Você está na página 1de 40

CONSTRUÇÕES I

UNIVERSIDADE METODISTA DE ANGOLA


FACULDADE DE ARQUITECTURA

TAIPA
CONSTRUÇÃO EM TERRA | SISTEMA CONSTRUTIVO VERNACULAR

DOCENTE | ARQTO. VIRGÍLIO MONTEIRO MARÇO|19


S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CONSTRUÇÕES I
GRUPO 2 | IDENTIFICAÇÃO

ROBILSON CARDOSO TOMBELA


27.686

LUZINEIDE DE JESUS GONÇALVES DA SILVA


27.318

RITA DA CONCEIÇÃO WILSON


27.841
Curso |Arquitectura e Urbanismo
DJAMILA MARÍLIA DA SILVA 3º Ano
29.007 T|Manhã
T|B
TIAGO MANUEL JOÃO S|M202
28.270

DANILO DO AMARAL GOURGEL MARTINS


11.611

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CONSTRUÇÕES I
SUMÁRIO

• CAPÍTULO I Nota Introdutória


Etimologia | Conceitos
Construção em terra | Tipos
Taipa de Pilão
Taipa de Mão

• CAPÍTULO II Processos construtivos


Referências

• CAPÍTULO III Demostrações

Referências Bibliográficas

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CONSTRUÇÕES I
CAP. I

O presente trabalho de investigação retrata sobre conceitos gerais de um


NOTA sistema construtivo vernacular/tradicional, sendo este um sistema que oferece
INTRODUTÓRIA viabilidades positivas.

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CONSTRUÇÕES I
CAP. I
• ETMOLOGIA

O termo "vernacular" deriva do latim vernaculus, que significa doméstico, nativo,


indígena. Surgiu a partir da palavra "verna" , que significa "escravo nativo" ou
VERNACULAR "escravo nascido em casa". A palavra deriva provavelmente de um antigo vocábulo
etrusco. Em arquitetura, refere-se a um tipo de arquitetura indígena própria de uma
época ou local específico (não importada ou transcrita de qualquer outro local). É
mais frequentemente aplicada a edifícios residenciais.

• CONCEITOS

ARQ. Denomina-se arquitetura vernacular (ou popular, tradicional) a todo o tipo


VERNACULAR de arquitetura em que se emprega materiais e recursos do próprio ambiente em que
a edificação é construída. Desse modo, ela apresenta caráter local ou regional.

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CONSTRUÇÕES I
CAP. I

• CONCEITOS

• Uma construção de terra é um edifício, ou outra estrutura, feita em sua maior


parte com solo. Dado que o solo é um material amplamente disponível, ele tem
sido usado em construções desde tempos pré-históricos.

• Ele pode ser combinado com outros materiais, comprimido, ou assado, com a
CONSTRUÇÃO finalidade de aumentar a resistência.
EM TERRA
• O solo é ainda um material económico para muitas aplicações, e pode ter baixo
impacto ambiental tanto durante, quanto após a construção ser finalizada.

• A terra normalmente requer algum tipo de processamento, para que possa ser
usada em construções. Ela pode ser combinada com água para
fazer lama, palha pode ser adicionada, alguma forma de material estabilizador
como cal ou cimento pode ser usado para endurece-la, e a terra pode ser
compactada para aumentar a resistência.

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CONSTRUÇÕES I
CAP. I

• VANTAGENS

• A terra crua regula a umidade ambiental: o barro possui a capacidade de absorver


e perder mais rapidamente a umidade que os demais materiais de construção;

• A terra armazena calor: como outros materiais densos como as alvenarias de


CONSTRUÇÃO pedra, o barro armazena o calor durante sua exposição aos raios solares e perde-
EM TERRA o lentamente quando a temperatura externa estiver baixa;

• As construções com terra crua economizam muita energia e diminuem a


contaminação ambiental. As construções com terra praticamente não contaminam
o ambiente, pois para prepará-Ias necessita-se de 1 a 2% da energia despendida
com uma construção similar com concreto armado ou tijolos cozidos;

• O processo é totalmente reciclável: as construções com solo podem ser


demolidas e reaproveitadas múltiplas vezes. Basta fragmentar e voltar ao
processo de preparo da massa de terra.

