Você está na página 1de 13

Univiçosa – Engenharia Civil – 4º Período – Física Elétrica (ENG113)

Prof.: Marciano Matias Ângelo

CAMPOS MAGNÉTICOS PRODUZIDOS POR CORRENTES

Lei de Ampère
Oersted, (físico dinamarquês), descobriu que partículas carregadas em movimento produzem campos
magnéticos, ou seja, uma corrente elétrica também produz um campo magnético.

A Lei de Ampère permite que, em algumas situações, seja possível a determinação da intensidade
desse campo.

Para entender a formulação matemática da Lei de Ampère, uma importante constante


considerada é μ0: permeabilidade do vácuo, cujo valor, por definição, é dado por:

Imagine que o fio condutor percorrido por uma corrente elétrica atravessa uma superfície
delimitada por uma linha fechada (uma linha que não tem início nem fim). Ou seja, o fio
condutor passa por dentro da região que tem essa linha por limite. Ao somarmos os produtos dos
campos magnéticos representados em cada trecho da linha fechada (de suas projeções nessa
linha) pelo comprimento de cada trecho, considerando toda a linha fechada, o resultado vai ser
proporcional à quantidade de corrente elétrica que atravessa a superfície.

Campo Magnético Produzido pela Corrente em um Fio Retilíneo Longo – Lei de Biot-Savart

O módulo do campo magnético a uma distância perpendicular R de um fio retilíneo longo


(infinito) percorrido por uma corrente i é dado por:

O módulo do campo B na equação acima depende apenas da corrente e da distância


perpendicular R entre o ponto e o fio. As linhas de campo de B formam circunferências
concêntricas em torno do fio, como se pode ver no diagrama da Figura da esquerda a seguir e no
padrão formado por limalha de ferro na Figura da direita a seguir. O aumento do espaçamento
das linhas com o aumento da distância reflete o fato de que o módulo de B, de acordo com a
equação anterior, é inversamente proporcional a R. Os comprimentos dos dois vetores B que
aparecem na figura também mostram essa diminuição de B com a distância.
Existe uma regra da mão direita para determinar a orientação do campo magnético produzido por
um elemento de corrente:

Regra da mão direita: Envolva o elemento de corrente com a mão direita com o polegar
estendido apontando no sentido da corrente. Os outros dedos mostram a orientação das linhas
de campo magnético produzidas pelo elemento.

Tem-se a seguir uma representação da aplicação da regra da mão direita para duas situações de
correntes de sentidos opostos.

Exercícios

1-
R:

2 – Em um certo local o campo magnético da Terra tem um módulo de 39 μT, é horizontal e


aponta exatamente para o norte. Suponha que o campo total é zero a 8,0 cm acima de um fio
longo, retilíneo, horizontal que conduz uma corrente constante. Determine o módulo da corrente.

R:
3 - Um topógrafo está usando uma bússola magnética 6,1 m abaixo de uma linha de transmissão
que conduz uma corrente constante de 100 A. Qual é o campo magnético produzido pela linha de
transmissão na posição da bússola?

R:

4- Dois fios retilíneos longos são paralelos e estão separados por uma distância de 8,0 cm. As
correntes nos fios são iguais e o campo magnético em um ponto situado exatamente entre os dois
fios tem um módulo de 300 μT. (a) As correntes têm o mesmo sentido ou sentidos opostos? (b)
Qual é o valor das correntes?

R:

Campo Magnético Produzido por uma Corrente em um Fio em Forma de Arco de


Circunferência

A figura a seguir ilustra a determinação do campo magnético produzido em um ponto por uma
corrente em um fio curvo com forma de um arco de circunferência - o ponto analisado é o centro
de curvatura. O fio em forma de arco de circunferência de ângulo central ϕ, raio R e centro C,
percorrido por uma corrente i.

O sentido do Campo magnético no centro do arco pode ser dado pela regra da mão direita,
conforme ilustrado na figura anterior da direita. O módulo do Campo nesse ponto é dado pela
equação a seguir:

Observe que essa equação é válida apenas para o campo no centro de curvatura do fio. Ao
substituir as variáveis da dessa equação por valores numéricos é preciso não esquecer que o valor
de Φ deve ser expresso em radianos.

