (sol);

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Luz

O que é Luz?
Luz é o agente físico responsável pelas sensações visuais.
Classicação

A rigor, todos os corpos visíveis são fontes de luz e podem ser classicados
como fontes de luz próprias ou secundária.
Qual a diferença entre fonte de luz própria para a secundária?
Exemplos: A chama de uma vela, o sol, as estrelas; A lua.
As fontes primárias subdividem em: Incandescentes (sol);Luminescentes
(Fluorescentes)

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Luz

O que é Luz?
Luz é o agente físico responsável pelas sensações visuais.
Classicação

A rigor, todos os corpos visíveis são fontes de luz e podem ser classicados
como fontes de luz próprias ou secundária.
Qual a diferença entre fonte de luz própria para a secundária?
Exemplos: A chama de uma vela, o sol, as estrelas; A lua.
As fontes primárias subdividem em: Incandescentes (sol);Luminescentes
(Fluorescentes)
Com relação a fonte de luz secundária, os corpos ainda podem receber outra
classicação:

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Luz

O que é Luz?
Luz é o agente físico responsável pelas sensações visuais.
Classicação

A rigor, todos os corpos visíveis são fontes de luz e podem ser classicados
como fontes de luz próprias ou secundária.
Qual a diferença entre fonte de luz própria para a secundária?
Exemplos: A chama de uma vela, o sol, as estrelas; A lua.
As fontes primárias subdividem em: Incandescentes (sol);Luminescentes
(Fluorescentes)
Com relação a fonte de luz secundária, os corpos ainda podem receber outra
classicação:
Corpos Transparentes;
ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA
Óptica: Conceito e denição

Luz

O que é Luz?
Luz é o agente físico responsável pelas sensações visuais.
Classicação

A rigor, todos os corpos visíveis são fontes de luz e podem ser classicados
como fontes de luz próprias ou secundária.
Qual a diferença entre fonte de luz própria para a secundária?
Exemplos: A chama de uma vela, o sol, as estrelas; A lua.
As fontes primárias subdividem em: Incandescentes (sol);Luminescentes
(Fluorescentes)
Com relação a fonte de luz secundária, os corpos ainda podem receber outra
classicação:
Corpos Transparentes; Corpos Opacos;
ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA
Óptica: Conceito e denição

Luz

O que é Luz?
Luz é o agente físico responsável pelas sensações visuais.
Classicação

A rigor, todos os corpos visíveis são fontes de luz e podem ser classicados
como fontes de luz próprias ou secundária.
Qual a diferença entre fonte de luz própria para a secundária?
Exemplos: A chama de uma vela, o sol, as estrelas; A lua.
As fontes primárias subdividem em: Incandescentes (sol);Luminescentes
(Fluorescentes)
Com relação a fonte de luz secundária, os corpos ainda podem receber outra
classicação:
Corpos Transparentes; Corpos Opacos; Corpos Translúcidos.
ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA
Óptica: Conceito e denição

A velocidade da luz

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

A velocidade da luz

Viajar na velocidade da luz é algo extraordinário, imagine você conseguir se


deslocar a uma velocidade aproximadamente 300.000km/s. Logicamente a luz
admite algumas aproximações distintas, por exemplo:
Vvácuo = 299.793 Aproximadamente 3 · 105 km/s
VAr = 299.700 km/s

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Princípio da propagação da luz

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Princípio da propagação da luz

PRIMEIRO PRINCÍPIO: propagação retilínea da luz

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Princípio da propagação da luz

PRIMEIRO PRINCÍPIO: propagação retilínea da luz


Em meios transparentes e homogêneos, a luz se propaga em linha reta.

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Princípio da propagação da luz

PRIMEIRO PRINCÍPIO: propagação retilínea da luz


Em meios transparentes e homogêneos, a luz se propaga em linha reta.
SEGUNDO PRINCÍPIO: independência dos raios de luz

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Princípio da propagação da luz

PRIMEIRO PRINCÍPIO: propagação retilínea da luz


Em meios transparentes e homogêneos, a luz se propaga em linha reta.
SEGUNDO PRINCÍPIO: independência dos raios de luz
Se dois ou mais raios luminosos, vindo de fontes diferentes, se cruzam, eles
seguem suas trajetórias de forma independente, como se os outros não existissem.

