Você está na página 1de 91

ENG 1700 - ESTÁTICA

Marcelo Dreux
Coordenador de Graduação
da Engenharia Mecânica

dreux@puc-rio.br

Sala 233 L – tel: 3527 - 1958


1
Homepage

• www.ccead.puc-rio.br
Acesse seu curso

• Estatica*.zip - estas notas de aula


• Listas*.zip - listas de exercícios
• Provas*.zip - provas antigas

2
Bibliografia

• Meriam, Estática, 5a. Edição, 2005, Livros


Técnicos Científicos;

• Beer & Johnston, Mecânica Vetorial para


Engenheiros – Estática, McGraw-Hill

3
Conteúdo Programático

1. Revisão de Álgebra Vetorial


2. Forças e Momentos
3. Treliças P1
4. Centro de Gravidade
5. Mecânica dos Corpos Deformáveis
6. Esforços em Vigas P2
7. Cabo
8. Trabalho Virtual
P3
9. Atrito
4
10. Momento de Inércia
Avaliação
• Critério de avaliação: 4
Média = (P1 + P2 + P3) / 3

• Datas das Provas


P1 10 / 09
P2 22 / 10
P3 26 / 11
Final 03 / 12
5
1 – Revisão de Algebra
Vetorial

1.1 – Grandezas

• Escalares – número
Ex: tempo, massa, temperatura

• Vetoriais – número + direção + sentido


Ex: força, deslocamento, velocidade

6
1.2 – Representação Gráfica
de Um Vetor
sentido

d v, v, v, v, v
~
direção
θ

d - intensidade
Obs: Dois vetores são iguais quando são
paralelos, têm o mesmo sentido e intensidade.
7
1.3 – Sistema de Coordenadas
y
. B = (x , y )
B B
.
A = (xA, yA)
x
AB = B – A = (xB – xA, yB – yA)

OBS: Vetor é extremidade menos origem.


8
1.4 – Módulo de Um Vetor

• Módulo de v = | v | = v

v = (vx, vy) então | v | = √ vx2 + vy2

9
1.5 – Soma de Vetores
• graficamente
a+b
a

b
• numericamente
a + b = (ax + bx, ay + by, az + bz)

10
1.6 – Vetores Unitários

z
v = vx i + vy j + vz k

k j
y
i

x
11
1.7 – Produto Escalar
a . b = | a | . | b | cos θ
b

θ
a

Propriedades:
i. a . b = b . a
ii. a . (b + c) = a . b + a . c
12
Cálculo do Produto Escalar
a . b = (ax i + ay j + az k) . (bx i + by j + bz k)
= ax i . bx i + ax i . by j + ax i . bz k +
ay j . bx i + ay j . by j + ay j . bz k +
az k . bx i + az j . by j + az k . bz k

a . b = (ax bx + ay by + az bz)

13
1.8 – Produto Vetorial
c=axb | c | = | a | | b | sen θ

dir ( c ) - perpendicular a a e a b
sent ( c ) – regra da mão direita

Obs: | c | é a área do paralelogramo definido


por a e b.
| a | sen θ
a
θ 14
b
Produto Vetorial
Propriedades:

i. a x b = - b x a
ii. a x (b + c) = a x b + a x c

15
Cálculo do Produto Vetorial
+
i jk i j k
-
a x b = (ax i + ay j + az k) x (bx i + by j + bz k)
= ax i x bx i + ax i x by j + ax i x bz k +
ay j x bx i + ay j x by j + ay j x bz k +
az k x bx i + az k x by j + az k x bz k

16
Cálculo do Produto Vetorial
a x b = (ay bz - az by ) i + (az bx - ax bz) j +
( by ax - ay bx ) k

i j k
axb= ax ay az
bx by bz

17
2 – Forças e Momentos
2.1 – Leis de Newton
1a. Lei - ∑ F = 0
• Um corpo permanece em repouso ou com velocidade
constante se é nula a resultante das forças atuando
sobre ele.

2a. Lei - ∑ F = m a
• A resultante das forças atuando sobre um corpo tem a
direção e sentido da aceleração e é proporcional a ela.

3a. Lei
• Força é uma interação; não existe força
isolada. A toda ação corresponde uma reação.
18
Exercício
• Determinar as trações nos três cabos.
C
y Resposta:
0,6m 1,8m
B TA = 1735 N
1,5m D P = 3500 i N TB = 1739 N
0,6m TC = 2992 N
1,8m A x
Q = 1500 k N

z 19
Exercício
• Calcular os possíveis valores de T1 para
que a resultante das forças que atuam em
A não exceda 2400 N.