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CONSTRUÇÕES I
CAP. I

• DESVANTAGENS

• Não é um material de construção padronizado: sua composição depende das


características geológicas e climáticas da região. Podem variar composição,
resistências mecânicas, cores, texturas e comportamento. Para avaliar essas
características são necessários ensaios que indicam as providências corretivas
para corrigi-Ias com aditivos.
CONSTRUÇÃO
EM TERRA • É permeável: as construções com terra crua são permeáveis e estão mais
suscetíveis às águas, sejam pluviais, do solo ou de instalações. Para sanar esse
problema é necessária a proteção dos elementos construtivos: seja com detalhes
arquitetônicos ou com materiais e camadas impermeáveis.

• Há retração: o solo sofre deformações significativas durante a secagem, gerando


fissuras e trincas.

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CONSTRUÇÕES I
CAP. I

• CONSTRUÇÃO EM TERRA | TIPOS

• Lama enfileirada é uma das mais antigas abordagens para construção de


paredes. Lama úmida é preparada à mão, para fazer a base da parede, e deixada
secar. Quando seca, mais lama é adicionada, formando sucessivas fileiras até a
parede estar completa.

LAMA
ENFILEIRADA

• Casas de barro em Kandahar, no Afeganistão

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CONSTRUÇÕES I
CAP. I

• CONSTRUÇÃO EM TERRA | TIPOS

• Lama empoçada, por outro lado, é feita com uma fôrma à mão, de lama, na qual
é derramada lama muito mais úmida, e deixada secar. Cada fileira tem de 4,5cm a
LAMA 6cm de espessura, com igual medida de altura. Normalmente, a técnica é utilizada
EMPOÇADA para muros de jardim, mas não para a construção de casas, presumivelmente por
causa da preocupação com a resistência destas paredes.

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
• CONSTRUÇÃO EM TERRA | TIPOS CONSTRUÇÕES I
CAP. I

Cob, por vezes referido como "adobe monolítico", é um material de construção natural feito a partir
de solo que inclui argila, areia ou pedras pequenas, e um material orgânico, como palha. Paredes
de cob são normalmente construídas em fileiras, não têm juntas de argamassa e precisam de 30%
ou mais argila na composição do solo. Cob pode ser usado como preenchimento nos edifícios de
quadros de madeira, mas é frequentemente usado para paredes que suportam peso, e podem
suportar até 2 andares. Paredes de cob devem ter pelo menos 4cm de espessura, e a proporção
entre largura e altura não deve ser maior que 1:10. Geralmente, cob estará rebocado por dentro e
por fora por uma mistura de cal, solo, e areia. Cob é à prova de fogo, e sua massa térmica ajuda a
estabilizar temperaturas internas. Testes demonstraram que cob tem alguma resistência à
LAMA atividade sísmica, no entanto, os códigos de construção no mundo desenvolvido podem não
EMPOÇADA reconhecer cob como um material aprovado.

Já com centanas de anos de


idade. Está protegida contra
água

• Parede de Cob em Harwell, Inglaterra


MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
• CONSTRUÇÃO EM TERRA | TIPOS CONSTRUÇÕES I
CAP. I

Tijolos de relva, chamados terrone em espanhol, podem ser usados para construir
paredes resistentes e duráveis. A relva é cortada a partir de solo que tenha um tapete
denso de raizes de grama, podendo ser encontrados nas terras mais próximas do
RELVA fundo de rios. O solo cortado é deixado na margem para secar, antes de ser usado na
construção.