Exercícios:

1- Uma espira circular de raio R = 20 cm é percorrida por uma corrente i = 40 A. Qual a


intensidade do campo de indução magnética criado por essa corrente no centro O da espira?
Dado: μ = 4π.10-7 T.m/A
R:

2 - Um condutor retilíneo percorrido por uma corrente i =5,0 A se divide em dois arcos
semicirculares, como mostra a Figura a seguir. Qual é o campo magnético no centro C da espira
circular resultante?

R: Zero

3 - Na Figura a seguir dois arcos de circunferência têm raios a = 13,5 cm e b = 10,7 cm; os arcos
têm abertura igual de ângulo Φ = 74,0° , conduzem uma corrente i = 0,411 A e têm o mesmo
centro de curvatura P. Determine (a) o módulo c (b) o sentido (para dentro ou para fora do papel)
do campo magnético no ponto P.

R:
a)

b) Para fora do papel.

4 - Na Figura a seguir dois arcos de circunferência têm raios R2 = 7,80 cm e R1 = 3,15 cm,
subtendem um ângulo de 180°, conduzem uma corrente i = 0,281 A e têm o mesmo centro de
curvatura C. Determine (a) o módulo e (b) o sentido (para dentro ou para fora do papel) do
campo magnético no ponto C.
R:
a)

b) Direção do vetor B no ponto C para dentro do papel.

5 - Na Figura a seguir um fio é formado por uma semicircunferência de raio R = 9,26 cm e dois
segmentos retilíneos ( radiais) de comprimento L = 13,1 cm cada um. A corrente no fio é i = 34,8
mA. Determine (a) o módulo e (b) o sentido (para dentro ou para fora do papel) do campo
magnético no centro de curvatura C da semi-circunferência.

R:
a)Os segmento retilíneos não contribuem para o campo magnético no ponto C.

b)Vetor B no ponto C para dentro da página.

6-

R:
Forças entre Duas Correntes Paralelas
Dois longos fios paralelos, percorridos por correntes, exercem forças um sobre o outro. A Figura
a seguir mostra dois desses fios, percorridos por correntes ia e ib e separados por uma distância d.
Vamos analisar as forças exercidas pelos fios.

Calculamos primeiro a força produzida pela corrente no fio a sobre o fio b da Figura anterior. A
corrente produz um campo magnético Ba, e é esse campo que produz a força da qual estamos
tratando. Para determinar a força, portanto, precisamos conhecer o módulo e a orientação do
campo Ba na posição do fio b. De acordo com a equação vista anteriormente, o módulo de Ba em
qualquer ponto do fio b é dado por:
De acordo com a regra da mão esquerda, o sentido do campo Ba na posição do fio b é para baixo.
Uma vez conhecido o campo, podemos calcular a força exercida sobre o fio b. De acordo com a
outra equação vista anteriormente, a força Fba a que está submetido um segmento L do fio b
devido à presença do campo magnético externo Ba é dada por:

A regra geral para determinar a força exercida sobre um fio percorrido por corrente é a seguinte:

Para determinar a força exercida sobre um fio percorrido por corrente por outro fio
percorrido por corrente determine primeiro o campo produzido pelo segundo fio na posição do
primeiro: em seguida, determine a força exercida pelo campo sobre o primeiro fio.

Como conclusão geral pode-se escrever: Dois fios com correntes paralelas se atraem. No caso
em que as correntes têm sentidos opostos nos dois fios eles se repelem.

Exercícios:

1. Dois fios longos, retos e paralelos, situados no vácuo, são percorridos por correntes
contrárias, de intensidade i1 = 2A e i2 = 4A. A distância entre os fios é de 0,1m. (a) Os
fios se atraem ou se repelem? (b) Com que força, para cada metro de comprimento do
fio? (c) O que ocorrera se inverter o sentido da corrente i2?

