Você está na página 1de 54

FRESAGEM

19/12/2017
Fresagem
A operação de usinagem feita por meio da máquina fresadora é
chamada de fresagem;

Consiste na retirada do excesso de metal ou sobremetal da


superfície de uma peça, a fim de dar a esta uma forma e
acabamento desejados;

As peças a serem usinadas podem ter as mais variadas formas;

É possível usinar praticamente qualquer peça e superfícies de


todos os tipos e formatos;
19/12/2017
Fresagem
A remoção do sobremetal da peça é feita pela combinação de dois
movimentos: rotação da ferramenta e da mesa da máquina (onde é
fixada a peça);

É o movimento da mesa (avanço) que leva a peça até a fresa e torna


possível a operação de usinagem;
O movimento de avanço leva a peça no
mesmo sentido de giro do dente da fresa.

O movimento de avanço leva a peça


contra o movimento de giro do dente da
fresa.
A maioria das fresadoras trabalha com o avanço da mesa baseado em
uma porca e um parafuso. Com o tempo e desgaste da máquina ocorre
uma folga entre eles.

Movimento concordante: a folga é empurrada pelo dente da fresa no


mesmo sentido de deslocamento da mesa. A mesa executa movimentos
irregulares (mau acabamento da peça e possível quebra de dentes da
fresa).

No movimento discordante: a folga não influi no deslocamento da mesa


(movimento uniforme e melhor acabamento).
Permite trabalhar superfícies planas, convexas, côncavas ou de
perfis especiais, com a vantagem de ser mais rápido que
processos de tornear, etc.

Por quê??
Fresadoras
São classificadas geralmente de acordo com a posição do
seu eixo-árvore em relação à mesa de trabalho.
Há outras fresadoras que tomaram como modelo as fresadoras
horizontais e verticais;

A fresadora copiadora, que trabalha com uma mesa e dois


cabeçotes: o cabeçote apalpador e o de usinagem.
Fresadora pantográfica ou o pantógrafo:

A transmissão do movimento é
coordenada manualmente pelo
operador. Isso permite trabalhar
detalhes como canais e pequenos
raios, mais difíceis de serem
obtidos numa fresadora copiadora.

Quanto aos modelos, eles podem ser confeccionados em material


metálico, como o aço e o alumínio, ou ainda em resina.
Fresas
Dotada de facas ou dentes multicortantes, quando os dentse não estão
cortando, estão sendo refrigerados: menor desgaste da ferramenta;

Quanto menor o desgaste, maior vida útil da ferramenta.


A escolha da ferramenta é uma das etapas mais importantes da fresagem.
Deve-se levar em conta se ela é resistente ao material que será usinado.
São ângulos da cunha de corte o ângulo de saída (γ), de cunha (β) e de
folga (α). Tipo W
A soma dos ângulos α, β e γ em cada um dos tipos de fresa é
sempre igual a 90°;
Em cada tipo, a abertura dos ângulos sofre variações, sendo
porém o valor do ângulo de cunha sempre crescente.

A fresa tipo W é a menos resistente: usinagem de materiais não-


ferrosos de baixa dureza como o alumínio, o bronze e plásticos;

A fresa tipo N é mais resistente que a W: usinar materiais de média


dureza, até
700N/mm2 de resistência à tração.

A fresa tipo H é mais resistente que a W e a N: usinar materiais


duros e quebradiços como o aço com mais de 700N/mm2 de
resistência.
Por que uma tem mais dentes que outra?
Tipo W

Quanto mais duro, menor volume dele será cortado por dente da
fresa.
Portanto, menos cavaco será produzido por dente e menos espaço
para a saída será necessário.

Um dos problemas em usinar materiais moles com fresa com


muitos dentes é que o cavaco fica preso entre os dentes e estes
não são refrigerados adequadamente (desgaste e mau acabamento)
Fresas de perfil constante

fresa côncava/perfil
convexo
fresa biangular/perfil
em V

fresa módulo/dentes de
fresa convexa/perfil
engrenagem
côncavo
Fresas planas
Trata-se de fresas utilizadas para usinar superfícies planas,
abrir rasgos e canais.
Fresas angulares
Estas são fresas utilizadas para a usinagem de perfis em ângulos, como
rasgos prismáticos e encaixes do tipo rabo-de-andorinha.

Fresas para rasgos


As fresas para rasgos são utilizadas para fazer rasgos de chavetas,
ranhuras retas ou em perfil T, como as das mesas das fresadoras e
furadeiras.
Fresas de dentes postiços
São também chamadas de cabeçote de fresamento. Trata-se de uma
ferramenta com dentes postiços. Esses dentes são pastilhas de metal
duro, fixadas por parafusos, pinos ou garras, e podem ser substituídas
facilmente.
Fresas para desbaste
Estas são fresas utilizadas para o desbaste de grande quantidade de
material de uma peça. Em outras palavras, servem para a usinagem pesada.
Esta propriedade de desbastar grande quantidade de material é devida ao
seccionamento dos dentes.
Parâmetros da Fresagem

Suponha que na oficina surgiu a tarefa de fresar uma peça com


as seguintes características: aço com 85 kgf/mm² de
resistência, 4 mm de profundidade de corte, fresa HSS de 6
dentes e 40 mm de diâmetro.