A argila é geralmente dura e forte quando seca, mas torna-se bem macia quando
absorve água. A argila seca ajuda a segurar uma parede de terra, mas se a parede for
diretamente exposta à chuva, ou a água vazando a partir do telhado, pode tornar-se saturada
e colapsar. Para evitar isto, a terra pode ser "estabilizada"; a prática de estabilização da terra
RELVA através da adição de cal queimado é secular.
ESTABILIZADA
Cimento Portland ou betume também podem ser adicionados à terra destinada para
construções, adicionando resistência desta forma, apesar de que a terra estabilizada não é
tão forte como argila assada ou concreto. Misturas de cimento + cal, ou pozzolana + cal,
podem também ser utilizadas para a estabilização.

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CONSTRUÇÕES I
CAP. I

• CONSTRUÇÃO EM TERRA | TIPOS

De preferência, o teor de areia do solo será entre 65% ~ 75%. Solos com baixo teor de argila,
ou com não mais que 15% de barro não-expansivo, são adequados para fazer terra
estabilizada.

• O percentual de argila pode ser reduzido pela adição de areia, se disponível. Se houver
mais de 15% de argila, pode ser necessário mais de 10% de cimento para estabilizar o
solo, o que aumenta o custo.
RELVA • Se a terra contiver pouca argila, e 10% ou mais de cimento, ela é de fato concreto.
ESTABILIZADA Cimento não é particularmente amigável com o meio ambiente, dado que seu processo de
fabricação gera grandes quantias de dióxido de carbono.

• Terra estabilizada de baixa densidade será porosa e fraca, devendo portanto, ser
compactada por uma máquina que faça blocos, ou já na parede, usando a técnica de taipá
de pilão.

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CONSTRUÇÕES I
CAP. I

DEFINIÇÃO

Esta técnica foi usada e


A Taipa é um sistema continua a ser usada até os Com o avanço da
construtivo que consiste dias de hoje, apesar de arquitectura, o seu uso
na utilizacao do barro ainda ser tida como símbolo tornou-se bastante eficaz,
molhado para o de pobreza. importante e económico.
preenchimento e
fechamento de paredes . Esta técnica é usada em
É um sistema rudimentar de grandes construções como o
TAIPA Ou construção de paredes e – Cento cultural do Canada.
muros.
Uma tecnica para
construir fundações ,
pisos e paredes usando
materias-primas naturais.

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. I • CONSTRUÇÃO EM TERRA | TIPOS CONSTRUÇÕES I

COMO SURGIU A TAIPA DE PILÃO


As paredes de taipa de pilão surgiram na China e
foram construídas pelo povo Longshan entre 2600-
1900 a.C. Essas construções surgiram no período em
que as cidades começaram a aparecer na região.
Essa forma de construção de paredes grossas
íngremes feitas, foram muito usadas em monastérios
budistas tradicionais.
Aos poucos, a técnica foi se espalhando para o
Oriente Médio e Norte da África, onde foi construída a
cidade de Cartago.
A Cidade de Catargo era governada pelos Fenícios,
sendo um grande centro comercial.
A partir desse momento, os romanos levaram a
tecnologia da taipa de pilão para a Europa.
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CONSTRUÇÕES I
CAP. I
• CONSTRUÇÃO EM TERRA | TIPOS

Taipa de pilão é uma técnica para a construção de paredes utilizando matérias-primas cruas,
como terra, giz, cal ou cascalho. Uma parede de taipa de pilão é construída colocando solo
úmido em uma fôrma temporária. O solo é compactado manual ou mecanicamente e, em
seguida, a fôrma é removida. Taipa de pilão é feita geralmente sem muita água, e portanto,
não precisa de muito tempo para secar conforme o edifício cresça. É suscetível à umidade, e
por isso deve ser colocado sobre uma base que pare a umidade ascendente, e deve ter
telhas ou alguma outra cobertura que impeça que água de cima infiltre-se. Pode ser
necessária também alguma proteção através de algum tipo de gesso, tinta, ou casca.
TAIPA DE
PILAO

• Processo de compactação da terra • Antiga escola construída em taipa de


pilao entre 1836 – 1837, em Bonbaden,
Hesse, Alemanhã.

