Você está na página 1de 10

Sumário

1. Introdução................................................................................................1
1.1. Discalculia.............................................................................................2
1.2 Disgrafia.................................................................................................4
1.3 Transtornos de Atenção hiperatividade…...............................................5
1.4 Transtornos de Atenção hiperatividade…...............................................6

2 Conclusão.................................................................................................6 3 3
Referência..................................................................................................7

1 Introdução
O trabalho se refere à, discalculia, disgrafia,transtorno de atenção com
hiperatividade, Dislexia,Disortografia,em relação aos temas vamos falar apartir á
discalculia é um tipo de transtorno de aprendizagem por uma inabilidade ou
incapacidade de pensar, refletir, avaliar ou raciocinar processos ou tarefas que
envolvam números ou conceitos matemáticos podem perceber desde muito cedo,
conseguimos perceber na escola que todos os sinais e dificuldades se expressam
de maneira clara e explícita, as exigências são maiores e a sequenciação de
tarefas que envolvem matemática e proporções passam a ser rotineiras .Já a
disgrafia é uma dificuldade de aprendizagem do aluno relacionado à escrita que
interfere na realização de tarefas básicas no percebemos no ato de escrever
ligada a um problema perceptivo-motor, conhecida também como letra feia,o
problema não compromete o intelectual, ao contrário, geralmente digráficos são
crianças muito inteligentes, porém sua dificuldade está na escrita, pois o indivíduo
não consegue recordar da grafia da letra para escrever e em relação ao
transtorno de atenção hiperatividade conseguimos identificar os sintomas no
comportamento agressão, excitabilidade, hiperatividade, impulsividade,
inquietação, irritabilidade ou falta de moderação e na cognição, dificuldade de
concentração, esquecimento ou falta de atenção esta relacionado também no
humor ansiedade ,excitação ou raiva,sendo comum na depressão ou dificuldade
de aprendizagem.
Referente a dislexia do desenvolvimento é um transtorno específico de
aprendizagem de causa neurobiológica, esta relacionada pela dificuldade no
reconhecimento preciso e/ou fluente da palavra, na habilidade de decodificação e
em soletração. Geralmente essas dificuldades normalmente resultam de um déficit
no componente fonológico da linguagem e são inesperadas em relação à idade e
outras habilidades cognitivas.

a disortografia o transtorno da grafia que, geralmente acompanha a dislexia é


conhecido como disortorgrafia sendo a dificuldade de aprender e desenvolver as
habilidades da linguagem escrita é a alteração na organização da linguagem
escrita, causando transtorno na no desenvolvimento da aprendizagem , ortografia,
gramática e a redação
1.1 Discalculia

