Você está na página 1de 35

www.eduardoeginacarli.blogspot.

com
Processo de Anexação
do Acre ao Brasil
Processo de Anexação
(1899 - 1909)

M ILITAR DIPLOMÁTICA
(Rev. Acreana) (Tratados)

J. Carvalho Galvez Poetas Plácido de Castro Petrópoles Brasil-Peru


Maio/1899 Julh o/1899 Dez/1900 Agosto/1902 17/nov/1903 08/set/1909
“Todos os movimentos
armados ou diplomáticos
pela posse do Acre,
findando com o Tratado de
Petrópolis, assinado entre
o Brasil e Bolívia, foram
motivados pela riqueza em
borracha existente na
floresta acreana que servia
de matéria-prima na
indústria de países como
Estados Unidos e
Inglaterra”.
Prof Dr. Carlos Alberto.
O que você
precisaria para
iniciar um grande
empreendimento
extrativista?
Para que se inicia um empreendimento comercial?
Da onde provinha o lucro gumífero?

“Você não pode esquecer que a finalidade da


produção no seringal era o lucro para os
patrões e seus financiadores, às custas, é
claro, da imposição de um regime rígido, às
vezes torturante...”

Prof Dr. Valdir Calixto.


Acre: uma História em Construção. p. 58
www.eduardoeginacarli.blogspot.com
A BORRACHA COMO MERCADORIA
O processo que tornou a borracha uma mercadoria foi o
mesmo das descobertas científicas de suas utilidades.
Até o século XVIII, a borracha era de uso exclusivo dos
indígenas.
1736 – o francês La Condamine – estudou minuciosamente
o borracha amazônica.
1770 – o químico inglês Joseph Pristley descobriu que seu
uso servia para apagar os riscos do lápis.
1791 – Emprega-se a borracha para fabricação de capas
impermeáveis.
1839 – Descoberta da VULCANIZAÇÃO por Goodyear;
1888 – Surge a PNEUMÁTICA, criada por Dunlop.
SISTEMA DE AVIAMENTO:
“O Imperialismo Maquiado”
CAPITAL INTERNACIONAL

Casas Aviadoras
Seringalistas

Seringueiros

“Tão logo a borracha se mostrou um empreendimento


rendoso, capitais estrangeiros surgiram na boca do cofre...”
Fernando Henrique Cardoso. Amazônia? Expansão do Capitalismo, 32p.
Patriotismo ou Ambição?

REVOLUÇÃO ACREANA
“Bolivianos e acreanos disputavam entre si as
migalhas do caudaloso lucro que fluía da havea
brasiliensis em direção da Europa e EUA”.
PATRIOTISMO e IDEALISMO
A quem interessava a Revolução? Quem saiu beneficiado com ela?

Impedir a
presença do
Promover a
Revolução imperialismo
incorporação
definitiva do Anglo-
Acreana americano
Acre ao Brasil
nas fronteiras
Brasileiras.
$
SERINGUEIROS: Dívidas perdoadas, terra própria e retorno ao nordeste.
SERINGALISTAS: Manutenção dos lucros e baixos impostos.
GOVERNOS DO AMAZ. e PARÁ: Manutenção dos impostos.
A QUESTÃO DOS LIMITES:
O Acre pertencia a quem?

BRASIL

PERU
BOLÍVIA
Oh pobre indígena,
mais uma vez vitimado
pela ganância do Branco.
O Processo de
povoamento do Acre
subordinado ao látex,
ACRE - final do século XIX:
foi responsável tanto
pela anexação do Acre
150 mil indígenas;
ao Brasil, como
também pelo 50 grupos tribais;
genocídio dos índios.
Devo me orgulhar 60% da população regional.
da Revolução
Acreana?
RUMO À CIVILIZAÇÃO

ACRE – início do século XXI:


8 mil indígena;
11 grupos tribais.
3% da população regional.
Madeira-Javari

A gestação
do ACRE
brasileiro.

O Tratado de Madri criou a linha Madeira-Javari.


O Tratado Santo Ildefonso a manteve. Esta linha é o
Ponto histórico para a existência do Acre.
Linhas que definiram o Acre fora do Brasil.
O Brasil em 1889
TRATADO DE AYACUCHO (1867)
A questão demarcatória já não era mais entre duas monarquias
européias, mas sim entre dois países latino-americanos em formação
(O Brasil-Imperial e a Bolívia Republicana).
A linha BENI-JAVARI substitui a MADEIRA-JAVARÍ.
“Desde o rio BENI, na sua confluência com o Madeira, para o oeste
seguirá a fronteira por uma paralela tirada da sua margem esquerda,
na latitude 10° 20’, até encontrar as nascentes do Javari... Se o Javari
tiver as suas nascentes ao norte daquela linha leste-oeste, seguirá a
fronteira por uma reta a buscar a origem do referido rio”.
O princípio do “UTI POSSIDETIS” foi mantido. A comissão
demarcatória, no entanto, se reuniu somente nos anos 1870 e 1878,
não chegando a nenhum resultado satisfatório.

