Você está na página 1de 7

Corpus et Scientia, ISSN: 1981-6855 v. 8, n. 1, p.60-66, jun.

, 2012

60

BENEFÍCIOS DA CADEIA CINÉTICA FECHADA


NA REABILITAÇÃO DE PACIENTES COM
LESÃO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR

Welton Silva Pereira1


André Luiz Velano de Souza2

RESUMO
A articulação do joelho é a maior e uma das mais complexas
articulações do corpo, tanto do ponto de vista estrutural quanto
funcional, satisfazendo os requisitos de uma articulação de
sustentação de peso. Assim sendo, é alvo de uma variedade de
lesões que alteram o seu desempenho e sua função. A ruptura
do ligamento cruzado anterior (LCA) do joelho é uma lesão muito
comum, especialmente nos esportes, sendo o mecanismo de lesão
mais comum o de pivô, onde as forças usualmente envolvidas
são: desaceleração com o pé fixo no solo e o joelho em valgo. O
objetivo deste trabalho é demonstrar os benefícios da utilização
dos exercícios de cadeia cinética fechada (CCF) em pacientes
no pós-operatório de reconstrução do LCA. Há evidências que
apontam que os exercícios em CCF são indicados como mais
segurança devido ao menor estresse causado no LCA, menor força
de cisalhamento, maior estabilidade articular e por ativar não
somente os músculos específicos da articulação do joelho, mas
outros músculos do membro inferior. Entretanto, mais estudos são
necessários para se encontrar mais evidências sobre os exercícios
de CCF no tratamento desta lesão tão incapacitante.

Palavras-chave: Cadeia Cinética Fechada. Cirurgia. LCA. Reabilitação.

1. Fisioterapeuta
weltonsilva_p@hotmail.com

2. Professor de Fisioterapia da FUPAC-TO


velano@bol.com.br
Corpus et Scientia, ISSN: 1981-6855 v. 8, n. 1, p.60-66, jun., 2012

61

ABSTRACT
The knee joint is the largest and one of the most complex joints in
the body, both in terms of structural and functional, meeting the
requirements of a weight-bearing articulation. So, is the target of
a variety of lesions than which alter its performance and function.
The rupture of the anterior cruciate ligament (ACL) knee injury
is a very common, especially in sports, being the most common
mechanism of injury the pivot, where the forces usually involved
are: deceleration with the foot fixed on the soil and the knee in
valgus. The objective of this work is demonstrate the benefits of
the use of closed kinetic chain exercises (CKC) in patients in post
operative ACL reconstruction. There is evidence to indicate that in
CKC the exercises are indicated as more security because of the
lower stress caused in the ACL, lower shear force, greater auricular
stability and of activate not only the specific muscles of the knee
joint, but other muscles of the lower limb. However, further
studies are necessary to find out more evidences about exercises
CCF in the treatment of this so disabling injury.

Keywords: Closed Kinetic Chain. Surgery. ACL. Rehabilitation.

1 INTRODUÇÃO

Segundo Mantovani et al. (2007) a articulação


do joelho é a maior e uma das mais complexas
articulações do corpo, tanto do ponto de vista
estrutural quanto funcional, e satisfaz os
requisitos de uma articulação de sustentação
de peso. Assim sendo, é alvo de uma variedade
de lesões que alteram o desempenho de sua
função. Três estruturas ósseas compõem a
articulação do joelho: tíbia, fêmur e patela. Estas
estruturas formam duas articulações distintas:
patelofemoral e tibiofemoral. Porém, por existir
uma relação mecânica entre as duas, ao se falar
em função, não podem ser sempre classificadas
separadamente.
Corpus et Scientia, ISSN: 1981-6855 v. 8, n. 1, p.60-66, jun., 2012

