Você está na página 1de 13

Basicão de Morfologia do Védico: Verbos

Caio Borges Aguida Geraldes

15 de março de 2019

1 Morfologia Verbal

Whitney § 527-41 e Macdonell § 121-2

As formas finitas do verbo védico marcam:

1. Voz: ativa e médio-passiva1 ;


2. Número: singular, dual e plural;
3. Pessoa: primeira, segunda e terceira;
4. Tempo: presente, imperfeito, futuro, aoristo, perfeito e mais-que-perfeito2 ;
5. Modo: indicativo, subjuntivo, optativo, imperativo e jussivo3 .

1.1 Desinências número-pessoais

Whitney § 542-56 e Macdonell § 131, 136


1. A voz médio-passiva é usada para fazer a passiva exceto no sistema do presente em que há um morfema especiali-
zado seguido das desinências médias.
2. Os tempos secundários apresentam pouca ou nenhuma diferença semântica entre si. Não há uma forma com o
sentido de durativo passado como ”estava fazendo”, ”fazia”. O aoristo é usado com o sentido de perfeito de modo bastante
comum.
3. Apenas para tempos secundários.

1
Ativa
Primária Secundária Perfeito Imperativo
1ª mi (a)m a / au -
Singular 2ª si s tha Ø / (d)hi / tāt
3ª ti t a / au tu
1ª vas va va -
Dual 2ª thas tam athur tam
3ª tas tām atur tām
1ª masi / mas ma ma -
Plural 2ª tha(na) ta(na) a ta(na)
3ª (a)nti (a)n / ur ur (a)ntu

Média
Primária Secundária Perfeito Imperativo
1ª e i e -
Singular 2ª se thās se sva
3ª te ta e (t)ām
1ª vahe vahi vahe ? -
Dual 2ª ethe / āthe ethām / āthām āthe ethām / āthām
3ª ete / ate etām / ātām āte etām / ātām
1ª mahe mahi mahe -
Plural 2ª dhve dhvam dhve dhvam
3ª (a)nte / ate (a)nta / ata re (a)ntām / atām

1.2 Formação dos modos

Whitney § 557-82 e Macdonell § 122


1.2.0.1 Subjuntivo:

é formado pela adição de um /a/ entre tema e desinência: bhávati > bhávāt(i). As desinências
variam entre primárias e secundárias. No singular, formas primárias e secundárias como bhávās e
bhávāsi concorrem. A primeira pessoa do singular pode ser tanto com a desinência -ā quando com
a desinência -āni.

1.2.0.2 Optativo:

é formado pela adição de um ī/yā (< PIE *-ih2 /-i̯eh2 ). A forma com grau zero é utilizada para
formas temáticas e nas formas médias em geral, enquanto a forma com grau pleno é utilizada nas
formas ativas atemáticas, ex.: bháve-t (< bhava-ī-t), bruv-ī-tá e i-yā ́-t.

1.2.0.3 Imperativo:

é formado pela adição das desinências de imperativo ao tema verbal.

1.2.0.4 Jussivo:

também chamado de injuntivo, é formado apenas pela ausência de um aumento em tem-


pos secundários como o imperfeito, aoristo e mais-que-perfeito. Sobre o jussivo, recomenda-se Der
Injunktiv im Veda de Hoffmann (1967).

1.3 Sistema do Presente

Whitney § 599-779 e Macdonell § 123-34

1.3.1 Classes de verbo

Os gramáticos indianos dividem o sistema verbal em 10 classes definidas a partir dos meios
de formação do presente. Essas classes são numeradas e são notadas nos dicionários logo após a
raiz verbal junto de um P (parasmaipada), se o verbo possui apenas flexão ativa nessa classe, A ou
Ā (ātmanepada), se o verbo possui apenas flexão médio-passiva nessa classe e U (ubhayapada) ou
PA ou nada se o verbo possui ambas as vozes quando construído na classe em questão. A divisão
comumente feita no ocidente é de formas temáticas e atemáticas.

1.3.1.1 Classes temáticas:

Whitney § 606-10, 733-775 e Macdonell § 125

As classes temáticas se caracterízam pela presença de um morfema derivacional terminado


em /a/, pelo acento fixo e pela ausência de apofonia.

