Você está na página 1de 21

ESCOLA TÉCNICA SENAI AREIAS

Eletrotécnica 3TEC.2N

Rosivaldo Batista Calado Junior

Componentes e acessórios para atividades de circuitos Pneumáticos.

RECIFE
2018
1. Sumário
1. Introdução ................................................................................................ 2

2. Apresentação........................................................................................... 3

3. COMPRESSOR ....................................................................................... 4

Classificação Quanto a Aplicação ................................................................. 4

4. FIM DE CURSO....................................................................................... 6

5. SENSORES ............................................................................................. 7

6. PRESSOSTATO .................................................................................... 11

Pressostato eletrônico ................................................................................. 12

Pressostato mecânico - padrão ................................................................... 13

7. BOMBAS HIDRALICAS ......................................................................... 14

8. RESERVATORIO .................................................................................. 16

9. FILTRO DE BOMBA HIDRAULICA ....................................................... 18


1. Introdução

A finalidade desta atividade é estudar os procedimentos de alguns


equipamentos na área da pneumática industrial será citado nesta atividade alguns
equipamentos específicos e suas funcionalidades visando um entendimento retilíneo
no uso e manuseio dos mesmos.
Os equipamentos e suas simbologia, foram relatados pelo docente na então
matéria estudada, foram também selecionados a nível de pesquisa e estudos nos
usos da industriais e afins.
2. Apresentação

Os equipamentos serão os seguintes:

 COMPRESSOR

 FIM DE CURSO

 SENSORES (capacitivo, indutivo e óptico)

 PRESSOSTATO

 BOMBAS HIDRAULICAS

 RESERVATORIO

 FILTROS
3. COMPRESSOR

O compressor é basicamente um equipamento eletromecânico, capaz de captar


o ar que está no meio ambiente e armazená-lo sob alta pressão num
reservatório próprio do mesmo, ou seja, eles são utilizados para proporcionar a
elevação da pressão do ar.

SIMBOLOGIA:

Classificação Quanto a Aplicação

As características físicas de um compressor podem variar muito de acordo com


atividade que ele desempenhará.

Veja as seguintes categorias:

 Compressores de Ar para Serviços Ordinários


 Compressores de Ar para Sistemas Industriais
 Compressores de Gás ou de Processo
 Compressores de Refrigeração
 Compressores para Serviço de Vácuo
Os compressores de ar para serviços ordinários
são fabricados em série, visando baixo custo inicial. Destinam-se normalmente a
serviços de jateamento, limpeza, pintura, acionamento de pequenas máquinas
pneumáticas, etc.

Os compressores de ar para sistemas industriais destinam-se às centrais


encarregadas do suprimento de ar em unidades industriais. Embora possam chegar
a ser máquinas de grande porte e custo aquisitivo e operacional elevados, são
oferecidos em padrões básicos pelos fabricantes. Isso é possível porque as
condições de operação dessas máquinas costumam variar pouco de um sistema
para outro, há exceção talvez da vazão.
4. FIM DE CURSO.

SIMBOLOGIA:

são dispositivos eletromecânicos que consistem em um atuador ligado


mecanicamente a um conjunto de contatos. Quando um objeto faz contato com o
atuador, o dispositivo opera os contatos para ligar ou desligar uma conexão elétrica.

Chave fim de curso é responsável por delimitar um percurso num circuito de


comandos elétricos.
5. SENSORES

SIMBOLOGIA:

Um sensor é um dispositivo capaz de detectar/captar ações ou estímulos externos e


responder em consequência. Estes aparelhos podem transformar as grandezas
físicas ou químicas em grandezas eléctricas. Os sensores, em suma, são artefatos
que permitem obter informação do meio e interagir com o mesmo.

 Quanto a classificação definiremos os capacitivos, indutivos e ópticos.


 Sensor capacitivo:
são dispositivos tecnológicos que recebem e respondem a um estímulo
físico/químico ou sinal. O sensor é acionado quando detecta a presença do objeto a
uma certa distância. O princípio de funcionamento baseia-se na mudança da
capacitância da placa detectora localizada na região denominada sensível.
 Sensor indutivo:

Este tipo de sensor apresenta a capacidade de detectar objetos metálicos em


pequenas distâncias. Sendo, portanto, definido como um sensor de proximidade.