62

Conforme Dutton (2007) um dos problemas do fisioterapeuta na reabilitação das lesões


do complexo articular do joelho é o fato de ligamentares, este trabalho tem como objetivo
que ele não foi destinado originalmente para demonstrar os benefícios da utilização dos
movimento bipedal. Modificações evolutivas na exercícios de CCF nas disfunções da articulação
rotação femoral, na obliquidade femoral e no do joelho em pacientes no pós-operatório de
desenvolvimento de uma patela óssea permitiram reconstrução do LCA.
ao joelho se adaptar às principais mudanças a que
é submetido durante demandas funcionais. 2 METODOLOGIA
O ligamento cruzado anterior (LCA) é o
principal responsável pela estabilidade ântero- Este trabalho trata-se de um estudo de
posterior do joelho, junto com o ligamento revisão bibliográfica não sistemática, de caráter
cruzado posterior (LCP); 50% das lesões na descritivo e exploratório, qualitativo, sobre
articulação do joelho recaem sobre o LCA. As os benefícios da cadeia cinética fechada na
lesões ocorrem principalmente em atividades reabilitação de pacientes com lesão do LCA.
esportivas, por submeterem o ligamento a Para a formulação do presente trabalho, foi
grandes tensões (CARDOSO et al., 2008). utilizado o banco de dados dos sites PUBMED,
Prentice (2012) ressalta que a lesão do LCA é a SCIELO e GOOGLE ACADÊMICO, bem como a
mais séria das lesões ligamentares do joelho. biblioteca da FUPAC-TO.
De acordo com Jorge (2008) a ruptura do Foram escolhidos artigos e livros referentes
LCA é uma lesão freqüente, principalmente em ao tema, com até 10 anos de publicação, com as
jovens, o que gera uma instabilidade que pode seguintes palavras chaves: Cirurgia, Reabilitação,
ser incapacitante. Sendo assim, o objetivo da LCA, Cadeia Cinética Fechada. Foram excluídos
reconstrução cirúrgica é restaurar a cinemática os trabalhos que não fossem escritos na língua
normal do joelho, prevenindo a instabilidade portuguesa ou inglesa.
sintomática e o processo degenerativo articular
prematuro. 3 DISCUSSÃO DOS RESULTADOS
Algumas suposições são apresentadas para
a utilização de exercícios em cadeia cinética Segundo Souza et al. (2007) durante muitos
fechada (CCF) do ponto de vista biomecânico, anos, fisioterapeutas dedicados à reabilitação
sugere-se que esses exercícios são mais seguros de atletas utilizaram os exercícios em CCA, no
e produzem estresses e forças que oferecem qual os movimentos são desenvolvidos com
menor risco às estruturas em recuperação o segmento distal livre, para o fortalecimento
quando comparados com os exercícios em cadeia da extremidade inferior. Todavia, uma melhor
cinética aberta (CCA) (SOUZA et al., 2007). Os compreensão da cinesiologia e da biomecânica
exercícios em CCF são indicados com segurança, proporcionou a atual aplicação dos exercícios em
pois produzem um padrão de recrutamento CCF, os quais foram incorporados aos protocolos
muscular que simula as atividades funcionais de reabilitação, principalmente, da articulação
e evitam estresse nos ligamentos cruzados do joelho. Este tipo de exercício envolve
(ANDRADE; DELANO; FREIRE, 2007). movimentos multiarticulares executados com a
Considerando a importância da atuação extremidade distal fixa.
Corpus et Scientia, ISSN: 1981-6855 v. 8, n. 1, p.60-66, jun., 2012