I - Classe a: Raiz em grau pleno4 acentuada + a: bháv-a-ti

IV - Classe ya: Raiz acentuada + ya: krúdh-ya-ti

VI - Classe á: Raiz em grau zero + á: tud-á-ti

X - Classe aya: Raiz em grau zero ou pleno + áya: cit-áya-te5

1.3.1.2 Classes atemáticas:

Whitney § 603-5, 611-732 e Macdonell § 126-7

Essas classes apresentam movimento do acento e apofonia entre formas fortes (singular ativo)
e fracas (plural e dual ativo e formas médias). Historicamente, as classes V, VII e IX formavam uma
única classe. A classe VIII foi produzida por reanálises.

II - Classe radical: Raiz: dóh-ti (atv.) x duh-té (med.)

III - Reduplicada: Redobro + Raiz: ju-hó-ti x ju-hu-té


́
4. Nem todas as raízes tem grau guṇa, ex: vad > vádati ou krīḍ > krīḍati. Vide Whitney § 235-43.
5. Talvez não seja uma classe de presente mas uma conjugação secundária com causativos e denominativos mistura-
dos, vide Whitney § 775. Há também o trabalho de Jamison (1983).
V - Nasal nu/no: Raiz + nu/no: su-nó-ti x su-nu-té6

VII - Nasal n/na: Raiz + infixada por n/na: yu=ná=k-ti x yu=ṅ=k-té

VIII - Classe u/o: Raiz + u/o: ta-nó-ti x tan-u-té7

IX - Nasal nī/nā: Raiz + nī/nā: krī-ṇā ́-ti x krī-ṇī-té8

1.3.2 Presente

Tema de presente + desinências primárias9 : bháva-ti भव॑ त

1.3.3 Imperfeito

Aumento + tema de presente + desinências secundárias: á-bhava-t अभ॑वत्

1.4 Futuro

Whitney § 931-51 e Macdonell § 151-3

raiz forte + (i) sya10 + desinências primárias: bhav-iṣyá-ti भ व॒ य त॑

A forma é rara no védico, comumente substituída por um indicativo presente com valor fu-
turo ou por um subjuntivo. Progressivamente, o futuro passa a ser mais utilizado.

1.5 Aoristo

Whitney § 824-930 e Macdonell § 141-49


6. De raízes que recebiam um infixo apofônico *n/ne e possuiam um *u̯ .
7. Classe que apenas possui raízes acabadas em nasal, provavelmente feita por reanálise.
8. De raízes que possuiam uma laringal no final. Assim, *neH > nā e *nHC >nīC; *nHV > nV como em krīṇáte 3ªpl
média.
9. Sempre começarei descrevendo a formação do indicativo de cada tempo e sistema. Alguns morfemas podem ser
omitidos ou adicionados na formação dos demais modos.
10. A lei de RUKI descreve a retroflexivização de /s/ antecedido por /r/, /u/, /k/ e /i/. A desinência do futuro, quando
antecedida pelo /i/ se torna assim iṣya.
1.5.1 Sigmático

Whitney § 874-925 e Macdonell § 141a-46

1.5.1.1 Em sa:

Aumento + raiz em grau zero + sa + desinências secundárias: á-dhuk-ṣa-t अधु॑ त्

1.5.1.2 Em s:

Aumento + raiz + s + desinências secundárias: á-bhār (< á-bhār-s-t11 ) अभा॑र्

Gradação: alongada na ativa, fraca na média exceto se com final ī e u, nesse caso a gradação é
forte.

1.5.1.3 Em iṣ:

Aumento + raiz + iṣ + desinências secundárias: á-kram-īt (< á-kram-iṣ-t12 ) अ ॑ मीत्

Gradação: alongada na voz ativa se a raiz terminar em vogal, forte na voz média e nas raízes
em que a vogal for medial (se for possível o guṇa).

1.5.1.4 Em siṣ

: Aumento + raiz siṣ + desinências secundárias: á-yā-siṣ-am (1sg.) अया॑ सषम्13

Gradação : igual à dos aoristos em iṣ.

11. 3ªpl. ábhārṣur अभा॑षुर्


12. 1ªpl. ákramiṣma अ ॑ म म.
13. Essa forma é raríssima, só sete verbos com vinte ocorrências ao todo.
1.5.2 Simples:

Whitney § 828-55 e Macdonell § 147-8

1.5.2.1 Radical:

Aumento + raiz + desinências secundárias: á-bhū-t अभू॑त्

1.5.2.2 Aoristo em a:

Aumento + raiz + a + desinências secundárias: á-vid-a-t अ व॑दत्

1.5.3 Redobrado

Whitney § 856-73 e Macdonell § 149

Aumento + redobro + raiz + (a) + desinências secundárias: á-cī-kḷp-a-t अची॑ पत्

Gradação: não parece ser resultado de apofonia. Os temas via de regra acabam com um ritmo
jâmbico, com uma vogal longa no redobro e uma breve na raiz.

