Você está na página 1de 2

Resolução de exercícios de Direito de Regulação e Concorrência

1. Não tem relevância para o DRC por tratar-se de duas entidades


vocacionadas na prestação de serviços diferentes, em que uma visa
acumulação de lucos e outra não. Embora coexistam na vertente do
transporte, esta coexistência nos pode ser vista no regime de rivalidade
e concorrência. Logo foge do nosso campo de estudo.
2. A UP e a UEM são Instituições vocacionada a área de ensino e não na
de transporte, o transporte dos trabalhadores não tem vista a
acumulação dos lucros. Logo essa Coexistência não tem relevância
para o DRC.
3. Ainda que seja notória a título Exclusivo a circulação dos autocross
da UEM, não podemos falar de monopólio porque os funcionários por
ele transportados não são vistos como clientes, aqui não há
acumulação de lucros. Logo na e relevante para o DRC
4. Trata-se de duas entidades com finalidade bem distintas, em que visa
a acumulação de lucros e outa aprestação de serviços filantrópicos.
Ambos olham para o público de forma diferente para um o público e
cliente e para outro não. Logo não tem relevância para o DRC.
5. Não há nenhuma relevância no DRC, pois indo para matéria do
consumidor, esses agentes não estão a agir com um fim lucrativo.
6. Não há concorrência pois o grupo de Padres não tem uma finalidade
lucrativa
7. Não pode ser considerado fonte do DRC porque a o m-pesa não é uma
empresa do ramo financeiro e por sua vez o Banco de Moçambique,
actua sobre os bancos e sociedades financeiras. Dai que para este caso,
não tem nenhuma relevância para o DRC.
8. Tem relevância para DRC pois estaremos em uma situação de agentes
económicos com vista a um fim lucrativo, onde o seu mercado tem
preferência pela cerveja Manica em detrimento das outras marcas de
cerveja.
9. Tem referência para DRC pois há uma rivalidade entre uma produtora
e a outra, ambas visam um fim lucrativo.
10.Tem relevância para DRC, pois ambas são agentes económicos com
um fim lucrativo onde há concorrência entre KFC e Takdir.