63

Os exercícios em CCA, por serem mais uma menor força de cisalhamento posterior
seletivos, resultam em um maior estresse para da tíbia em CCF, comparada com a CCA a 60º
a articulação do joelho. Estes resultados podem e 90º de flexão. Portanto, os exercícios de
ser atribuídos às mudanças dos músculos da CCF, comparados aos de CCA, produziram
coxa de indivíduos com lesão de LCA a fim de uma menor força de cisalhamento anterior
impedir a excessiva translação anterior da tíbia, e posterior principalmente entre 30º e 60º
que ocorre principalmente no final da extensão de flexão do joelho, diminuindo a tensão dos
em CCA, indo contra a função principal do LCA, ligamentos cruzados. Sendo assim, os exercícios
que é de impedir esta translação anterior da de CCF foram mais indicados e eficientes para a
tíbia em relação ao fêmur (PIZZATO et al., 2007). reabilitação no pós-operatório de pacientes com
Concordando com o autor acima, Vasconcelos lesão de LCA (PAIZANTE; KIRKWOOD, 2007).
et al. (2007) relataram que várias restrições são Em outro estudo comparando a CCA e a CCF
impostas em relação a utilização dos exercícios de na reabilitação do LCA, Yack et al. (1993 apud
CCA no tratamento de reabilitação de pacientes LESH, 2005), demonstraram que o estresse para
com lesão de LCA. Estas restrições são devidas aos o LCA foi minimizado quando usado exercícios
vários trabalhos publicados que indicam que esses em CCF (mini-agachamento, por exemplo), se
exercícios causam uma excessiva translação tibial comparados com exercícios em CCA (extensão
em ângulos de execução entre 45° a 0°. Como resistida, por exemplo).
o LCA é o principal restritor deste movimento, Estudos demonstraram que apesar dos
esta translação anterior da tíbia excessiva pode, exercícios de CCA e CCF serem eficazes e
no período inicial de recuperação, promover um promoverem uma melhoria da funcionalidade e
stress no enxerto do LCA; é nesta fase inicial que redução da intensidade da dor, após 8 semanas
há osteointegração e a revascularização do enxerto de intervenção, os exercícios em CCF foram
dentro dos túneis ósseos. Esta translação anterior da superiores aos de CCA (FEHR et al., 2006).
tíbia tem ação deletéria para o mesmo e pode causar Apesar da comprovada eficácia dos
uma sobrecarga nos outros restritores que atuam exercícios de CCF e eles serem mais seguros e
secundários ao LCA, que são: os meniscos, a cápsula mais funcionais, alguns autores defendem a
articular, a cartilagem, os ligamentos colaterais. incorporação dos dois tipos de exercícios na
Esta disfunção pode levar a uma degeneração da reabilitação pós-operatória, pois acredita-se que
articulação do joelho. Sendo assim, este trabalho ambos os exercícios possam ser utilizados para
demonstrou superioridade dos exercícios de CCF uma melhor recuperação do paciente, porque
em relação aos exercícios de CCA. ambos os exercícios podem ser modificados
Um estudo comparativo foi realizado para minimizar o risco de aumentar a tensão no
comparando a força de cisalhamento anterior enxerto do LCA e na articulação patelo-femoral.
e posterior durante a flexão e a extensão do Além disso, os melhores exercícios são aqueles
joelho em contração isométrica, tanto em CCA que maximizam a habilidade dos pacientes
quanto em CCF: a 30º, 60º e 90º de flexão. de alcançar seus objetivos e ao mesmo tempo
Os resultados do estudo demonstraram uma minimizam o risco de novas lesões (PAULA;
diminuição da força de cisalhamento anterior LEITE; NOGUEIRA, 2009).
entre 30º e 60º de flexão de joelho em CCF e Conforme Cosmo, Silva e Deliberato (2005) os
Corpus et Scientia, ISSN: 1981-6855 v. 8, n. 1, p.60-66, jun., 2012

64

exercícios de CCF, por suas vantagens, podem ser


incorporados imediatamente, quando as forças
sobre o enxerto estão reduzidas. Atividades
em CCF não resultam na atuação de um grupo
isolado de músculos e são paralelas às contrações
controladas que ocorrem durante as atividades
esportivas. Elas são importantes componentes da
reabilitação dos ligamentos do joelho.
Os exercícios em CCF são intensamente
utilizados nos protocolos de reabilitação
de reconstrução do LCA. Exercícios como
agachamento, step e leg press são utilizados por
serem mais fisiológicos, minimizando a tensão
aplicada no enxerto e causando menor dor
anterior, quando comparados aos exercícios CCA.
Os exercícios em CCF permitem uma reabilitação
ideal do LCA reconstruído, minimizando forças
potencialmente danosas sobre o enxerto e a
lesão da articulação patelofemoral (COSMO;
SILVA; DELIBERATO, 2005).