Como solucionar este problema?


Parâmetros da Fresagem

1° passo: calcular a melhor rotação. Esta depende basicamente


de dois elementos: diâmetro da fresa e a velocidade de corte (tipo
de material a ser usinado, o material da fresa e o tipo de aplicação
da fresa).

Os fabricantes das fresas fornecem tabelas com as velocidades


de corte relacionadas com o material da fresa e da peça a ser
trabalhada.

As tabelas podem trazer tanto valores de Vc para ferramentas de


aço rápido quanto para as fresas de metal duro (6 a 8 vezes mais
rápidas).
Parâmetros da Fresagem

Qual é a velocidade de corte adequada para fazer o acabamento em uma


peça de ferro fundido com dureza Brinell de 200HB e profundidade de
corte de 1,5 mm, utilizando-se uma fresa de aço rápido?
19/12/2017
Cálculo da rotação da fresa

aço com 85 kgf/mm² e profundidade de corte de 4 mm;


Vc = 20 - 24 m/min;
fresa de diâmetro de 40 mm.

n = 175 rpm

Supondo que a gama de rotações da fresadora não contempla


este valor, mas dispõe de 120 e 210 rpm, o que fazer?
Utilizar o valor maior (maior produção).

Cuide porém para não ultrapassar a Vc recomendada pelo


fabricante (risco de problemas com a ferramenta).
Deve-se calcular a velocidade de corte real:

Vc = 26,38 m/min
O valor encontrado ultrapassou a faixa recomendada pelo
fabricante. Algum problema???

A escolha deve recair sobre a menor rpm mais próxima, a fim de


não danificar a fresa.
Cálculo do avanço da mesa

Para calcular o avanço da mesa, consultamos uma tabela. Isto


nos dá o valor de avanço por dente da fresa. É preciso conhecer
o material, o tipo de fresa e identificar se a operação é de
desbaste ou acabamento, além do número de dentes da fresa.

É preciso fazer o desbaste de 4 mm de profundidade em uma


peça de aço com 85 kgf/mm² de resistência. A fresa é cilíndrica
com 6 dentes e 40 mm de diâmetro. Qual será o avanço
adequado?
Localizar na tabela o material da peça;
Relacioná-lo com o tipo de fresa escolhido;
Relacionar o material e o tipo de fresa ao tipo de usinagem
desejado (desbaste de 4 mm).

Supondo uma fresa de trabalho com seis dentes (z = 6).


Em cada volta da fresa a mesa avançará 1,44 mm com a fresa
trabalhando em uma rotação de 120 rpm. Mas então quanto
avançará a mesa em um minuto?

O valor de 172,8 mm/min deve ser selecionado na fresadora.

Deve-se escolher o avanço menor mais próximo. Isso evitará que


cada dente corte um valor acima do recomendado pelo fabricante.

E se usássemos a rotação de 210 rpm em vez de 120 rpm.


FIXAÇÃO
Considerando que será realizada a operação de desbaste numa
liga de magnésio em que a profundidade de corte não irá
ultrapassar 1/3 da altura da fresa (fabricada em aço rápido),
determinar os parâmetros de corte para execução da operação
utilizando uma fresa com 12 dentes e 32 mm de diâmetro.

Vc rpm Ad Av Am
(Velocidade de (rotação) (Avanço por (Avanço por (Avanço da
Corte) dente) volta) mesa)

19/12/2017
Considere que será realizada a fresagem, por meio de uma
ferramenta de aço rápido contendo 8 % de Co e com 50 mm
de diâmetro, em uma peça fabricada em ferro aço ferramenta.
Calcule a rpm necessária para a operação. Em seguida,
supondo que a máquina ferramenta dispõe das seguintes
rotações (120, 180, 240, 300 e 360) rpm, qual destes valores
de rpm deve ser selecionado na máquina ferramenta para
executar a operação? Justifique sua escolha.

19/12/2017
19/12/2017
Profundidade de corte

Dado prático. Depende muito da experiência do


operador em identificar a resistência e robustez da
fresadora.

É preciso antes medir a peça em bruto, a fim de


determinar a quantidade de sobremetal a ser removida.
Com este dado em mãos, decide-se o número de
passadas da fresa sobre a peça.
Fresagem de superfícies planas
Existem duas formas de fresar superfícies: a tangencial e a
frontal.
Tangencial: o eixo de rotação da fresa é paralelo à superfície
da peça;

Frontal: o eixo de rotação é perpendicular à superfície da


peça.
Fresagem de superfícies planas

Superfície plana simples;


Usinar a superfície plana de uma peça de ferro
fundido de 50 x 50 mm e dureza de 240HB, conforme
desenho.
Ferro fundido com dureza de
240HB (fresa do tipo H).
Caso a largura da fresa não seja suficiente para usinar toda a
extensão da superfície da peça, monte duas ou mais fresas,
com a inclinação das hélices ou facas laterais de corte
invertidas.
Escolhida a fresa, o passo seguinte é a fixação da peça.

