Você está na página 1de 24

15

Não Existem Outros

Aceitando a Realidade de Sua Solitude

1
A FONTE VERDADEIRO DAS LUTAS

Shakespeare estava errado.

O mundo não é um palco, porque não há ninguém assistindo.

Como a maioria dos seres humanos hoje, Shakespeare era uma rainha do drama.
A única coisa que o distinguia foi que ele viu a rica complexidade das histórias das
pessoas e de alguma forma conseguiu canalizar essa complexidade através de sua
caneta. No que diz respeito a compreensão das emoções que levam os seres
humanos a fazer o que fazem, ele acertou em cheio.

Para a maioria das pessoas, o seu conjunto da obra é uma realização


monumental da criatividade e da inteligência humana. De onde estou agora, só
poderia servir como um peso de papel na minha mesa. Shakespeare glorificavam a
luta humana. Ele elevou a tal ponto que qualquer um que experimentou suas peças
vieram longe deles acreditando que a vida era mais significativa se eles tinham uma
luta complexa próprio para jogar fora.

Se Shakespeare tinha reconhecido que havia outro motivo para que os seres
humanos lutam tanto, sua carreira de escritor provavelmente não teria ido muito
longe. Quem sabe, talvez ele teria acabado um barbeiro.

A verdade é que a luta de um ser humano não é realmente o resultado das


dificuldades da vida, mas a consequência inevitável de evitar a solidão cósmica. É
muito mais aterrorizante de reconhecer que você está sozinho no universo do que
está a enfrentar os 1001 desafios que a vida lança seu caminho. É por isso que você
preferiria lutar do que reconhecer que você estava sozinha. Pelo menos você tem
companhia .... ou pelo menos assim parece.

Lembre-se: A miséria não apenas ama companhia, ele precisa. Você não seria
capaz de lutar (bem, pelo menos não com muita facilidade) se você compreendeu
que não havia ninguém lá para reclamar sobre isso. Se não havia ninguém lá para
ouvir a sua história, você ainda iria dizer isso? Luta não faz sentido algum, se é
apenas você. Se é só você, então lutando com alguma coisa se torna impraticável,
não produtiva. Se é só você, a luta é inútil.

Então, como posso dizer que você está sozinho quando há obviamente outras
pessoas no mundo? No nível da aparência, sim - existem outros corpos, outras
mentes. No nível subjacente da realidade última, existe apenas uma consciência que
anima todas estas aparências.

2
Você vê a luta como necessário porque você entrou no mundo com a ilusão de
que estas aparições devem ser tomadas pelo seu valor nominal. Você simplesmente
aceitou o que você vê como prova de que existem "outros" e, por isso, de ter criado
e identificado com um falso self que você acredita ser. Sua percepção de outros
seres humanos e da vida em geral tornou-se um dos medo e desconfiança, porque
você acha que você está separado deles. Você agora tem que cuidar de si mesmo,
colocar-se em primeiro lugar e sobreviver a todo o custo.

Para ir além de o medo de outros seres humanos só é possível quando você é


capaz de reconhecer que eles são uma realização da Una consciência cósmica que é
tudo o que há. Quando você é capaz de reconhecer que a fonte dos milhões de
acontecimentos na vida é de uma inteligência unificada, você pode relaxar um
pouco.

Rótulo de outros e do mundo como ilusão não é o que eu estou falando, que só
deixa teu falso senso de ego intacto e ilude em acreditar que um mundo ilusório não
inclui você. Você não pode ver através da ilusão de haver outras pessoas sem
também ver através da ilusão da existência de 'você'. Apenas atenção silenciosa
direta pode reconhecer a ilusão - não o pensamento com base "eu" que pensa que
pode reivindicar a propriedade sobre esse reconhecimento. Não se contente com
crenças superficiais que mantêm o seu falso eu vivo e seu verdadeiro eu dormindo.
Demanda que a realização da unidade (vazio), a sua natureza de Buda, se torna a
sua realidade viva e não aceitar nada menos. Outros buscadores espirituais ficará
satisfeito com uma identidade que se apresenta como sábio e iluminado ... você,
por outro lado vai ver através dessa miragem e continuará em sua jornada com
autenticidade e um mantra rigorosa que diz 'eu não sei nada, a menos que eu
puder verificá-lo através da minha experiência direta da vida '.