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CONSTRUÇÕES I
CAP. I
• CONSTRUÇÃO EM TERRA | TIPOS
Também chamada de pau-a-pique, taipa de sopapo, taipa de sebe, barro armado, é uma
técnica em que as paredes são armadas com madeira ou bambu e preenchidas com barro e
TAIPA DE fibra. A matéria-prima consiste em trama de madeira ou bambu, cipó ou outro material para
MÃO amarrar a trama, solo local, água e fibra vegetal, como capim ou palha. O solo local e água
são amassados com os pés e, depois de homogeneizados, são misturados à fibra e a massa
é usada para preencher a trama. Normalmente usada para erguer parede estrutural ou de
vedação.

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. II PROCESSO CONSTRUTIVO | TAIPA CONSTRUÇÕES I

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. II PROCESSO CONSTRUTIVO | TAIPA CONSTRUÇÕES I

MARÇO|19
• CONSTRUÇÃO EM TERRA S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CONSTRUÇÕES I
CAP. I

Aspectos relevantes
Portas e Janelas
Para a colocação de portas e janelas, os fechamentos até a altura dos caixilhos e
acima destes podem ser feitos com tijolos. A amarração com as paredes é feita
através de um rasgo na taipa com machadinha. A argamassa de assentamento
pode ser a seguinte: 10 partes da mistura de terra mais I parte de cimento, e água
suficiente para formar uma pasta, deixando-a descansar de um dia para o outro.

Instalações Elétricas e Hidráulicas


As instalações hidráulicas não devem ser embutidas pois o que dá resistência à
taipa é o compacidade da sua massa, então tudo o que vier a alterar essa
estabilidade deve ser evitado. Quanto às instalações elétricas, deve-se prever
todas as possibilidades de ampliações ou deixá-las aparentes.
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. II REFERÊNCIAS DE CONSTRUÇÕES EM TAIPA CONSTRUÇÕES I

CATEDRAL METROPOLITANA DE CAMPINAS

A Catedral Metropolitana de Campinas, inaugurada em 1883,


localiza-se na Praça José Bonifácio - popularmente conhecida
como Largo da Catedral, no centro da cidade de Campinas,
no interior do estado de São Paulo, Brasil. É dedicada a Nossa
Senhora da Conceição.
A igreja começou a ser construída em 1807. Sua construção durou
mais de seis décadas, com alguns acidentes fatais. A técnica da
construção é a da taipa de pilão. O seu interior, em estilo barroco
baiano (sem douração) conta com um requintado trabalho de talha
de madeira, realizado pelos entalhadores Vitoriano dos Anjos
Figueiroa e Bernardino de Sena Reis e Almeida. No projeto como um
todo, inclusas as fachadas em estilo neoclássico, houve a
participação de vários arquitetos, dentre os quais Francisco de
Paula Ramos de Azevedo, que concluiu as obras. A Catedral
Metropolitana de Campinas é tombada pelo Conselho de Defesa do
Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico e
pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Campinas. O
edifício é tido como o maior no mundo construído em taipa de pilão,
com seus 4.000 m², e também um dos mais altos.
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. II REFERÊNCIAS DE CONSTRUÇÕES EM TAIPA CONSTRUÇÕES I

PALÁCIO DOS AZULEJOS


O Palácio dos Azulejos é um edifício histórico
localizado no Centro da cidade de Campinas, no
cruzamento das ruas Ferreira Penteado e Regente
Feijó. Tem esse nome em função de seu revestimento
de azulejos portugueses no pavimento superior. Foi
construído em 1878, para servir de moradia
a Joaquim Ferreira Penteado, barão de Itatiba.
A edificação possuía 2100m² de área construída,
sendo 1185m² correspondente ao sobrado localizado
no cruzamento e 915m² o edifício geminado, que
possuía dois pavimentos. Ao ser construído, o Palácio
dos Azulejos contou com duas técnicas de construção
básicas: a tradicional de taipa e a tijoleira. A
justificativa para o uso de ambas as técnicas estava
no fato de que a taipa, muito resistente e
característica das residências cafeeiras de São
Paulo, impunha respeito e confiabilidade; enquanto o
tijolo permitia maior versatilidade e execução de vãos
maiores.
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. II REFERÊNCIAS DE CONSTRUÇÕES EM TAIPA CONSTRUÇÕES I

