Você está na página 1de 30

Sistemas Elétricos de Potência I

UNIME ITABUNA 2018.1

Departamento de Engenharia Elétrica

PROFº MARCUS VINICIUS

Sistemas Elétricos de Potência - SEP

Sistemas Elétricos de Potência - SEP
Sistemas Elétricos de Potência - SEP
Sistemas Elétricos de Potência - SEP
Sistemas Elétricos de Potência - SEP
Sistemas Elétricos de Potência - SEP
Sistemas Elétricos de Potência - SEP
Sistemas Elétricos de Potência - SEP

História dos sistemas elétricos de potência

1831 Indução eletro-magnética Michael FARADAY

1867

Dínamo Werner von SIEMENS

1879

Iluminação elétrica da Estação Central do Brasil

1881 Transformador GAULARD-GIBBS

1882 - Primeiro “Sistema” de Distribuição de energia elétrica

Thomas EDISON - Nova York Pearl Street (540 kW 110 Vcc)

1883 Primeiras Usinas brasileiras

Termoelétrica em Campos-RJ 52kW (39 lâmpadas) Hidroelétrica em Diamantina-MG

mineração

História dos sistemas elétricos de potência

1886 Primeiro Sistema CA William STANLEY e Franklin POPE George WESTINGHOUSE -

Great Barrington-MA (500V 3kV 100V) Problemas: medidor AC, motor AC e segurança

1888 CAMPO GIRANTE - NIKOLA TESLA

1889 Primeira “grande” hidrelétrica brasileira Marmelos - Juiz de Fora-MG 250kW 1kV (monofásica)

1891 Primeiro sistema trifásico Alemanha - 135km 1892 Motor de indução

(AC) Nikola TESLA

1895 - Entra em operação Complexo de Niagara Falls (20MW/30km) Westinghouse Vitória do Sistema AC

1897 Descoberta do elétron John THOMSON

História dos sistemas elétricos de potência

1920 Primeiras interconexões regionais nos EUA

1948 Criação da CHESF UHE Paulo Afonso

1954

Primeira LT HVDC Suécia (100kV 100km)

1957

Primeira Usina Nuclear - Shippingport, PA WESTINGHOUSE

1965 Grande Blecaute nos EUA

Década de 1970 Crise do petróleo Energias alternativas

1975

Início da construção de UHE Itaipu

1976

Início da contrução da UHE de Tucuruí

1982

Angra I entra em operação

1993

Início da construção de Tres Gargantas (China)

EVOLUÇÃO DO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO

Até 1900 : Várias pequenas usinas privadas, totalizando pouco mais de 10MW de capacidade instalada, sendo 53% de origem hidráulica. 1900-1930 : Expansão urbana (SP e RJ) Com o desenvolvimento da indústria do café; Entrada de Empresas estrangeiras (Light e Amforp); Usina de Fontes Velha-RJ (1909) Light 24 MW (20% da cap. instalada) Crescente participação na industria (50% da energia em 1920) Crise de 1929; 1930-1950 : enfraquecimento do modelo agrário/exportador e pela aceleração do processo de industrialização. SULGIPE Companhia Sul Sergipana de Eletricidade 1938 Ampliação do papel do Estado: regulação e investimentos Código das Águas (1934) - concessões de serviços públicos CHESF (1945) Criação de Empresas estaduais e federais de energia elétrica Plano Nacional de Eletrificação

(1946)

CHESF (1945) Criação de Empresas estaduais e federais de energia elétrica Plano Nacional de Eletrificação (1946)

EVOLUÇÃO DO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO

1950-1990 : Grande aumento da capacidade Criação do BNDE (1952) Eletrobras (1961)

Hidrelétrica de FURNAS (1963) Início das interligações regionais Criação do DNAEE (1968)

Década de 1970 : Caracterizado pela forte presença do Estado, por criação de empresas estatais. A potência instalada passou de 1.300MW para 30.000MW em pouco mais de 20 anos. Nacionalização de empresas estrangeiras GCOIs (1973) Itaipu (1975) Década de 1980 : Pela crise da divida externa brasileira, resultou cortes de gastos e investimentos pelo governo, implementado a equalização tarifária entre todos os estados brasileiros, provocando subsídios cruzados entre empresas eficientes e ineficientes.