3
VERDADE vs CONHECIMENTO

A verdadeira solidão é unicidade. Você não tem que acreditar em unidade para
que ela seja verdadeira, já é o caso. Você no entanto, tem que acreditar que você
está separado da vida. E pensar que você é alguém requer que você acredite nessa
ideia. Para descansar como a ninguém que você é não exige nada de vocês. Não há
esforço necessário para ser quem você realmente é. Isto é em parte porque o
estado iluminado, a sua natureza de Buda, é uma agradável um - porque você
percebe que o seu verdadeiro eu está em férias permanentes. Apenas o seu falso
self está permanentemente empregado.

Quando você entra neste mundo, sua consciência não se divide. Para o primeiro
ano ou dois de sua vida o seu estado de consciência é relativamente calma e até
mesmo feliz. Sua conexão com o resto da existência não é questionada, e por causa
disso, a vida é divertido. Uma vez que você começar a adquirir conhecimentos e
adotar crenças das pessoas que o cercam, a vida começa a ficar mais pesado. Em vez
de viver a liberdade de uma mente não programada, suas recém-descobertas
sistemas de conhecimentos e crenças começar a mapear uma identidade fictícia
para si mesmo. Porque essa identidade é suposto para substituir o seu verdadeiro
eu (o que é impossível), o seu sentido de auto sente-se incompleta e é
inerentemente instável. Sua busca para corrigir esse sentimento de incompletude
começa. Gradualmente, você joga-se fora do jardim para a promessa de algo
melhor. Agora você tem conhecimento que cria uma separação entre você e o resto
da vida.

Na realidade, o seu conhecimento não é o problema Sua incapacidade de


diferenciar entre o conhecimento e quem você é, é o problema. A maioria das
pessoas acreditam que o conhecimento lhes diz quem são, porque eles se
esqueceram de que quem eles são não pode ser dito a eles

A verdade não precisa ser entendido - não é algo que pode ser apreendido e, em
seguida, adicionados à sua biblioteca do conhecimento inútil.

O que é verdade agora é o que você está experimentando - e que é isso?


Observe que a história de como você chegou aqui e onde você pensa que está indo
não corresponde com a realidade do que está acontecendo agora. Observe que o
equivalente a Passado - Presente - Futuro é: Mortal Humano - Deus Imortal - Mortal
Humano. Pise fora deste instante eterno, mesmo que por apenas um segundo, e
você acabou de tirar Deus e transformou-a em um ser humano mortal que está em
uma jornada de vida superficial bitolado com uma sensação ilusória de
importância. Dê um passo atrás dentro deste instante e você ter eliminado todas

4
as viagens, você chegou em casa, e você é capaz de reconhecer que você é a coisa
que você tem procurando sempre.

Sua consciência é o que é real - o grau em que você deseja limitar a escolha é
sua. Pessoalmente, eu não gosto de limitar a minha consciência por ser Kyle
Hoobin, eu prefiro ser Deus (ou, mais precisamente, uma parte acordada de Deus).

O que é mais desejável? Para a etapa fora de sua porta e encontrar-se entre os
milhares de milhões de outras pessoas que estão separado de você quem você tem
para se proteger de? Ou, para passo fora de sua porta e vê nos olhos de cada pessoa
que conhecer e desfrutar da paz que vem de saber que você nunca pode morrer?

5
OLHE E VOCE VERÁ

A razão pela qual as pessoas não se sentem confortáveis que olham-se nos olhos
não é porque é falta de educação olhar, é porque isso iria desencadear uma
memória profunda dentro deles que eles são realmente sozinho. "Desviando o
olhar" e não fazer contato visual é simplesmente a sua estratégia de ego falso de
evitar a verdade. Esta estratégia é particularmente importante quando se deparar
com "estranhos", porque você está em um risco ainda maior de ser exposto. Um
encontro com um desconhecido é, em certo sentido uma variável que você não
pode prever e, portanto, não pode se preparar para antes do tempo. Esta falta de
preparação se sente vulnerável ao seu falso eu já que você é incapaz de formular
uma ideia do estranho rápido o suficiente para que você possa percebê-los como
separado de você. É por isso que você se sente obrigado a desviar o olhar. Não fazê-
lo seria agitar o seu senso já instável de si mesmo.

É uma coisa tão simples de afastar o olhar e ainda assim uma coisa tão
profunda.

Quando você faz contato visual com alguém que você já "conhece", o seu falso
eu tem um tempo mais fácil de gerir a experiência porque foi dado tempo suficiente
e informação para formular uma idéia de quem ele é, o que significa que você se
sentir menos em risco de sua natureza ilusória sendo revelado. Neste sentido, você
tem uma maior oportunidade de realizar a sua natureza de Buda através de um
encontro com um estranho do que você faz com seu "amigo" mais próximo.