4 CONSIDERAÇÕES FINAIS

De acordo com os estudos analisados os exercícios de CCF são


os mais indicados e mais eficazes na reabilitação de pacientes pós-
operados de lesão de LCA quando comparados aos exercícios de CCA.
Os motivos pelos quais os exercícios de CCF são mais eficientes
são devido a vários fatores: são multiarticulares, em que ocorre uma
flexão simultânea do quadril, joelho e tornozelo, proporcionando
uma co-contração de diversos músculos, a qual representa um
fator importante para a estabilidade dinâmica e produzem um
recrutamento muscular semelhante as atividades desenvolvidas
pelo paciente no seu dia a dia sendo assim mais funcionais e
eficientes para a recuperação do LCA. Além disso, eles evitam a
translação anterior tibial que é um movimento prejudicial para o
enxerto do LCA.
Há evidências de que os exercícios de CCA possam entrar no
tratamento da lesão de LCA, mas devem ser inseridos com cautela
e em uma fase mais avançada da reabilitação onde eles podem ser
Corpus et Scientia, ISSN: 1981-6855 v. 8, n. 1, p.60-66, jun., 2012

65

prescritos para um fortalecimento específico de um determinado


grupamento muscular, pois na fase inicial são prejudiciais na
preservação do procedimento cirúrgico efetuado.
Apesar dos estudos revisados indicarem que os exercícios em
CCF tenham um papel mais relevante no PO da lesão de LCA, por
serem mais eficientes e funcionais, mais estudos aprofundados
sobre o assunto são necessários para se comprovar a eficácia
desses exercícios.

REFERÊNCIAS

ANDRADE, A. M.; DELANO, A.; FREIRE, T. FEHR, G. L. et al. Efetividade dos exercícios
Estudo do tratamento fisioterapêutico na em cadeia cinética aberta e cadeia cinética
pós-reconstrução simultânea dos ligamentos fechada no tratamento da síndrome da dor
cruzados do joelho - uma revisão da literatura. femoropatelar. Rev. Bras. Med. Esporte,
Rev. Saúde. Com., Salvador. v.3, n.2, p.87-95, Campinas, v.12, n. 2, p. 66-70, mar./abr., 2006.
2007. Disponível em: <http://www.uesb.br/ Disponível em:<http://www.scielo.br/pdf/
revista/rsc/v3/v3n2a10.pdf>. Acesso em: 23 rbme/v12n2/v12n2a02.pdf>. Acesso em: 10
set. 2011. out. 2011.

CARDOSO, J. R. et al. Atividade eletromiográfica JORGE, F. S. Acompanhamento do processo de


