Você está na página 1de 7

MEMORANDO-CIRCULAR Nº 4 /INSS/DIRBEN

Em, 2 de fevereiro de 2011.

Aos Superintendentes Regionais, Gerentes-Executivos, Gerentes de Agências da Previdência Social-


APS, Especialistas em Gestão de Normas e Benefícios, Chefes de Divisão/Serviço de Benefícios,
Chefes de Serviço/Seção de Reconhecimento de Direitos e Chefes de Serviço/Seção de Administração
de Informações de Segurados.

Assunto: Orientações sobre a aposentadoria por idade do trabalhador rural empregado e contribuinte
individual a partir de janeiro de 2011.

1. Dispõe o §2º do art. 48 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991 que, para fins de
aposentadoria por idade prevista no caput do art. 48, o trabalhador rural deve comprovar o efetivo
exercício de atividade rural, ainda que de forma descontínua, no período imediatamente anterior ao
requerimento do benefício, por tempo igual ao número de meses de contribuição correspondente à
carência do benefício pretendido, devendo, entretanto, estar o segurado exercendo a atividade rural ou
em período de graça na Data da Entrada do Requerimento-DER ou na data em que implementou todas
as condições exigidas para o benefício.

2. Em razão das disposições contidas nos arts. 2º e 3º da Lei nº 11.718, de 20 de junho de


2008, para fins de aposentadoria por idade do trabalhador rural em valor equivalente ao salário
mínimo, a partir de 1º/1/2011, serão contados para efeito de carência:

I – empregado (art. 157 da Instrução Normativa nº 45 /INSS/PRES, de 6 de agosto de


2010):
a) para períodos trabalhados até 31 de dezembro de 2010, a atividade comprovada na
forma do art. 143 da Lei no 8.213, de 24 de julho de 1991;

1
b) para períodos trabalhados de janeiro de 2011 a dezembro de 2015, cada mês
comprovado de emprego, multiplicado por três, limitado a doze meses, dentro do
respectivo ano civil; e
c) para períodos trabalhados de janeiro de 2016 a dezembro de 2020, cada mês
comprovado de emprego, multiplicado por dois, limitado a doze meses dentro do
respectivo ano civil;
II - contribuinte individual que presta serviço de natureza rural, em caráter eventual a
uma ou mais empresas, fazendas, sítios, chácaras ou a um contribuinte individual, em
um mesmo período ou em períodos diferentes, sem relação de emprego:
a) para períodos trabalhados até 31 de dezembro de 2010, a atividade comprovada na
forma do art. 143 da Lei nº 8.213/91;
b) para períodos trabalhados a partir de janeiro de 2011, o recolhimento como
contribuinte individual, observado o disposto no inciso II do art. 27 da Lei nº
8.213/91 (primeira contribuição em dia);
c) para períodos trabalhados a partir de janeiro de 2011, na ausência de GFIP
informada pelo tomador de serviço, deverá ser comprovada a prestação de serviços
por meio de contrato de prestação de serviços, recibo de pagamento dos serviços
prestados, podendo ser feita pesquisa em caso de dúvida.

3. Será devido o benefício ao segurado empregado, contribuinte individual e segurado


especial, ainda que a atividade exercida na DER seja de natureza urbana, desde que o segurado tenha
preenchido todos os requisitos para a concessão do benefício rural previsto no inciso I do art. 39 e no
art. 48 da Lei nº 8.213, de 1991, até a expiração do prazo para manutenção da qualidade, na atividade
rural, previsto no art. 15 do mesmo diploma legal e não tenha adquirido a carência necessária na
atividade urbana. Dessa forma, observar sempre o período de manutenção da qualidade de segurado
como trabalhador rural.

4. Os processos de benefícios requeridos a partir de 1º/1/2011, deverão ser analisados com


observância do contido neste Memorando-Circular, devendo ficar sobrestados somente os processos
que constem períodos de atividade rural posterior a dezembro de 2010, até que o Sistema PRISMA
seja adequado a estes procedimentos.

