Você está na página 1de 3

AD2 Literatura Brasileira

Nome: Valquíria Avelino da Silva

Polo: Itaperuna

Matrícula: 12113130290

1) Alfredo Bosi optou por seguir ou adotou o método dialético


que consiste em agrupar tendências corretas para a
utilização de cada uma nos contextos. Portanto Alfredo
Bosi seguia a tendência de não só separar os textos a partir
de qualidades opostas, mas também pretendia argumentar
quando e por que escritores utilizavam características
antípodas. Alfredo Bosi com o historicismo dialético analisa
as obras a partir de suas estruturas formais, com uma
cadeia histórico-social percebendo se elas refletem ou
contradizem as ideologias no período que são escritas, ou
seja, sustentam-se como obras literárias.

2) É a corrente estruturalista. Nos anos 1970 explode essa


corrente nos estudos literários na qual a obra de Alfredo
Bosi se distância, corrente está , que não era nem
historicista e nem estética. Alfredo Bosi aderia à estética de
Benetto Croce com uma forma expressiva de
conhecimento, e a Antônio Gramsci uma representação de
uma corrente do pensamento a resistência moral, esses
dois pensadores cujas obras, foram essenciais para o
ideário critico de Alfredo Bosi. Alfredo Bosi em seus
estudos faziam-se presentes a escolha de obras e autores
levando em consideração se valiam como representação
de uma mentalidade. Ou seja, Alfredo Bosi analisa as obras
a partir de suas estruturas formais relacionado a um
histórico social a fim de perceber se elas contradizem as
ideologias nos períodos e, que são escritas. Ao contrário do
estruturalismo, este que ele se distância, que é um método
de estudo que se baseia na formula de esquemas lógicos
contratantes com um sistema que não permiti contradição,
ou seja, não exclui, analisa a literatura como um todo.

3) Os dois pensadores italianos, cujas obras foram


determinantes para a configuração do ideário critico, de
Alfredo Bosi foram Benedetto Croce e Antônio Gramsci.
Benedetto Croce em suas concepções teóricas, um poema
era constituído de um complexo de imagens e um
sentimento que anima e Antônio Gramsci era um critico
que testemunhava o movimento que culminou o golpe
militar do Brasil, sendo a literatura um fenômeno
contaminado pelas pulsões da historia e da à sociedade.
Alfredo Bosi teve em contato com o existencialismo que e
uma corrente filosófica a que formula ruminações a partir
de ideias de um pensamento filosófico que começa com
uma desorientação diante do caos da realidade e a
corrente do marxismo também um pensamento filosófico
do qual defendia a ditadura do proletariado com uma
forma de reverter às disfunções sociais mantidas pelas
burguesias. Podemos concluir que os dois pensadores
italianos que cujas obras foram determinantes para
configuração do ideário critico de Alfredo Bosi foi
Benedetto Croce e Antônio Gramsci.
4) Alfredo Bosi na construção do cânone literário brasileiro
contribuiu com o livro “O pré-modernismo” ,a contribuição mais
nítida , que se destacou por reordenar a historiografia literária
brasileira as quais não foram bem estabelecidas ,como pode-se
citar á divisão da poesia romântica em seis gerações por Sílvio
Romero . O legado critica de Alfredo Bosi também foi uma
efetiva contribuição com suas propostas analíticas e
interpretativas foi determinante na configuração do cânone
literário contribuído para os estudos da literatura brasileira no
ensino médio e no ensino superior.

5) Alfredo Bosi tem como tema a dialética da colonização,


na obra interpreta fatores que fizeram do Brasil uma
colônia de nações estrangeiras e culturais destacando que
os colonizadores (estes que sempre saem do seu lugar de
origem em busca de algo que os interessam).Segundo
Alfredo Bosi os portugueses não buscavam apenas as
terras, mas dominá-las por completo, ou seja, inseri na
comunidade sua cultura. Podemos visualizar está visão com
dialética da colonização de Alfredo Bosi ao analisa a obra
de José Alencar o guarani quando o português dom
Antônio (fidalgo) batiza o índio Peri com seu próprio nome
para que o índio Peri possa salvar sua filha que é a filha de
fidalgo, da morte. Bosi ao analisa utiliza uma etimologia
que é o ponto de partida ao analisa a história.