Você está na página 1de 14

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA

DEPARTAMENTO DE SAÚDE
CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA

JOABH DE QUEIROZ SOUZA E SOUZA


LARISSA GUIMARÃES MATOS
NEUZA SERGIO DE ABREU SANTOS

ATLETISMO NA ESCOLA: sob a ótica de organização do trabalho pedagógico

Feira de Santana
2017
JOABH DE QUEIROZ SOUZA E SOUZA
LARISSA GUIMARÃES MATOS
NEUZA SERGIO DE ABREU SANTOS

ATLETISMO NA ESCOLA: sob a ótica de organização do trabalho pedagógico

Atividade apresentada para a Disciplina de Prática Curricular III


como requisito parcial do Curso de Licenciatura em Educação
Física da Universidade Estadual de Feira de Santana.
Orientadora: Professora doutora Suzana Alves Nogueira.

Feira de Santana
2017
ATLETISMO NA ESCOLA SOB A ÓTICA DA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO
PEDAGÓGICO

NEUZA SERGIO DE ABREU SANTOS


JOABH DE QUEIROZ SOUZA E SOUZA
LARISSA GUIMARÃES MATOS
SUZANA ALVES NOGUEIRA SOUZA

Este artigo aborda o atletismo como conteúdo utilizado por professores nas aulas de
Educação Física e como estes organizam sua prática pedagógica objetivando o
desenvolvimento integral numa perspectiva humanizada. Atualmente nos ambientes
escolares os conteúdos mais trabalhados são os jogos com bolas, principalmente
futebol, vôlei e basquete. Embora, menos popularmente seja encontrado o atletismo,
verificamos que é essencial sua adesão, por permitir uma abordagem acessível e
suficiente em si mesmo, vencendo aos poucos a segregação causada pela
hegemonia das demais modalidades esportivas citadas. Considera-se que é um
esporte com fundamentos que se aproximam das atividades comuns do dia-a-dia
reforçando sua importância. Embora a competição explorada nos padrões da
instituição desportiva nessa modalidade promova benefícios, na sala de aula é
preciso abarcar outros aspectos denominados educacionais que também são
oportunidades amplas e enriquecedoras nesse conteúdo (MATTHIESEN, 2014;
GOMES, 2016). Diante desse cenário este estudo tem o objetivo de analisar de que
forma os professores de educação física de escolas públicas de Feira de Santana
organizam o trabalho pedagógico quando abordam o conteúdo atletismo. Realizou-
se um estudo de campo (GIL, 2012), de abordagem qualitativa (MINAYO, 2007) e
caráter exploratório realizada em três escolas públicas da rede estadual de ensino,
na cidade de Feira de Santana. Participaram da pesquisa três professores
graduados em Educação Física atuantes, com experiência entre 11 a 14 anos e que
utilizam a modalidade Atletismo como conteúdo das aulas de Educação Física. Os
mesmos responderam 8 perguntas abertas por meio de um questionário e como
tratamento dos dados optou-se pela Análise de Conteúdo (BARDIN, 2009). A
primeira categoria temática discorre acerca de qual concepção os professores
pretendem passar e/ou passam aos alunos sobre a modalidade alvo desse artigo e
sua importância. A segunda aborda o aspecto da organização do trabalho
pedagógico nesse contexto, onde os professores participantes relataram suas
práticas cotidianas. Ficou evidenciado que o planejamento dos docentes aliado á
política pedagógica da escola é peça fundamental e positiva para organizar
didaticamente o atletismo na escola, levando em conta estratégias, recursos
metodológicos e conhecimentos. Segundo Libâneo (2013) o planejamento é um
processo de racionalização, organização e coordenação da ação docente, unindo a
atividade escolar e os problemas do contexto social. Quanto à sequência
pedagógica os professores mencionaram que iniciam sempre tratando do histórico e
da necessidade dos seres se deslocarem como forma de sobrevivência, além disso,
abordam a introdução em jogos olímpicos e evolução e normatização das
modalidades. Ademais, o atletismo na escola é sempre apresentado a partir dos
movimentos naturais realizados pelos homens em seu processo de humanização,
intercalando com vivências práticas. Conclui-se que o atletismo é um esporte que
deve ser tratado com importância, devendo ser conteúdo das aulas de educação
física, a fim de proporcionar aos educandos novas experiências e domínio de sua
essência. A prática da corrida, saltos de obstáculos e demais movimentos que
fundamentam essa modalidade favorecem e incentivam prosseguir no atletismo,
além dos demais benefícios como melhora no desenvolvimento biopsicossocial que
favorecem a boa formação do cidadão.
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO 03
2 EDUCAÇÃO FÍSICA COMO COMPONENTE CURRICULAR 03
3 ATLETISMO COMO CONTEÚDO DA EDUCAÇÃO FÍSICA 04
4 METODOLOGIA 05
5 ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS DADOS 05
5.1 ATLETISMO: CONCEPÇÃO E IMPORTÂNCIA DESSE CONTEÚDO 05
5.2 ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO DO ATLETISMO NA
ESCOLA 06
6 CONCLUSÃO 07
REFERÊNCIAS 09
APÊNDICE A 11
3

