Você está na página 1de 23

11/25/18

A Tabela Periódica
Moderna

Johann Dobereiner (1780 – 1849)


Em 1829, classificou alguns elementos em grupos de três, que denominou
tríadas. Os elementos de cada tríada tinham propriedades químicas
similares.
Por exemplo, a massa atômica média das massas dos elementos nas
extremidades, é parecido a massa atômica do elemento de em médio

Exemplos: Cl, Br, I


Li, Na, K
Ca, Sr, Ba

Exemplo: Para o 36Cl, 80Br, 127I,


Somando 36 (Cl) + 127 (I) e dividimos por 2 = 81,

1
11/25/18

John Newlands (1838 – 1898)


Em 1863, Newlands propõe que os elementos se
ordenassem em “oitavas”. Ele observou, ao organizar os
elementos segundo o incremento da massa atômica, que
certas propriedades se repetiam cada oito elementos.

Lei das Oitavas

Dmitri Mendeleev (1834 – 1907)

• Classificou os 63 elementos conhecidos na


época utilizando o critério de massa atômica
crescente.
• Deixou espaços para elementos ainda não
descobertos.

• Antecipou a existência e propriedades de novos elementos, tais


como o germânio (Ge) e erros nas medições das massas atômicas
de elementos já descobertos.
• Por exemplo, colocou o telúrio (Te) antes que o Iodo (I) apesar de
que a massa atômica do iodo era menor do que a massa do telúrio.

2
11/25/18

A Tabela de Mendeleev

Após a descoberta do Sc, Ga, Ge, entre 1874 e 1885, foi demonstrada a
grande exatidão das predições de Mendeleev e a Tabela Periódica foi
aceitada pela comunidade científica.

3
11/25/18

Lothar Meyer (1830 – 1895)


Na mesma época que Mendeleeiev, Meyer publicou sua
propria Tabela Periódica com os elementos ordenados de
menor a maior massa atômica.

Em 1870, Meyer mostrou a relação de periodicidade entre volume atômico


e massa atômica, traçando um gráfico destas propriedades.

Após isso ele tentou mostrar a mesma relação de


periodicidade de outras propriedades dos elementos,
em função da massa atômica.

Henry Moseley (1887 – 1915)


Em 1913, mediante estudos de raios X, determinou a carga nuclear
(número atômico) dos elementos. Reagrupou os elementos em ordem
crescente de número atômico.

“Existe no átomo uma quantidade


fundamental que se incrementa em passos
regulares de um elemento a outro. Esta
quantidade só pode ser a carga do núcleo
positivo central”

A lei da periodicidade química :“ as propriedades dos elementos são funções


do número atômico"

4
11/25/18

Glenn T. Seaborg (1912 – 1999)


• Seaborg descobriu todo os elementos transurânicos (do 94 até 102)
• Em 1944, reorganizou 14 elementos da estrutura principal da Tabela
Periódica propondo sua atual localização embaixo da serie dos
Lantanídeos, sendo desde então conhecidos como os actinídeos.

Seabórgio

Seaborg é a única pessoa que, em vida, viu


designar um elemento com seu nome .

“Este é a maior honra eu já tive, quicas melhor do que


ter ganho o Premio Nobel” .
(Glenn T. Seaborg)

5
11/25/18

A “Geografía” da Tabela
Periódica Atual

6
11/25/18

As colunas verticais da Tabela


Periódica são denominadas GRUPOS
(ou FAMILIAS)

Os elementos que conformam um mesmo grupo apresentam a mesma


configuração eletrônica do último nível energético e portanto,
propriedades físicas e químicas semelhantes.

Grupo IA (1A, 1)

Metais Alcalinos

7
11/25/18

Grupo IIA (2A, 2)

Metais Alcalinoterrosos

Grupo IIIA (3A, 13)

Metais Terrosos ou Grupo do Boro

8
11/25/18

Grupo IVA (4A, 14 )


IVA

C
Si
Ge
Sn
Pb

Grupo do Carbono (“Carbonoídeos”)

Grupo VA (5A, 15 )
VA

N
P
As
Sb
Bi

Grupo do nitrogênio (“Nitrogenoídeos”)

9
11/25/18

Grupo VIA (6A, 16 )


VIA

O
S
Se
Te
Po

Calcogênios

Grupo VIIA (7A, 17)

Halogênios

10
11/25/18

Grupo VIIIA (8A, 18 )

Gases Nobres

As fileiras horizontais da Tabela periódica são


denominadas de PERÍODOS.

Contrario aos grupos da tabela periódica, os elementos que


compõe uma mesma fileira têm propriedades diferentes mas
massas semelhantes: todos os elementos de um período têm
o mesmo número de orbitais

11
11/25/18

Metais de transição

Metais de Transição Interna


Serie dos Lantanídeos e Actinídeos

Estes elementos também recebem o nome


de terras raras.