T2 = 800 N
T3 = 3000 N
Resposta:

1223 < T1 < 3174

60o T1
A 20
2.2 – Momento de Uma
Força em Relação a Um Ponto

F
M
rP θP
O
d
M=rxF
rQ F
α
Q

21
Exercício
Calcular o somatório das forças e o
momento em torno de B.

Resposta:

M = 8.43 i + 4.84 j -7.18 k

F = -9.03 i + 11.98 j + 16.21 k

22
2.3 – Momento de Uma
Força em Relação a Uma Linha

Mp
u
F

r
θ
P
Mp cos θ

ML = Mp cos θ . u = (Mp . u) u = (( r x F ) . u) u 23
Exercício

• Calcular o momento em
torno da linha QB
provocado pelas forças F1
= 20 k lb em B e F2 = -20 k
lb em A.

M = 100 . (√2 / 2 i + √2 / 2 j)

24
Exercício
• Determinar o momento em torno de z.

Resposta:

M = 40833 N.mm

25
2.4 – Binário, Par ou Conjugado

F
M=F.a

a =

F
Obs: o momento de um binário em relação a
qualquer ponto do corpo é constante. 26
Exercício
• Achar o momento das forças em relação à
origem.
z
Resposta:
D
F = 50 N M = 60 i + 60 j + 80 k
3m
C F 4m N. m
EO = 2 m y
E 2m A
B
x 27
Exercício
• Determine a resultante dos três binários.

Resposta:

M = -20000 i – 6766 j – 37175 k


x
N.mm

28
2.5 – Equações de Equilíbrio

∑F=0

∑M=0

29
2.6 – Sistemas de Forças
Equivalentes

∑ F1 = ∑ F2

∑ M1 = ∑ M2

30
Exercício
• Achar um sistema equivalente com a força
resultante aplicada no ponto A.

Resposta:

R = 200 j N

M = 400 i – 480 j + 400 k N.m

31
Exercício
• Achar um sistema equivalente que possua
apenas uma força resultante.

Resposta:

F = -100 k N

x = 0,225 m
y = 1,000 m

32
Exercício
• Achar um sistema de forças equivalentes
com a resultante das forças aplicadas em A.

Resposta:

R = 120 i – 180 j - 100 k N

M = 100 j + 50 k N.m

33
Exercício
• A força F tem módulo 2 kN e está direcionada
de A para B. Calcule a projeção FCD de F sobre
a linha CD e determine o ângulo entre F e CD.

Resposta:

FCD = 1.08 kN

cos Ɵ = 0.54

34
Exercício
• A porta de acesso é mantida na posição
aberta a 30o por uma corrente AB. Se a
força trativa na corrente é de 100 N,
determine a projeção desta força de
tração sobre a diagonal CD da porta.

Resposta:

FCD = 46 N

35
Exercício

36
2.7 – Forças Transmitidas
pelos Corpos

37
Forças Transmitidas
pelos Corpos (continuação)

38
Forças Transmitidas
pelos Corpos (continuação)

39
Forças Transmitidas
pelos Corpos (continuação)

40
Exercício
a. Determinar as reações em A se T2 = 0;
b. Determinar T2 para que MA não
ultrapasse 900 Nm.
B
10o 20o
T1 = 400 N
4,8 m T2
A Peso da barra = 1500 N
Resposta:
a) RAx = 394 N RAy = 1569 N MA = 1891 N.m
41
b) 220 <= T2 <= 619 N
Exercício
• Se o peso do
mastro for
desprezível se
comparado à carga
aplicada de 30 kN,
determinar as duas
trações T1 e T2 e a
força que atua na
rótula A.
Resposta: T1 = 46 kN T2 = 27 kN RAx = 9 kN RAy = 17 kN RAz = 40 kN 42
Exercício
• Calcular a força suportada pelo pino A da
estrutura carregada pelo conjugado de 80 Nm.