A discalculia é uma doença relacionada ao problema causado por má formação


neurológica que percebemos a manifestação através da dificuldade com a
aprendizagem com os números, a dificuldade de aprendizagem não é causada por
deficiência mental, má escolarização, déficits visuais ou auditivos, e não tem
nenhuma ligação com níveis de QI e inteligência.
As crianças que tem a doença são incapazes de identificar sinais matemáticos,
montar operações, classificar números, entender princípios de medida, seguir
sequências, compreender conceitos matemáticos.
Dr. Ladislav Kosc, descreveu a respeito deste distúrbio que causa dificuldade na
aprendizagem da matemática, decorrente de uma falha na rede transmissora de
impulsos nervosos, que conduzem as informações químicas através dos
neurônios, essa falha ocorre na parte superior do cérebro que é a área
responsável pelo reconhecimento de símbolos. Oficialmente este distúrbio passou
a se chamar discalculia e foi descrito em seis tipos:
Discalculia léxica: dificuldade na leitura de símbolos matemáticos;
Discalculia verbal: dificuldades em nomear quantidades matemáticas, números,
termos e símbolos;
Discalculia gráfica: dificuldade na escrita de símbolos matemáticos; Discalculia
operacional: dificuldade na execução de operações e cálculos numéricos;
Discalculia practognóstica: dificuldade na enumeração, manipulação e
comparação de objetos reais ou em imagens;
Discalculia ideognóstica: dificuldades nas operações mentais e no entendimento
de conceitos matemáticos.
Para que o professor consiga detectar a discalculia em seu aluno o que é vital
que ele esteja atento à trajetória da didática desse aluno, quando ele apresenta
símbolos matemáticos malformados, Observar incapacidade de operar com
quantidades numéricas, não reconhecer os sinais de Matematica,quando ele
apresentar dificuldades na leitura de números e não conseguir localizar
espacialmente a multiplicação e a divisão. Se o transtorno não for percebido a
tempo, ele poderá comprometer o desenvolvimento escolar da criança, que com
medo de enfrentar novas experiências de aprendizagem adota comportamentos
inadequados, tornando-se agressiva, apática ou desinteressada.
Por ser um distúrbio ou déficit neurológico, a discalculia não tem cura, o
tratamento adequado deve ser feito por psicopedagogos especializados, além de
neurologistas.
O psicopedagogo atuará com relação à autoestima e a valorização das atividades
realizadas. E também descobrirá no processo de aprendizagem da criança através
de instrumentos, como jogos, habilidades psicomotoras e espaciais e contagem.
Já o neurologista confirmará, através de exames, a dificuldade específica do
paciente, e o encaminhará para o tratamento ideal de acordo com o problema
sendo importante detectar as áreas do cérebro afetadas. Estudiosos mostraram
aumento da atividade de EEG no hemisfério direito durante o processo de cálculo
algorítmico.

1.2 Disgrafia

Disgrafia é uma alteração da escrita esta relacionada aos problemas perceptivo-


motores, pode perceber na execução motora da escrita exige amadurecimento do
Sistema Nervoso Central e Periférico e certo grau de desenvolvimento psico-
motor, esta definição da Disgrafia é o transtorno da escrita, de origens funcionais,
que surge nas crianças com um adequado desenvolvimento emocional e afetivo,
onde não existem problemas de lesão cerebral, alterações sensoriais ou história
de ensino deficiente do grafismo da escrita.Esta doença pode ter varias causas:
neurológica, psicológica, oftalmológica e /ou audiológica.
O problema relacionado com a dificuldade da escrita é também conhecido por
estes fatores chamados de letra feia. A característica devido a uma incapacidade
de recordar a grafia da letra ao tentar recordar este grafismo escreve muito
lentamente o que acaba unindo inadequadamente as letras, por esse motivo a
letra fica ilegível. A Disgrafia, não está associada a nenhum tipo de
comprometimento intelectual.
As características são lentidão na escrita, letra ilegível, escrita desorganizada,
Traços irregulares ou muito fortes pode ser ao contrario muito leves,
desorganização geral por não ter noção espacial, desorganização do texto, pois
não observam a margem parando muito antes ou ultrapassando, desorganização
das letras: Letras retocadas, atrofiadas, omissão de letras, palavras, números,
formas distorcidas, movimentos contrários à escrita desorganização das formas:
tamanho muito pequeno ou muito grande, escrita alongada ou comprida.
Podemos encontrar dois tipos de Disgrafia, Motora a criança consegue falar e ler
ela encontra dificuldades na coordenação motora para escrever as letras, palavra
números ela ver mais não consegue fazer os movimentos para escrever e a
disgrafia perceptiva não faz relação entre o sistema simbólico e as grafias que
representam os sons, as palavras e frases , possui características da Dislexia
sendo que esta está associada à leitura e a Disgrafia está associada à escrita.
O tratamento requer uma estimulação linguística global e um atendimento
Psicopedagógico complementar à escola, lembrando que todo acompanhamento,
tratamento Psicopedagógico deve ter inicio por uma Avaliação - Psicodiagnóstico
avaliando, o outro fator relacionado esta associados aos fracassos caligráficos,
aspectos intelectuais, aspectos da personalidade, sondagem pedagógica, para
que sejam detectadas as verdadeiras dificuldades, pautando-se da perspectiva
clínica.
A reeducação deve ser terapêutica e eficaz, e também ser interessante e
agradável, não se pode esquecer que a criança sofre com as suas dificuldades na
escrita e os pais, como os professores devem conhecer a necessidade de uma
avaliação e pautar na dificuldade, também ao tratamento necessário para cada
caso de Disgrafia.