R:

2 - A Figura a seguir mostra o fio 1 em seção reta: o fio é retilíneo e longo, conduz uma corrente
de 4,00 mA para fora do papel e está a uma distância d1= 2,40 cm de uma superfície. O fio 2, que
é paralelo ao fio 1 e também longo, está sobre a superfície a uma distância horizontal d2 = 5,00
cm do fio 1 e conduz uma corrente de 6,80 mA para dentro do papel. Qual é a componente x
da força magnética por unidade de comprimento que age sobre o fio 2? E sobre o fio 1?
3 - Dois fios longos e paralelos estão separados uma distância de 8,0 cm. Que correntes de mesma
intensidade devem passar pelos fios para que o campo magnético a meia distância entre eles tenha
módulo igual a 300 μT?

R:

4 - Dois fios, retilíneos e longos, separados por 0,75 cm estão perpendiculares ao plano da página,
como mostra a figura 2. O fio 1 transporta uma corrente de 6,5 A para dentro da página. Qual deve ser
a corrente (intensidade e sentido) no fio 2 para que o campo magnético resultante no ponto P seja zero?
R:

Campo Magnético de um Solenóide


Analisaremos o campo magnético produzido pela corrente em uma bobina helicoidal formada
por espiras circulares muito próximas. Uma bobina desse tipo recebe o nome de solenóide e um
segmento está representado na figura a seguir. Vamos supor que o comprimento do solenóide é
muito maior que o diâmetro.

A Figura a seguir mostra um trecho de um solenóide “esticado". O campo magnético do


solenóide é a soma vetorial dos campos produzidos pelas espiras.
No caso de um solenóide ideal - infinitamente longo e formado por espiras muito juntas (espiras
cerradas) de um fio de seção reta quadrada, o campo no interior do solenóide é uniforme e
paralelo ao eixo central.
A Figura a seguir mostra as linhas de B em um solenóide real. O espaçamento das linhas na
região central mostra que o campo no interior do solenóide é intenso e uniforme em toda a
região, enquanto o campo externo é muito mais fraco.

A Equação a seguir constitui uma boa aproximação da quantificação do Campo magnético para
solenóides reais em pontos internos bem afastados das extremidades do solenóide.
Seja n o número de espiras por unidade de comprimento do solenóide e i a corrente nas espiras
do solenóide:

Exercícios

1 - Um solenóide ideal, de comprimento 50 cm e raio 1,5 cm, contém 2000 espiras e é percorrido por
uma corrente elétrica de 3,0 A.Sendo µ0 = 4π . 10-7 N/A2:
a) Qual é o valor de B ao longo do eixo do solenóide?
b) Qual é a aceleração de um elétron lançado no interior do solenóide, paralelamente ao eixo?
R:

a) o valor de n é dado por:


n = 2000 / 0,5  n = 4000 espiras / metro
logo,

B = µ0 . n . i = 4π . 10-7. 4.103 . 3  B = 150 x 10-4  B = 1,5 . 10-2 T

b) Como a velocidade é paralela ao campo, a força magnética é nula, portanto:

a=0

2 - Um solenóide compreende 10.000 espiras por metro. Sendo µo = 4π x 10-7 T.m/A, calcule a
intensidade do vetor indução magnética originado na região central pela passagem da corrente i = 0,4
A.

R:

Resolução: i = 0,4 A
µo = 4π x 10-7 T . m/A
ℓ = 1 metro
N = 10 000 espiras

B = 4π x 10-7 . 10 000 . 0,4/1


B = 1,6π x 10-3 T

Resposta: 1,6π x 10-3 T

3 - Duas bobinas (solenóides 1 e 2), cada uma com 100 espiras e cujos comprimentos são L1 =
20cm e L2 = 40cm, são ligadas em série aos pólos de uma bateria.
a) A corrente que passa na bobina (1) é maior, menor ou igual àquela que passa na bobina (2)?
b) O campo magnético B1 no interior da bobina (1), é maior, menor ou igual ao campo
magnético B2 no interior da bobina (2)?
c) Sabendo-se que B1 = 6,0 .10- 3 T, qual é o valor de B2?
R:

4 - Um solenóide com 95,0 cm de comprimento tem um raio de 2,00 cm e uma bobina com 1200
espiras; a corrente é 3,60 A. Calcule o módulo do campo magnético no interior do solenóide.

R:
B = 0.00571 T.