Angra I (1985)

EVOLUÇÃO DO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO

A partir de 1990 : iniciou-se o quinto período do desenvolvimento da indústria de eletricidade no Brasil, com projeto de reestruturação do setor elétrico o Ministério de Minas e Energia

preparou as mudanças baseada no consenso político-econômico do “estado regulador.

Abertura do mercado e Desregulamentação Programa Nacional de Desestatização (1990) Privatizações Mercado competitivo Lei 9074 (1995) (ANEEL) - Agência Nacional de Energia Elétrica (1996) (ONS) - Operador Nacional do Sistema Elétrico (1998)

Programa Prioritário de Termelétricas (2000) gás natural Crise energética (2001)

EM 2004 : Novo Modelo do Setor (EPE) Empresa de Pesquisa Energética (CCEE) Câmara de Comercialização de Energia Elétrica.

Empresas geradoras e transmissoras puderam renovar antecipadamente seus contratos de

concessão desde que seus preços fossem regulados pela ANEEL.

Sistemas Elétricos de Potência - SEP

sistema energético

Conjunto de unidades que captam e transformam recursos energéticos primários (energia solar, petróleo, cana etc.) em energias secundárias passíveis de utilização pelos

consumidores (eletricidade, etanol, gasolina, carvão vegetal etc), incluindo os

imprescindíveis sistemas de armazenamento, transporte e distribuição.

Sistemas Elétricos de Potência - SEP

sistema elétrico Conjunto das instalações de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica.

sistema elétrico de potência

Conjunto de todas as instalações e equipamentos destinados à geração, transmissão e

distribuição de energia elétrica. É o conjunto definido de linhas e subestações que assegura a transmissão e/ou a distribuição de energia elétrica, cujos limites são definidos

por meio de critérios apropriados.

Sistemas Elétricos de Potência - SEP

A estrutura de um sistema de potência pode ser dividida nos seguintes estágios principais:

Fonte de energia

Conversor de energia

Sistema de transmissão

Sistema de distribuição

Carga

de energia  Sistema de transmissão  Sistema de distribuição  Carga Fonte (Pinto 2013)

Fonte (Pinto 2013)

Sistemas Elétricos de Potência - SEP

Os sistemas elétricos são representados por diagramas unifilares que representam a topologia da rede elétrica e fornecem dados significativos do sistema de potência.

Nível de transmissão.

Nível de subtransmissão.

Nível de distribuição - primária e secundária

Com tensões padronizadas no Brasil da seguinte maneira:

Transmissão: 750; 500; 230; 138; 69 Kv

Subtransmissão: 138; 69; 34,5 Kv

Distribuição primária: 34,5; 13,8 Kv

Distribuição secundária: 380/220V ,220/127V, 230/115V

*Iniciada em agosto de 2017, a LT 800 kV CC Xingu Pará /Tocantins

750Km.

Geração de Energia no Brasil

127/220V

Sistemas Elétricos de Potência SEP Planejamento

Sistemas Elétricos de Potência – SEP Planejamento Planejamento
Sistemas Elétricos de Potência – SEP Planejamento Planejamento

Planejamento

Sistemas Elétricos de Potência SEP

Objetivo

“O objetivo básico de um sistema de potência é gerar energia em

quantidades suficientes e nos locais apropriados, transmiti-la em grandes quantidades aos centros de consumo e então distribui-la aos consumidores

individuais, em forma e quantidade apropriadas e com os mais baixos custos

econômico e ecológico e a maior segurança possível.