2
5. Esclarecemos ainda que devam ser observados os códigos de pagamento do contribuinte
individual rural:

Código de Percentual de
Descrição
Pagamento Pagamento
1287 20% Contribuinte individual rural mensal
1228 20% Contribuinte individual rural trimestral
1236 11% Contribuinte individual rural mensal, optante pela Lei
Complementar-LC nº 123/03
1252 11% Contribuinte individual rural trimestral, optante pela LC nº
123/03
1244 9% Contribuinte individual rural-complementação mensal LC nº
123/03
1260 9% Contribuinte individual rural-complementação trimestral LC nº
123/03
1805 20% Contribuinte individual com direito a dedução mensal - rural
1813 20% Contribuinte individual com direito a dedução trimestral - rural

6. No Anexo, apresentamos os exemplos práticos das situações do item 2.

7. Solicitamos dar ampla divulgação a todos os servidores, bem como aos segurados e
representações sindicais, especialmente sobre os novos códigos de pagamento a serem utilizados pelo
contribuinte individual rural.

Atenciosamente,

BENEDITO ADALBERTO BRUNCA


Diretor de Benefícios
Anexo – Exemplos

3
ANEXO
(a que se refere o item 2 do Memorando-Circular nº 4/INSS/DIRBEN, de 2/2/2011)

I - Empregado:

a) DER em 28/5/2011- sexo feminino:


Idade: 55 anos em 15/4/2011
Comprova atividade rural de janeiro/93 a dezembro/09 como empregado rural
Mantém qualidade de trabalhador rural até 15/2/2012
Requisitos do benefício: idade e comprovação de 180 (cento e oitenta) meses de atividade rural
Conclusão: faz jus ao benefício, haja vista que preenche todos os requisitos durante a
manutenção da qualidade de segurado rural.
b) DER em 15/12/2012 - sexo feminino:
Idade: 55 anos em 14/12/2012
Comprova atividade de janeiro/93 a dezembro/10 como empregado rural
Mantém qualidade de segurado como trabalhador rural até 15/2/2013
Requisitos do benefício: idade e comprovação de 180 (cento e oitenta) meses de atividade rural.
Conclusão: faz jus ao benefício, haja vista que preenche todos os requisitos durante a
manutenção da qualidade de segurado rural.
c) DER em 17/2/2013:
Idade: 60 anos em 15/2/2013- sexo masculino
Comprova atividade rural de janeiro/93 a dezembro/10, como empregado rural
Mantém qualidade de segurado como trabalhador rural até 15/2/2013
Requisitos do benefício: idade e comprovação de 180 (cento e oitenta) meses de atividade rural
Conclusão: faz jus ao benefício, haja vista que preenche todos os requisitos durante a
manutenção da qualidade de segurado rural
d) DER em 23/4/2011:
Idade: 60 anos em 20/4/2011 - sexo masculino
Comprova atividade de janeiro/92 a setembro/2006, como empregado rural (177 meses)
Comprova emprego (rural) em março/2011 (1 mês x 3= 3 meses)
Mantém qualidade de segurado como trabalhador rural até 15/5/2012
Requisitos do benefício: idade e comprovação de 180 (cento e oitenta) meses de atividade rural
4
Conclusão: um mês de contribuição como empregado rural no ano de 2011 será multiplicado por
três, que somados aos anteriores, totalizam 180 (cento e oitenta) meses de atividade rural e,
assim, faz jus ao benefício haja vista que preenche todos os requisitos durante a manutenção da
qualidade de segurado rural
e) DER em 23/4/2011 - sexo feminino:
Idade: 55 anos em 20/4/2011
Comprova atividade de janeiro/92 a maio/2006 como empregado rural (173 meses)
Comprova emprego (rural) de março/11 a abril/11 (2 meses x 3= 6 meses)
Mantém qualidade de segurado como trabalhador rural até 15/6/2012
Requisitos do benefício: idade e comprovação de 180 (cento e oitenta) meses de atividade rural
Conclusão: dois meses de contribuição como empregado rural em 2011 serão multiplicados por
três, que somados aos anteriores a 2011, totalizam 179 (cento e setenta e nove) meses de
atividade rural e, assim, NÃO faz jus ao benefício, haja vista que não possui a quantidade de
meses de atividade rural correspondente à carência do benefício
f) DER em 23/6/2017 - sexo masculino:
Idade: 60 anos em 2/6/2017;
Comprova atividade como empregado rural de 1º/1/1990 a 30/6/2003: 162 meses
Comprova emprego rural de 1º/3/2015 a 30/4/2016: 14 meses
Mantém qualidade de segurado como trabalhador rural até 15/6/2017
Meses de atividade até abril/2016
 março/2015 a dezembro/2015 = 10 meses x 3 = 30 meses (limite no exercício-12 meses)
 janeiro/2016 a abril/2016 = 4 meses x 2 = 8 meses
Carência apurada até junho/17 = 182 meses
Conclusão: O período de atividade rural após a multiplicação foi limitado a doze meses no ano
de 2015 e, somados aos anteriores, totaliza 182 (cento e oitenta e dois) meses e, assim, faz jus ao
benefício, haja vista que preenche todos os requisitos durante a manutenção da qualidade de
segurado rural