12
11/25/18

Elementos Representativos

Metais de Transição

Bloco d
Bloco p
Lantanídeos
Bloco s
Actinídeos

Bloco f

A Tabela Periódica Atual

Bloco “d” Bloco “p”


Bloco “s”

Bloco “f”

13
11/25/18

A Tabela periódica atual


• Usa a ordem crescente do número atômico, ao mesmo
tempo que se colocam os elementos com propriedades
semelhantes na mesma coluna.
• Ha uma relação direta entre o último orbital ocupado por
um e– de um átomo e sua posição na tabela periódica.
• Se classifica em quatro blocos:
– Bloco “s”: (À esquerda da tabela)
– Bloco “p”: (À direita da tabela)
– Bloco “d”: (No centro da tabela)
– Bloco “f”: (Na parte inferior da tabela)

Propriedades Atômicas e as Tendências


Periódicas
As propriedades periódicas dos elementos são características de ditos
elementos que variam com regularidade quando eles são organizados
em ordem crescente de seu número atômico.

• Dimensões Atômicas
– Raio atômico:
• Raio covalente
• Raio metálico.
– Raio iônico
• Energia de ionização
• Afinidade ao elétron
• Eletronegatividade

14
11/25/18

Raio atômico

É a distância do centro de um átomo ao centro do outro.


• Raio covalente (ligação entre não metais)
•Raio Iônico (ligação entre um metal e não metais
•Raio metálico (ligação entre átomos no metálicos)

Raio atômico

15
11/25/18

Variação do raio atômico em um grupo.

• Em um grupo, o raio atômico


aumenta ao aumentar o período. Grupo 1

Raio Atômico (Å)


n =3
n =2
n =1
No. Atômico (Z)

Variação do raio atômico em um periodo


• Em um mesmo período o raio
atômico diminui ao aumentar a
carga nuclear efetiva (Z). Periodo 2
Raio Atômico (Å)

n =3
n =2
n =1

n=3 No. Atômico (Z)


n=2
Z = 50 n=1

16
11/25/18

Tendência do raio atômico

Raio iônico
• É o raio de um átomo que tem perdido o ganho elétrons,
adquirindo a estrutura eletrônica do gás nobre mais próximo na
tabela periódica.

Na+ Cl-

Raio Iônico

Na+: 1s22s22p6C Ne : 1s22s22p6C


Cl- : 1s22s22p63s23p6 Ar : 1s22s22p63s23p6

17
11/25/18

Comparação dos raios atômicos e iônicos

Cátions são menores do que os Ânions são maiores do que os


átomos de origem. átomos de origem.

Energia de ionização (EI)

• “É a energia mínima necessária para retirar um e – de um átomo,


gasoso isolado e no seu estado fundamental”.

M (g) à M+ (g) + 1e -
Cátion

• A EI sempre é positiva (processo endotérmico) e suas unidades são


eV/átomo ou kJ/mol.

• A 1ª EI (EI1), 2ª EI (EI2) …etc, se refere à primeira, segunda, etc., EI


respectivamente.

• Quanto maior a EI, mais díficil a remoção do elétron.

• De modo geral, quanto maior o raio atômico ou iônico, menor a EI

18
11/25/18

Tendência Geral da primeira EI nos elementos do


Grupo A

• A EI aumenta de esquerda para direita nos períodos devido pelo


aumento de Z

• A EI diminui ao descer nos grupos, já que a carga nuclear aumenta e


também aumenta o número de camadas eletrônicas, portanto o elétron
mais externo, sofre menos atração pelo núcleo.

Afinidade ao elétron (AE)


• “É a quantidade de energia envolvida no processo em que um átomo
isolado gasoso, no seu estado fundamental, recebe um elétron,
formando um íon negativo ou ânion”.

X (g) + 1e - à X - (g) + E
Ânion
Cl (g) + 1e - à Cl- (g) AE= -384 KJ/mol

• AE pode ser positiva ou negativa.

• Quanto mais negativo o valor da AE, maior a tendência do átomo em


receber o elétron.

19
11/25/18

Tendência Geral da primeira AE nos elementos do


Grupo A

ELETRONEGATIVIDADE
A eletronegatividade é a tendência que têm os átomos de um elemento para
atrair os elétrons de outro elemento quando se combinam.

Portanto, é uma propriedade dos átomos quando ligados.

< 1,0

20
11/25/18

ELETRONEGATIVIDADE

Metal Não-metal
Quando combinados, os metais doam elétrons, os que
são recebidos pelos não-metais
Exemplo:

Tendência Geral da Electronegatividade (χ )

21
11/25/18

PROPRIEDADES PERIÓDICAS

carater metálico

Eletronegatividade
Raio atômico

Energia de Ionização

Afinidade ao elétron
carater metálico

Raio atômico

Energia de Ionização

Afinidade ao elétron

Eletronegatividade

Metais
• Perdem facilmente elétrons para formar cátions
• Baixas energias de ionização
• Baixa afinidade ao elétron
• Baixas electronegatividades

Não Metais:
• Ganham fácilmente elétrons para formar ânions

• Elevadas energias de ionização


• Elevadas afinidades ao elétron
• Elevadas electronegatividades

Semi-metais o metalóides:
• Possuem propriedades intermédias entre os metais e os não metais (Si, Ge)

22
11/25/18

A Tabela Periódica é a ferramenta mais importante na


“caixa de ferramentas” de um Químico!

23