Sistemas de Potência SENAI SC Tubarão 2003. em 17/03/18

Sistemas Elétricos de Potência - SEP

Nas etapas de planejamento e operação do sistema elétrico os requisitos

devem ser observados.

*Suprimento das demandas de potência ativa e reativa, quantidades

variáveis ao longo do tempo e que devem ser integralmente satisfeitas ao

longo da área de atuação; (crescimento econômico e populacional)

*Qualidade de serviço, a qual implica em

Pequenas variações na magnitude da tensão (± 5% em torno do valor nominal) e freqüência (± 0,05Hz em torno do valor nominal de 60Hz)

Alta confiabilidade (continuidade de serviço)

Sistemas Elétricos de Potência SEP

Sistema Interligado

Segundo o Operador Nacional do Sistema (ONS), “com tamanho e

características que permitem considerá-lo único em âmbito mundial, o

sistema de produção e transmissão de energia elétrica do Brasil é um sistema hidrotérmico de grande porte, com forte predominância de usinas

hidrelétricas e com múltiplos proprietários. O Sistema Interligado Nacional é formado pelas empresas das regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste, Nordeste e parte da região Norte. Apenas 1,7% da capacidade de produção de eletricidade do país encontra-se fora do SIN, em pequenos sistemas isolados localizados principalmente na região amazônica.

Conselho

Nacional

de

Politica

Energética

-

CNPE

É presidido pelo Ministro de Estado de Minas e Energia, é órgão de assessoramento do Presidente da República para formulação de politicas e diretrizes de energia.

para formulação de politicas e diretrizes de energia.

Empresa de Pesquisa Energética

A Empresa de Pesquisa Energética EPE tem por finalidade prestar serviços ao Ministério de Minas e Energia (MME) na área de estudos e pesquisas

destinadas a subsidiar o planejamento do setor energético, cobrindo

energia elétrica, petróleo e gás natural e seus derivados e biocombustiveis.

petróleo e gás natural e seus derivados e biocombustiveis. Estudos de Planejamento da Expansão da Transm

Estudos de Planejamento da Expansão da Transmissão 2017

Estudos de Planejamento da Expansão da Transm issão 2017 Empresa de Pesquisa Energética Anuário estatístico 2017

Empresa de Pesquisa Energética Anuário estatístico 2017

Empresa de Pesquisa Energética Anuário estatístico 2017 A Flexibilidade no Sistema Brasileiro de Energia Elétrica

A Flexibilidade no Sistema Brasileiro de Energia Elétrica

A Flexibilidade no Sistema Brasileiro de Energia Elétrica Empresa de Pesquisa Energética Balanço Energético

Empresa de Pesquisa Energética Balanço Energético Nacional 2017

Empresa de Pesquisa Energética

Elaborados pela Empresa de Pesquisa Energética EPE destinadas a

subsidiar o planejamento do setor energético, cobrindo energia elétrica,

petróleo e gás natural e seus derivados e biocombustiveis.

petróleo e gás natural e seus derivados e biocombustiveis. Anuário Estatístico 2017 www.epe.gov.br BALANÇO

Anuário Estatístico 2017 www.epe.gov.br

derivados e biocombustiveis. Anuário Estatístico 2017 www.epe.gov.br BALANÇO ENERGÉTICO NACIONAL 2017 ben.epe.gov.br

BALANÇO ENERGÉTICO NACIONAL 2017 ben.epe.gov.br

Capacidade de Geração de Energia no Brasil

Capacidade de Geração de Energia no Brasil O Brasil possui no total 4.919 empreendimentos em operação

O Brasil possui no total 4.919 empreendimentos em operação ,

totalizando 158.263.126 kW de potência instalada.