A Guerra do Paraguai (1864-1870)


Foi o” pano de fundo” da assinatura do Tratado de Ayacucho.
1894 – Pando denuncia a “Os dois países
invasão brasileira em terras assinaram o Tratado sem
reconhecidamente bolivianas.
conhecer um palmo da
geografia daquele
1895 – Nova Comissão: O
representante do Brasil, Cel. desértico espaço” .
Thaumaturgo de Azevedo recusa a Leandro Tocantins
aprovar os limites de Ayacucho:
“O amazonas irá perder a melhor
zona de seu território”.Foi
substituído por Cunha Gomes.

.23 de setembro de 1898 – o


Brasil reconhecia como bolivianas
as terras abaixo da linha “CUNHA
GOMES”.
2 de Jan de 1899 :
“O Acre passou a ser administrado pela Bolívia”
(Prof Dr.Carlos Alberto)

Tudo começou com a Implantação do


Posto ADUANEIRO em Puerto Alonso

A “Revolução” não teve seu início vinculado a uma


reação Antiimperialistas contra o Bolivian Syndicate.
Ela iniciou, na verdade, com a resistência dos seringalistas em
pagar elevados impostos aos bolivianos (40%), é com o
inconformismo do governo do amazonas em perder lucros fiscais.
JOSÉ DE CARVALHO (1/maio/1899)
Eclode a 1° Insurreição
A Expedição foi patrocinado pelo governador do
Amazonas, Ramalho Júnior.
Foi liderada por José de Carvalho, advogado e
jornalista que, ao chegar em Puerto Alonso, intimou
o Delegado boliviano Moisés Santivanez retirar-se
imediatamente do território.
Para surpresa de todos, deixou o Acre em 3 de
maio de 1899, não precisando se quer de um único
disparo.
A Bolívia com medo de perder o Acre para o Brasil, pede ajuda aos EUA. Passou-
se a planejar o arrendamento da região acreana para empresários americanos e
ingleses, como forma de garantir a soberania boliviana em terras acreanas.
Um Espanhol na presidência (jul/1899 à fev/1990)
Luis Galvez e a
República dos Seringalistas
14 de julho de 1899 – Em Puerto Alonso, Galvez
proclama o Estado Independente do Acre.
 O ACRE não pertenceria nem ao Brasil e nem a
Bolívia.
 O “Império de Galvez” foi formado pelos “territórios do
Acre, Purus e Iaco”.
 Galvez buscou o reconhecimento do Acre como país,
enviando circulares para as principais potências
mundiais.
Problemas enfrentados por Galvez:
Sofreu resistência: a) seringalistas xapurienses; b) Neutel Maia,
dono do seringal Empresa. c) Capitão Leite Barbosa, proprietário
do seringal Humaitá, ex-corregedor de Paravicini.
As casas aviadoras de Manaus e Belém se recusavam a pagar
10% de impostos pela exportação da borracha.
Para pressionar o governo brasileiro a ficar neutro na disputa,
Galvez proibiu a exportação de borracha para Manaus e Belém e
não permitiu mais a navegação de navios brasileiros nos rios
Acre e xapurí.
28/dez/1899 - GALVEZ foi deposto. Assume a
presidência o Cel Souza Braga, que logo autoriza a
exportação de borracha para Manaus e Belém.
30/ jan/1900 - Retorno de Galvez . 15/fev/1900 – Galvez é
deposto novamente, só que dessa vez, de forma definitiva,
por autoridades brasileiras
EXPEDIÇÃO DOS POETAS
O civismo como qualidade maior
 23/julho/1900 – Ramalho Júnior passou a Silvério Néri o
governo do Amazonas. Assumiu o governo com o compromisso
de “libertar o Acre”, assunto que estava na ordem do dia.
 Jovens intelectuais discutiam com entusiasmo o problema
acreano, surgindo a idéia de enviar uma nova expedição ao
território em disputa.
 Poetas, advogados, médicos: “homens de letras” em geral
desembarcaram no navio “Solimões” para libertar o Acre.
 29/dez/1900 – A Expedição confronta o exército Boliviano em Porto
Acre.
“ Os POETAS fugiram quando os primeiros tiros das armas
bolivianas passaram por cima de suas cabeças” (Prof° Dr. Carlos Alberto).
Diante das dificuldades encontradas para tomar posse das
terras do Acre, a Bolívia executa um lindo PLANO. Qual?
BOLIVIAN SYNDICATE
11 de julho de 1901
Dificuldades encontradas pela Bolívia para ocupar o Acre:
1) Forte resistência brasileira;
2) Falta de Recursos financeiros humanos;
3) A prioridade econômica ainda era a mineração;
4) As condições geográficas era um grande obstáculo;

A SOLUÇÃO FOI ARRENDAR O ACRE!