Embora não haja relação formal, os verbos que fazem esse tipo de aoristo costumam fazer
presente em -áya. A vogal temática a costuma aparecer com algumas poucas excessões.

1.6 Perfeito

Whitney § 780-823 e Macdonell § 135-40

Redobro + raiz + desinências de perfeito: babhū ́va ब॒भूव14॑

Gradação: A raiz no singular é forte e fraca nos demais números:

1. tud (bater): tutóda (1ª/3ªsg.) x tutudá (2ªpl)


14. O perfeito da raiz bhū é irregular tanto no redobro quanto no uso do grau, vide Whitney § 789a e 793b e Macdonell
§ 139.7
2. kṛ (fazer): cakára (1ªsg) x cakrá (2ªpl)15

2 Passiva

Whitney § 998-99 e Macdonell § 154-5

Raiz fraca + yá + desinências secundárias: nahyáte न॒ ते॑16

Essa forma se restringe ao presente e à 3ªsg do aoristo. Formas de indicativo, subjuntivo e


jussivo são atestadas, além de particípios.

3 Conjugações secundárias

Whitney § 996-1068 e Macdonell § 168-75

3.1 Causativa

Whitney § 1041-52 e Macdonell § 168

3.1.0.1 Tema:

Raiz (geralmente forte) + áya: vedáya- वे॒दय॑-

Em alguns casos, a leitura não é causativa mas iterativa. Um conjunto para constraste:

(1) pátati ”ele/ela voa” x patáyati ”ele/ela sobrevoa” x pātáyati ”ele/ela faz voar”

3.2 Desiderativa

Whitney § 1026-40 e Macdonell § 169-71


15. Por lei de Brugmann a forma de terceira pessoa do singular será cakā ́ra (< PIE *ku̯ e-ku̯ or-e) em oposição à primeira
pessoa cakára (< PIE *ku̯ e-ku̯ or-h2 e).
16. O acento nesse caso será distintivo: nah ”amarrar, prender” é da classe IV formando média náhyate.
3.2.0.1 Tema:

Redobro acentuado + Raiz + sa: dídāsa- ददा॑स-

3.3 Intensiva

Whitney § 1000-25 e Macdonell § 172-4

3.3.0.1 Tema:

Redobro17 + Raiz: nenek-18 नेनेक्-

Essas formas conjugam como os presentes reduplicados, com apofonia na sílaba não redu-
plicada: nénekti x nenikté. Há interposição de um i ou ī eventualmente.

3.3.0.2 Tema alternativo:

Redobro + Raiz + yá: vevijyá- वे व॒ य-

Esse tema alternativo sempre é seguido de desinências secundárias.

4 Formas nominais e adjetivais do verbo

Whitney § 951-95

4.1 Infinitivo

Whitney § 968-88 e Macdonell § 167

O infinitivo é feito a partir de nomes baseados na raiz verbal em caso acusativo, dativo,
ablativo-genitivo ou locativo.
17. Essa forma tem várias particularidades no redobro, recomendo consultar o Macdonell.
18. A raiz aqui é nij ”lavar”.
4.1.1 Dativo

Infinitivos dativos podem ser: (1) nomes radicais: pra-hyé, bhujé; (2) nomes formados por -as:
bhiyáse; (3) nomes formados por -i: tujáye; (4) nomes formados por -ti: pītáye; (5) nomes formados
por -tu: kártave; (6) nomes formados por -tavā: étavái; (7) nomes em dhi: iyádhyai; (8) nomes em
man: dā ́mane; (9) nomes em van: dā ́vane. Comentários: (i) 5 e 6 são formados a partir da raiz em
grau forte. (ii) 6 tem duplo acento. (iii) 7 possui um a de ligação. (iv) 8 talvez como gr. δόμεναι. (v) 9
talvez como gr. cipr. to-we-na-i.

4.1.2 Acusativo

Infinitivos acusativos podem ser: (1) nomes radicais: pratíram; (2) nomes em tu: kártum. Já
em sânscrito, a segunda forma será a básica para a formação de infinitivos.