Está prevista para os próximos anos uma adição

de 18.010.630 kW na capacidade de geração do País, proveniente

dos 219 empreendimentos atualmente em construção e mais 377 em Empreendimentos com Construção não iniciada.

http://www.aneel.gov.br/aplicacoes/capacidadebrasil/capacidadebrasil.cfm

Capacidade de Geração de Energia no Brasil

Capacidade de Geração de Energia no Brasil   Empreendimentos em Operação   Tipo   Quantidade
 

Empreendimentos em Operação

 

Tipo

 

Quantidade

Potência Outorgada (kW)

Potência Fiscalizada (kW)

%

CGH

Central Geradora Hidrelétrica

668

621.735

623.971

0,39

CGU

Central Geradora Undi-elétrica

1

50

50

0

EOL

Central Geradora Eólica

510

12.532.539

12.509.743

7,9

PCH

Pequena Central Hidrelétrica

429

5.070.129

5.042.723

3,19

UFV

Central Geradora Solar Fotovoltaica

89

1.133.362

1.129.002

0,71

UHE

Usina Hidrelétrica

218

101.883.450

95.619.468

60,42

UTE

Usina Termelétrica

3.002

42.722.029

41.348.169

26,13

UTN

Usina Termonuclear

2

1.990.000

1.990.000

1,26

Total

 

4.919

165.953.294

158.263.126

100

Eletrobrás em números

Maior companhia do setor elétrico da América Latina, empresa de capital aberto, que tem

como acionista majoritário o governo federal.

Líderes em geração e transmissão de energia elétrica no país.

Maior empresa de geração de energia elétrica brasileira, com capacidade geradora equivalente a cerca de 1/3 do total da capacidade instalada do país, produzindo 170,9 milhões de MWh.

Fontes: Informes das empresas Eletrobras e Boletim de Monitoramento do Setor Elétrico (MME) -

Dezembro/2017

em 18/03/2018

Eletrobrás em números

Sua capacidade instalada atingiu 46.856 MW em 2016, o que representa 31% do total instalado no Brasil.

Do total da capacidade instalada, 94% vem de fontes limpas, com baixa emissão de gases de efeito estufa.

Empresa líder em transmissão de energia elétrica no Brasil, com aproximadamente metade do

total de linhas de transmissão do país em sua rede básica, em alta e extra-alta tensão.

aproximadamente 65 mil quilômetros de linhas de transmissão com tensão maior ou igual a 230

kV, o que representa quase metade do total das linhas de transmissão desse tipo no país ou

cerca de 1 volta e meia ao redor da Terra.

Fontes: Informes das empresas Eletrobras e Boletim de Monitoramento do Setor Elétrico (MME) -

Eletrobrás em números

São 47 usinas hidrelétricas, 114 termelétricas a gás natural, óleo e carvão, duas termonucleares, 69 usinas eólicas e uma usina solar, próprias ou em parcerias, distribuídas por todo território nacional. A parte brasileira de Itaipu, Tucuruí, Complexo Paulo Afonso, Xingó, Angra 1 e Angra 2, Serra da Mesa, Furnas, Teles Pires, Belo Monte, Jirau, Santo Antônio, Complexo Eólico Campos Neutrais e a usina Megawatt Solar.

Quanto à capacidade de transformação, é responsável por 270.267 MVA de potência distribuídos em 234 subestações em todas as regiões do país.

Teve lucro de R$ 3,4 bilhões em 2016, após quatro anos de prejuízos.

Investimentos previstos de R$ 35,8 bilhões entre 2017 e 2021.

Fontes: Informes das empresas Eletrobras e Boletim de Monitoramento do Setor Elétrico (MME) -

EXERCÍCIOS

Quais são as vantagens de um sistema altamente

interligado?

Quais mudanças estão ocorrendo na indústria das concessionárias de energia?

Quais são os diferentes tópicos necessários para a compreensão da natureza básica dos sistemas de potência?

• Quais são os diferentes tópicos necessários para a compreensão da natureza básica dos sistemas de
• Quais são os diferentes tópicos necessários para a compreensão da natureza básica dos sistemas de