Você está na página 1de 3

CAPÍTULO DOIS

PLANEJAR PARA
GARANTIR UM BOM
DESEMPENHO ACADÉMICO

As cinco técnicas de planejamento neste capítulo foram projetadas para ser co-
locadas em prática antes de você entrar na saía de aula. Elas são um pouco
diferentes das outras técnicas deste livro, porque a maior parte não é para ser
executada diante dos alunos. Pouca gente vai ver você usar estas técnicas. Mas
elas são a base para o seu sucesso dentro da sala de aula. Portanto, estão inti-
mamente ligadas às outras técnicas listadas neste livro. Para dizer o óbvio, estes
cinco tipos específicos de planejamento são cruciais para um ensino eficaz.

COMECE PELO Fl
Quando comecei a lecionar, eu me perguntava, na hora de planejar: "O que eu
vou fazer amanhã?". A pergunta revela pelo menos duas falhas no meu método de
planejamento - sem contar as minhas respostas à pergunta, muitas vezes dúbias.
A primeira falha é que eu buscava uma atividade para realizar com meus alu-
nos no dia seguinte - não buscava um objetivo, aquilo que gostaria que meus
alunos aprendessem ou pudessem fazer ao final da aula. É muito melhor começar
ao contrário, ou seja, pelo fim: pelo objetivo. Ao estabelecer o objetivo primeiro,
você substitui a pergunta "O que meus alunos vão fazer hoje?" por "O que meus
76 Aula nota 10

alunos vão entender hojg?". A resposta para a última pergunta é mensurável; para a
primeira, não. O único critério que determina o sucesso de uma atividade não é se você
consegue realizá-la ou se as pessoas parecem ter vontade de participar, mas sim se você
atingiu um objetivo que possa ser avaliado. Em vez de pensar em uma atividade ("Va-
mos ler o livro O Sol É para Todos"16), definir seu objetivo força você a se perguntar
o que seus alunos vão ganhar com a leitura. Será que eles vão entender e descrever a
natureza da coragem, como o livro mostra? Será que eles vão descrever como em cer-
tos casos a injustiça prevalece, como o livro mostra? Ou talvez eles usem O Sol Ê para
Todos para descrever como se constróem os personagens por meio de palavras e ações.
Em suma, há muitas coisas boas que
você pode fazer em classe e muitos jeitos
Por que você está ensinando diferentes de tratar cada uma delas. Sua
esse conteúdo? Quol é O • primeira tarefa é escolher a lógica mais
resultado que você espera? produtiva: por que você_esíá_ensinarido
Como esse resultado se esse conteúdo? ^uaLA^J^u]tado^ue
você espera? Como esse resultado se re-
relaciona com o que você
laciona com o que você vai ensinar ama-
vai ensinar amanhã e com ~T^~e com o que seus—r-
nhã —-—-
alunos precisam
O que Seus úlunos precisam ^ãbêfpara continúáfèlrrãpfêhdendo nos
saber para continuarem anõslúbsequentes?
aprendendo nos anOS A segunda falha da minha aborda-
Subsequentes? §em e que, normalmente, eu me pergun-
__ ______ _ tava o que fazer na noite anterior à aula.
Além de ser um óbvio sinal de procrastinação, isso também indicava que eu estava
planejando minhas aulas isoladamente, uma por vez, talvez cada uma delas vaga-
mente relacionada com a anterior - mas certamente sem refletir uma progressão in-
tencional no propósito das minhas aulas. Das duas falhas, esta é a mais perigosa. Eu
podia curar a procrastinação e planejar todas as minhas aulas na sexta-feira ante-
rior, por exemplo. Mas, enquanto eu não começasse a pensar nas minhas aulas como
partes de uma unidade maior ou desenvolvesse ideias que caminhas_sein_de_liberada_
e lentamente em direção ao domínio de conceitos maiores, eu estaria^irnrjlesmente
patinando no mesmo lugar. Na verdade, se planejasse todos os meus objetivos (e
só eles) para o trimestre inteiro com antecedência e deixasse para o último minuto
o planejamento de cada aula, eu me sairia muito melhor do que se planejasse, na
semana anterior, um conjunto de aulas definidas apenas pelas atividades.

16 Romance de grande sucesso publicado em 1960 nos Estados Unidos, que rendeu à autora, Har-
per Lee, o Prémio Pulitzer de 1961.
Planejar para garantir um bom desempenho académico 77

Grandes aulas começam com o planejamento e especificamente com Q planeja-


mento da unidade: planejar uma sequência de objetivos, um ou talvez dois por aula,
para um longo período de tempo (digamos, seis semanas). Planejamento de unidade
significa metodicamente perguntar-se como a aula de hoje é construída sobre a de
ontem e como ela prepara para a de amanhã, e como essas três aulas se encaixam em
uma sequência maior de objetivos que levam ao domínio da matéria. Logicamente,
então, planejar também implica mudar os planos: se você sabe que não conseguiu
atingir o objetivo do dia, do qual depende a aula d_e amanM^Qgê deve voltar atrás
e dar o mesmo conteúdo novamente, para se assegurar de que QS alunn^ dominem o
assunto antes de seguir adiante. Para ter certeza disso, grandes professores que uti-
lizam a técnica Comece pelo fim muitas vezes começam suas aulas recordando tudo
que eles acham que a classe ainda não aprendeu da aula do dia anterior.
O plano de aula vem depois do processo de planejamento da unidade e consiste em:

1. Refinar e aperfeiçoar o objetivo com base no resultado da aula anterior -


se a classe atingiu o objetivo de ontem.
2. Planejar uma curta avaliação diária, que vai determinar se o objetivo foi
atingido.
3. Planejar a atividade, ou melhor, uma série de atividades que levem ao
domínio do objetivo.

Usar esta sequência de plano de aula - objetivo, avaliação, atividade - organiza


o seu planejamento. Ajuda a garantir que o seu critério não será "Minha aula é
criativa?" ou "Estou usando bem as estratégias?", e sim "Será que minha aula é a
jnaneira melhor e rnais rápida de atingir o objetivo?".
Não subestime a importância disto. Critérios falhos de aula prevalecem e são
um dos grandes problemas do ensino. Os professores gostam de ser respeitados e ad-
mirados por seus pares e, quando eles elogiam as aulas dos colegas, provavelmente
vão elogiar um projeto inteligente ou o uso fiel de métodos recomendados, como o
trabalho em grupo, quaisquer que sejam os resultados. Com critérios efetivos ("Esta
aula atingiu seu objetivo?"), você pode avaliar e refinar constantemente sua estraté-
gia e sua técnica, em vez de tatear no escuro.
Em resumo, Comece pelo fim significa:

1. Progredir do planejamento da unidade para o plano de aula.


2. Usar um objetivo bem definido para estabelecer a meta de cada aula.
3. Determinar como você vai avaliar a sua eficácia para atingir a meta.
4. Decidir sua atividade.