Você está na página 1de 26

Prof. Me.

Marcelo Nanni
Prof. Fabio Dalla V. Rocha
1
2
Nos TRAFOS reais deve-se levar em consideração os efeitos das
resistências dos enrolamentos, os fluxos dispersos e a corrente de
excitação devido a permeabilidade do material do núcleo não ser
infinita.

O fluxo total que concatena o enrolamento primário pode ser


dividido em 2 componentes:

Fluxo mútuo resultante


Fluxo disperso de primário

3
O fluxo de dispersão do primário pode ser representado por
uma indutância de dispersão do primário L1. Sendo a
reatância de dispersão de primário dada por:
X l1 = 2π f .L1

O circuito equivalente do enrolamento primário


considerando também a queda de tensão na resistência R1

4
A corrente do primário deve atender a duas condições do
circuito magnético, produzir a FMM requerida para gerar o
fluxo mútuo e contrabalançar o efeito da FMM do
secundário que atua no sentido de desmagnetizar o núcleo

A corrente do primário tem 2 componentes: uma corrente de


excitação e uma corrente de carga.

A corrente de excitação é decomposta em uma corrente que


alimenta as perdas no núcleo e uma corrente de
magnetização.

5
Circuito equivalente com o ramo de excitação (Zφ).
Iϕ - é subdividida em duas componentes: Ic que representa as
perdas no núcleo e Im que magnetiza o núcleo;
Rc – representa a resistência de perdas no núcleo;
Lm – representa a indutância de magnetização, cuja reatância é
conhecida como reatância de magnetização.

X m = 2π f .Lm

Zϕ = Rc // Xm

6
A componente em fase Ic, fornece a
potência absorvida pelo núcleo devido as
perdas por histerese e correntes
parasitas.
]

A outra componente da corrente de


excitação Im é responsável pela
magnetização do núcleo ( geração do
fluxo que atravessa o núcleo
ferromagnético).

Em transformadores de potência
típicos, a corrente Iϕ constitui cerca
de 1 a 2% da corrente a plena carga.

7
O fluxo mútuo induz uma tensão e2 no secundário. Na
condição com carga, esta não é a tensão presente nos terminais
do secundário, pois existe a queda de tensão no secundário
devido ao fluxo disperso e à resistência dos enrolamentos.

8
O modelo do transformador real é o modelo do transformador
ideal mais as impedâncias associadas.

9
O equivalente T é feito referindo todas as grandezas ao
primário ou ao secundário do transformador original.
2
 N1 
X 'l2 =  X l2
 N2 
2
N 
R '2 =  1  R2
 N2 

'  N1 
V 2 =  V2
 N2 
Existe a vantagem de se trabalhar
em um mesmo nível de tensão. 10
Em aplicações mais práticas de cálculos costuma se adotar uma
simplificação para o circuito T de um transformador, deslocando-se o ramo
em derivação para os terminais do primário ou do secundário.

Essas formas de circuitos equivalentes, são chamadas de circuitos L. O ramo em série é a


combinação das resistências e reatâncias do primário e secundário referidas ao mesmo lado.
Essa impedância é comumente chamada de impedância equivalente série.

Z eq = R e q + jX eq
11
1.

1.1
1.2
1.3

2.

2.1
2.2
2.3

12
1.1

1.2

13
1.3
1.1

14
2.1

15
16
2.2

17
2.3

18
Um transformador de distribuição de 50kVA, 2400:240V e 60Hz
tem uma impedância de dispersão de 0,72+j0,92Ω no enrolamento
de alta tensão e 0,0070+j0,0090 Ω no de baixa tensão. Na tensão e
frequência nominais, a impedância Zφ do ramo em derivação é
6,32+j43,7Ω, quando vista do lado de baixa tensão.

◦ (a) Desenhe o circuito equivalente referido ao lado de alta tensão e referido ao


lado de baixa tensão. Indique numericamente as impedâncias no desenho.
◦ (b) Calcule o valor da corrente de excitação referenciado ao lado de alta e baixa
tensão.
◦ (c) Considerando o circuito equivalente L com o ramo em derivação nos
terminais de alta tensão, calcule e indique numericamente no desenho os valores
de Req e Xeq.
◦ (d) Com os terminais de baixa tensão em aberto e 2400V aplicados no primário,
calcule a tensão no secundário, para os circuitos T e L.

19
◦ (a) Desenhe o circuito equivalente referido ao lado de alta tensão e referido ao
lado de baixa tensão. Indique numericamente as impedâncias no desenho.

20
◦ (b) Calcule o valor da corrente de magnetização referenciado ao lado de alta e
baixa tensão.

I&ϕ = ?

21
◦ (b) Calcule o valor da corrente de magnetização referenciado ao lado de alta e
baixa tensão.

I&ϕ = ?

22
◦ (c) Considerando o circuito equivalente L com o ramo em derivação nos
terminais de alta tensão, calcule e indique numericamente no desenho os valores
de Req e Xeq.

R e q = R1 + R2 ' = 0, 72 + 0, 70 = 1, 42Ω

X e q = Xl1 + Xl2 ' = 0,90 j + 0,92 j = 1,82 j

23
◦ (d) Com os terminais de baixa tensão em aberto e 2400V aplicados no
primário, verifique a tensão no secundário, para os circuitos T e L.

2400∠0 ( 632 + j 4370 )


V&ϕ = = 2399, 45∠7,53.10−3V
( 0, 72 + j 0,92 + 632 + j 4370 )
N 240
V&B = 2399, 45. B = 2399, 45. = 239,94V V&ϕ = 2399, 45V
NA 2400

24
◦ (d) Com os terminais de baixa tensão em aberto e 2400V aplicados no
primário, verifique a tensão no secundário, para os circuitos T e L.

240 Não há queda de tensão no primário, e como o


V&B = 2400. = 240V secundário está em aberto, a tensão em cima do ramo
2400
Zφ é a tensão refletida!

25
Até Próxima Aula

26

Você também pode gostar