Na realidade, não existe tal coisa como amigos, não existe tal coisa como
"conhecer alguém", não só é estar acordado e a ver a sua natureza de Buda em tudo
e todos o que existe na vida.

"Alguém Sabendo 'só se aplica ao reino do falso self. Quando se trata de


conhecer a personalidade de outra pessoa e história pessoal, há um milhão e uma
coisas para descobrir que você ainda não conhece. Quando se trata de saber a
verdadeira natureza de uma pessoa debaixo da personalidade, só há uma coisa que
já pode ser realmente conhecida: quem eles realmente são e quem você realmente
é se originam da mesma fonte, a mesma consciência cósmica. Você não precisa
"saber" alguma coisa sobre outro ser humano, a fim de estar perto com eles Na
verdade, a menos que você sabe sobre alguém quanto mais próximo estiver a eles
Se você acha que conhece alguém, então tudo que você tem feito é criar uma
barreira mental que cega de ver a parte mais profunda do aquela pessoa.

6
ENCONTRO COM VOCÊ MESMO

Então, quao sozinho é você? Deixe o título deste capítulo afundar por um momento.
Quando você está com outras pessoas, você sente uma solidão? Ou você sente que
tem companhia? Depois de saber que você está sozinho, você está sozinho em
todos os lugares que você vá e com todos que encontrar. Se alguma vez você sente
que tem companhia, você está mentindo para si mesmo. Você está dizendo a si
mesmo que a pessoa ao seu lado está separado de você e você está escolhendo
para ver a sua ideia deles em vez de ver que não há "eles". Não importa o que eles
acreditam, porque isso não pode mudar a sua capacidade de ver a verdade de quem
eles realmente são diretamente. A parte maravilhosa sobre isso é que, vendo sua
solidão diretamente faz qualquer reunião que você tem com outro ser humano um
evento incrivelmente agradável e até mesmo sagrado. Se você está reunido com o
Presidente dos Estados Unidos ou com um zelador de uma escola primária, o seu
prazer de ambas as experiências será a mesma. Você irá desfrutar do simples ato de
testemunhar a presença de outro ser humano interagindo com você. Você não vai
se importar quem é o que está supostamente reunião com você, porque você vai
saber que os títulos não significam nada. 'Presidente' e 'zelador' são apenas idéias, e
você não vai dar essas idéias a hora do dia.

Praticar essa de agora em diante - a próxima pessoa que você interagir, dialogar
com eles como faz normalmente, só que desta vez tirar sua atenção fora da ilusão
de que diz o que você está falando é mais importante do que a experiência de
perceber que esta pessoa realmente é. O que é mais importante? Sendo atraídos
em detalhes sobre as últimas notícias de um círculo social ou reconhecer de que
você está falar com Deus? Essa é a decisão que você está realmente fazendo sempre
que você interage com outro ser humano.

7
IGNORANCIA É RUIDO

Qual é a diferença entre uma sociedade inconsciente e uma sociedade que está
acordado? Um exemplo de uma sociedade inconsciente é o que você vive no
momento. A maioria dos humanos gastam 90% de suas vidas ignorando o outro,
procurando apenas para fazer contato com aqueles que oferecem a sua falsa
sensação de ego algum tipo de segurança. Esta não é uma idéia que eu estou
tentando transmitir aqui. Simplesmente andar fora de sua porta e olhe ao seu redor.
Os seres humanos ignorar outros seres humanos por todos os lados. Nós somos
capazes de fazer isso porque adotamos uma crença inútil que tem sido transmitida
por milhares de anos de geração em geração. Essa crença é o ingrediente-chave que
alimenta todas as guerras, a pobreza, a vaidade e justiça. O que é esta crença?
Estranhos.

A 'estranho' é uma ilusão, não há simplesmente existe tal coisa. Sente-se com
isso por um momento. Como é que esta verdade afetar sua percepção de outros
seres humanos, se você fosse sair para "público"? Apenas sentado em seu carro em
um estacionamento no supermercado faria seu queixo cair. Olhe ao seu redor,
observar as idas e vindas de outros seres humanos. Passamos por uns aos outros
como se nós não sabemos quem é a outra pessoa. Na verdade, não temos ideia do
que história pessoal que outra pessoa possa ser, como seu nome, título, história
familiar, etc., mas que todos pertence ao domínio da mente - uma história que
finalmente diz absolutamente nada sobre a verdade do ser da pessoa Aqui agora.
Claro, a maioria dos humanos estão sob a ilusão de que a história de uma pessoa é
quem eles são, então a maioria não acho que olhar e ver se há alguma coisa lá. A
coisa surpreendente é que não só não existe mais lá, é seu próprio ser lá. Isso é o
que eu quero dizer com seres humanos ignorando outros seres humanos. Não é
ignorando alguém que poderia ser uma pessoa agradável de conhecer, ignorando
VOCÊ MESMO . Droga!

