À Sombra da Revolução Mexicana

História Mexicana Contemporânea, 1910-1989
Héctor Aguilar Camír & Lorenzo Meyer
(pág 13) No caminho de Madero Os contemporâneos diziam que uma revolução no México era algo impossível de acontecer. Inclusive o jornal El Imparcial, que era um dos símbolos da transformação mexicana.

A sociedade mexicana adotou inovações que sacudiram a sociedade da virada do século. Porém, apesar de sonhar com os princípios do liberalismo e do igualitarismo, o México ainda estava baseado na oligarquia. Ainda era uma sociedade indígena, católica e possuía princípios corporativos. (pág 14) Agora, o federalismo vinha na forma do caciquismo, a democracia era a ditadura; o progresso vinha na forma de investimentos estrangeiros. Entretanto, as transformações eram permanentes. Nos trinta anos que antecederam a 1910, o México sofreu uma reestruturação que redefiniu inclusive as suas fronteiras. Isso rendeu um crescimento estrondoso do investimento norte-americano, que foi transferido para a ferrovia e para a mineração. (pág 15) Entre o final do século XIX e o início do XX, não só a população, mas também a economia, a renda nacional, a importação e a exportação (esta ainda mais) sofreram um grande crescimento. A bancarrota das finanças se transformou em superávit em 1895. Os autores utilizaram esses exemplos para mostrar que a Revolução Mexicana não foi baseada na miséria, e sim da desordem que o progresso gerou, pois: 

O investimento estrangeiro gerou a inflação;  O vínculo com a economia norte-americana vulnerabilizou o México às flutuações da economia estadunidense;  A mineração alterou regiões inteiras, criando instabilidades e turbulências;  A ferrovia multiplicou o preço das terras ociosas, facilitando a sua expropriação e segregou os centros tradicionais de comércio, assim como as oligarquias que se beneficiavam;  A modernização agrícola contribuiu para a destruição da economia camponesa e atirou habitantes das aldeias à fome e à migração.

liderada por Emiliano Zapata. para alienação.5 anos. A Lei das Terras Ociosas e a especulação gerada pela ferrovia submeteram à desapropriações e afrontas não só a população de Morelos (comandada por Zapata). que era a denúncia e a apropriação de terras improdutivas. retrocesso e subsistência precária das aldeias camponesas. a resistência yaqui permaneceu viva ao longo do porfiriato e da Revolução. que foi sancionada no período juarista pós-intervenção francesa. de Sonora. a mortal idade infantil aumentou de 304 para 335 mil. A magnitude da resistência a transformou na maior das rebeliões camponesas mexicanas. Essas terras eram fertilizadas pelos únicos rios com fluxo quase permanente nas planícies sonorenses. O establishment porfiriano com os fazendeiros implicou desapropriação. dos bens de mão-morta). essas povoações foram submetidas à especulação fundiária e aos interesses oligárquicos regionais. (pág 17) Com isso:  O consumo de milho caiu 10kg entre 1895 e 1910. Caminhos fechados Entre 1900 e 1910.  Nos últimos 5 anos do século XIX.(pág 16) A ruptura agrária A mais velha das rupturas afetou as comunidades do Centro -Sul do país. ignorou os direitos ancestrais e transferiu a dominação da terra para os brancos. houve di versos fatores para o embarreiramento das classes média e operária: . que tinha a propriedade do clero e das comunidades indígenas. Porfirio abriu uma nova onda de desamortização (liberação.  A média de vida caiu para 31 para 30. Nos últimos anos do porfiriato. como também membros de comunidades nortistas e herdeiros das antigas colônias militares que pontilhavam os territórios fronteiriços dura nte o século XIX. Era o histórico conflito entre o liberalismo e o sistema corporativo de propriedade de terras. A pacificação dos índios mayo e yaqui. (pág 18) A consolidação das oligarquias tirou a independência política desses municípios. O clímax foi com as leis de desamortização das propriedades de 1856. com a Lei das Terras Devolutas e Ociosas. A resistência do clero data do século XIX. Apesar da guerra inicial contra os índios (1877 -80). assim como a das comun idades locais. Em 1895.