Porém, como o projeto original e o seu


construtor são desconhecidos, a
compreensão da aplicação das técnicas de
construção no edifício é limitada.
Porém, mesmo depois de várias
intervenções, é possível perceber muitos dos
métodos utilizados na construção original:
acredita-se que a maioria paredes mestras
do térreo foi construída com taipa de pilão
encamisadas com tijolos; e as internas, em
taipa de mão, todas alicerçadas em pedras;
havia também uma parte da parede lateral,
feita apenas em taipa de pilão. Na escadaria
principal o método usado foi a taipa de mão,
e, no primeiro pavimento, a técnica tijoleira,
sem indícios de taipa. Nas paredes externas
do pavimento superior, foram usados tijolos
revestidos com massa; enquanto, nas
internas, foi usada a taipa de mão.
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. II REFERÊNCIAS DE CONSTRUÇÕES EM TAIPA CONSTRUÇÕES I

A cidade histórica de Guimarães encontra-se CENTRO HISTÓRICO DE GUIMARÃES


associada à emergência da identidade
nacional portuguesa no século XII. Constitui um
exemplo excepcionalmente bem conservado da
evolução de uma localidade medieval para uma
cidade moderna, com a rica tipologia edificativa
a mostrar o desenvolvimento da arquitectura
portuguesa entre os séculos XV e XIX com o
uso continuado de técnicas e materiais de
construção tradicionais.
Técnicas de construção
As técnicas construtivas dominantes são
designadas por taipa de rodízio e taipa de
fasquio. A colocação do reboco constitui o
revestimento final, sobre o qual se aplicam
tintas artesanais. Estas técnicas construtivas,
com raízes medievais, continuaram a utilizar-se
até aos nossos dias por ser um processo
construtivo de fácil execução.
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. II REFERÊNCIAS DE CONSTRUÇÕES EM TAIPA CONSTRUÇÕES I

A TAIPA DE RODÍZIO”
A taipa de rodízio constitui uma técnica de
construção de paredes exteriores e
interiores, apenas utilizada para os andares
superiores ao rés-do-chão, dado que o piso
térreo é sempre construído em alvenaria de
granito aparelhado.

“A TAIPA DE FASQUIO”
A taipa de fasquio é igualmente uma técnica
de construção de paredes exteriores e
interiores, somente utilizada para os andares
superiores ao rés-do-chão. Estas paredes
compõem-se de uma estrutura executada
com tábuas de madeira colocadas a prumo
sobre as quais se prega um segundo pano
de tábuas, diagonalmente dispostas,
travadas por último com um ripado. A este
ripado dá-se o nome de "fasquio", sendo ele
a identificação da própria técnica.
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. II REFERÊNCIAS DE CONSTRUÇÕES EM TAIPA CONSTRUÇÕES I
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. II REFERÊNCIAS DE CONSTRUÇÕES EM TAIPA CONSTRUÇÕES I

A GRANDE MURALHA DA AUSTRÁLIA


• Descrição
A Grande Muralha da Austrália, projetada pelo
escritório australiano Luigi Rosselli Architects, e
selecionada como um dos melhores projetos do ano
de 2016 pelo ArchDaily,
é um exemplo único de construção em taipa.

Com 230 metros de comprimento, a Grande Muralha é


a estrutura mais longa deste tipo na Austrália e,
possivelmente, do Hemisfério Sul, de acordo com os
seus arquitetos.

Construída no remoto noroeste da Austrália, o edifício


é feito a partir de materiais disponíveis localmente,
cujas propriedades térmicas ajudam a suportar um
clima variável.

Nós conversamos com o arquiteto Luigi Rosselli para


saber mais sobre sua escolha do material e do papel
determinante que desempenhou em seu conceito de
projeto.