Pense em todas as situações aparentemente comum, onde são confrontados


com a tendência de ignorar a si mesmo ... especialmente aqueles onde você está
preso na ilusão de que necessitam para estar em outro lugar isso é mais importante.
Se deparar com essas situações o tempo todo ... você puxa para cima em uma luz
vermelha no cruzamento e um outro carro puxa para cima ao lado de vocês. Você
olha para o motorista ao seu lado e, logo que você faça contato visual com eles você
desviar o olhar. Você finge que encontro não significa nada e apenas sentar lá, lado
a lado à espera da luz para mudar. Ou você pisar um elevador com várias outras
pessoas e as portas se fecham. Você está quase ombro a ombro com a pessoa ao
seu lado e ainda assim manter os olhos voltados para os números acima à medida
que a contagem regressiva para o seu chão. Ou você está na sala de espera do

8
consultório do médico de frente para uma fileira de pessoas através de você. Você
chegar a mais e pegar uma revista para tentar abafar a presença deles.
É casos como estes que colocar um holofote poderoso sobre como um grande
abismo que existe entre a ideia da sua mente do que a vida é sobre o que a vida é
realmente sobre. A próxima vez que você puxar para cima a esse cruzamento, fazer
uma cara engraçada para o motorista ao seu lado. Quando você pisar naquele
elevador novamente, diga toc toc em meio ao silêncio alto. Quando você chega no
escritório que do médico, pegar toda a pilha de revistas e entregá-los a todos. Seja
um disruptor de ignorância, um destruidor de zumbis. Ou não ser, mas a vida será
menos colorido.

Quando você está acordado para a realidade, você não tem mais um lugar mais
importante estar.

9
NENHUM PRÉMIO

VOCÊ. É . DEUS É verdade. Mas eu não me sinto como Deus, eu posso ouvir você
dizer. Tudo bem, mas isso ainda não muda o fato de que você é Deus. Piedade em
você pode estar dormindo, mas Deus não pode ser não-Deus por estar dormindo.
Quando eu digo que você é Deus, eu quero dizer que você é uma parte de Deus -
não que você decidir o que acontece. Somente um falso eu acredito que ele pode
controlar a vida. Sim, às vezes eventos e circunstâncias funcionam do jeito que você
acha que eles vão ou a maneira que você pretende que eles, mas nem sempre.
Alinhando-se com a sua divindade não é sobre a obtenção o que você quer, é sobre
tornar-se livre de si mesmo. Aqueles que subscrevem a ideia de que são Deus
muitas vezes confundem essa ideia para dizer que eles estão no controle do que
acontece com eles ideias que afirmam que você pode controlar a realidade são
popularizado por pessoas que têm medo de se entregar a sua vontade à vontade de
vida.

Basta ser honesto com você mesmo - você não criou o universo. Você nem
sequer fazê-lo após 11 a série de matemática (bem, pelo menos eu não). Você, no
entanto inseparável da inteligência que é Deus. Você, obviamente, não vão
entender a mente de Deus, enquanto você está no corpo (embora eu sei que alguns
gurus lá fora que gostam de pensar que eles fazem). O máximo que pode sempre
realmente acontecer é que você percebe que você é um aspecto de Deus. Mas essa
percepção não é prêmio de consolação. Afinal, para ir de acreditar que você é um
ser humano pequeno insignificante com uma data de validade estampada em sua
testa para perceber que você é parte de uma inteligência universal arcana eterna
que compõe toda a existência é uma coisa muito legal.
Eventualmente, a luz da manhã vai bater suas pálpebras e você vai
simplesmente abrir os olhos. Você vai fechá-los de vez em quando, depois disso,
mas você não será mais capaz de esquecer completamente o que significa tê-las
abertas. Quando seus olhos estão fechados para a realidade da sua verdadeira
natureza, um milhão de idéias sobre a vida e seu propósito vai encher sua
imaginação. Quando seus olhos estão abertos, você vai ver a tolice em aceitar uma
ideia sobre a vida sobre a coisa real. Depois de ter tomado um passeio em um
Cadillac, você não pode voltar para o seu K-Car.