dos primeiros batalhões operários no México. libertaram mais presos e prosseguiram com o estandarte de Juárez. por conta de um nacionalismo perturbado e de um repentino aumento da carga de trabalho. As greves de Cananea e Rio Blanco mostratam a Porfirio Díaz que o establishment não funcionava sem repressão. que tinha a influência do anarcossindicalismo e da expansão das correntes socialistas nos EUA. em apenas 6 anos (1900-1906). Por conta da queda dos investimentos estadunidenses e pela contração dos mercados do mesmo. Lá. (pág 22) Os grevistas soltaram prisioneiros e. (pág 20) Território minado A mineração e a reativação industrial contribuíram. Em fins de maio de 1906. durante o porfiriato. A inflação alta (dos investimentos estrangeiros) e as isenções fiscais fizeram o governo criar novos impostos.  A consolidação das oligarquias diminuiu o espaço das classes médias. (pág 21) A organização dos trabalhadores de Cananea foi sob a influência do magonismo e da efervescência radical que assolava as fábricas na Califórnia e no Arizona. A festa terminou com a chegada do Exército a Santa Cruz. Os autores citam Benjamin Hill.  As principais posições sociais começaram a ser ocupadas por amigos e familiares dessas oligarquias. . eram as companhias estrangeiras que exploravam as minas e controlavam a vida municipal. Rosalino Martínez. onde também saquearam a sede municipal. Naufrágio em Rio Blanco Os operários rejeitaram uma proposta do presidente Díaz. as fábricas de Cananea fecharam suas portas em 1907 e só reabriram em 1908. principalmente na cidade de Cananea. para conseguir armas. sob o comando do Secretário de Guerra. o que acabou criando uma rede de monopólio. Cananea possuía 5260 trabalhadores mexicanos e 2200 estrangeiros. A agitação popular começou com vivas a Juárez e gritos contra espanhóis e franceses que dominavam as fábricas. marcharam para Nogales. mas restringia direitos políticos. que consistia em estabelecer regulamentos favoráveis em seus relacionamentos com a empresa. o cobre atraiu 14mil habitantes. os operários organizaram uma greve. e o salário mínimo da região era superior ao da média do país. que era um dos preteridos por conta dessas oligarquias que ressugiram. Em maio de 1906. Porém. quando o maderismo já estava em marcha.

Os salários dali eram os mais altos da República. para as minas de Sonora e Chihuahua. (pág 25) A crise na produção de alimentos somou à desordem no setor mineiro. trouxeram estímulo material para uma dupla e efetiva incorporação: o mercado estadunidense e a rede da República Mexicana. Torreón se transformou em entreposto de distribuição do Norte. as antigas oligarquias do Norte foram para a oposição. Os proprietários pagavam os salários em dinheiro. Este foi o trabalhador que forneceu braços ao Exército do Norte. Tumultos mineiros e rebeliões armadas contra usurpações municipais nos anos de 1880 e 1890. (pág 24) Na década de 1890. e vendiam seus produtos a preços mais baixos. Aquela realidade gerou o trabalhador migrante. não em vales. Era representante das famílias patriarcais que haviam se consolidado durante o século XIX. o boom do petróleo no Golfo. para os campos petrolíferos de Tampico e para as indústrias de Nuevo León. graças à expansão ferroviária. boom da mineração em Sonora. Eles colhiam as vantagens de um bom salário e melhores condições de trabalho.(pág 23) O Despertar do Norte A pax porfiriana despontou o surto capitalista no México. Porém. Sua pretensão era a destruição dos enclaves que o período juarista construiu. que foi caracterizado pela dupla disponibilidade de alistamento fora da zona de recrutamento. Com o porfiriato perpetuando no poder. boom industrial em Monterrey. não tinha onde ficar quando havia fases de má colheita. Houve um fluxo migratório do Centro para os campos agrícolas de La Laguna e El Yaqui. os porfiristas e as classes que foram prejudicadas pelo establishment do governo anterior tomaram conta da maioria dos estados mexicanos. Bancos que facilitavam o crédito. O Norte agora era um foco de investimentos. entre outras coisas. os herdeiros do período juarista tentaram mud ar o curso dos fatos. No início do século XX. respectivamente. . (pág 26) Os porfirianos chegaram ao poder através de uma rebelião militar em 1876. velhos troncos Francisco Madero foi a personificação do último levante anti Porfirio. O norte serrano foi o mais afetado quando da crise da mineração e da queda dos preços do prata. e que havia sido preterida pelo governo centralizador de Porfirio Díaz. O Norte era um território onde constantemente ocorriam revoltas. rebeliões e bandos itinerantes. Chihuahua e Nuevo León. uma vez que era desenraizado. Novos ramos. Pouco a pouco. o que causou uma ruptura nas tradicionais relações agrárias.