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Princípio da propagação da luz

PRIMEIRO PRINCÍPIO: propagação retilínea da luz


Em meios transparentes e homogêneos, a luz se propaga em linha reta.
SEGUNDO PRINCÍPIO: independência dos raios de luz
Se dois ou mais raios luminosos, vindo de fontes diferentes, se cruzam, eles
seguem suas trajetórias de forma independente, como se os outros não existissem.
SEGUNDO PRINCÍPIO: reversibilidade dos raios luminosos
Se um raio luminoso se propaga em uma direção e em sentido arbitrários, outro
poderá propagar-se na mesma direção e em sentido contrário.

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Princípio da propagação da luz

PRIMEIRO PRINCÍPIO: propagação retilínea da luz


Em meios transparentes e homogêneos, a luz se propaga em linha reta.
SEGUNDO PRINCÍPIO: independência dos raios de luz
Se dois ou mais raios luminosos, vindo de fontes diferentes, se cruzam, eles
seguem suas trajetórias de forma independente, como se os outros não existissem.
SEGUNDO PRINCÍPIO: reversibilidade dos raios luminosos
Se um raio luminoso se propaga em uma direção e em sentido arbitrários, outro
poderá propagar-se na mesma direção e em sentido contrário.
EX:. É o que acontece quando olhamos pelo espelho de um retrovisor
e percebemos que alguém nos observa através dele.

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Câmara escura de orifício

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Câmara escura de orifício

Evidência o princípio da propagação retilínea da luz e constitui a base de funci-


onamento das máquinas fotográcas.

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Sombra e penumbra

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Sombra e penumbra

São fenômenos que ocorrem devido propagação retilínea da luz;

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Sombra e penumbra

São fenômenos que ocorrem devido propagação retilínea da luz;


Quando uma fonte de luz (F) é interceptada por um corpo opaco (C) temos a
formação de sombra e/ou penumbra.

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Sombra e penumbra

São fenômenos que ocorrem devido propagação retilínea da luz;


Quando uma fonte de luz (F) é interceptada por um corpo opaco (C) temos a
formação de sombra e/ou penumbra.
Sombra: região que não recebe luz de (F).
Penumbra: região que recebe parte dessa luz.

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Reexão
A reexão luminosa é o fenômeno no qual um raio luminoso, após incidir sobre uma
superfície polida (lisa), retorna ao meio de origem. A rigor, classicam-se em:
reexão especular e reexão difusa.

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Reexão
A reexão luminosa é o fenômeno no qual um raio luminoso, após incidir sobre uma
superfície polida (lisa), retorna ao meio de origem. A rigor, classicam-se em:
reexão especular e reexão difusa.

Reexão especular:Um fato experimental importante é que a luz, num meio


homogêneo, propaga-se em linha reta. De modo geral, quando um feixe de raios
paralelos incide sobre uma superfície polida (como um espelho) e volta ao meio
inicial, mantendo o paralelismo entre os raios reetidos, dizemos que ocorreu
uma reexão especular.

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Reexão
A reexão luminosa é o fenômeno no qual um raio luminoso, após incidir sobre uma
superfície polida (lisa), retorna ao meio de origem. A rigor, classicam-se em:
reexão especular e reexão difusa.

Reexão especular:Um fato experimental importante é que a luz, num meio


homogêneo, propaga-se em linha reta. De modo geral, quando um feixe de raios
paralelos incide sobre uma superfície polida (como um espelho) e volta ao meio
inicial, mantendo o paralelismo entre os raios reetidos, dizemos que ocorreu
uma reexão especular.

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Difusão da luz

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Difusão da luz

Ocorre quando um feixe de raios paralelos incide sobre uma superfície qualquer
irregular (corpos rugoso), isto é, cheia de saliência (não polida), como uma
parede pintada ou uma página de um livro e os raios luminosos retornam ao
meio de origem espalhados em todas as direções. Esse fenômeno é denominado
reexão irregular, ou reexão difusa, ou ainda, simplesmente, difusão.
ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA
Óptica: Conceito e denição

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Leis da reexão

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Leis da reexão

1 lei: O raio incidente, o raio reetido e a normal são complanares, isto é,


encontram-se no mesmo plano.