 O Sindicato tinha o objetivo de administrar os impostos e explorar as
riquezas naturais do território do Acre por um período de trinta anos.
 Os lucros seriam divididos entre o Sindicato (40%) e a Bolívia (60%).

1901-1902: O ano mais boliviano que o Acre já teve


03/jan/1902 – Dom Lino Romero, o novo Delegado
Nacional das Colônias, chega a Puerto Alonso. Os objetivos
da vinda eram:
a) conter definitivamente as manifestações de
independência dos acreanos;
b) preparar o terreno para a transferência da administração
fiscal do Acre para o Bolivian Syndicate.

Abril de 1902 – Em Caquetá, Plácido de Castro


acerta com Rodrigo de Carvalho a data da “revolução”
– 14 de julho e o local – Puerto Alonso.

A falta de armas fez com que a data e o local do


início da revolução fossem mudados. Estabeleceu-se o
dia 06 de agosto – XAPURÍ.
A QUARTA Insurreição

06 de agosto de 1902 à 24 de janeiro de 1903


Principais Conflitos
XAPURÍ - Em 6 de agosto de 1902: “É cedo para la
festa. – Não é festa, é Revolução”.
VOLTA DO SERINGAL EMPRESA - Em 17 de
setembro de 1902: Plácido é derrotado pelo exército
do Coronel boliviano Rozendo Rojas.
VOLTA DO SERINGAL EMPRESA – 5 à 14 de
outubro de 1902: A revanche de Plácido de Castro.

03/Dez/1902 – Barão de Rio Branco torna-se


ministro das Relações Exteriores.
PUERTO ALONSO: A Batalha Final – 15 a 24 de
janeiro de 1903
 Desde a vitória no seringal Empresa,
Plácido de Castro já era o senhor do Alto Plácido de Castro
tornou-se um homem
Acre. rico, donos de terras
 Os bolivianos já estava desgastada: vítimas na Bolívia, acre e
de doenças, fome e desânimo. Amazonas.
Numericamente eram inferior ao exército
de Plácido de Castro.
 A última resistência dos Bolivianos foi
tentar impedir o tráfego do navio “Afuá”,
lotado de armas e alimentos. Colocaram
uma gigantesca corrente no Rio Acre.
Acreanos cerram a corrente e a vitória já
era um fato.
 Plácido de Castro foi aclamado
Governador do Estado Independente do
Acre, fazendo Xapurí a sede de seu
governo.
BARÃO de Rio Branco e o
Tratado de Petrópolis
► Tornou o Acre brasileiro, definindo seus
limites com a Bolívia. A terra conquistada
pelo Tratado representa 191 mil KM, sendo
48.100 KM2 ao sul do paralelo de 10 20’, ou
seja, em terras reconhecidamente
bolivianos.
Em troca, cedeu 2.296 KM a Bolívia (parte
do mato-grosso).
- ► O Brasil pagaria 2 milhões de libras
esterlinas à Bolívia;
► O Brasil teria que arcar com o ônus da
construção da estrada de ferro madeira-
mamoré. A Bolívia teria transito livre nos rios
acreanos.
TRATADO PERU-BRASIL -
08 de setembro de 1909
“Quando tratamos da Revolução Acreana só
escrevemos sobre o que aconteceu na
região que envolve o VALE DO RIO ACRE,
mais especificamente sobre Rio Branco,
Xapurí, Brasiléia e Porto Acre”. Raramente
nos referimos ao Vale do Juruá”. Prof
Dr.Carlos Alberto,

O Brasil concedia ao Peru cerca de 30 mil KM dos 442


mil em disputa. Portanto, o Brasil ficou com 403 mil KM.

O ACRE ATUAL: 152. 589 KM2


BRASIL/PERU

 Os peruanos chegaram à região por


volta de 1896, para extraírem o
CAUCHO (genérico do látex). Eles não
residiam na região acreana. Vinha tão
somente retirar o Caucho.
 12/junho/1904 – É formado uma
comissão para demarcar as fronteiras
nas regiões do Purus e Juruá. Do lado
do Brasil estava Euclides da Cunha.
CONTATOS

www.eduardoeginacarli.blogspot.com
eduardoaraujocarneiro@gmail.com
eginacarli@hotmail.com
Dezembro de 2003