Resposta:

Ax = 40 N

Ay = 40 N

43
Exercício
• Determinar o valor de T em função da
massa m.
Resposta:

m=8T/g

44
Exercício
• Calcular o valor do conjugado M
necessário para empurrar a roda de 40 kg
para cima do plano inclinado. Determinar
também a força de contato em A.
Resposta:

M = 47088 N mm
HA = 196 N
NA = 340 N

45
Exercício
• A estrutura em T
de massa 200
kg tem centro de
massa em G.
Calcular a força
total suportada
pelo pino em O,
após a aplicação
da força de 3 kN
no cabo.
Resposta : HO = 2.32 kN VO = 0.46 kN 46
Exercício
• A peça OBC e a roldana C têm juntas 350
kg e o centro de gravidade em G. Calcular
a força suportada pela articulação de pino
O quando a carga de 3 kN for aplicada. O
anel A fornece suporte somente na
horizontal.

Resposta:

VO = 6 kN HO = 10 kN HA = 11 kN
47
Exercício

48
Exercício
• Para testar a deflexão de uma viga
uniforme de 100 kg, um menino de 50 kg
exerce uma força de 150 N no cabo,
montado como mostrado. Calcular a força
suportada pelo pino O.

Resposta:

VO = 3929.5 N

49
Exercício

50
3 – Treliças Planas
• Treliça é uma estrutura rígida formada por
elementos ligados pelas extremidades.
Quando os elementos da treliça situam-se
em um único plano a treliça é chamada de
treliça plana. O componente básico de
uma treliça plana é o triângulo.

51
3 – Treliças Planas
(continuação)
• Os elementos da treliça são barras, i.e.
em equilíbrio sob a ação de apenas duas
forças aplicadas nas extremidades da
barra, iguais, opostas e colineares.
T C
Tração. T
Barras Nós
Tração Compressão .
Compressão C
T C 52
3 – Treliças Planas
(continuação)
• Há dois métodos para análise das forças
atuando nas treliças planas: Método dos
nós e Método das Seções. Em ambos os
métodos o primeiro passo é calcular as
reações de apoio.

53
Exercício

Reações de Apoio: VC = 1.27 kN HC = 4 kN VA = 4.73 kN

AB = 2.73 kN (T) AE = 5.46 kN (C) CD = 1.47 kN (C) CB = 4.74 kN (T)


54
DB = 1.47 kN (T) DE = 1.47 kN (C) EB = 5.46 kN (T)
Exercício
• Calcular os esforços nas barras BH, CD e
GD.

55
Exercício

Reações de Apoio:

VB = 73.33 kN TE = 26.67 kN

Esforços nas Barras:

BH = 47.14 kN (C) CD = 6.66 kN (C) GD = 0

56
Exercício
• Calcular os esforços nas barras EF, KL e
GL.

57
Exercício

Reações de Apoio:

VA = 72 kN VI = 144 kN HI = 125 kN

Esforços nas Barras:

EF = 202 kN (C) KL = 100 kN (T) GL = 50 kN (T)

58
Exercício
• Calcular os esforços nas barras EH e AB.

59
Exercício

Reações de Apoio:

VO = 1200 N HO = 1200 N VR = 8200 N

Esforços nas Barras:

EH = 1755 N (C) AB = 4200 N (C)

60
Exercício
• Calcular os esforços nas barras AB, CG e
DE.

61
Exercício

Reações de Apoio:

VA = 2 L HA = 2 L RE = 2 √ 2 L

Esforços nas Barras:

AB = DE = 7 L / 2 (C) CG = L (C)

62
Exercício
Calcular as forças nas barras DE, JI e DO.

63
Exercício
VG = 2533,33 lb
VA = 3366,67 lb

DE = 3377,77 lb (C)
JI = 3377,77 lb (T)
DO = 944,44 lb (C)

64
4 – Forças Distribuídas

4.1- Centro de Gravidade


A ação da Terra sobre um corpo rígido é
representada por um grande número de
pequenas forças distribuídas por todo o
corpo. Se estas forças pudessem ser
substituídas por uma única força que
constituísse um sistema equivalente, o
ponto de aplicação desta força é chamado
de centro de gravidade.
65
4.1 – Centro de Gravidade
(continuação)

r = ∫ r ρ dv
∫ ρ dv

onde ρ = massa por unidade de volume

66
4.2 – Centro de Massa

r = ∫ r ρ g dv
∫ ρ g dv

onde ρ = massa por unidade de volume

67
4.3 – Centróide
r = ∫ r dv
∫ dv

• A mesma equação pode ser escrita para


linhas e áreas

r = ∫ r dL e r = ∫ r dA
∫ dL ∫ dA

68
Exercício
Calcular o centróide do triângulo da figura

b x

69
Exercício (continuação)

h / b = y / (b – x) y = ∫ y dA
y = h (b – x) y ∫ dA
b
∫ dA = ∫ y dx
h
y
∫ y dA = (y/2) y dx
dx b x

y =h
3 70
Exercício
Calcular o centróide de ½ círculo de raio r.