1 INTRODUÇÃO
Esse artigo trata de uma investigação que tem como eixo central o atletismo
no contexto da educação física escolar, visto que este conteúdo, pela presença da
hegemonia de algumas modalidades esportivas, ainda é negligenciado. O que é
encontrado normalmente nesses espaços são as atividades comuns à cultura local
como o futebol, vôlei e basquete que terminam por segregar outras modalidades
como a desse estudo.
Apesar de serem poucos os espaços escolares que programam esse
conteúdo nas aulas, é possível encontrar docentes que o abordem, sem negar que o
atletismo promove benefícios, com sua riqueza de possiblidades no movimento
corporal, além de ser uma modalidade acessível. O interesse de investigar, como
esses professores organizam suas atividades pedagógicas, surgiu a partir da
observação dessa restrição que atinge essa prática. Assim, essa pesquisa tem como
objetivo contribuir como material de consulta, para a comunidade acadêmica como
estudantes, pesquisadores e professores em diversos contextos.
Diante desse contexto, surge a seguinte pergunta de investigação: Por que e
de que forma os professores de educação física organizam o trabalho pedagógico
quando abordam o conteúdo atletismo nas aulas no contexto escolar? O objetivo do
presente estudo é compreender a intenção e como se dá o trato pedagógico do
atletismo no contexto da escola pública na cidade de Feira de Santana- Bahia.

2 EDUCAÇÃO FÍSICA COMO COMPONENTE CURRICULAR


A educação física escolar é uma disciplina que tem como objeto de estudo a
cultura do movimento corporal incluindo os alunos nessa realidade para vivencia-la e
reproduzi-la de acordo com sua análise crítica.
A Lei nº 9.394/96, Art. 26 § 3º fundamenta a obrigatoriedade do ensino da
educação física na educação básica “A educação física, integrada à proposta
pedagógica da escola, é componente curricular da Educação Básica, ajustando-se
às faixas etárias e às condições da população escolar, sendo facultativa nos cursos
noturnos”.
O contexto histórico dessa disciplina no ambiente escolar já passou por
vivências a serem analisadas pedagogicamente, politicamente e legalmente. No
entanto, é importante ressaltar a necessidade de legitimar a importância dessa
disciplina consolidando dentre vários benefícios, massificação do esporte e
4

desenvolvimento da cidadania. Sob esse aspecto é fundamental desmistificar a


aplicabilidade dessa prática na rotina dos educandos e como pode ser
pedagogicamente organizado além do famoso “rolar a bola” na intenção de produzir
a criticidade e a consciência corporal desejada. São inúmeras as possibilidades
dessa organização e embora sejam pouco exploradas, encontramos educadores
que atingem os objetivos propostos exclusivamente a este componente curricular
como nesse estudo.
Na educação física escolar, um dos desafios do professor é que suas ações
de planejamento, na promoção das mudanças sociais esperadas, devem ser
balizadas na autorreflexão, sistematização de saberes, realidade dos alunos e
projeto político pedagógico da escola.

3 ATLETISMO COMO CONTEÚDO DA EDUCAÇÃO FÍSICA


Embora a Educação Física esteja conquistando o seu espaço no ambiente
escolar, ainda lhe falta ampliar os horizontes para a importância da exploração de
outros conteúdos, principalmente para a quebra do paradigma que mais se difunde
atualmente: Educação Física é só jogar bola.