10
RELAXE, VOCE JÁ SE FOI

No seu núcleo, não há ninguém lá. Isso é verdade. No entanto, em um nível


profundo, você entende que sua consciência pode ser atribuída a algum tipo de
inteligência. A inteligência muito grande. É por isso que no início de sua vida que
você deu um passo lógico e assumiu que a inteligência que sua consciência estava
ligado a era seu corpo / mente. Afinal, você parecia ter controle direto sobre seu
corpo e nada mais. De lá, você baseou toda a sua vida sobre essa identificação
errada. É por isso que para a maioria dos seres humanos, tornando a mudança de
acreditar que você é um corpo / mente para perceber que você não é que são (ou
mais precisamente, não é só isso) é um temível um.

Quando você toma algo que é eterno (sua consciência) e rotulá-la como algo
que é impermanente (seu corpo), você começa a temer a sua verdadeira natureza.
Em um nível profundo você sabe que a sua verdadeira natureza significa
aniquilação. Ironicamente, quem eo que você realmente é já é aniquilado. Por quê?
Porque não há nenhum 'você' que existia em primeiro lugar. É por isso que toda a
noção de iluminação é comparado a um despertar em vez de um devir. Você nunca
pode tornar-se aniquilada porque nunca houve realmente alguma coisa que poderia
ser aniquilado. Claro, isso é fácil de entender e aceitar uma vez que você já passou
para a outra margem, mas para aqueles que ainda acreditam que a morte é real,
aniquilação deve ser evitado a todo custo. Aniquilamento é apenas outra palavra
para descrever o que acontece quando você despertar para a sua solidão cósmica.
Mesmo chamar esta experiência um "despertar" é enganador, porém, é mais
correto dizer que o seu falso self pára de funcionar. Afinal, não há ninguém lá para
acordar. No entanto, quando os seus desvios de consciência de um lugar de operar
através de seu falso eu para outra em que já não opera através de qualquer coisa,
chamando-o de despertar é a segunda melhor coisa.

Uma pergunta que você pode perguntar é: O que é o ponto em se tornar ciente
de tudo isso? Então, eu estou sozinho, então eu estou em um com o universo, e daí?

Bem, você realmente viveu esta realização em sua própria vida? Ou você ainda
acorda de manhã e pensa que ainda está um pouco 'eu' que é confrontado com o
mundo? Se sua vida não é uma realização viva de sua solidão, que o medo é a sua
realidade. Você não pode acreditar que existem "outros" e não têm medo como seu
companheiro constante. Eu entendo, claro, você quer manter seu senso de auto e
perder o medo. Você quer ter seu bolo e comê-lo. Aceitando a sua solidão é aceitar
que uma vez que você comer seu bolo, ele se foi. Depois de aceitar sua solidão,

11
'você' desaparece também. Então o que resta depois disso? O que estava sempre
lá. A única diferença é que agora a consciência de que está operando através de
você não é mais ter que passar através de um filtro de 'eu'.
Quando sua vida é uma realização viva de sua solidão, você ainda vai
continuar com o seu dia, como de costume, você ainda vai ficar estressado e
frustrado às vezes, mas os velhos 'Joe Blow' sentimentos não será capaz de
sobreviver em por mais muito tempo. Você vai conhecer e experimentar o que a
realidade real não pode sustentar um processo de pensamento baseado no medo
por muito tempo sem ele dando lugar à evidência esmagadora que não há nada a
temer quando é tudo você.

12
FIM DO JOGO

Permitindo esta realização de solidão total a levá-lo ao longo significa a sua


abandono do jogo da vida. Uma vez que você ir por este caminho, não há como
voltar atrás. Para um falso self, para uma pessoa que gosta de acreditar que o
mundo é o seu palco e que é possível ter uma audiência, isso vai parecer um
pensamento bastante deprimente. Para a pessoa que se sente desiludido e cansado
pelas buscas superficiais do nosso mundo e já não pode acreditar que sua
importância supera de outro ser humano, a aposentadoria será recebido de braços
abertos.

Quando você despertar para a sua totalidade, não vai ter muita coisa restante
para você fazer. Afinal, bullshit faz o mundo girar. Por todos os lados, você será
confrontado com alguém que está enrolada em seu desempenho. Se a sua história é
de luta e sofrimento ou um de sucesso e crescimento pessoal, se você não está
contribuindo para o seu desempenho, de alguma forma, em seguida, a sua presença
não será tolerado por muito tempo. É por isso que você deve estar atento para não
deixar que a história de solidão levá-lo e colocá-lo de volta no palco novamente. A
maioria das pessoas não vai gostar muito de você quando você acordar. Você vai ser
um lembrete gritante de como falsa a história deles realmente é. É um grande
presente da vida quando se deparar com outro ser humano que é capaz de
reconhecer-se em si mesmo. Essas reuniões no entanto, são raras. Seus próximos
melhores amigos serão aqueles que têm crescido cansado de busca e estão prontos
para a mudança. Esses tipos de pessoas já trabalhou durante a maior parte de suas
tendências auto-enganador. Eles serão humilhados, sensível, e vivo com a centelha
da self¬realization.

