Você está na página 1de 3

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA

2ª TURMA RECURSAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS


Num. Processo : 0000628-80.2016.805.0141
Classe : RECURSO INOMINADO
Recorrente(s) : THUANNE DA SILVA SANTOS

Recorrido(s) : BANCO ITAUCARD S A

Origem : 2ª VARA DO SISTEMA DOS JUIZADOS - JEQUIÉ


Relatora Juíza : MARIA AUXILIADORA SOBRAL LEITE

VOTO-E M E N T A

RECURSO INOMINADO. CONSUMIDOR. ALEGAÇÃO DE


NEGATIVAÇÃO INDEVIDA. DÍVIDA ORIUNDA DE CONTRATO DE
CARTÃO DE CRÉDITO. AUSÊNCIA DE PROVAS DO PAGAMENTO
INTEGRAL DA DÍVIDA. FATO CONSTITUTIVO DO DIREITO DA PARTE
AUTORA NÃO DEMONSTRADO. (ART.373, INCISO I DO CPC.).
EXERCÍCIO REGULAR DO DIREITO DO CREDOR. COBRANÇA
DEVIDA. SENTENÇA DE IMPROCEDÊNCIA MANTIDA.

1.Trata-se de recurso interposto contra sentença que julgou improcedente o


pedido, por entender o magistrado sentenciante que: “ De outra banda,
informa o Acionado que o valor pago pela parte Autora foi feito em montante menor do
real débito, tendo sido utilizado para amortização do referido débito, posto que não apto
a quitá-lo. Apresenta ainda aos Autos os documentos de contratação do cartão, extratos
de renegociação do débito em que consta a informação de existir parcela em aberto,
cujos valores seriam de fato superiores àqueles informados e comprovados o pagamento
pelo Autor. Assim, por tudo o quanto consta dos Autos, não merecem prosperar os
pedidos formulados pela parte Autora, porquanto não demonstrado o seu direito no caso
concreto.”.

1. Alega a parte autora que teve o seu nome inserido indevidamente


nos cadastros de proteção ao crédito por dívida que havia sido objeto de
parcelamento, e cuja inexigibilidade, portanto, estaria suspensa, motivo
pelo qual restara ilegítima a inscrição de seu nome nos cadastro de
proteção ao crédito. Requereu indenização pelos danos morais sofridos.
2. A despeito das alegações da parte autora, esta não comprova o
pagamento de todas as parcelas relativas aos dois contratos firmados com
o banco demandado , bem como não junta documentos suficientes que
comprovem em todos os seus termos o acordo para quitação de ambos os
débitos, não afastando, portanto, a presunção de legitimidade da
constituição da dívida.

3. . Vale ressaltar que a parte autora colaciona termo de parcelamento


de dívida no ev.01, todavia não consta do mesmo a data de vencimento
das parcelas, o que se faz essencial para aferir a inadimplência da parte
acionante, e a legalidade da inscrição de seu nome nos cadastros de
proteção ao crédito.

4. Nestes termos, não se aplica ao caso a inversão do ônus da prova,


sendo dever processual da parte autora a prova do fato constitutivo de seu
direito, nos termos do art.373, inciso I do CPC, , o que não logrou faze no
presente caso, sendo insuficiente para a formação da convicção do
julgador meras alegações, quando o contexto fático-probatório não se
revela suficiente para embasar a pretensão formulada.

5. Assim sendo, o débito que fora objeto de apontamento está lastreado


em dívida regularmente constituída, originária que foi de contrato
validamente formado entre as partes, o que representa, ademais, exercício
regular do direito da parte credora.

5. ISTO POSTO, voto no sentido de CONHECER e NEGAR


PROVIMENTO ao recurso interposto pelo Recorrente para manter a
sentença objurgada em seus termos. Condenação em custas e
Honorários advocatícios arbitrados em 20% (vinte por cento) sobre o
valor da causa, restando suspensa a exigibilidade do pagamento pela
parte autora, pelo prazo de 05 (cinco) anos, nos termos do artigo 98, §
3º, do CPC/2015

Salvador, Sala das Sessões, 13 de JULHO de 2017


BELA. MARIA AUXILIADORA SOBRAL LEITE
Juíza Relatora
BELA CÉLIA MARIA CARDOZO DOS REIS QUEIROZ
Juíza Presidente
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA
2ª TURMA RECURSAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS

Num. Processo : 0000628-80.2016.805.0141


Classe : RECURSO INOMINADO
Recorrente(s) : THUANNE DA SILVA SANTOS

Recorrido(s) : BANCO ITAUCARD S A

Origem : 2ª VARA DO SISTEMA DOS JUIZADOS - JEQUIÉ


Relatora Juíza : MARIA AUXILIADORA SOBRAL LEITE

ACÓRDÃO

Acordam as Senhoras Juízas da 2ª Turma Recursal dos Juizados Especiais


Cíveis e Criminais do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia, CÉLIA MARIA
CARDOZO DOS REIS QUEIROZ –Presidente, MARIA AUXILIADORA SOBRAL
LEITE – Relatora e ALBÊNIO LIMA DA SILVA HONÓRIO, em proferir a seguinte
decisão: RECURSO CONHECIDO E IMPROVIDO . UNÂNIME, de acordo com a ata
do julgamento. Condenação em custas e Honorários advocatícios arbitrados em 20%
(vinte por cento) sobre o valor da causa, restando suspensa a exigibilidade do
pagamento pela parte autora, pelo prazo de 05 (cinco) anos, nos termos do artigo 98, §
3º, do CPC/2015.
Salvador, Sala das Sessões, 13 de JULHO de 2017
BELA. MARIA AUXILIADORA SOBRAL LEITE
Juíza Relatora
BELA CÉLIA MARIA CARDOZO DOS REIS QUEIROZ
Juíza Presidente