1.3 Transtorno de atenção com hiperatividade. Características,


tratamento, conceito e intervenção
O transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), é um transtorno
neurobiologico em que o córtex pré frontal direito é um pouco menor nas pessoas que
apresentam este transtorno, ele é de origem genética/ hereditária, que aparece na
infância e que na maioria dos casos pode acompanhar à pessoa por toda a vida.
O TDAH se caracteriza pela combinação de sintomas de desatenção,
hiperatividade (inquietude motora) e impulsividade sendo a apresentação
predominante desatenta conhecida por muitos com DDA (distúrbio do déficit de
atenção); Segundo as pesquisas a prevalência do (TDAH) gira torno de 3 a 5% da
população infantil no Brasil e de outros países do mundo onde o transtorno foi
pesquisado, nos adultos estima-se aproximadamente 4%.
Esse sintoma é caracterizado pela desatenção, falta de concentração, agitação e
impulsividade; estás características podem levar o portador a ter dificuldades
emocionais, de relacionamento, decorrendo baixos níveis de auto estima, além do
mau desempenho escolar.
Aí que vem a intervenção educativa que cabe ao psicopedagogo a buscar uma
ampla e consistência no processo de desenvolvimento do indivíduo, em suas diversas
dimensões, tais como as afetivas, cognitivas, orgânica e psicossocial.
A avaliação psicopedagógica tem um papel fundamental no diagnóstico da criança
com TDAH, já que é na escola que o problema tem a maior expressão.
Observando assim com atenção todas as dificuldades de aprendizagem,
valorizando a intervenção através da aplicação de jogos e atividades arte
terapêuticas. Criança com TDAH possui dificuldade de concentração podendo
distrair-se com facilidade, ou ouvindo qualquer barulho ou mesmo distraindo-se
sozinho, esquece seus compromissos, perde ou esquece objetos nos lugares, possui
dificuldade em seguir instruções, em se organizar, além de falar muito, interrompendo
as pessoas enquanto conversa.
O DSM - IV (manual Diagnóstico e Estatística de Desordens mentais), define o
transtorno de déficit de atenção/hiperatividade como um problema de saúde mental,
considerando-o como distúrbio bidimensional, que envolve a atenção e a
hiperatividade/impulsividade. E de acordo com esse manual o TDAH pode ser
apresentado em 3 formas: Eles são: Subtipo predominantemente desatento, caso
tenha ao menos seis sintomas da desatenção, apresentam características de
comportamento letárgico, falta de motivação, maior comprometimento da memória,
dificuldade em atividades de velocidade de processamento, menor auto-confianca,
baixo desempenho em leitura e compreensão, ansiedades, flutuação na
aprendizagem, dificuldades nas tarefas percepto-motoras, desordem cognitivas e
dificuldade em atenção focalizada. Este tipo de TDA na maior parte das vezes ocorre
nas meninas. Subtipo predominantemente Hiperativo impulsivo, caso tenha ao menos
seis sintomas de hiperatividade/impulsividade; apresentam dificuldades em completar
tarefas sequências, maior tempo de reação, maior número de repetência escolar,
agitação motora, dificuldade de controlar impulsos, inquietação, atividade excessiva.
Subtipo combinado, caso apresente no mínimo seis sintomas de Desatenção e seis
sintomas de Hiperatividade/impulsividade, apresentam um maior comprometimento
nas funções executivas, maior número de erros em atividades que necessitam de
maior atenção, concentração e organização; Por causa de sua dificuldade com regras
e com o auto controle, a criança com TDAH do tipo combinado é muitas vezes uma
significativa força negativa na sala de aula.
O tratamento do TDAH é abrangente e individualizado, cada criança, adolescente ou
adulto com o transtorno, pode responder ao tratamento proposto de forma diferente e,
por isso, é tão importante o acompanhamento médico psicológico, educacional e
familiar bastante próximo; Seu tratamento tem como abordagem combinada
(multimodal), que consiste no uso de medicamentos associado a recursos
complementares para melhorar a resposta final. Isso inclui a utilização da
intervenções psicoterapias, fonoaudiológicas, psicopedagógicas, na mudança no
estilo de vida, além do uso de recursos tecnológicos e ajustes no ambiente onde
estão inseridos. Grupo de apoio-terapia cognitivo comportamental, medicamentos
(estimulantes), especialista psicológo clínico, neurologista, psiquiatria e pediatria. O
objetivo do tratamento do TDAH é que o paciente aprenda a lidar com seus sintomas
evitando ou limitando os prejuízos em sua vida.