pois Porfirio negociou a empresa El Aguila com o capital britânico na intenção de conter a expansão econômica estadunidense. O porfirianismo começou (1870) com base em conflitos antiestadunidenses. (pág 29) Naqueles anos. esses grupos faziam comícios e fundavam grupos antiporfiristas e anti-reeleição. entre os pequenos burocratas e no Exército. uma vez que o sistema teimava em manter-se. Os estadunidenses não estavam preparados para a nova postura porfirista. Segundo Luis González y González. a crise em 1908 se deu por conta da baixa na agricultura. o governo voltaria a entrar em conflito com os norte -americanos. mas liberdade . iniciaram -se celebrações por conta do centenário da Independência. (pág 28) O ano de 1908 foi um dos principais antecedentes da Revolução Mexicana por conta da falta de estabilidade na economia. Depois de duas décadas. há a ascensão do maderismo. (pág 31) Durante as viagens. (pág 30) Com isso. . que trazia Madero como liderança. o principal opositor ao governo era o gener al Bernardo Reyes. Reyes cedeu às pressões de Díaz e se calou. A relação com os EUA também estava ruim. Porfirio gerou uma instabilidade política ao declarar que era a favor de uma oposição. da queda na produção industrial e da desvalorização da prata. Por trás da pátria centenária. Também em 1908. Ele era membro de uma grande família latifundiária de Coahuila e ativo organizador de grupos oposicionistas que viajavam pelo México com o slogan o povo não quer pão. abandonado. Ao mesmo tempo que Reyes saía de cena.(pág 27) O declínio porfirista começou a se manifestar numa cidade envelhecida. Luiz González y González afirma que à medida que Porfirio envelhece. O reyismo. havia um novo país em desenvolvimento. o México estava se tornando um grande produtor de petróleo. O reyismo se desenvolveu nas lojas maçônicas. os partidos e organizações antiporfiristas se tornaram os centros das atenções A oposição e sua presbiopia A partir da entrevista de Porfirio Díaz. fazendo com que os EUA apoiassem ativamente aos revolucionários durante 1910 -1. Porém. Quando Madero partia da Cidade do México. via no maderismo uma salvação. em 1909 se fundava o Clube Central Anti Reeleição. sua força de vontade perece. Com isso.

uma vez que Porfirio estava negociando com a Inglaterra e mantendo contatos com o Japão.(pág 32) Ao redor das ferrovias. (pág 34) A plataforma da Revolução Maderista declarava nulas as eleições. há grandes ataques (Santa Bárbara. Assim. Se encontram no Centro -Sul de Chihuahua. É o México das minas. Os estadunidenses também apoiavam Madero. Apesar do fracasso. A fissura na represa Os que apoiavam Madero foram os fazendeiros das antigas oligarquias. fazendo com que a polícia porfiriana voltasse seus olhos a ele. (pág 33) O apoio a Madero ia crescendo cada vez mais. professores revoltados pela miséria. políticos e militares em conserva. que era regida por proprietários estrangeiros e emigrantes. Nomeava Madero como presidente interino dos Estados Unidos Mexicanos. As tradicionais famílias patriarcais estavam em confronto com o progresso. Diaz foi reeleito. Os porfiristas prenderam Madero a fim de que ele se mantivesse calado durante o período eleitoral. (pág 36) Em fevereiro. após 1900. Em outros casos. sua obsolência complacente. o maderismo se enraíza nas minas e montanhas. No núcleo sulista. O Levante Francisco Xavier Guerra localiza o levante nas serras mineiras do Norte. suas aspirações e. Como o Ministro da Fazenda de Porfirio fora amigo pessoal de Madero. A preparação é facilmente descoberta. o levante de Gabriel Tepepa é anterior ao de Zapata. fazendo com que os revolucionários recuem par a o Norte de Durango. (pág 35) Os principais pontos do levante são de um México setentrional com uma agricultura precária. região de grandes proprietários rurais. . surgiu uma sociedade paralela. Esses movimentos se contrastam com as derrotas de Pancho Villa. As únicas coisas que não mudavam na política porfirista eram seus métodos. Alguns levantes são meras insurreições (vilarejos do Norte do país). este conseguiu liberdade condicional. ilegal o regime reeleito e ilegítimos os novos representantes populares. Belleza e Cuevas). os levantes do Centro de Chihuahua servem como prova da multiplicação de grupos rebeldes. Mesmo com suas fraquezas. o Exército abandona o Oeste de Chihuahua e a rebelião se alastra para a região mineira no leste de Sonora. o Exército Federal consegue recuperar o centro da Revolução em Chihuahua. Os instigadores são presos ou desaparecem sumariamente. cruzou a fronteira e liderou uma insurreição. Violando a liberdade condicional.