dos músculos do joelho em indivíduos com reabilitação pós-reconstrução do LCA através
reconstrução do ligamento cruzado anterior da representação gráfica do arco de movimento
sob diferentes estímulos sensório-motores: ativo do joelho. Revista Perspectivas Online,
relato de casos. Revista Fisioterapia e Pesquisa, Campos dos Goytacases, [S. l.], v.5, n.1, p.
Londrina, v. 15, n.1, p.78-85, 2008. Disponível 121-125, 2008. Disponível em:<http://www.
em:<http://www.revistasusp.sibi.usp.br/pdf/ perspectivasonline.com.br/revista/2008vol2n5/
fpusp/v15n1/13.pdf>. Acesso em: 15 out. 2011. volume%202(5)%20artigo12.pdf>. Acesso em: 2
out. 2011.
COSMO, M. S.; SILVA A. S.; DELIBERATO, P.
C. P. Análise de protocolos de tratamento LESH, S. G. Ortopedia para o Fisioterapeuta.
fisioterapêuticos pós-reconstrução do Rio de Janeiro: Revinter, 2005. 530p.
ligamento cruzado anterior com a utilização
do terço médio do tendão patelar. Revista MANTOVANI, J. et al. Análise da prevalência
Brasileira de Ciências da Saúde, São Caetano de dor patelofemoral em acadêmicos do
do Sul, [S.l], ano III, n. 6, p.24-29, jul/dez 2005. curso de educação física, Iniciação Científica
Disponível em:<http://seer.uscs.edu.br>. CESUMAR, Maringá v. 9, n.1, p. 33-38 Jan./Jun.
Acesso em: 1 nov. 2011. 2007. Disponível em: <http://www.cesumar.
br/pesquisa/periodicos/index.php/iccesumar/
DUTTON, M. Fisioterapia ortopédica: exame, article/view/476/249. Acesso em: 22 set. 2011.
avaliação e intervenção. Porto Alegre: Artmed,
2007. 648p. PAIZANTE, G.O; KIRKWOOD, R.N. Reeducação
Corpus et Scientia, ISSN: 1981-6855 v. 8, n. 1, p.60-66, jun., 2012

66

proprioceptiva na lesão do ligamento SOUSA, C. O. et al. Atividade eletromiográfica


cruzado anterior. Rev. Meio Amb. Saúde, no agachamento nas posições de 40o, 60o
[S.l.], v.2, n.1, p. 123-135, 2007. Disponível e 90o de flexão do joelho. Rev. Bras. Med.
em:< http://www.antoniocgomes.com/cms/ Esporte, João Pessoa, v. 13, n. 5, p.310-316,
pdf/14092010113125.pdf>. Acesso em: 12 de set./out., 2007. Disponível em:<http://www.
out. de 2011. scielo.br/pdf/rbme/v13n5/06.pdf>. Acesso em:
22 set. 2011.
PAULA, B. F.; LEITE, V. R.; NOGUEIRA, D. V.
Exercícios de cadeia cinética aberta e de THIELE, E. Protocolo de reabilitação acelerada
cadeia cinética fechada para a reabilitação no após reconstrução de ligamento cruzado
pós-operatório de reconstrução do ligamento anterior - dados normativos. Rev. Col. Bras.
cruzado Anterior. Rev. Científica FEPI. Itajubá, Cir., Rio de Janeiro, v.6 n. 36, p. 504-508, 2009.
v. 1, n. 1, 2009. Disponível em:<http://www. Disponível em:<http://www.scielo.br/pdf/rcbc/
fepi.br/fepi_site/revista/artigos/aprovados/ v36n6/08.pdf>. Acesso em: 15 set. 2011.
biologica/2009/21 08-2009__11-28-59__.pdf>.
Acesso em: 10 out. 2011. VASCONCELOS, R. A. et al. Análise da translação
anterior da tíbia, pico de torque e atividade
PIZZATO L. M. et al. Análise da freqüência eletromiográfica do quadríceps e isquiotibiais
mediana do sinal eletromiográfico de indivíduos em indivíduos com lesão do ligamento cruzado
com lesão do ligamento cruzado anterior em anterior em cadeia cinética aberta. Acta ortop.
exercícios isométricos de cadeia cinética aberta Bras., São Paulo, [S. l], v.15, n.1, p.14-18, 2007.
e fechada. Rev. Bras. Med. Esporte, Ribeirão Disponível em: <http://redalyc.uaemex.mx/
Preto, v. 13, n. 1, p.1-5, jan/fev, 2007. Disponível pdf/657/65715103.pdf >. Acesso em: 22 set.
em:<http://www.scielo.br/pdf/rbme/v13n1/02. 2011.
pdf>. Acesso em: 10 out. 2011.

PRENTICE, William E. Fisioterapia na prática


esportiva. Uma abordagem baseada em
competências. Porto Alegre: AMGH, 2012. 880p.

Endereço para correspondência:


Welton Silva Pereira
weltonsilva_p@hotmail.com