Ao explorar o conteúdo esportes podemos encontrar o atletismo como uma


alternativa promissora de abordagem nas aulas de educação física escolar, mesmo
com a presença de alguns estorvos. Mas Matthiesen (2014) e Gomes (2016, p. 11)
nos trazem que apesar desses óbices encontrados na realidade das escolas
brasileiras, especialmente as públicas, é possível agregar valores aos alunos
através do ensino do atletismo.

O atletismo tem uma influência positiva no desenvolvimento motor e possui


grande importância para o desenvolvimento biopsicossocial da criança (PEDROSA
et al, 2010, p, 2; GOMES, 2008, p. 9).

Então podemos dizer que se nos apropriarmos do correr, saltar e lançar, com a
mesma forma que é tratado no âmbito profissional, estaremos aptos a aplicar o
Atletismo na escola? Segundo Matthiesen, apud Netto & Pimentel,

ainda que esse seja o mais comum, existem outras possibilidades de


conhecimento dessa modalidade que merecem ser revistas. Ou seja, para
além dessa perspectiva competitiva e restrita a grandes eventos mundiais, é
preciso que se explore o lado educacional do atletismo (MATTHIESEN,
2005, p. 15 apud NETTO & PIMENTEL, 2009, p. 3).
5

Matthiesen, na citação supracitada, corrobora com Do Nascimento (2012, p.


99), Kunz (1994, p. 29) e Soares (1996, p. 10), que dizem que a atuação do
professor de Educação Física deve desligar-se dos modelos padrões da instituição
desportiva, tornando o ensino do atletismo algo além de apenas execução de
movimentos técnicos. Mas isso não quer dizer que o atletismo nas aulas de
Educação Física deve vir desprovido de regras. O professor deve ter domínio do
conteúdo, que inclui as regras do esporte, e saber ensinar o mesmo relacionando-o
com a realidade da sociedade a qual a escola está inserida (SILVA MARQUES,
2009, p. 104).

O ensino do Atletismo, bem como os outros conteúdos da Educação Física, não


deve ser feito de forma esporádica, mas sim de forma sistematizada, como Soares
(1996) expõe.

4 METODOLOGIA
Para identificar e descrever a prática do atletismo nas escolas utilizou-se
neste estudo a metodologia qualitativa do tipo descritiva que segundo GIL (2002, p.
42) “[...] uma de suas características mais significativas está na utilização de
técnicas padronizadas de coleta de dados, tais como o questionário e a observação
sistemática”. Os professores participantes aqui chamados de X, Y e Z são
graduados em Educação Física há 14, 11 e 12 anos respectivamente, atuantes em
escolas públicas na cidade de Feira de Santana/BA. Os mesmos preencheram um
questionário (Apêndice A) enviado por e-mail para coleta de dados.

5 ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS DADOS


Após a exploração dos dados coletados foram elencadas duas categorias
temáticas de análise dos dados, a saber: 1ª) Atletismo: concepção e importância
desse conteúdo; 2ª) organização do trabalho pedagógico do atletismo na escola.

5.1 ATLETISMO: CONCEPÇÃO E IMPORTÂNCIA DESSE CONTEÚDO


Nesta categoria será abordado acerca da concepção que os professores
entrevistados pretendem passar e/ou passam para os seus alunos acerca da
modalidade atletismo que é trabalhado na escola como conteúdo nas aulas de
6

educação física. Ademais, também será destacado a importância em abordar esse


conteúdo nas aulas com componente curricular atletismo.
O conteúdo das falas abaixo demostram à concepção que os professores
pretendem passar e/ou passam para os seus alunos sobre o atletismo:
Uma concepção de reconhecimento como esporte, pois quem faz
caminhada ou corrida habitual não associa sua prática ao atletismo,
diferente de quem joga futebol, vôlei, basquete etc. de forma recreativa,
quando perguntado se pratica algum esporte eles falam a modalidade, já
não têem essa mesma percepção para o atletismo (Professor X)

De um esporte que surge dos movimentos naturais e faz parte do repertório


de práticas corporais criadas pelo homem com fins diversos e que é de fácil
acesso. (Professor Y)