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Leis da reexão

1 lei: O raio incidente, o raio reetido e a normal são complanares, isto é,


encontram-se no mesmo plano.
2 Lei: O ângulo de incidência é igual ao ângulo reetido.

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Refração da luz

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Refração da luz

Imagine uma parcela de luz que atingiu dois meios homogêneos e transparentes,
como o ar e a água, sofre reexão, porém outra parcela é absorvida pelo meio; o
restante muda seu meio de propagação e é chamado de luz refratada. Tal porção
de luz muda sua velocidade de propagação em função do novo meio e pode ter
sua direção alterada.

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Atividade

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Atividade

O que é uma fonte de luz secundária? Dê um exemplo.


Quais são os tipos de corpos que a luz pode atravessar?
Sabendo que a luz do Sol demora, em média, 8 min para atingir a Terra, qual é
a distância do Sol até aqui? dado: Vluz = 3 · 108 m/s.
Um raio de luz incide sobre uma superfície espelhada horizontal, fazendo, com a
normal, um ângulo de 35 graus. Qual será o ângulo que o raio reetido formará
com a normal?
Cite alguns fenômenos que podem ocorrer devido à incidência de luz em uma
superfície?
Qual é aproximadamente a velocidade da luz em km/h?

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

(UFES) Uma nave especial, à distância de 1404·106 km da Terra, envia fotos do


planeta Saturno por sinais que se propagam com a velocidade da luz no vácuo.
O tempo, em horas, que o sinal gasta para atingir a Terra é de
(FUVEST)- Admita que o Sol subitamente morresse, ou seja, sua luz deixassse
de ser emitida. Vinte e quatro horas após esse evento, um eventual sobrevivente,
olhando para o céu, sem nuvens, veria:
a) a Lua e estrelas;
b) somente a Lua;
c) somente estrelas;
d) uma completa escuridão;
e) somente o planeta do sistema solar.
(UFES) O fenômeno físico que caracteriza uma onda é:
a) o transporte de energia
b) o transporte de matéria
c) o transporte de energia e matéria.
d) o transporte de intervalo de tempo.
e) o transporte de fonte de luz.
ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA
Óptica: Conceito e denição

Uma onda tem frequência de 10 Hz e se propaga com velocidade de 400 m/s.


Então, seu comprimento de onda vale, em metros:
a) 0,04
b) 0,4
c) 4
d) 40
e) 400
(UFRGS) A velocidade de propagação das ondas eletromagnéticas no ar é
de aproximadamente 3 · 108 m/s. Uma emissora de rádio que transmite sinais
(ondas eletromagnéticas) com frequência de 9, 7 · 106 m/s pode ser sintonizada
em ondas curtas na faixa (comprimento de onda) de aproximadamente:
a) 19 m
b) 25 m
c) 31 m
d) 49 m
e) 60 m.
ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA
Óptica: Conceito e denição

Uma câmera escura de profundidade p0 = 15 cm produz, de um objeto colocado


a 10 cm, uma imagem i. A que distância do objeto deve ser colocada uma outra
câmara, de profundidade p0 = 30 cm, para que ela produza, do mesmo objeto,
uma imagem do mesmo tamanho?
Uma câmera escura de orifício de 30 cm de profundidade produz. de um poste
distante 30 m, uma imagem de 6 cm de altura. Qual a altura do poste?
Um quadro coberto com uma placa de vidro plano, não pode ser visto tão
nitidamente quanto outro não coberto, porque o vidro:
a) é opaco;
b) é transparente;
c) não reete a luz;
d) reete parte da luz;

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

Um observador A, olhando num espelho, vê um outro observador B. Se B olhar


no mesmo espelho, ele verá o observador A. Esse fato é explicado pelo:
a) princípio da propagação retilínea da luz;
b) princípio da independência dos raios luminosos;
c) princípio da reversibilidade dos raios luminosos;
d) princípio da propagação curvilínea da luz;
Uma lâmpada apagada não pode ser vista no escuro porque:
a) ela não é fonte de luz primária mesmo quando acesa;
b) ela é uma fonte secundária de luz;
c) ela é uma fonte primária de luz;
d) o meio não é transparente;

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA


Óptica: Conceito e denição

OBRIGADO!!!

ANTONIEL LIMA DE OLIVEIRA ÓPTICA