Pode-se fixar a peça diretamente à mesa ou com o auxílio de


dispositivos de fixação como: morsa, cantoneiras, calços
reguláveis, aparelhos divisores, etc.

fixação em morsa fixação sobre a mesa

fixação com aparelho divisor fixação em cantoneira


A fixação da fresa pode ser por pinças e mandris (eixos porta-
fresas). Os mandris dispõem de hastes com cones do tipo morse ou
ISO.
O cone morse é fixado por pressão e deve ser utilizado para
trabalhos em que a fresa não seja submetida a grandes esforços.
Nesse caso, o mandril recomendado é o de cone ISO, esse sistema
impede que ele se solte.

mandril para fresa mandril para fresas


eixo porta-fresas
com furo rosqueado de hastes cônicas
(haste longa)

eixo porta-fresas curto


(mandril porta-fresas) mandril porta-pinças
EXEMPLO: o eixo porta-fresas do tipo haste longo é o mais
adequado à fresa cilíndrica com chaveta longitudinal.

O mandril escolhido garante menor vibração da ferramenta


durante a usinagem.
Resta determinar os parâmetros de corte (FoFo com 240 HB).
Determinar a velocidade de corte: 5 mm profund. de corte,
240HB, HSS;
Calcular a rpm: será 120 rpm;
Cálculo do avanço da mesa (necessário avanço por dente,
0,2 mm/dente): será 240 mm/min
Fresagem de superfícies planas

Superfície plana perpendicular a uma superfície de referência;


Fresar em esquadro é o mesmo que usinar uma superfície
plana. (Parâmetros iguais);
O que muda é que agora vamos tomar uma superfície já
usinada;

Vamos trabalhar com movimento


discordante frontal e fresadora vertical. A
fresa adequada agora é a cilíndrica frontal
para mandril com chaveta transversal.
Fixação da peça por meio de
morsa;

Para fixar a fresa, usar um eixo porta-fresas curto. Este


dispõe de chaveta transversal e parafuso que asseguram
uma boa fixação da fresa.
Determinar os parâmetros de cortes e iniciar a usinagem;

O diâmetro da fresa é menor que a largura da peça. Nesse


caso, para remover a camada de material desejada, é
necessário dar mais de uma passada com a fresa sobre a
peça, mas sem alterar a profundidade de corte. Para tanto, é
só deslocar a mesa no sentido transversal ao seu avanço;

No máximo 2/3 do diâmetro da


fresa deve ficar em contato com a
peça. Isto favorece a refrigeração
dos dentes da fresa, uma vez que
1/3 de seu diâmetro ficará fora.

Usinar as quatro superfícies:


Encoste a superfície menos irregular ao mordente fixo da morsa e fixe a
peça, utilizando um rolete. Usine a primeira superfície. Esta passa a ser
então a superfície de referência para as demais.

Antes de usinar a terceira superfície, verifique se a segunda superfície que


você acabou de usinar está em esquadro:

Use calços para assentar bem a peça. Se


for necessário, dê umas pancadinhas de
leve na peça até assentá-la. Utilize um
martelo de cobre ou latão, ou qualquer
outro material macio, para não danificar a
peça.
Fresagem de superfícies planas
Superfície plana inclinada.

inclinação da morsa

inclinação da mesa

inclinação do cabeçote
A inclinação do cabeçote deve ser feita após a fixação e alinhamento da
morsa ou da peça no sentido de deslocamento da mesa. Este alinhamento
é necessário na fresagem de superfícies planas inclinadas e também na
fresagem de rasgos, canais e rebaixos. O alinhamento da morsa ou da
peça deve ser feito independentemente do tipo de fresadora com a qual
estamos trabalhando.
Se a mesa não avançar paralelamente à superfície da peça a tendência é
que ocorra desalinhamento.
Cosidere que a peça de ferro fundido já está com as quatro superfícies
usinadas. Pede-se então para fresar uma superfície inclinada a 45° em uma
de suas arestas.
Inicia-se então a escolha da fresa, dos meios de fixação e dos
parâmetros de corte.
Alinhar a morsa ou a peça:
Primeiro, limpe a mesa da fresadora e a base da morsa. Fixe a morsa
sobre a mesa.

Fixe o relógio comparador ao cabeçote da


máquina.
Coloque a ponta do relógio comparador em contato com o mordente fixo
da morsa.

Movimente a mesa manualmente ao


longo do comprimento do
mordente fixo da morsa.

Acompanhe atentamente o movimento do ponteiro do relógio.

Corrija o alinhamento se necessário.

É necessário obter no relógio comparador uma variação próxima a zero.