Você está na página 1de 9

Inteligência Emocional

É possível viver melhor!


Múltiplas Inteligências

Em 1983, o psicólogo americano Howard Gardner apresentou a

Teoria das Múltiplas Inteligências, cada uma com características

próprias.

Entre as conclusões da teoria de Gardner, a principal é a de

que nenhum tipo de inteligência é superior a outro, e que cada

indivíduo deve identificar as suas aptidões e limitações a fim de

aprimorá-las.
Múltiplas Inteligências

1) Inteligência lógico-matemática
2) Inteligência linguística
3) Inteligência visual-espacial
4) Inteligência corporal-cinestésica
5) Inteligência musical
6) Inteligência interpessoal
7) Inteligência intrapessoal
8) Inteligência naturalista
9) Inteligência existencial
Inteligência Emocional

O que é?
Inteligência emocional é um conceito em psicologia que
descreve a capacidade de reconhecer e avaliar os seus
próprios sentimentos e os dos outros, assim como a capacidade
de lidar com eles.

*A intra reflete diretamente na inter.


Por que é difícil para a maioria
de nós lidar com as emoções?

Porque não fomos ensinados!

Pg. 21 – Augusto Cury


Descontrole Emocional

No adulto, respostas emocionais desproporcionais a um fato


em questão, indicam que aquela situação está me
remetendo a alguma experiência anterior que ainda não foi
elaborada: uma marca traumática, uma perda, um medo...

Em geral, vivências da criança que um dia fui.

*Cartas para o endereço errado.


O processamento da emoção
Oportunidade de encarar a situação/problema com um
MUDANÇA novo sentido, com mais maturidade, compreensão.

Fico assim sempre que me sinto... (ex.: abandonada,


CONSCIÊNCIA pressionada, diminuída...). Conexão com o passado.

Em que circunstâncias me sinto assim?


PENSAMENTO Qual o gatilho desta emoção?

EMOÇÃO Medo, ansiedade, tristeza...

SENSAÇÕES Frio na espinha, aperto no peito, nó na garganta...

ADIÇÃO DRAMATIZAÇÃO
(VÍCIOS / SOMATIZAÇÃO
COMPULSÕES)
“A vida só pode ser compreendida
olhando-se para trás, mas só pode ser
vivida olhando-se para a frente.”
Soren Kierkegaard
O mais relevante não é o que
fizeram/fazem comigo, mas o que eu faço
com o que fizeram/fazem comigo.

- “A tua culpa é a minha salvação.”

Precisamos nos tornar autores da nossa própria


história, doutores das nossas próprias dores.
Gestores das nossas emoções!

Você também pode gostar