Você está na página 1de 3

Nome: Ronan do Carmo Lopes

Curso: Engenharia Elétrica com Ênfase em Sistemas de


Automação
Disciplina: Fundamentos da Engenharia Elétrica
Fundamentos da Engenharia Elétrica
HAMBLEY, Allan R. Engenharia elétrica: princípios e aplicações. 6º Edição,
Rio de janeiro. P. 1-130, LTC, 2017.

O presente trabalho consiste em uma análise sintetizada de quatro


conteúdos passando pela introdução da engenharia elétrica no tocante a uma
visão geral, também será mensurado os circuitos resistivos, a indutância e
capacitância e por último o transiente. A obra traz consigo uma aplicação
prática dos conceitos iniciais da engenharia elétrica, de forma a pacificar um
melhor entendimento.

Inicialmente na visão geral da engenharia elétrica, temos a importância


de sua função, aplicada ao engenheiro eletricista, com objetivos principais de
planejar, manter sistemas capazes de produzir, transportar e distribuir a
energia elétrica. A engenharia elétrica possui um corpo dorsal que é constituído
pela formação de grandes áreas de conhecimento que juntas formam a sua
existência.

Sendo assim, temos a primeira delas que é os sistemas de


comunicação, este por sua vez, transporta a informação de forma elétrica,
formada por ondas eletromagnéticas, isto é, por ondas que oscilam de forma
simultânea de um campo elétrico e campo eletromagnético,
perpendicularmente. Exemplificando temos o sinal de celular, rádio e televisão
que atuam nesse aspecto. Os sistemas de computadores, por sua vez
processam e armazenam a informação na forma digital, isto é, sinais discretos
no tempo, com valores definidos por 0 e 1.

Os sistemas de controle usam a energia elétrica o controle de processos


físicos, tais como um sensor termostato que compara a temperatura com uma
referência desejada. Geralmente os sistemas de controle utilizam, correntes
elétricas na ordem de (4 a 20 mA) bem como tensões na ordem de (0 a 5 volts)
para o controle dos processos através de sensores.

Na eletrônica, utiliza-se para em sua maioria para chaveamento de


sinais elétricos e amplificação. Um dispositivo eletrônico de suma importância,
trata-se dos transistores. Com ele é possível uma variação da corrente elétrica,
adequado a determinados parâmetros, funcionando como um tipo de
interruptor ou até mesmo amplificando um sinal elétrico.
Na fotônica, outro sistema da espinha dorsal da engenharia elétrica,
pode ser constituída pela geração, emissão, transmissão, modulação,
amplificação, processamento e detecção de luz. Uma aplicação básica e não
percebida é a utilização de leitores para o disco DVD e sistemas de
comunicação por fibra ótica. Nos sistemas de potência é notório no cotidiano
das pessoas em geral, diariamente lidamos com sistemas de potência sem
perceber seu uso. Ela pode ser dada por uma transformação elétrica através
de transformadores, pelo transporte de energia através de linhas de
transmissão, motores elétricos de piscinas que transformam a energia elétrica
em energia mecânica.

E por último temos o processamento de sinais, um exemplo seria a visão


computacional para identificação automática de placas de velocidade para
variação de velocidade de veículos autônomos. Isso basicamente seria
transformar o sinal que está no ambiente tridimensional para uma imagem
digital, e através da visão por computador, reconhecer o conteúdo daquela
imagem como algo a ser aplicado em sensores, como por exemplo, a
velocidade contida nas placas de velocidade.

Os circuitos resistivos são utilizados constantemente para aplicações


onde os valores de seus componentes são conhecidos, mas tendo como
incógnita os valores das tensões, correntes e potências sendo necessário
realizar cálculos para defini-los. Na engenharia elétrica, em algumas áreas
especificas com a de eletrônica e instrumentação, é de fundamental
importância habilidades técnicas, no que tange a cálculo, para solução de
problemas, pois um caminho escolhido erroneamente, torna o trabalho do
engenheiro ou técnico mais demorado. Umas das maneiras que facilita a
pessoa a obter uma resposta rápida da análise de circuitos resistivos, é com a
utilização de algoritmos dedicados ao tema.

Importante destacar um software adequado e que supri a maioria das


necessidades é o Matlab, com ele é possível a elaboração de algoritmos que
maximizam a eficácia do trabalho para o cálculo de circuitos resistivos. Um
exemplo, seria com a aplicação manual das equivalentes de Thévenin e de
Norton que dependendo do circuito a ser analisado, poderia demandar um
tempo maior, ao passo que com a adequação de um algoritmo bem elaborado
no Matlab, demoraria na ordem de milissegundos.

No tópico indutância e capacitância, cabe primeiro a diferencia-los, o


primeiro, de modo geral é constituído por um fio ao redor de um tipo de forma e
é chamado de indutor. A indutância é a medida de uma bobina de circuito
elétrico para originar o campo magnético ou armazenar energia magnética
quando em transporte de corrente elétrica. A indutância de uma bobina é
proporcional ao quadrado do número de espiras e à área da seção transversal
da bobina, sendo inversamente proporcional ao seu comprimento. Sua unidade
de medida é definida em Henrys (H), que equivale a volts segundos por
ampère.

Por outro lado, a capacitância é uma grandeza elétrica que é


determinada pela quantidade de energia elétrica que pode ser armazenada por
uma determinada tensão e por uma determinada quantidade de corrente de
forma alternada que atravessa o capacitor em uma frequência especifica. A
capacitância tem sua unidade de medida definida em Farad (F), valor que
corresponde a corrente de 1 ampère quando a tensão variar na razão de 1 volt
por segundo. Os capacitores são constituídos de duas placas condutoras, que
de modo geral são metálicas, possuindo um pequeno material dielétrico entre
as placas.

Por analogia, enquanto os resistores convertem a energia elétrica em


calor, os indutores e capacitores armazenam energia. Conhecidos como
elementos passivos, tem a função de armazenar energia para posteriormente
devolve-lo ao circuito.

Outra temática importante é o estudo dos transientes que são picos de


tensão ou surtos de pequena duração. Nesse contexto, engloba os elementos
como as fontes, chaves, resistência, capacitâncias e indutâncias. O
chaveamento plicado a fontes, tem por resultado a variação de tensão e
corrente no tempo, isto é, um efeito transiente.

Portanto, conclui-se que após a leitura dos quatro assuntos abordados,


foi possível denotar que a engenharia elétrica no sentido amplo, envolvendo
grandes áreas de conhecimento que juntas formam uma só ciência. Isso
consequentemente, gera uma vontade motivadora para uma especialidade por
exemplo, uma vez que o engenheiro eletricista, conhecendo diversas áreas que
envolve a sua formação poderá optar por uma, se aperfeiçoando e virando
especialista no assunto para o qual escolheu. Por outro lado, em sentido
estrido, destaca-se a harmonia dos tópicos temáticos da obra analisada, uma
vez que eles seguem um raciocínio lógico da leitura resultando numa
interpretação mais didática, um desses aspectos pode ser observado nos
circuitos resistivos, na indutância e capacitância.