Você está na página 1de 10

HIDROLOGIA PROVA 1 - REVISÃO

POLÍGONO DE THIESSEN:

- Primeiramente devemos traçar linhas que unem os pontos pluviométricos mais próximos,
conforme mostra a figura 4.

- Em seguida deve-se determinar o ponto médio em cada uma das linhas que foram traçadas, e
a partir disso, traçar uma linha perpendicular, como mostra a figura 5.

- Através da intercepção das linhas médias que foram traçadas entre si, mais o limite da bacia,
temos a área de influência de cada um dos postos conforme mostra a figura 6.
Segundo Teixeira (2010), temos que:

• A área sobre a influência do posto com 120 mm é de 15 km²;


• A área sobre a influência do posto com 70 mm é de 40 km²;
• A área sobre a influência do posto com 50 mm é de 30 km²;
• A área sobre a influência do posto com 75 mm é de 5 km²;
• A área sobre a influência do posto com 82 mm é de 10 km².

Logo, a precipitação média da bacia será dada por:

Equação – Precipitação média:

Onde:
At: área de influência do posto i;
Pt: precipitação registrada no posto i;
A: área total da bacia.

Deste modo temos que:

CHUVAS

DISTRIBUIÇÃO DE GUMBEL: para eventos extremos - máximos e mínimos.

DISTRIBUIÇÃO NORMAL: chuvas anuais.


DISTRIBUIÇÃO NORMAL:

* Olhar os vídeos da Khan Academy sobre o uso da distribuição normal e tabela Z.

- Achar a média e o desvio padrão (se não for dado na questão).

- Se o exercício der a precipitação e pedir a probabilidade e tempo de retorno (TR)

- Achar o Z =

- Olhar na Tabela Z o valor de F(z) correspondente.

- Multiplicar por 100% para ter a probabilidade, e para achar o TR, apenas inverter (TR
= 1/P)

Se o exercício der o TR, e pedir a precipitação, só fazer o inverso:

- Achar a probabilidade (P = 1/TR), então este valor será o F(z) se for não excedência, e
F(z) = 1-P se for de excedência.

- Olhar o valor de Z correspondente na tabela para f(z) achado

- Substituir na fórmula do Z para achar o X (precipitação)

Exemplo: As chuvas anuais no posto pluviométrico localizado em Lamounier, em Minas Gerais


(Código 02045005) seguem, aproximadamente, uma distribuição normal, com média igual a
1433 mm e desvio padrão igual a 299 mm. Qual é a probabilidade de ocorrer um ano com
chuva total superior a 2000 mm?

De acordo com a Tabela Z, obtemos z = 1,90, que resulta em f(z) = 0,9713. Como o
exercício trata de excedência, devemos fazer 1 - f(z), que é igual a 1 - 0,9713 = 0,0287.

Portanto, a probabilidade de ocorrer um ano com chuva total superior a 2000 mm é


de, aproximadamente, 2,87% (0,0287*100). O tempo de retorno correspondente é de pouco
menos de 35 anos (TR = 1/0,0287). Isto significa que, em média, um ano a cada 35 apresenta
chuva total superior a 2000 mm neste local.

Exemplo 2: O quadro abaixo apresenta os totais anuais precipitados em Curitiba no período de


1949-1963. a) Qual a estimativa da probabilidade e do tempo de recorrência de se ter uma
precipitação total inferior a 1000 mm em um ano qualquer? b) Determinar a precipitação que
ocorrerá pelo menos uma vez a cada 100 anos.
- Calcular a média e desvio padrão:

- Média = µ = 1442 mm Desvio padrão = σ = 272 mm

- Calcular Z:

Para x = 1000 mm--> z = -1,63. Se olharmos a tabela Z dada, não temos -1,63. Porém, A
distribuição normal é simétrica. A probabilidade de ocorrer um valor superior a z é igual à
probabilidade de ocorrer um valor inferior a –z, então deste modo olhando z = +1,63, obtemos
f(z) = 0,9484. Fazendo 1-f(z), 1-0,9484 = 0,0526, obtemos a probabilidade de uma chuva menor
ou igual a 1000mm, que é igual a 5,26%.

TR para P < 1000mm, TR = 1/Probabilidade

TR = 1/0,0526 = aproximadamente 19 anos.

b) Precipitação que ocorrerá PELO MENOS uma vez a cada 100 anos ==> EXCEDÊNCIA.