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. II REFERÊNCIAS DE CONSTRUÇÕES EM TAIPA CONSTRUÇÕES I
A GRANDE MURALHA DA AUSTRÁLIA

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. II REFERÊNCIAS DE CONSTRUÇÕES EM TAIPA CONSTRUÇÕES I

A GRANDE MURALHA DA AUSTRÁLIA

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. II REFERÊNCIAS DE CONSTRUÇÕES EM TAIPA CONSTRUÇÕES I

CASA COLINAS

• Ficha Técnica
Arquitetos
FATO Arquitetura

Localização
Piracicaba, Brasil

Autor
Marcio V Hoffmann (FATO arquitetura)

Colaborador
Leandro Bocchio (COBOGÓ arquitetura)

Área
399.9 m2

Ano do projeto
2014

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. II REFERÊNCIAS DE CONSTRUÇÕES EM TAIPA CONSTRUÇÕES I

CASA COLINAS

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. II REFERÊNCIAS DE CONSTRUÇÕES EM TAIPA CONSTRUÇÕES I

KALÌ PAVILION

• Ficha Técnica
Arquitetos
Irene Librando e Nadia Peruggi

Localização
Okorase Village, Ashanti Region, Gana

Arquitetas Responsáveis
Irene Librando e Nadia Peruggi.

Área
66.0 m2

Ano do projeto
2018

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. II REFERÊNCIAS DE CONSTRUÇÕES EM TAIPA KALÌ PAVILION CONSTRUÇÕES I

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. II REFERÊNCIAS DE CONSTRUÇÕES EM TAIPA KALÌ PAVILION CONSTRUÇÕES I

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. II REFERÊNCIAS DE CONSTRUÇÕES EM TAIPA CONSTRUÇÕES I

KALÌ PAVILION

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. II REFERÊNCIAS DE CONSTRUÇÕES EM TAIPA CONSTRUÇÕES I
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. II REFERÊNCIAS DE CONSTRUÇÕES EM TAIPA CONSTRUÇÕES I
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. II REFERÊNCIAS DE CONSTRUÇÕES EM TAIPA CONSTRUÇÕES I
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
CAP. II REFERÊNCIAS DE CONSTRUÇÕES EM TAIPA CONSTRUÇÕES I

MARÇO|19
S. CONSTRUTIVO | TAIPA
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CONSTRUÇÕES I

• https://www.researchgate.net/publication/271829940_TAIPA_DE_MAO_HISTORIA_E_CONTEMPORANE
IDADE
• https://www.archdaily.com.br/br/793649/ministerio-do-meio-ambiente-disponibiliza-cartilha-sobre-tecnicas-
de-bioconstrucao

• https://pt.wikipedia.org/wiki/Constru%C3%A7%C3%A3o_de_terra
• http://www.colegiodearquitetos.com.br/dicionario/2009/02/o-que-e-taipa-2/

• http://portalvirtuhab.paginas.ufsc.br/files/2014/03/FICHA-25-Taipa-de-pil%C3%A3o.pdf
• https://www.promemoria.indaiatuba.sp.gov.br/arquivos/cefet-arquiteturas_de_terra_no_brasil.pdf

• https://www.academia.edu/7447502/A_Taipa_no_mundo
• https://core.ac.uk/download/pdf/55617538.pdf
• https://core.ac.uk/download/pdf/62457275.pdf
• https://core.ac.uk/download/pdf/55628428.pdf

• http://viver-sustentavel.blogspot.pt/2008/11/taipas-arquitetura-da-terra.html
• https://estudanteuma.wordpress.com/2013/09/09/taipas-a-arquitetura-da-terra/

• http://professoralucianekawa.blogspot.com/2015/06/taipa-arquitetura-da-terra.html
• https://fenix.tecnico.ulisboa.pt/downloadFile/395137460426/Disserta%C3%A7%C3%A3o%20Taipa_2007.
pdf MARÇO|19

Você também pode gostar