O princípio de funcionamento do sensor indutivo se dá a partir do um campo


eletromagnético variável que é gerado pelo oscilador em conjunto com a bobina na
extremidade do dispositivo. Quando um material metálico penetra este campo, são
induzidas pequenas correntes parasitas. Com a indução no metal, ocorre uma
diminuição na energia do campo e, consequentemente na amplitude do sinal
proveniente do oscilador. Quando este sinal se torna muito baixo, o circuito de disparo
percebe a mudança e altera a tensão de saída. Fornecendo uma resposta lógica, de
nível alto ou baixo, que pode ser utilizada no controle do processo.

Ao escolher um sensor indutivo, devem ser levados em conta alguns aspectos


construtivos. Dentre os sensores de indução disponíveis no mercado, podem ser
encontrados os que possuem tensão de saída em nível contínuo (CC) ou alternado
(CA). Os sensores indutivos de saída CC possuem modelos de dois, três ou quatro
fios. Enquanto os sensores CA apresentam somente dois fios, sendo sua alimentação
feita em sequência com a carga.
 Sensor óptico:

São Sensores cujo funcionamento baseia-se na emissão de um feixe de luz, o qual é


recebido por um elemento foto-sensivel, basicamente são divididos em três sistemas:
Barreira, Difusão e Reflexão, são utilizados em diversas áreas: Industrial em sistema
automáticos e de segurança pessoal, residencial e predial como alarmes.

Sistema reflexivo

Funcionamento:
6. PRESSOSTATO

SIMBOLOGIA:

Pressostatos são utilizados em uma variedade de processos industriais e


técnicos. Se o setpoint de pressão é alcançado, a chave abre ou fecha um contato
elétrico. Dependendo dos requisitos, podem ser utilizados modelos mecânicos ou
eletrônicos.
 Pressostato eletrônico

Um pressostato eletrônico é baseado em um sensor eletrônico de pressão. Com


sinais elétricos para a comutação de circuitos elétricos, muitos pressostatos
eletrônicos oferecem adicionalmente sinal analógico proporcional à pressão. Assim,
não somente é identificado se o setpoint foi alcançado, mas também se a pressão
atual foi transmitida.

A maioria dos pressostatos eletrônicos possui display onde a pressão pode ser lida,
enquanto pode-se também realizar configurações e programação necessárias.
Setpoints, sinal de saída, tempo de atraso, histerese e outros parâmetros podem ser
ajustados individualmente de acordo com a aplicação.
 Pressostato mecânico - padrão

Se com um pressostato mecânico, uma pressão definida é alcançada e o contato é


atuado, o instrumento enviará um sinal elétrico. Para isto, não é necessário
alimentação auxiliar. A confiabilidade resultante é uma das vantagens do
pressostato mecânico.

Pressostatos são equipados com micro contatos de alta qualidade. Eles


caracterizam alta estabilidade em longo prazo e precisão. Mesmo chaveamento de
cargas de até 15 A / 220 V é possível sem problemas com um pressostato
mecânico.

Para o chaveamento de baixas tensões, como os utilizados em CLPs, há a opção de


micro contatos cheios com gás argônio e contatos dourados. Pressostatos
eletrônicos também são muito adequados para chaveamento de baixa tensão.

MECÂNICO
MECÂNICO
7. BOMBAS HIDRALICAS

SIMBOLOGIA:

são dispositivos mecânicos concebidos para mover os líquidos com


pressão suficiente para transmitir a energia no corpo de fluido. Esta é uma
forma bastante técnica de dizer que uma bomba hidráulica bombeia um
fluido, tipicamente um óleo de baixa viscosidade, com força suficiente de
modo que possa ser usado para desempenhar um trabalho.