5
II - Contribuinte Individual:

a) DER em 28/5/2011 - sexo feminino:


Idade: 55 anos em 15/4/2011
Comprova atividade rural como contribuinte individual de janeiro/93 a dezembro/09
Mantém qualidade de trabalhador rural até 15/2/2012
Requisitos do benefício: idade e comprovação de 180 (cento e oitenta) meses de atividade rural
Conclusão: faz jus ao benefício haja vista que preenche todos os requisitos durante a manutenção
da qualidade de segurado rural
b) DER em 15/12/2012 - sexo feminino:
Idade de 55 anos em 14/12/2012
Comprova atividade de janeiro/93 a dezembro/10, como contribuinte individual rural
Mantém qualidade de trabalhador rural até 15/2/2013
Requisitos do benefício: idade e comprovação de 180 (cento e oitenta) meses de atividade rural
Conclusão: faz jus ao benefício, haja vista que preenche todos os requisitos durante a
manutenção da qualidade de segurado rural
c) DER em 17/2/2013 - sexo masculino:
Idade: 60 anos em 15/2/2013
Comprova atividade como contribuinte individual rural de janeiro/93 a dezembro/10
Mantém qualidade de trabalhador rural até 15/2/2013
Requisitos do benefício: idade e comprovação de 180 (cento e oitenta) meses de atividade rural
Conclusão: faz jus ao benefício, haja vista que preenche todos os requisitos durante a
manutenção da qualidade de segurado rural
d) DER em 23/8/2011 - sexo masculino
Idade: 60 anos em 20/8/2011
Comprova atividade como contribuinte individual rural de janeiro/92 a novembro/2006 (179
meses)
Comprova atividade como contribuinte individual rural 1º/3/11 a 30/3/11 (recolhimentos como
contribuinte individual rural)
Mantém qualidade de trabalhador rural até 15/5/2012
Requisitos do benefício: idade e comprovação de 180 (cento e oitenta) meses de atividade rural

6
Conclusão: a competência março/2011, como contribuinte individual rural, será computada
como carência se o pagamento da mesma foi efetivado sem atraso, situação em que será somada
ao período de janeiro/93 a novembro/06, totalizando 180 (cento e oitenta) meses de atividade
rural. Fará jus ao benefício, haja vista que preenche todos os requisitos durante a manutenção da
qualidade de segurado rural
e) DER em 23/5/2016 - sexo feminino
Idade: 55 anos em 20/5/2016
Comprova atividade como contribuinte individual rural de janeiro/1990 a junho/2003: 162 meses
Comprova atividade como contribuinte individual rural de setembro/2014 a abril/2016: 20 meses
(sem contribuições)
Quantidade de meses de atividade rural até maio/2016 = 182 meses
Requisitos do benefício: idade e comprovação de 180 (cento e oitenta) meses de atividade rural
Conclusões: o período de contribuinte individual rural, de setembro/14 a abril/2016, sem
contribuições, não será considerado para carência, face inexistência de contribuições como tal.
Ainda que recolha em atraso tal período, este não será considerado, pois inexistem contribuições
em dia para iniciar a contagem da carência.