direito de legislar sobre latifúndios com mais de 2 mil hectares e exigia que os ranchos se tornassem corporações de interesse público. (pág 39) Apesar de prometer aliviar as necessidades das classes mais baixas. (pág 38) O primeiro ato do Governo Provisório foi desmobilizar as guerrilhas maderistas. tropas maderistas invadiram as cidades que ainda não estavam sob seu controle.A virada decisiva acontece na segunda metade de março. os vazquistas (sob o comando de Emilio e Francisco Vázquez Gómez) conspiraram para dissolver o governo interino. o Ministro das Relações Exteriores vigente foi nomeado Presidente. a resistência abaixo Com o apoio de vários líderes. . No governo interino. a Revolução triunfa. No dia 21. O fracasso de algumas cidades demonstram a capacidade que esses grupos tinham para atacar importantes localidades. Toda a região de agricultura irrigada de La Laguna sofre os ataques dos revolucionários. não uma nova ordem na República. A fase militar da Revolução Maderista chegou ao fim em junho de 1911. os maderistas assinam um acordo que legitima o Governo Provisório. Os tratados de Ciudad Juárez omitiam qualquer promessa de terra ao México rural.  2 de agosto de 1911 renúncia de Emilio Vázquez Gómez ao Ministério do Interior. O conflito acima. Dom Porfirio assinou a sua renúncia. Domando o tigre Quatro dias depois da assinatura dos tratados de Ciudad Juarez. Em 10 de março começa o levante zapatista. (pág 37) No mês de maio. os revoltosos começam a se espalhar para a costa e para a região mineira. As declarações de Madero geraram desafetos inclusive dentre seus seguidores. Depois de tomar a região serrana de Durango. Logo encontrou resistência por parte das correntes insatisfeitas que exigiam mudança dos interesses governistas. entregava o comando da Revolução a Emilio. dizendo que não poderiam mais contar com os privilégios de outrora. Madero não anunciou melhorias salariais. Não reconhecia o governo De La Barra. Sendo um legalista.  23 de agosto de 1911 exposição do plano insurrecional vazquista em Texcoco. Também provocou os empresários. Madero queria diminuir as agitações no país em que queria governar para estabelecer um novo governo. O Exército Federal só consegue controlar alguns p ontos estratégicos da ferrovia. Ainda assim.

As eleições de outubro foram marcadas pela revolta vazquista. Após as eleições. (pág 42) A guerrilha iria moldar a organização do Sul do México durante a década seguinte.(pág 40) A dissolução do Partido Anti -Reeleição provocou a cisão de Madero com Francisco Vázquez Gómez. que havia sido indicado para a vice -presidência. Acionou o Exército em uma campanha de pacificação . Bernardo Reyes propõe o adiamento das eleições. O Exército Federal os combatia como o fazia com os maderistas na era porfiriana. do novo governo e do próprio Madero. O Congresso recusa. Trouxe ao seu governo conservadores ligados à ditadura porfiriana e não empreendeu nenhuma reforma agrária que prometera. Inicialmente. governou sobre um modelo democrático no México. Consolidados. que acabará por levar o governo de Madero ao holocausto. que contava com o apoio de alguns caudilhos ex-maderistas. proclamado no Texas. Com isso. A resistência de alguns governadores à desmobilização da guerrilha maderista (Sonora e Coahuila) permitiu o desenvolvimento dos chamados corpos auxiliares. foi o estopim da ofensiva do Exército Federal contra os camponeses de Morelos. eles puderam compor uma grande rede militar ao Exército Federal e desencadearam a Revolução Constitucionalista. houve movimentos sociais que buscavam o seu próprio caminho. ocorrida entre os dias 18 e 25 de agosto. Madero sofre uma queda de popularidade . Os zapatistas condicionaram a entrega das armas à entrega de terras simultânea e igualitariamente. (pág 41)  9 de fevereiro de 1913 Reyes inicia uma insurreição (dentro da chamada semana trágica ). Ultrajes no Sul Madero venceu as eleições de outubro de 1911 com 98% dos votos. claramente contra as aldeias meridionais e os bandos maderistas do ano anterior. não vai ganhar a simpatia dos estadunidenses. Madero virou as costas para seus apoiadores e impôs seu candidato à vice-presidência através de uma eleição totalmente manipulada em alguns estados da República.  16 de setembro de 1911 o Plano da Soledad. Houve muita resistência das guerrilhas maderistas à desmobilização. nem encontrar muitos seguidores em território mexicano. Durante o governo maderista. A última negociação de Zapata com o governo. . O Exército Federal atuava em nome da legalidade.