Probabilidade = 1/TR

= 1/100 = 0,01. Como se trata de excedência, F(z) = 1 - 0,01

F(z) = 0,99

o Z de f(z) = 0,99 é igual a 2,33.

Jogando na fórmula: Z = (X - 1442) / 272

2,33 = (X - 1442) / 272

X = 2076mm
GUMBEL

- Achar a média e o desvio padrão (se não for dado na questão).

- Se não der o número de anos com dados, ou somente mencionar que a estação possui
muitos anos de dados, não será preciso achar o Sn e o Zn.

- Se for dado, achar o Sn e o Zn na tabela.

- Se o exercício pedir a chuva máxima, dando o TR:

- Calcular

- Calcular

- Se o exercício pedir o TR, dando a chuva máxima (ytr):

- Fazer o inverso : substituir o valor da chuva no ytr e isolar o Ztr

- Calcular o TR através da fórmula:

Exemplo1: Usando os dados de N=58 anos de precipitações máximas de Guarulhos, achar a


precipitação máxima par Tr=100anos. Média da amostra: Xm= 75,08mm, Desvio padrão da
amostra: σ= 23,29mm.

- Obtemos Zn e Sn na tabela
- Zn = 0,5515 e Sn = 1,1721
- Calcular ztr = 4,6
- Calcular ytr = 155,53mm = 155,5mm

b) Achar o TR para uma chuva de 120mm

- Fazer o inverso: temos ytr = 120mm


120mm = 75,1 + (23,3/1,1721)*(ztr - 0,5515)
Ztr = 2,81

- Usar a fórmula = 17,1 anos

BALANÇO HÍDRICO
- Apenas cuidar com as unidades.

- Fórmula: P = E + Q

A vazão (Q) deve estar em vazão específica (vazão por unidade de área = (m³/s.m²) )
Exemplo: Uma bacia tem 9000km², em que choveu 1600mm no ano, possui uma vazão média
de 250m³/s. Qual a evapotranspiração média anual ?

- Observar atentamente. A vazão média é dada, porém precisamos da vazão


específica. Para isso dividimos a vazão pela área da bacia. Posteriormente, temos de ajustar as
unidades. Calcular também o coeficiente de escoamento e explicar o que isto significa.

1km² = 10^6 m²

250 m³/s * (1/9000km²) * (1km²/10^6 m²) = 2,778*10^-8 m/s

A precipitação está em mm/ano, então para achar a evapotranspiração em mm/ano,


precisamos converter novamente de m/s para mm/ano

1m = 1000m
1dia = 84600s
1 ano = 365 dias
2,778*10^8 * m/s * (1000mm/1m) * (86400*365s / 1ano) = 876mm/ano
Agora está tudo na mesma unidade. Só fazer as contas
1600mm/ano = E + 876mm/ano
E = 724mm
Para calcular o coeficiente de escoamento, basta dividir a vazão específica pela
precipitação.
C = Q/P = 876 / 1600 = 0,5475

Isto significa dizer que 54,75% da precipitação que ocorre na bacia, gera escoamento
superficial.

THORTHWAITE

- Primeiro calcular o I

- Calcular o a

- Calcular a ETP do mês desejado. O fc é obtido da tabela 3A, que dependa da latitude,
dada na questão.
Calculando o somatório do I, temos I = 124,37

Depois, calculamos o a, que é = 2,83

Depois, calculamos a ETP de cada mes. Como no exercicio diz que a latitude é 20S,
vamos na tabela e observamos o Fc para 20S de cada mês.

Por exemplo, para janeiro, na tabala o Fc é 1.14 e a temperatura foi 26,9.

Então ETP jan20ºS = = 161,3 mm

JAN FEB MAR APR MAY JUN JUL AUG SEP OCT NOV DEC
161,3333 129,3333 124 94,66667 62,66667 24 25,33333 66,66667 110,6667 144 157,3333 174,6667

CHUVAS INTENSAS com IDF

- Será dado a fórmula da intensidade na cidade para qual se está trabalhando.

Exemplo: calcule a intensidade de chuva para diferentes tempos de recorrencia e diferentes


durações para a cidade de Curitiba, para tempos de recorrência: 2,10,25 e 50 anos, para as
diferentes durações de 5,30,60 e 120min.