4.1.3 Ablativo-genitivo

As formas são raras e se formam assim como as do acusativo: (1) nomes radicais: avapádas;
(2) nomes em tu: étos.

4.1.4 Locativos

As formas são raríssimas e todas com valor questionável, mas formadas de: (1) nomes radi-
cais: budhí; (2) um nome em tar: (vi)dhartári; (3) nomes em san: neṣáṇi.

4.2 Particípios

Macdonell § 156-62

4.2.1 Ativos

Macdonell § 156-7
4.2.1.1 Presente, futuro, aoristo:

a ”fórmula” seria tema + (a)nt/(a)t, mas as gramáticas costumam ensinar a pegar a forma da
3ªpl.ind.atv. e subtrair o i para obter a forma forte no caso do presente e futuro; ex.:

(2) a. bhávanti > bhavant


b. bhaviṣyánti > bhaviṣyánt

Para o caso do aoristo:

(3) a. Aoristo em a: tema sem aumento + sufixo vidá > vidánt


b. Aoristo em s: tema sem aumento + sufixo sákṣ > sákṣant
c. Aoristo radical: tema fraco + sufixo gam > gmánt

4.2.1.2 Perfeito reduplicado:

tema reduplicado fraco + vā ́ṃs: jaganvā ́ṃs.

Algumas formas no entanto ocorrem sem o redobro, ex.: vidvā ́ṃs.

4.2.2 Médio-passivo

Macdonell § 158-9

4.2.2.1 Futuro médio, presente médio e passivo:

formas temáticas são feitas de tema + māna:

(4) a. pres.med./pass. yájate > yájamāna


b. fut. med. yakṣyáte > yakṣyámāṇa

As formas atemáticas são formadas por tema fraco + āná: rundhāná


4.2.2.2 Perfeito médio:

tema fraco + āná, como se subtraísse a desinência de 3ªpl.med. re: jagmāná

4.2.3 Passivo

Whitney § 952-8, 961-67 e Macdonell § 160-2

4.2.3.1 Perfeito passivo:

raiz no grau zero + tá: gatá

Raízes terminadas em vogal longa, d e, raramente, c ou j trocam o sufixo por ná: dū > dūná

4.2.3.2 Futuro passivo:

raiz em grau pleno + ya: yódhya

A forma do sufixo normalmente é lida ia como em RV.I.1.2b īḷ́ i yas, inclusive produzido efeitos de
sandhi em déya < dā. Há outros sufixos utilizados, mas são extremamente raros (uma dúzia de ocor-
rẽncias, ao que tudo indica).

4.3 Gerúndio

Whitney § 989-95 e Macdonell § 163-66

Feitos com os sufixos tvī,́ tvā ́, tvā ́ya, antigos casos de um nome em tu. Adicionado direta-
mente à raiz. Como em sânscrito, esses sufixos são utilizados apenas em verbos sem preverbação.
Caso haja preverbação, usam-se os sufixos ya/yā ou, se a raiz terminar em vogal breve, tya/tyā tam-
bém anexados diretamente à raiz. Ex.:

(5) a. kṛtvī,́ kṛtvā ́, kṛtvā ́ya


b. abhikrámya
c. abhijítya
Referências

grassman, h. g. Worterbuch zum Rig-veda. Wiesbaden: O. Harrassowitz, 1873.

heenen, f. Le désidératif en védique. Amsterdam: Rodopi, 2006.

hoffmann, k. Der Injunktiv im Veda. Heidelberg: Carl Winter Universitätsverlag, 1967.

jamison, s. Function and Form in the -áya-Formations of the Rig Veda and Atharva Veda. Göttingen:
Vandenhoeck e Rupretch, 1983.

kümmel, m. j. Das Perfekt im Indoiranischen. Wiesbaden: Reicher Verlag, 2000.

macdonell, a. a. A vedic grammar for students. Delhi: Motilal Banarsidass Publishers, 1993.

monier-williams, m. A Sanskrit English Dictionary: Etymologically and Philologically Arranged with


Special Reference to Cognate Indo-European Languages, Delhi: Motilal Banarsidass, 2011.

whitney, w. d. Sanskrit Grammar: Including Both the Classical Language, and the Older Dialects, of
Veda and Brahmana. Cambridge: Harvard University Press, 1889.