Você está na página 1de 4

EXTRAÇÃO DE ÓLEO ESSENCIAL DE CRAVO-DA-ÍNDIA POR

DESTILAÇÃO DE ARRASTE DE VAPOR


BECKER, T. a*, SILVA, J a**
a. Unisul, Santa Catarina

Resumo

Os óleos essenciais são líquidos oleosos aromáticos obtidos a partir de material vegetal e conhecidos por suas
propriedades medicinais. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a síntese do óleo essencial eugenol
através de uma destilação por arraste de vapor. Em um balão de 250 mL foram adicionados 10g de cravo da
índia e 100 mL de água destilada, o balão foi acoplado ao destilador de arraste de vapor e a temperatura foi
ajustada em 100ºC em chapa de aquecimento até a extração de 10,3 mL de amostra. A mistura foi lavada com
quatro porções de 10 mL de dicloro metano em funil de separação, na fase aquosa coletada, foi adicionado
porções de sulfato de sódio para a retirada de água e filtrado em papel filtro. Em um balão previamente pesado,
foi adicionado a mistura filtrada e em um equipamento de rotoevaporação à vácuo em banho maria, o óleo
essencial foi concentrado e pesado. Obteve-se em 10 g de cravo-da-índia aproximadamente 3,7 % de óleo
essencial, o qual atingiu 0,62 % a mais de extração em relação ao valor evidenciado na literatura que é de 3,08
% em 10g de cravo-da-índia. Desta maneira pode-se concluir que o método de destilação por arraste de vapor
foi eficaz.

Palavras-chaves: Extração, óleo essencial, cravo-da-índia.

1. INTRODUÇÃO
2

2. MÉTODO

Em um balão de 250 mL foram adicionados 150 mL de água destilada e 10,36g de cravos da índia, o
balão foi acoplado a um equipamento de destilação por arraste de vapor com chapa de aquecimento, ajustada
para 360 °C até atingir a fervura da mistura. Após aproximadamente 1 hora de destilação, foi extraído 10,3
mL de destilado. Em um funil de separação o destilado foi lavado com quatro porções de cloreto de metileno
(CH2Cl2) e em cada uma delas a fase aquosa (camada de baixo) foi coletada em um Erlenmeyer. A fase
orgânica foi secada com uma porção de sulfato de sódio anidro e filtrada com papel pregueado em um balão
de fundo redondo previamente pesado. A mistura do balão foi submetida a uma rotoevaporação em banho-
maria até concentrar o óleo essencial, o balão com o concentrado foi novamente pesado.

Figura 1 – Equipamento de destilação por arraste de vapor.


Fonte: Google Imagens

3. RESULTADOS E DISCUSSÃO

Ao destilar a mistura água e cravo-da-índia, obteve-se como destilado uma mistura de água + óleos
essenciais. Ao misturar o diclorometano ao destilado, provocou-se a separação dos óleos essenciais da água,
devido a insolubilidade do diclorometano na mesma (BORGES,2007). A repetição do processo foi para que
garantisse o total aproveitamento do material destilado. Ao adicionar o sulfato de sódio anidro, percebeu-se a
formação de precipitados, pois este é insolúvel em solventes orgânicos, essa adição teve o propósito de retirar
algumas possíveis moléculas de água ainda presentes no extrato orgânico, uma vez que o sal está anidro é
porquê está livre de quaisquer molécula de água junto a sua estrutura cristalina, as moléculas aderem a sua
estrutura cristalina, tornando-o um sal hidratado e retirando assim a água restante do extrato orgânico. Após
3

filtrar a mistura, retêm-se as partículas de sal, e obtêm-se agora um extrato orgânico ‘puro’, sem mais
moléculas de água e impurezas, somente diclorometano e óleos essenciais.
Ao levar este filtrado ao rotoevaporador à vácuo, que evapora o solvente, e posteriormente resfria seus
vapores, recolhendo-os, agora condensados num outro recipiente. O vácuo funciona como um acelerador da
ebulição, pois quanto menor a pressão menor é a ponto de ebulição e o aquecimento do evaporador à vácuo é
por meio de banho-maria, nas condições normais a evaporação demoraria bastante tempo, com este processo
separa-se o solvente (diclorometano) do ‘soluto’ (óleo de cravo), no fim da destilação à pressão reduzida, resta
no balão de destilação somente uma quantidade muito pequena de um líquido denso e bem oleoso, o óleo de
cravo que contém o eugenol, substância em maior quantidade no óleo de cravo (LIMA & OLIVEIRA, 2008).

Tabela 1 – Dados do procedimento de extração de óleo essencial

Quantidade de Massa do balão Massa do balão Massa do óleo % de óleo essencial


amostra (g) vazio (g) com óleo obtido (g) obtido (g) na amostra.
10,36 86,65 87,02 0,37 3,7

Ao avaliar o rendimento do óleo essencial presente na espécie S. aromaticum, o popular cravo-da-índia,


foi observado que o resultado está dentro do previsto, a literatura pesquisada afirma que através dos botões
florais secos é possível extrair aproximadamente 15,40% de teor de óleo essencial a partir de 50g de cravo
(OLIVEIRA, 2009). Através da presente prática obtivemos 3,7% de óleo essencial a partir de 10g da amostra.
Abaixo comparamos os resultados:

50g ----------------- 15,40%

10g ------------------ x

50x = 154

x = 3,08%

Como pode-se observar foi obtido em 10g de cravo-da-índia 3,7 % de óleo essencial, sendo 0,62 % a
mais de extração em comparação com o valor de 3,8 % evidenciado pela literatura.
4

4. CONCLUSÃO
A presente prática experimental nos permite concluir que a técnica de destilação por arraste de vapor é
eficiente na extração de óleo essencial presente no cravo-da-índia. Foi possível determinar seu rendimento de
forma simples, que foi de 3,7 % e compará-lo com a literatura 3,08%. Foi obtido um rendimento de 0,62 %
maior do que o esperado, comprovando a excelente eficiência da destilação.

5. REFERÊNCIAS
BORGES, L. R.; ASLOF, V.; CANSIAN, R. L.; MOSSI, A. J. Determinação de atividades Biológicas em extratos de
carqueja. Disponível em: www.seb-ecologia.org.br/viiiceb/pdf/1921.pdf. Acessado em: 25/04/2010;
OLIVEIRA, Rosilene Aparecida de et al. Constituintes químicos voláteis de especiarias ricas em eugenol. Rev.
bras. farmacogn. [online]. 2009, vol.19, n.3, pp. 771-775. ISSN 0102-695x;
LIMA, Israel Luiz de; OLIVEIRA, Cássio Luís Fernandes de. Obtenção de óleos essenciais de eucalipto. Disponível
em:http://www.revista.inf.br/florestal01/pages/artigos/artigo06.html. Em 23/04/2010;