quando se fundiu com a onda insurrecional de 1913. os zapatistas esta beleceram sua meta de luta através do Plano Ayala. Ao final de 1911. a restauração das forças contra-revolucionárias. A burocracia maderista reproduzia o establishment porfiriano. uma vez que eram usados por proprietários ociosos. Madero aparece como violador daquilo que outrora defendia. Nacionalizariam os bens de todos aqueles que se opusessem ao Plano de Ayala. Foi uma clara ruptura com o maderismo. . No documento assinado em 25 de novembro de 1911. Orozco era mais um dos insatisfeitos com a transformação de Madero. A rebelião de Orozco começou em março de 1912 e foi lentamente incubada nos erros e indecisões do maderismo. Os maderistas recompensaram a participação vital de Orozco com o modesto cargo de Comandante das Guardas Rurais de Chihuahua. Atend endo ao pedido de Madero. O Plano se limitava a nomear Pascual Orozco como líder da Revolução e Zapata como uma alternativa. do outro lado. Porém. (pág 45) Seus adversários eram a corrente revolucionária radical e. Orozco cedeu às pressões locais e se candidatou ao governo de Chihuahua. ainda que tivesse que mantê-las sob as armas. Orozco retirou a sua candidatura. essa revolta de Pascual Orozco foi uma indicaç ão de que o governo maderista estava tentando equilibrar suas relações com seus dois adversários. era obrigação dos usurpadores demonstrarem a sua propriedade perante os tribunais. Orozco se sentiu traído. era completamente fechado no que tangia à reformas sociais. Seria o programa oficial da luta agrária no México. (pág 44) O Plano de Ayala foi um exemplo claro do que a contradição maderista estava causando.(pág 43) Ganhou a confiança de grupos empresariais estrangeiros e governou em nome de seus interesses f amiliares. Assim. Apesar de seu governo ser aberto às liberdades democráticas. Abraham González. A imprensa local rotulou Orozco de reacionário e apoiou o candidato governista. Madero preferiu Abraham González por este ser um homem esclarecido e atribuir a Orozco uma imagem de velho guerrilheiro. que mono polizavam a terra. 20 dias após a ascensão de Madero ao poder. se opondo ao candidato de Madero. Para eles. montes e águas seriam expropriados. 1/3 das terras. Dizia que aldeãos e camponeses recuperariam a propriedade dos seus bens. A pedra do arrieiro A revolta zapatista durou até 1913.

autonomia municipal e garantia das liberdades de expressão. Este plano consistia na condenação de Madero e tinha um antinorte americanismo. fazendo com que o movimento não saísse do lugar. a revolta se espalha e o governo aceitou a renúncia de González. Em fins de fevereiro. Orozco já tinha tomado a decisão de romper com Madero. . que era a liderança da Revolução. a rebelião orozquista encon trou seu código no Plano da Empacadora. (pág 48) O Plano orozquista exigia a eliminação da vice-presidência e dos líderes políticos. De La Barra preocupado com o reyismo afastou Orozco de seu comando da Guarda Rural de Chihuahua e o transferiu para Sinaloa com o mesmo cargo. Orozco renuncia seu posto em Chihuahua. foi só uma campanha de consolidação gradual de sua força militar e o combate às guerrilhas. Um Exército triunfante No dia 25 de março. Depois. Madero o devolveu a Chihuahua. Vendo o envaidecimento de Madero. A oligarquia chihuahuana estava financiando o Exército de um homem que estava destruindo o que o maderismo construíra. (pág 49) Em 23 de maio de 1912. porém Madero não aceita. Madero encarrega o general Victoriano Huerta do comando militar. Em janeiro de 1912. (pág 47) Aceitar o cargo seria afrontar seus antigos camaradas. Huerta quebrou a espinha dorsal da rebelião orozquista. A maior parte de Chihuahua ficou na mão dos orozquistas antes que o governo pudesse reagir. Orozco renuncia seu posto. Fornecia mais opções que o Plano de Ayala. graças ao bom preparo do Exército. nomeando Orozco para conter a rebelião. agora como Chefe de Guarnição de Ciu dad Juárez. Ao assumir o poder. pois Madero lhe havia pedido que pressionasse o Legislativo para dar poderes especiais ao Governador interino e que aniquilasse a frente zapatista. uma vez que suas relações com Zapata lhe remetia à sua origem rural e ela havia lhe dado o artigo 3º do Plano de Ayala. Ele não podia aceitar principalmente o último pedido. O tráfico de armas impediu o apoio norte -americano.(pág 46) Em setembro de 1911. A derrota do Exército mostrou a Madero a falta de homens de confiança no quadro do mesmo. Orozco se dispôs para lutar contra aqueles que o haviam deixado de lado. A rebelião orozquista atingiu as mesmas regiões do maderismo.