De um esporte que é base para os demais conteúdos da Educação Física


como também relacioná-lo com as práticas cotidianas que os alunos vivem.
(Professor Z)

Nota-se que a ampliação de conhecimentos perpassa pela dimensão


procedimental, atitudinal e conceitual como proposto pelos PCN’S (Parâmetros
Curriculares Nacionais) sendo possível nessa abordagem, através das palavras do
Professor X “O atletismo constitui-se conteúdo da Educação Física, neste sentido os
estudantes têm o direito de ter acesso a uma diversidade de conhecimentos
produzidos pela humanidade”.
Ficou evidenciado que os professores tem a intenção de conscientizar os
alunos que a prática do atletismo está associada ao movimento corporal cotidiano,
tornando o esporte preparatório para qualquer atividade ou exercício. E além de ser
considerado treinamento de base para outras modalidades, consideram também sua
característica de viabilidade nos diversos espaços mesmo que improvisados.

5.2 ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO DO ATLETISMO NA ESCOLA


Essa segunda categoria, aborda o aspecto da organização do trabalho
pedagógico do atletismo na escola onde os professores participantes relataram suas
práticas cotidianas nessas escolas. As perguntas possibilitam entender
principalmente suas estratégias, dificuldades enfrentadas, avaliações e adesão dos
alunos às aulas dentro da sequência pedagógica utilizada por cada um docente.
Quanto à sequência pedagógica propriamente dita eles relataram:
Inicio sempre tratando do histórico e da necessidade dos seres se
deslocarem como forma de sobrevivência (nomadismos, caça, construção
de armas 'relação lança e dardo etc.'), introdução em jogos olímpicos e
evolução e normatização das modalidades. Corrida (rasas, revezamento,
7

barreiras e obstáculo); saltos (distância, triplo, altura e com vara);


lançamento (dardo e martelo) e arremesso de peso. (Professor X)

Apresento a modalidade a partir dos movimentos naturais realizados pelos


homens em seu processo de humanização, intercalando com vivências
práticas, discutimos o processo histórico de surgimento das provas do
atletismo e a sua utilização como um esporte moderno, experimentando
(dentro da realidade da escola) as diferentes provas. (Professor Y)

Inicialmente estabeleço uma relação entre a sobrevivência e


desenvolvimento do ser humano a partir dos movimentos do atletismo.
Depois apresento a história do esporte a partir dos ideais gregos. A seguir
contemplo as provas do atletismo que acontecem na atualidade. (Professor
Z)

O trabalho docente é uma atividade consciente e sistemática com o centro


na aprendizagem ou estudo dos alunos com orientação do professor. Segundo
Libâneo (2013) o planejamento é um processo de racionalização, organização e
coordenação da ação docente, unindo a atividade escolar e os problemas do
contexto social. O planejamento é uma atividade que proporciona uma reflexão
acerca das opções e ações, um meio de pensarmos sobre os caminhos que iremos
seguir com o nosso trabalho, e quais as possíveis problemáticas que virão a ser
enfrentadas.
Ainda Libâneo (2013) a ação de planejar é uma atividade consciente de
previsão das ações docentes, fundamentadas em opções político-pedagógicas, e
tendo como referência permanente as situações didáticas concretas. Considerando
o ensino um processo que se caracteriza pelo desenvolvimento e transformação
progressiva das capacidades intelectuais dos alunos, em direção a apropriação dos
conhecimentos e das habilidades trabalhadas e a sua aplicação. Com o objetivo
principal de assegurar o processo de transmissão e assimilação dos conteúdos do
saber escolar e por meio deste o desenvolvimento das capacidades cognoscitivas
dos alunos.
Ao planejar, o docente não deve se distanciar da problemática social,
econômica, política e cultural que envolve a escola, os professores, os alunos, os
pais, a comunidade, que interagem no processo de ensino.