No lado positivo das coisas, acordando para sua solidão também está acordando
para o potencial do paraíso. Quando você já não tem que lutar por sua
sobrevivência, a sua importância, ou seus desejos, a vida começa a se tornar
verdadeiramente agradável novamente. Depois de muito tempo, você pode
finalmente olhar para fora através do horizonte e aproveitar o sol sem ser
interrompido por uma mente que nunca está satisfeito. Você pode pegar o jornal
da manhã e sorrir para a insanidade infantil do que muitas pessoas acreditam ser
importante. Você pode ler as histórias sobre a luta e sofrimento humano e
encontrar a paz em saber que por baixo todo o drama é uma presença eterna, que
nunca pode ser destruído. Você vai ver a vida através dos olhos de um 3-year-old
novamente e encontrar prazer nas coisas mais simples. Você vai viver a vida para o
momento, não o próximo.

13
Na realidade, acordar é o que todo ser humano é realmente buscando, embora
a maioria não percebem que isso é o que eles estão fazendo. Cada objetivo
concebível é sobre encontrar satisfação e paz. O desejo mais profundo de cada ser
humano é retornar à inocência - não se tornar famoso, não para se tornar rico, para
não se tornar santo, mas para se tornar nada novamente. Em um nível profundo,
todos nós sabemos que a mediocridade de nossa inocência contém a majestade do
nosso magnificência.

14
INDO ALÉM PARA VOLTAR

Acordar com a única realidade é um processo de desapego. Você está


deixando de lado suas crenças, seus pressupostos, suas idéias, suas definições, e,
finalmente, você está deixando ir de si mesmo. Embora isso possa soar bastante
simples, normalmente é tudo menos isso. Deixando de lado tudo o que acreditava
ser a verdade vai demorar mais do que apenas uma compreensão profunda de
conceitos espirituais, que vai exigir um grande esforço desnecessário e um monte
de confiança.

Se acordar é deixar o falso eu, então quem é que precisa confiar? E por que o
esforço desnecessário?

conceitos espirituais só pode levá-lo até agora. A evolução de sua consciência


leva tempo. Embora esta é uma viagem à sua natureza atemporal, você vive em um
mundo limitado no tempo e assim que faz a mente que você está identificado com.
Tudo na natureza é inteligentemente concebido com grande complexidade, então
por que a evolução da consciência humana seria diferente? Não é.

Isto é onde a verdadeira beleza da vida entra em jogo. O que poderia ser mais
bonito do que a dissolução para os braços abertos de existência? Não há maior
experiência do amor do que o amor que se faz sentir quando você deixar ir de
controle e confiar que a vida vai cuidar. Enquanto você não está confiando em algo
fora de si mesmo, você está, não obstante, ter de se tornar totalmente vulnerável à
vida, e deve estar disposto a ir além da zona de segurança de seu coração e mente.
Esta é uma expansão do que a sua definição de amor é. Esta expansão é um
subproduto de confiar o mistério (vida) mais do que o seu programa de controle (o
falso self).

But again, who is it that is trusting? Does not the very act of trusting mean that
you believe you are separate from the rest of life? After all, if you’re one with all that
exists, then trust would be unnecessary would it not?

In one sense, yes - the reality is that you have never truly been disconnected
from your true nature, it has only appeared to be the case. This of course means
that you can’t really “come home” to your true nature, because you never really left
it. But the truth of your experience is that you do not feel at home - you still believe
on some level, that something is missing. This belief is what creates the veil between
ultimate truth and the fiction that is your life.

15
ONLY STORIES HAVE HEROES

Aloneness is not for those who want to be special. An awakened human being is not
a superhero. Asleep human beings are the superheroes. Asleep human beings start
each day ready to engage in an exhausting battle that they will never win. They fight
for their survival, war with themselves and others, resist the suchness of the
unexpected, and believe that their struggle is getting them somewhere. They fight
tooth and nail for some brief experience of fulfillment only to see their achievement
taper off into chaos and misery again. For this reason, an asleep human being
deserves the highest respect, not the awakened one. An awakened human being is a
failure at life. The only reason a human being awakens to their true nature is
because they have tried with all of their might to succeed at happiness and have
failed miserably. The only thing they have achieved is ultimate failure. Of course,
this failure isn’t a bad thing, but it’s certainly not an achievement. Your growth
mainly happens from interacting with other human beings that are asleep. Only by
recognizing what you are not are you able to let go of what’s untrue in you. Yes, an
awakened person is a helpful reminder for you that freedom is possible, but that’s
about it. No human being can magically wash away your unconsciousness.