Formula IDF Curitiba:


- Montar uma tabelinha e calcular para cada Tr e cada Tc. Lembrando que o Tr é em
anos e o Tc em minutos. O resultado é em mm/h. Segue os resultados:

Tc
Tr 5min 30min 60min 120min
2anos 133,3 67,5 41,2 22,4
10anos 189,0 95,7 58,5 31,8
25anos 230,6 116,8 71,3 38,8
50anos 268,0 135,8 82,9 45,1

- Cálculo de I para Tr = 2 anos e Tc = 5min

I = 5950 * 2 ^ (0,217) / [ ( 5 + 26 ) ^ 1,15 ]


I = 133,3 mm/h

CHUVAS INTENSAS SEM IDF

- Se não der a chuva máxima de 1 dia, calcular através da fórmula Ytr.


- Depois converter chuva de 1dia para 24h (usando o fator de conversão da tabela,
pode ser usado 1.1 ou 1.14)
- Depois, dividir o tempo de concentração dado entre 5 e 8 intervalos iguais (sempre
pegando intervalos múltiplos de 5, por causa dos fatores de conversão da tabela).
- Com cada intervalo, achar a precipitação correspondente, usando os fatores de
conversão da tabela. Os que não tiverem, achar por interpolação.
- Arrumar depois nas colunas: Pacumulada, Intensidade, Pdesacumulada [Pn - P(n-1)],
ordem rearranjada e P rearranjada.
- Se a interpolação ficou boa, P acumulada estará crescente e Pdesacumulada
decrescente. Após isso, fazer uma nova coluna para P rearranjada, que deverá rearranjar a
ordem de Pdesacumulada, de modo que a maior fique no meio, e as menores na lateral.

Exemplo: montar o hidrograma para uma uma chuva máxima de 1 dia de 122,26mm para um
tempo de concentração de 90min.

- Achar a chuva de 24h, multiplicando por 1.1 ou 1.14 do fator de conversão da tabela.
122,3 x 1,14 = 139,4mm
- Dividir os intervalos de Tc = 90min. Se usar 5, 90/5 = 18min. Usar 15min (múltiplo de
5 anterior), ou se dividir por 6, já dará 15 direto, 90/6 = 15min.
- Teremos tempos de 15,30,45,60,75 e 90min.
- Para 15, 30 e 60 temos os fatores de conversão:

24h para 60min = 0,42 * 139,4mm = 58,5mm


60min para 30min = 0,74 * 58,5mm = 43,3 mm
60min para 15min = 0,52 * 58,5mm = 30,4mm
- Para 45, 75 e 90min, obter por interpolação. O traçado deve ficar mais ou menos com
essa "cara". Ai é só pegar no grafico e obter uma aproximação para estes tempos.

70.0

60.0

50.0

40.0

30.0 Series1

20.0

10.0

0.0
0 20 40 60 80 100

- Se a interpolação ficou boa, então Pacmulada fica crescente, e Pdesacumulada fica


decrescente.Valores em amarelos foram tirados pela aproximação do traçado no grafico.
Depois, se deu certo, rearranjar as ordens de Pdesacumulada, de modo que a maior fique no
meio e as menores nas laterais, como na imagem:

Depois só obter o hietograma, que vai ficar mais ou menos assim:

MÉTODO DA PONDERAÇÃO REGIONAL


Na hora surgiu a dúvida se nao se usava ou nao na media a linha do ano com falha. No meu
material q eu usei, se levava em conta. Como no material da Jussara e no livro do Tucci não é
levado em conta, desconsiderar a linha do ano com FALHA no cálculo da média. Por

Fórmula:
Onde: Nx = média da estação com falha.
Ni = média da estação i.
Pi = precipitação da estação i no ano com falha.

Exemplo: Usando o método da ponderação regional, corrigir a falha na estação C para 1961:
Ano A B C D
1960 1600 1200 1400 1800
1961 1500 1300 X 1200
1962 1700 1500 1300 1900
1963 1700 1200 1200 1700
1964 1300 1800 1600 1500

- Calcular a média para cada estação, DESCONSIDERANDO O ANO COM FALHA:


Ano A B C D
1960 1600 1200 1400 1800
1961 1500 1300 X 1200
1962 1700 1500 1300 1900
1963 1700 1200 1200 1700
1964 1300 1800 1600 1500
Média: 1575 1425 1375 1725

- Calcular usando a fórmula: ,

preenchemos:
Px = 1173,5mm