6 CONCLUSÃO
O atletismo é um esporte que deve ser tratado com tanta importância como
os outros esportes com bola, devendo sim ser conteúdo das aulas de educação
física, a fim de proporcionar aos educandos novas experiências e domínio de sua
essência. Ainda que eles não sejam futuros atletas profissionais, a prática da
8

corrida, saltos de obstáculos e demais movimentos que fundamentam essa


modalidade favorecem e incentivam prosseguir no atletismo, além dos demais
benefícios já citados nesse artigo como melhora no desenvolvimento motor
biopsicossocial que favorecem a boa formação do cidadão e consequentemente da
sociedade.
Durante o planejamento de ensino os professores devem estar atentos à
realidade objetiva em que se encontram. É fundamental recorrer a conhecimentos,
estratégias e recursos metodológicos para que a sua intervenção tenha um
desempenho satisfatório no decorrer das aulas. Os relatos que basearam esse
estudo mostram domínio pedagógico satisfatório e desmistificação de conceitos
errôneos culturais adotados na população até aproximarem-se da abordagem
científica apresentada pelos profissionais acadêmicos nessa amostragem.
9

REFERÊNCIAS

BETTI, Mauro; ZULIANI, Luiz Roberto. Educação física escolar: uma proposta de
diretrizes pedagógicas. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, v. 1, n.
1, 2009.

CONFEF – Educação física escolar. Disponível em:


<http://www.confef.org.br/extra/revistaef/arquivos/2002/N05_DEZEMBRO/02_EDUC
ACAO_FISICA_ESCOLAR.PDF>. Acessado em: 12 dez, 2017.

DARIDO, Suraya Cristina et al. A educação física, a formação do cidadão e os


parâmetros curriculares nacionais. Revista Paulista de Educação Física, v. 15, n.
1, p. 17-32, 2017.

DO NASCIMENTO, Marilândia. Contribuições da inclusão do atletismo no currículo


escolar do ensino fundamental. Ágora: revista da divulgação científica, v. 17, n.2,
p. 94-108, 2012.

FERREIRA, Andiara Machado et al. Atletismo: uma intervenção a partir do


Pibid/educação física ensino médio–URI–Santo Ângelo.

GIL, Antônio Carlos - Como elaborar projetos de pesquisa – 4. ed. - São Paulo:
Atlas, 2002.

GOMES, Cecília Leda Jordão. O atletismo como conteúdo pedagógico e formativo.


Programa de Desenvolvimento Educacional - PDE. Londrina, 2008.

GRASEL, Letania Martieli et al. Atletismo amigo da comunidade e o exercício da


docência: um relato de experiência. – Santo Ângelo, 2003.

KUNZ, Elenor. Transformação didático-pedagógica do esporte. Ed. Unijuí, 1994.

MARTHIESEN, Sara Quenzer – Atletismo na escola. Maringá/Paraná: Eduem,


2014.

NETTO, Reynaldo Seifert; PIMENTEL, G. O Ensino do Atletismo nas aulas de


Educação Física. Curitiba: SEED/PR, 2009.

PEDROSA, Olakson Pinto et al. A prática de atletismo nas aulas de Educação Física
nas escolas de ensino fundamental no município de Porto Velho. Anais da Semana
Educa, v. 1, n. 1, 2010.

SILVA, José Gláucio Santos. Relato de experiência na modalidade de atletismo


realizado na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Professor Raul
Córdula em Campina Grande-PB. 2016.

SILVA MARQUES, Carmen Lúcia da; IORA, Jacob Alfredo. Atletismo Escolar:
possibilidades e estratégias de objetivo, conteúdo e método em aulas de Educação
Física. Movimento, v. 15, n. 2, 2009.
10

SOARES, Carmen Lucia. Educação Física escolar: conhecimento e especificidade.


Revista Paulista de Educação Física, n. supl. 2, p. 6-12, 2017.
11

APÊNDICE A - ROTEIRO DO QUESTIONÁRIO

1- Qual a importância em abordar o atletismo como conteúdo nas aulas de


educação física?
2- Como você organiza a sequência pedagógica do atletismo?
3- Qual a concepção de atletismo que pretende ser passada para os alunos?
4- Quais as estratégias de ensino do atletismo?
5- No contexto escolar, quais as dificuldades encontradas para a aplicação deste
conteúdo?
6- Havendo a dificuldade estrutural, como ocorreu a adaptação?
7- Os alunos participaram de forma significativa?
8- Houve alguma avaliação para saber se os alunos se apropriaram do conteúdo
atletismo? Como foi essa avaliação?