Aloneness in and of itself is not a painful thing. The reason you associate pain
with aloneness is because it was pain that brought you out of your aloneness and
into the illusion of company. Regardless of whatever the reason was, at some point
in your early years you came to the conclusion that who you are is wrong. This belief
is the pain I’m speaking of. To return to your aloneness you must first encounter the
pain that took you out of it.

Pain is the gatekeeper of your awakened self.

When you rest as your true self, your pain will eventually disappear. If you want
to say goodbye to this pain for good, then identifying the source of your pain will be
needed. The package (belief) that this pain comes in is different for everyone.
Identifying this package is the first step, allowing the pain inside of it to envelop and
destroy you is the next one.

If you can be destroyed then you should be destroyed. Let it happen. Only what
is untrue in you can be destroyed. The core belief that’s protecting your false sense
of self is painful because it’s desperately trying to hold together the pieces of a
fragmented identity.

I’m under no illusion that says this belief is an easy thing to encounter. After all,

16
this belief stands for everything that you think you are. It’s a big deal and it’s going
to hurt when you meet it. When you truly encounter this belief, it’s going to feel like
your nightmarish assumptions about aloneness were true. It’s going to feel like your
trust in life has been betrayed because the one thing that you thought was
protecting you is being taken away from you. What’s really being taken away
however, is the source of all of your problems. That’s why awakening is also called
liberation. You’re finally free of the key mechanism that has kept you asleep. You
can now smile when fear decides to pay you a visit and tries to convince you that
death is real again.

17
Once you step back into your aloneness, death will become your mantra. You’ll
side with freedom more than anything else and you’ll know that welcoming death is
how you do that. You’ll finally understand that death is just another word for self-
realization.

18
SEEK AND YOU WILL FIND (AFTER YOU FAIL)

I try not to use the word enlightenment very much just because it has so much
idealization attached to it, but I’m not against using it either.

True aloneness is the same as enlightenment. So how do you get to the


realization that you are alone? Stop running away from reality. As you may have
already heard, enlightenment is not about arriving at a future state of
consciousness, it’s about letting go of and burning through everything that you’ve
been using to avoid it. Everyone is seeking something, but nobody is actually seeking
enlightenment. Why? Because everyone wants to find something and
enlightenment is finding nothing. It’s finding nothing but it’s also finding everything.
When enlightenment takes you, not much will change other than the fact that you
will know who and what you really are. Of course, realizing what you are has some
pretty amazing consequences. What you are is everything that exists, and that
realization brings with it an incredible amount of peace, contentment, wonder, and
joy.

As that guy Lao Tzu said: “Be content with what you have. Rejoice in the way
things are. Wher you realize that nothing is lacking, the whole world belongs to
you.”

To be content with what you have and to rejoice in the way things are is only
really possible when you come to the clear conclusion that wanting more and
resisting reality no longer works. So how do you come to that conclusion? By either
directly seeking out the thing that you think will make you happy or deeply inquiring
into why the thing that you have acquired has not brought you happiness. Both
states of seeking and acquiring can indirectly produce true contentment. If
approached consciously, both states will show you that you are avoiding the painful
void you feel inside. As mentioned earlier, this void is only painful because of your
belief that something is wrong with you. There is obviously nothing wrong with you,
but keep in mind that there is also nothing right with you either. I say that because
you are notjust a victim of a self-limiting belief system, you are also the perpetrator
of self-constructive one. The negative aspect of yourself puts you down while the
positive side struggles to bring you up. This exhausting game of back and forth is
why your pain never seems to go away.

Pain persists when you avoid feeling it. Pain dissolves when you face it. Once
you truly face it, you’ll see that there is a big difference between feeling good and
contentment. Feeling good is superficial and impermanent, contentment is

19
authentic and always available.

If you want to feel good, eat a chocolate bar. If you want to feel contentment,
feel your pain.

20
HONOR YOUR JOY

Imagine for a moment that you’re standing in front of a mirror looking at yourself
Suddenly, your reflection multiplies and there are now several versions of yourself
looking back at you Now imagine that these reflections somehow forget that they
are a reflection of yourself Each reflection now believes that they are a separate
individual with their own identity. This scenario is not far from how things actually
are. While every other human being on the planet may not be an exact duplicate ol
yourself, their truest nature is. In other words, beyond all of the unique individual
expressions, every human being is ultimately an expression of the One intelligent
awareness that is the source of all existence. This is why an enlightened human
being sees themselves when they look at someone. It’s not that they see their idea
of themselves in that person (because they have no idea of themselves), it’s that
awareness recognizes itself.

