Você está na página 1de 4

Capítulo I: Um exercício da imaginação

• Marca épocas:
• fundação
• descoberta de ouro em minas
• 1808, chegada dos portugueses, escolhendo Rio.
• Nos primeiros dois séculos, a história do Brasil era outra
• Salvador era a capital
• o centro financiero: engenhos de açúcar ao Nordeste
• Brasil, fruto de um Portugal confuso

• Entre d. Manuel e d. João III há uma mudança de contexto e interesses dos quais surge a
opção pelo Brasil.
• D. Manuel:
• Brasil não era prioridade
• competía com Índia
• olhava para Norte do Africa e Asia: conquistas diversas até Indonesia
• Terceirizou Brasil a mercadores: Pau Brasil
• 1503: duas missões.
• cartógrafo: mapear costa para mostrar que pertenece á Portugal
• habitar: feitoria em Cabo Frio.
• d. João III: 1521-1557
• Se enfrenta a um contexto mundial distinto:
• cristianismo se divide: Protestantismo
• monarcas:
• Carlos V, sacro Imperio
• Francisco I, da França
• Suleiman I, Imperio Otomano
• Portugal esmagada pelo Imperio e o Atlántico, não havendo mais avanço
possível pelo Marrocos
• para o Atlántico sul: Brasil e Africa subsaariana.
• Brasil exercício de imaginação de quem governou entre 1530 e 1555
• d. Manuel deixou feitorias
• d. João III, 7 cidades e meia; na qual se diferencia Sao Paulo, no interior.
• uma história diferente: as cidades são fruto de uma estratégia militar e económica,
da imaginação do d. João III

• Riscos para Portugal no Brasil:


• franceses dedicados ao contrabando, colonias… seria trabalho difícil sua expulsão.
• espanholes perto (rio da Prata) pelos sinais de ouro e prata, se fosse assim, deixariam
eles sem nada.
• Alvos do d. Joao III: 1530
• proteção do territorio
• investigação geológica
• Aposta pelo açúcar
• exercício em pequena escala em 2 ilhas, com possível produção em grande
• produto valioso, com nova classe com poder de consumo
• Brasil ou Africa: tupis eram poucos e mais dispostos de cooperar
• solo fertil
• nao seriam intermediarios da venda, controlariam todo o processo
• Capitanias 1534-1536:
• 12
• gente com dinheiro ambição e pequeno titulo de nobreza para povoar.
• Só duas funcionaram, Pernambuco e Sao Vicente
• Salvador sob o comando do proprio rei

• a história do Rio se dá pelo incontro de:


• tupis
• portugueses
• paulistas
• o lugar

• Lugar: bahía da Guanabara, Rio de Janeiro:


• beleza
• boa capacidade de defesa
• desordenada: característica de cidade colonial portuguesa.
• Geografía e geología: montanhas e vales, variação termica, etc.
• Tupis:
• teoria de migração
• tipo de pessoas:
• guerreiros antropófagos, aldeias de 500-2000 pessoas, com chefe.

• Portugueses
• relação com os tupis :
• aproveitaram-se dos conflitos entre povos nativos para acirrar divisões e dominá-
los.
• mas, também foram guiados pelos tupis, na terra… o português se “tornava” tupi.
• mestiçagem
• Paulistas:
• fundação de cidade São Paulo: diferente das outras
• Nasceu com os jesuitas
• João Ramalho: chegado em 1513, viveu como tupi, e a aliança intima que
estabeleceu com outros povos permitiu a fundação de SP.
• Sao Paulo, apenas nasceu, foi vista como ameaça pelos inimigos indios.

Capítulo VI: Por Sá ganhada


• Compara Rio de Janeiro com Buenos Aires
• entre comercio de escravos: Potosí - Angola
• distinção, Buenos Aires nao ganharam dos charrúas.
• personalidade resultante
• O desembargador Bravo: mostra que o governador do Rio era impune ao tentar
contrariar-o

Governadores
• Afonso de Albuquerque 1608-1613:
• sucessor de Martim Correa de Sa,
• tempo de desordem, arbitrario.
• Tempo marcado pela varíola
• Constantino de Menelau, 1613-
• impulso na economia
• peso oficial de açúcar : Aleixo Manuel filho,

Holanda
• O inicio de Holanda como inimigo de Portugal e Espanha no comercio
• Jorris van Spilbergen
• 1629, Mateus Costa da Amorim, morto por envenenamento… abolição de escravidão, …
• desde finais do século XVI, os jesuítas nao eram os unicos. (amigos dos Sá)
• uniões políticas: Luis Céspedes Xeria, chega em 1628, casado com Vitoria, sobrinha do
Martím de Sá (voltou ao governo 1623), futuro governador de Paraguai

• Situação frente a escravidão, oscila entre desejo de protege-los e a necessidade de mão


de obra
• escravidão negra en contra da índia:
• conhecimento de agricultura
• estavam acabando os índios
• era lucrativa

• Primeiro ataque ao Brasil pela Companhia das Indias Ocidentais 1624


• Defensa: Martim de Sá licenciou-se do governo (deixou o irmão Gonçalo) para proteger
a cidade
• atacaram Bahia, nao Rio
• em 1630-conquista de Pernambuco, Angola em 1641

• Das quatro gerações dos Sa, o menos importante, o mais carioca.


• educou-se na Espanha, onde casou com Maria Mendoça e Benevides, com 2 filhos:
Cecília e Salvador
• bom trato com índios: caçou, e foi mercador de escravos, senhor de engenho, e pensou
também como aliado dos jesuitas e como governador,
• governou Rio entre 1603-1608 e 1623 ate a morte 1632

Os Sá
Mem de Sá
sobrinho Estácio de Sá
sobrinho Salvador Correia de Sá
Martín Correia de Sá
Salvador Correia de Sá e Benevides

– Páu Brasil
descrever que é a Companhia de comercio Holandesa.