r
x

71
Exercício
y

y r
dx x
∫ y dA = ∫ (y / 2) y dx = ∫ (y2 / 2) dx

= ∫ ((r2 – x2) / 2) dx =
r
= (r2 x – x3 / 3) / 2 -r =

y =4r

72
Exercício
Calcular o centróide da área abaixo
da curva entre 1 e 3.
y
x = y2
4 Resposta:

x = 2.09

y = 1.43

x
1 3 73
Exercício
• Centróide de um arco de círculo.
y

α x Resposta:
α
r
x = r sen α
α

74
Exercício
• Determinar as reações em A e B da haste
semi-circular de raio r e peso P, com pino
em A e apoio simples em B.
A
Resposta:

r Ax = B = P / π

Ay = P

B
75
Exercício
• Calcular o centróide da região abaixo da
parábola.
y
Resposta:
75 mm
y = 40.83 mm

50 mm
x
150 mm 150 mm
76
Exercício
• Calcular o centróide de um cone sólido de
raio r e altura h.
z
Resposta:

h z=h/4

y
r
x
77
Exercício
• Centróide de uma meia esfera sólida.

y
R
Resposta:
x
x=3R/8

78
Exercício
• Calcular o centróide da área entre os
círculos de raio a.
y
∫√(a 2 – x2) dx = ½ (x√ (a2 – x2) + a2 arc sen x/a)

C1
Resposta:

x x = 0.34 a

C2 y = 0.5 a

79
Exercício
• Calcular o centróide da região entre a
elipse de eixo maior a e o círculo de raio
b. y
b Resposta:

a x = (4 / 3π) (a + b)
x

80
Exercício
• Calcular o centróide do volume em forma
de sino cuja geratriz é um arco de círculo
de raio a.
Resposta:
y
a x= a
a 4 (5 - 3π /2)

81
4.4 – Centróide de Áreas
Compostas

r = ∫ r dA = ∫ r1 dA1 + ... + ∫ rn dAn


∫ dA ∫ dA1 + ... + ∫ dAn

• Notar que cada uma das integrais ∫ r dA é


igual a r x A da respectiva área

• r é diferente de x’1 + x’2 + ... x’n


82
Exercício
Calcular o centróide da figura.

b
h Resposta:
H/2
x x = b2h + d2H/2
H/2
d
h
b

83
Exercício
• Calcular o centróide da área compreendida
entre as curvas.
y = x2 / 2
y Resposta:

x = 1.40
2 x
y = - 0.16

y=-x
84
Exercício
• Calcular o centróide da figura composta
de um círculo de raio R e um furo semi-
circular de raio r.
y
Resposta:

R x y= 4 r3
r 3 π (2 R2 – r2)

85
Exercício
• Calcular o centro de gravidade sabendo-
se que as barras têm uma massa de 0,5
kg por metro de comprimento e a placa
semi-circular tem uma massa de 30 kg por
metro quadrado.
Resposta:

x = 44.63 mm

y=0

z = 38.46 mm 86
Exercício
• Localizar o CG do
poste. A massa /
comprimento de cada
segmento vale: ρAB =
12 kg/m, ρBC = 8 kg/m,
ρCD = 5 kg/m e ρDE = 2
kg/m.
Resposta:

x = 0.20 m

y = 4.37 m 87
4.5 – Teorema de Pappus-
Guldinus
• Este teorema permite calcular a área da
superfície de revolução gerada pela
rotação de uma curva plana que não corte
o eixo de revolução. Permite calcular
também o volume do sólido gerado pela
rotação de uma superfície plana que não
corte o eixo de revolução.

a=θrL e V=θrA
88
Exercícios

• Cilindro
• Esfera
• Toro

89
Exercício
• Calcular o volume gerado pela revolução
de 90o, em torno do eixo y, do quadrante
de círculo de raio a, abaixo.
y
Resposta:

V = π a3 (3 π -2)
12
x
a a

90
Exercício
• Calcular a massa em toneladas do
concreto necessário para construir a
represa em arco circular de 60o cuja
seção é mostrada na figura. A massa
específica do concreto é 2,40 t/m3.
70 m 10 m Resposta:
eixo de rotação 70 m m = 1.126 x 106 t

10 m
200 m 91