Even though the One has become the ‘ten thousand things’, it can never truly
separate itself from itself. It can only create the illusion that it does (Life). This
illusion obviously does the trick. After all, how many enlightened people are there
on the planet? How many unenlightened?

Although the person you walk past on the sidewalk is your very own self, it
doesn’t necessarily mean that you can sit down with them over coffee. The range of
human unconsciousness in our world is vast and in spite of your sacred connection
to all of humanity, your ability to reach most people will likely be limited. It’s difficult
to converse with someone who is sleeping. The best you can do is help guide them
so that they don’t bump into things and hurt themselves. Someone who is in the
process of waking up is a little bit easier to talk to. They may occasionally hunch
forward, start drooling and snap back into the dream mid-conversation, but at least
they’ve developed the ability to recognize your wake-up call when it’s given.

You are not obligated to keep anyone around you. If you were obligated to do
anything it would be to honor your joy. If you had not been born into this world
through a family, were not cornered into a specific social circle from the beginning,
who would you really choose to surround yourself with? If you did not feel obligated
by guilt to interact with anyone (including immediate family members), who would
you say goodbye to? Sacrificing your joy to maintain tradition keeps you asleep.
Wakefulness requires you to become sane again. Sanity will look a lot like insanity
from the perspective of someone who thinks that obligation through guilt is normal.
Only when you become ruthlessly honest about the people who are around you can

21
your joy be set free. Honoring your joy leaves no room for miserable people in your
life. If a miserable person should cross your path then they will either be repelled by
your joy or attracted to it and ready for change.

What people want most is permission to set their own joy free. Of course,
nobody needs permission to do this, but most people believe that their j oy is what’s
wrong with them - that’s why it seems easier to try to manipulate people so that
you feel accepted instead of just accepting yourself and allowing your joy to be
there.

22
Aloneness means the end of excuses. When you are alone, you own your
behavior and you’re no longer a victim of anything or anyone. You are no longer at
the mercy of your circumstances because you recognize that your circumstances are
only ever about one thing: waking you up. Every problem that comes your way is
either a doorway into aloneness or a missed opportunity. Not to worry though, if
you miss the doorway it will show itself again until you do see it. Life is helpful that
way (depending on how you look at it). Recognizing a problem as a doorway
requires you to let the world fall away in the midst of your resistance to whatever’s
happening. A problem always means that you’re seeing the world as the cause of
your resistance instead of yourself. True freedom is freedom from yourself but you
have to stop blaming your feelings on the things outside of you before you can
recognize that there is no you. Once you remove the world you remove yourself.
Once you stop blaming, it’s not long before you see that ‘you’ and your problems
are one and the same.

23
LIVE LARGE AND ENJOY THE RIDE

I am a naturally blunt person I’ve never been much for poetic expression except in
instances where it feels appropriate. Perhaps that’s because poetry is personal and
truth is ultimately impersonal. None the less, even my direct way of expressing
myself is a personal thing.

While it’s true that your truest essence is impersonal, how your essence
manifests itself will always be personal. In other words, no matter how much you try
to live without a dualistic mind, you will never actually succeed. Your mind is by its
very nature a dualistic machine. It lives by drawing connections between things, and
of course, it takes two to connect. Awakening is not about transcending your mind,
it’s about transcending your identification with your mind. Your mind is a thing of
beauty, especially when it’s no longer being restricted by having to maintain a false
sense of self. All this really means is that you can relax and enjoy the dualistic play of
existence while you are still on this earth. After all, your only alternative is to fight
reality.

When enlightenment takes you, you’ll have intimate knowledge of what fuels
humanity’s search for wholeness. Although this knowledge will have next to no
impact on your sense of well-being anymore, you’ll be unable to avoid helping those
who are still searching for it. From your place ol clarity, everything will be black and
white. You will know that human beings seek happiness because they are afraid to
find it. You will know that in order for people to stop their search, they will have to
be willing to accept their aloneness. You will understand that true aloneness is
terrifying to most people because of how big it really is.

So, are you ready to be alone? Are you ready to live large?

Here’s one last reminder... it’s not that you are alone, it’s that you are so alone
that aloneness is not even possible. After all, in order for you to be alone there must
be ‘another’ who exists somewhere else out there... there must be ‘others’.

My friend,

there are no others.

24