Os sistemas hidráulicos utilizam fluido comprimido para realizar


um trabalho. O fluido utilizado é normalmente um óleo bastante fino, de
um grau especial, que é bombeado para dentro do sistema com a finalidade
de produzir pressão por vários tipos de bombas hidráulicas. Estas bombas
têm, geralmente, os mecanismos rotativos com tolerâncias pequenas entre
as partes móveis e os compartimentos. Em comparação com outros tipos
de bombas, a maioria dos tipos de bombas hidráulicas também apresenta
baixas velocidades de rotação.
Bombas de palhetas são outro tipo de bomba hidráulica comum e
apresentam um conjunto de palhetas constantemente ajustáveis montadas
em um eixo excêntrico dentro de um compartimento fechado. Conforme o
eixo se move ao redor da cobertura, as palhetas ajustam-se
constantemente para manter suas pontas em contato com a superfície
interna da caixa. O óleo é introduzido no compartimento e é transportado
em torno dele, nas palhetas do ponto de descarga, onde é forçado a sair.
Tipos de bombas hidráulicas de palhetas rotatórias são geralmente mais
eficientes do que outras variações de bombas de engrenagens.
8. RESERVATÓRIO

São recipientes onde o óleo é armazenado. Suas principais funções são:

 armazenar o fluido até que seja succionado pela bomba;


 auxiliar na dissipação do calor;
 Permitir o assentamento das impurezas insolúveis.

CONSTRUÇÃO DO RESERVATÓRIO:
A base do reservatório deve ter o fundo suportado por 4 pés de no mínimo 150 mm
(6 pol.) de altura, para facilitar sua remoção, drenagem e troca de calor com o
ambiente.
O fundo do reservatório deve ser confeccionado de tal forma que todo o fluido
armazenado possa ser drenado.
A parte superior deve ser bem rígida para suportar uma possível montagem de
componentes do sistema.
Essa tampa deve ser soldada às paredes do reservatório.
O reservatório deve ser pintado interna e externamente para se evitar a oxidação.
A tinta utilizada precisa ser compatível com o fluido usado.
RESFRIAMENTO DO FLUIDO:
Em um circuito hidráulico o calor pode ser dissipado apenas através das paredes
dos cilindros e da tubulação e, principalmente, no reservatório.
Em contato com as paredes do tanque, o calor do fluido é trocado através da
condução e radiação.
Um fator importante a ser levado em consideração é de nunca se colocar o duto de
retorno próximo de duto de sucção, pois o fluido que retorna ao reservatório volta
imediatamente para o circuito hidráulico, sem efetuar a troca de calor. Neste caso
indica-se uma chicana vertical, que obriga a circulação do fluído.
Dependendo da necessidade, introduzimos um maior número de chicanas verticais
para forçar mais a circulação do fluido, aumentando a troca do calor pelo fenômeno
da convecção.
9. FILTRO DE BOMBA HIDRAULICA

É extremamente importante proteger os caros componentes dos sistemas


hidráulicos do desgaste prematuro. Uma melhor proteção significa vida mais longa e
para você menos tempo parado do sistema. Num sistema hidráulico típico, o fluido e
os filtros trabalham em conjunto para dar a máxima proteção a estes componentes.

Aqui está uma ilustração mostrando um sistema hidráulico típico e os diversos tipos
de filtros hidráulicos que poderiam ser usados para protegê-lo. Por favor, note que
nem todos estes filtros seriam tipicamente usados num determinado sistema.
Filtros do Lado da Aspiração:
Localizados antes da bomba hidráulica, estes filtros são projetados para proteger a
bomba de contaminantes prejudiciais dentro do fluido. O meio de filtração neste tipo
de filtro é, tipicamente, de uma classe de maiores tamanhos em mícrons, como tela
de ar arame.

Filtros do Lado de Pressão:


Localizados a jusante da bomba hidráulica, estes filtros são projetados para limpar o
fluido à medida que sai da bomba para proteger componentes do sistema mais
sensíveis, como válvulas de controle e atuadores, dos contaminantes gerados na
bomba. O meio de filtração típico usado nestes filtros é capaz de remover uma alta
Filtros do Lado de Retorno:
Localizados entre a válvula de controle e o reservatório do fluido, estes filtros são
projetados para capturar detritos do desgaste dos componentes que trabalham dos
sistemas hidráulicos antes do fluido retornar ao reservatório. O meio de filtração
usado nestes filtros é projetado para remover partículas resultantes do desgaste de
tamanho comum que podem ser geradas por estes componentes do sistema.