1.4 Dislexia

Não é uma doença, mais sim pessoas que sofre de transtorno especifico de
aprendizagem de processar informações de sons e leitura. A dislexia é uma
condição genética e neurológica pois deveria de uma particularidade
cromossômica e que não tem cura mas te adaptação. Encontra um grau de
ansiedade que suporta em casa ou na escola como uma pressão. Suas principais
características são acústica, visual e notriz elas apresenta dificuldade de falar ,
começa a pronunciar palavras erradas , porque não consegue assimilar os sons
básicos das sílabas e letras. Confunde a direita com a esquerda na organização
espacial, omite letras ou sílabas além de necessitar acompanhar a linha com o
dedo durante a leitura como tentativa de não perder o fio de compreensão.
Normalmente provoca um atraso escolar, mesmo em crianças com inteligência
normal ou superior. A dislexia pode ser tratada por melos de terapia por consulta
psicológica , fonoaudiólogo, neurologista , Psiquiatra onde fornece atendimento
médico para bebês, crianças e adolescentes. A intervenção para a dislexia e
forma profissionais capacitados. Para a intervir em crianças jovem e adultos.
Pode começar com a formação especifica dos educadores , no que se refere a
saberes do campo da psicolopedagogia da didática e da pedagogia especial, pode
ser feito etapas de avaliação de um caso , análise dos dados escolar, fazer
acompanhamento da criança através de trabalhos dirigidos auto estima e a
melhor realização acadêmica , acompanhamento com os pais com a finalidade de
explicar e aconselhar sobre o problema com a ajuda de atividade de intervenção
reeducativa e preventiva e assim avaliando o processo buscando o talento
disléxico junto a família.

1.5 Disortografia

Dificuldade de aprender e desenvolver linguagem escrita essa dificuldade na escrita pode


vim acompanhado de dificuldade de leitura. Pessoas com disortografia geralmente
reclamam com dores na amo e braço por fazer muita força para escrever tendem a
escrever sempre textos curtos por dificuldade coordenação e subordinação das orações.
Letras desorganizadas feias , espaço entre as linhas e letras irregulares causando assim
escrita ilegível. Caracteristica são separação indevido das palavras , sem vontade de
escrever, perceber sinais de pontuação , trocas letras “todos” “totós” e lentidão na escrita.
Para tratamento alguns profissionais não recomendam o caderno de caligrafia pois pode
sobrecarregar punho.Sugere- se acompanhamento para avaliação fonoaudiológica o
quanto antes , para que com atividades adequadas para o tratamento consiga evitar o
fracasso escolar. Intervenção na maneira de segurar o lápis o aluno pode ser orientado a
forma adequada para facilitar a escrita sem causar dor.
Usar pincel fazendo traços retos ajuda o aluno na coordenação, Aplicar exercícios de
reaprendizagem que ajude na organização e separação das letras, Estimular a memoria
visual com quadros letras alfabeto família silábicas deve-se auxiliar possitivamente.

Conclusão

Referência

MORAES, Paula Louredo. "Discalculia, sintomas, causas e tratamento"; Brasil Escola.


Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/doencas/discalculia.htm>. Acesso em 31 de
outubro de 2017.

http://brasil.planetasaber.com/theworld/chronicles/seccions/cards/default.asp?pk=3287&art=94

http://www.joinville.saudeatual.com.br/especialidades/psicologia/o-que-e-disgrafia

http://tdah.novartis.com.br/tratamento-do-tdah/

https://www.centropsicopedagogicoapoio.com.br

http://www.dislexia.org.br/o-que-e-dislexia/