 Fim à impunidade de castigos. foi para uma prisão militar. o governo fez algumas concessões aos trabalhadores:  Redução da jornada de trabalho. o zapatismo não era mais uma ameaça para Madero. O Exército.Em princípios de outubro. dizendo que a honra do Exército foi pisoteada. Seria uma tímida reforma agrária. o Conselho de Ministros estudava um projeto de restituição das terras tomadas das comunidades camponesas durante o regime porfiriano. Reyes e Félix Díaz estavam presos e a derrota do orozquismo livrou as montanhas do Norte de uma oposição armada. A imagem prevalecente na imprensa era de um país inseguro e da incompetência governista para garantir a estabilidade. Esse descrédito não seria o suficiente sem a participação do embaixador norte americano. No final de 1912. Ele estava determinado a derrubar o governo mexicano. (pág 51) Com isso. Assim. assim como Reyes. um sobrinho de Porfirio Díaz. reconhecendo sua derrota. (pág 50) No outono daquele ano. Em outubro. (pág 52) Da Embaixada ao Pa redão A versão do embaixador Wilson sobre o novo regime era de que havia muita insegurança quanto às propriedades norte -americanas e da incapacidade do governo em restabelecer uma paz duradoura. graças a um acordo no setor têxtil. a desconfiança começou a corroer os bastidores do governo. Orozco se refugia nos E UA. Em contrapartida. O embaixador persuadiu o governo norte-americano de estacionar navios de guerra na costa mexicana e declarou que Madero confiscaria as propriedades norte -americanas. os industriais receberam uma regulamentação mais estrita das condições de trabalho. era visto como o salvador da fraca democracia mexicana. propôs um golpe de Estado que não foi aceito. No mês seguinte. Enquanto isso. A democracia golpista Depois de um ano de insatisfações dos trabalhadores (principalmente no setor têxtil de Vera Cruz). o Departamento de Trabalho estava elaborando um código trabalhista. Henry Lane Wilson. a Casa Branca enviou a Madero uma nota diplomática acusando -o de .  Aumento geral dos salários. adquiriu legitimidade e Huerta. As Câmaras de Deputados e Senadores exigiam garantias aos interesses do regime anterior. que conspirou abertamente com o Exército. descontos e reprimiendas. na opinião dos interesses estrangeiros. em contrapartida. Félix Díaz. o rebelde.

Segundo Paul Hintze. conclui as negociações com as forças golpistas. . Wilson ameaça Madero de intervir com navios de guerra se ele não ceder aos norte -americanos. Sugeriu que Huerta fosse presidente interino do México e instruiu a todos os cônsules estadunidenses que se submetessem ao novo governo. Colgan. promessas de cargos. Em 17 de fevereiro. Com a oposição do último . Deu-se início aos Dez Dias Trágicos . Por meio do representante espanhol. (pág 54) Wilson boicota um cessar-fogo que ele mesmo propôs e admitiu que tinha comunicação permanente com Félix Díaz e Huerta. O embaixador forma um grupo diplomático com representantes da Alemanha. usando a ameaça de intervenção. que mostrou a fraqueza do governo e derrubou Madero. Inglaterra e Espanha para intervir na conjuntura mexicana. Wilson informa que negociações estavam ocorrendo com Victoriano Huerta. Em fevereiro de 1913. honrarias e propinas em dinheiro vivo. Wilson propôs ao corpo diplomático que apoiassem Huerta e Díaz. Wilson disse a Madero que 4 mil soldados norte-americanos estavam para chegar. Simplesmente porque ele havia criado o imposto sobre o petróleo bruto. libertou Félix Díaz e Bernardo Reyes. eles concordaram em subverter o governo de Madero. Wilson propôs ao Presidente e ao Secretário de Estado que tomassem parte do território mexicano. mas não conseguiu controlar o Palácio Nacional.discriminação contra companhias e cidadãos norte-americanos. (pág 53) A conspiração do embaixador Wilson com o Exército eclodiu em fevereiro de 1913.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful