Você está na página 1de 2

O PLANO DE NEGÓCIOS - VISÃO EMPREENDEDORA - EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO - PROF.

MARINA
Antes de estudar a importância e aplicabilidade do Plano de Negócios às empresas startups (micro e
pequenas empresas de pequeno porte), é preciso mencionar que o movimento e teorias do século XX, como as
ênfases no desenvolvimento organizacional e nos sistemas abertos, enfatizam o planejamento como uma
ferramenta muito importante para que organização tenha melhores resultados a partir da análise interna, mas,
principalmente, na análise externa, determinando objetivos e estratégicas, sempre com direção e foco nos
resultados.

Um aspecto que todo empreendedor deve saber é que o “Plano de Negócios” nada mais é do que um
planejamento completo (estratégico, tático e operacional) que as organizações de maior porte/tamanho utilizam.
Para entender melhor, as grandes organizações de médio e grande porte realizam planejamento em três níveis:

• O planejamento estratégico é realizado/confeccionado pelos executivos (alto escalão), que recebem dados e
informações de níveis inferiores e de empresas especializadas de pesquisas para servir de subsídio. Nesse
planejamento, são realizadas análises e determinação de objetivos (o que? quanto?) e estratégias (como atingir os
objetivos, caminho a seguir) gerais/globais que envolvem a organização como um todo. O horizonte de influência e
ação desse planejamento é de longo prazo (de dez anos para cima), mas, geralmente, os planos são desenvolvidos
respeitando quinquênios (a cada cinco anos há uma revisão).

• O planejamento tático é realizado/confeccionado no nível intermediário (gerentes de nível médio e gerentes


de 1ª linha), levando em consideração as recomendações do planejamento estratégico. Nesse planejamento, os
departamentos (produção, suprimentos, vendas, marketing, financeiro) realizam mais pesquisas e análises e traçam
o planejamento (objetivos e estratégias) para a área funcional/departamento, seguindo o planejamento estratégico.
O horizonte de influência e ação desse planejamento é de curto para médio prazo (um trimestre a um ano). A
revisão desses planos, embora nunca bem vista, pode ser feita a qualquer momento.

• O planejamento operacional, como a própria definição já evidencia, é realizado no nível operacional.


Participam desse planejamento efetivamente o gerente de 1ª linha, supervisor/chefe de seção e os colaboradores.
As análises, objetivos e metas, estratégias e táticas são desenvolvidas visando o curto prazo (diariamente, mês,
trimestre, ano), porém, seguem as diretrizes dos planejamentos estratégico e tático. A revisão desses planos,
embora nunca bem vistas/aceitas, podem ser feitas a qualquer momento.

O plano de negócios (business plan) é fundamental para o empreendedor, pois, como já informado
anteriormente, um número muito grande de micro e pequenas empresas sucumbem, fecham as portas nos
primeiros anos de atividade devido a falta de conhecimento e traquejo na gestão administrativa de seu negócio. Este
documento facilita a transformação de uma ideia ou oportunidade em algo tangível. Seguindo um modelo pré-
determinado, o empreendedor deverá utilizar esse modelo por toda a eternidade, ou seja, enquanto a empresa
existir, o planejamento deverá ser constante, transparente e comunicado a todos os colaboradores. Estes últimos
devem permanentemente saber quais os rumos que a empresa pensa em trilhar, quais os objetivos e metas a
buscar/atingir, bem como participar de um programa de distribuição dos lucros em um determinado período. Essas
práticas geram resultados fabulosos. Agora que você sabe da importância desse documento (plano de negócios) à
vida dos novos empreendimentos, procure pensar e lembrar quantos novos negócios abriram e depois de um breve
tempo fecharam? As justificativas ou causas são inúmeras, porém, como você pôde verificar na leitura dos capítulos
preconizados, tanto nos Estados Unidos, como no Brasil, os expoentes das causas de fracasso das startups são:
incompetência gerencial e expertise desbalanceada (nenhum ou pouco conhecimento na área do negócio). Não há
milagre para isso, o que deve existir é busca por capacitação e desenvolvimento administrativo/gerencial constante,
utilização de teoria aliada à prática, gerando experiências e conhecimentos aplicados à empresa (setor/ramo de
atividade).

O empreendedor pode confeccionar seu plano de negócio utilizando programas (software), editores de
textos, bem como planilhas e dados para os aspectos financeiros. O tamanho do plano não importa, pois o essencial
mesmo é atender as exigências do público-alvo que fará uso do mesmo, por exemplo, para atrair recursos (a parte
de fundamental importância será a viabilidade técnico-financeira); para os clientes finais ou corporativos a parte
importante será o plano de comunicação com o mercado; para a parceria com os fornecedores a parte importante
será a análise de mercado e determinação estratégica e assim por diante. Além do documento, é recomendável que
O PLANO DE NEGÓCIOS - VISÃO EMPREENDEDORA - EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO - PROF. MARINA
o empreendedor confeccione uma apresentação (em power point da Microsoft ou outro programa similar – de 15 a
30 slides) para que o públicoalvo interessado nas atividades do novo negócio tenha informações relevantes.

O empreendedor não pode acreditar que não precisa dessa “burocracia” toda para fazer o seu negócio
crescer; também não deve acreditar que sua cabeça (memória) é suficiente para manter tudo sobre controle na
gestão do negócio. Outro equívoco é achar que o negócio é muito pequeno. Sendo assim, não há a necessidade de
utilizar ferramentas de grandes empresas. Pouquíssimas empresas começaram suas atividades com porte médio ou
grande, a maioria esmagadora inicia suas atividades atendendo a poucos clientes, um segmento pequeno.

O plano de negócios deve responder às perguntas:

• Qual é a minha ideia ou oportunidade?

• Quais as características do mercado?

• Qual é a sua vantagem competitiva?

• Por que quero iniciar esse empreendimento?

• Qual é o seu ideal? Sonho?

• Quais são as minhas competências e habilidades?

• Que competências precisa ter?

• Quanto será necessário para desenvolver a solução e atender a oportunidade do mercado?

• Para onde vou?

Uma excelente fonte de consultoria e ajuda ao micro e pequeno empreendedor é o Sebrae


(<www.sebrae.com.br>). O Sebrae-SP, em parceria com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e
do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), desenvolveu o programa (software) “SPPLAN” para auxiliar
o micro e pequeno empreendedor na elaboração e implementação do plano. Outra fonte de auxílio é o portal
nacional do empreendedor PN - Plano de Negócios (<www.planodenegocios.com.br>). Nesse último, há o programa
“Easyplan” que auxilia na criação do plano de negócios, além disso, disponibiliza/coloca à disposição dos
interessados cursos para capacitação e desenvolvimento dos planos.

A utilidade do planejamento é inquestionável, mas o que deve ser uma preocupação constante é a
implementação. Vários estudos com as empresas e os administradores evidenciam que o planejamento, na hora da
execução, acaba tendo uma performance ruim, motivo pelo qual vários desvios ou inconsistências levam o
planejamento a ser mal visto ou mal interpretado.

SAIBA MAIS: Sites

Leia o artigo: Análise ambiental: antes e durante o negócio. Disponível em:


<http://www.incorporativa.com.br/mostranews.php?id=4204>. Acesso em: 17 set. 2013. Saiba que no ambiente
competitivo atual cada vez mais as empresas precisam realizar a análise ambiental.

Leia o artigo: Você pergunta: empreender com excelência Disponível em: <http://www.hsmeducacao.com.br/Sala-
De-Imprensa/Voce-Pergunta3a-Empreender-com-excelencia/116>. Acesso em: 17 set. 2013. A entrevista é feita com
Jairo Martins, superintendente-geral da Fundação Nacional de Qualidade (FNQ), e saiba como empreender e ter
excelência na gestão do próprio negócio.

Acesse o site: Fundação Nacional de Qualidade e conheça o Modelo e o de Excelência de Gestão (MEG). Disponível
em: <http://www.fnq.org.br/site/376/default.aspx>. Acesso em: 17 set. 2013. O Programa de Excelência de Gestão
(PEG). Disponível em: <http://www.fnq.org.br/site/785/default.aspx>. Realize cursos gratuitos online voltados a
qualidade e a excelência na gestão empresarial. Disponível em: <http://www.fnq.org.br/site/458/default.aspx>.
Acesso em: 17 set. 2013. Aprenda um pouco sobre o tema Qualidade e Excelência em Gestão Empresarial.