Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

INSTUTO DE ARTES – IARTE


CURSO DE MÚSICA

Paula Roberta Batista Fernandes

JOGOS MUSICAIS NA EDUCAÇÂO INFANTIL: EXPLORANDO


SONS

Projeto Integrado de Prática


Educativa apresentado à disciplina
Psicologia do Desenvolvimento
Musical.

UBERLÂNDIA – MG
2017
Jogos musicais na educação infantil: Explorando sons

A criança, desde sua gestação, é exposta a diversos sons, que som são esses? Sons
intrauterinos.

o ambiente acústico uterino não é silencioso como acreditavam


muitos, mas, sim, um universo sonoro rico e único, que proporciona
ao bebê uma grande mistura de sons externos e internos ( Ilari

Percebemos que desde muito cedo somos expostos aos sons. E daí sua percepção
começa a ser trabalhada.

Este ambiente acústico uterino proporciona ao bebê uma rica vivência


sonora. Entre os inúmeros sons, a criança, através das vibrações e
pulsações cardiovasculares da sua mãe, entra em contato com um
elemento fundamental da música: o ritmo

Logo após seu nascimento os sons ficam mais ricos e não deixam de aparecer, a
mãe, ou pessoas ao redor, estão constantemente conversando com o bebê, cantando,
cantarolando. Sem dúvida isso já contribui para a percepção auditiva do recém-nascido.
Quando maiores outros sons começam a ser percebidos e explorados. Nesse
mundo “barulhento” a criança começa a relacionar-se com diversos sons e é possível até
uma imitação ou gestos corporais. Como é possível se ver vários pais dizendo até
mesmo para entreter seus filhos: “ Olha o Bubu, ele faz BiBi”, mesmo sem se dar conta
os pais estão abrindo os ouvidos dessas crianças e chamando atenção para novos sons.
Diante de tanta riqueza sonora é importante explorar e acrescentar cada vez mais
sons musicais, sons do ambiente na vida dessas crianças. O intuito é construir
conhecimento musical a partir de uma das propriedades do som: O timbre.
A cor que o mundo de uma criança tem com certeza é diferente da cor que os
olhos adultos veem, por isso, a ludicidade é importante em todo aprendizado que
envolve crianças. Não seria diferente na educação musical, pelo contrário, a música
muitas vezes é relacionada ao lazer, prazer, brincadeira, entretenimento, porém o ensino
musical pode ser sério e proveitoso mesmo usando da ludicidade e da brincadeira.
Segundo beineke (2011), a criança não, necessariamente, precisa saber porque
brinca e o que está aprendendo em suas brincadeiras, sendo importante que o professor
saiba seu papel durante a brincadeira deixando livre a imaginação e a criação.
O jogo musical é uma boa forma de brincadeira que vai ensinar e prender a
atenção e o imaginário. Segundo Silveira (2013), o jogo é uma fonte de prazer e
descobertas para a criança.
Ilari (2003) afirma que os jogos musicais, quando utilizados de forma lúdica,
participativa e não-competitiva, podem constituir uma fonte rica de aprendizado,
motivação e neurodesenvolvimento.
A proposta deste trabalho é proporcionar novas vivências sonoras, explorar e
desenvolver a atenção auditiva das crianças para sons do ambiente e sons de
instrumento por meio de jogos musicais.

Objetivos:

geral:

Observar como a criança reconhece um som e como ela usa da sua percepção para
reconhecer a fonte sonora; instrumentos musicais e outras fontes.

específicos:

-Desenvolver a percepção auditiva;

- Desenvolver a atenção;

- Desenvolver a memória;

- Desenvolver o reconhecimento de timbres;

Justificativa: A escolha desse tema se deve á importância do desenvolvimento da


percepção auditiva, seja uma criança que está estudando um instrumento ou não. As
crianças que participarão dessas atividades são meus alunos e estudam um instrumento
específico.
Pretendo iniciar um processo de desenvolvimento auditivo que comtempla
também a percepção. Com o nosso mundo rodeado de sons as vezes muitas coisas
passam despercebidas e o intuito é, começando por este projeto, explorar um pouco, por
meio dos jogos musicais, a atenção dessas crianças para sons ao redor do ambiente que
eles vivem.

Cronograma: etapas de execução do projeto

CRONOGRAMA

ETAPA 1 Elaboração do projeto Outubro 2017

ETAPA 2 Aplicação do projeto Outubro de 2017

ETAPA 3 Elaboração do relatório Novembro 2017

Referências:

ILARI, Beatriz. A música e o cérebro: algumas implicações do neurodesenvolvimento


para a educação musical. Revista da ABEM, v. 11, n. 9, 2003

SILVEIRA, L. V. Aula de Música na Escola Municipal Iraci Miranda Kruger: jogos no


processo de musicalização infantil. Matinho: UFP, 2013.

BEINEKE, Viviane. Música, jogo e poesia na educação musical escolar. Revista da


ABEM, v. 3, n. 3, 2011. Disponível em:
http://www.abemeducacaomusical.com.br/revista_musica/ed3/pdfs/viviane_3.pdf.
Acesso em: 10, out. 2017