Você está na página 1de 62

Aula de Língua Portuguesa 01

Prof. Lucas Daniel Tomáz

Olá a todos, me chamo Lucas Daniel Tomáz e hoje vamos matar, em nossa
aula em PDF, quatro tópicos de todo o edital de Língua Portuguesa do Cespe. Aliás,
os pontos abaixo elencados caem em todas as provas de concursos públicos (a aula
então serve para qualquer banca). Vamos a eles:

1. Emprego de tempos e modos verbais


2. Emprego das classes de palavras
3. Colocação e uso dos pronomes
4. Partícula SE

Para tanto, vou me valer somente de tópicos e explicações curtas para elencar e
explicar toda a teoria, ora porque a aula fica mais leve, ora porque irei me basear
principalmente em resolução de questões de concursos - cerca de 52 no total.

No final ​eu vou dar uma dica matadora para você não perder tempo, só fazer o
intercâmbio dos mecanismos gramaticais e acertar a questão de olhos fechados, ok? Afinal,
objetivo final é fazer você acertar questões, não se tornar um Sergio Pachá (um grande
gramático), certo? Let’s go!

PRONOMES

PRONOMES PESSOAIS

Caso reto

Usamos o ​pronome pessoal do caso reto​, via de regra, quando exercer a função
de sujeito e de predicativo, como no exemplo abaixo:

Ele​ virou-se para ​ela​.

Tranquilo, né? Lembra até as aulas da tia Tetéia do ensino fundamental.


Prossigamos.

Caso oblíquo

Usamos o ​pronomes pessoais do caso oblíquo ​(o, a, lhe etc) nas demais funções
sintáticas. E é claro que são elas que as bancas mais exploram. São as funções de
complemento verbal e complemento nominal, e por aí segue o baile.
​ ​ na janela​. (objeto direto)
Vi-o
Falei-​lhe​ sobre minha namorada.​ (objeto indireto)
Não se assustem com os nomes: objeto direto, adjunto adverbial, adjunto adnominal
e assim por diante. Há alunos que começam a apavorar-se com as nomenclaturas “​Ai meu
Deus, adjunto adverbial, o que é isso? Vou morrer!​”. Estou dando a vocês, porém, de forma
simples e breve. Minha função aqui é fazer você acertar questões, logo, confie em mim.
Facilmente entenderá as trocas sintáticas e acertará as questões. Continuemos.

ATENÇÃO
Esta dica é de questão de prova de concurso, cai principalmente em bancas como
FCC, Vunesp, IADES, Cesgranrio e também em outras bancas menores. Já fiz questões
assim, com a dica que darei a seguir, cai ​muito​ isso em prova! Grave isso, querido aluno:

O pronome ​lhe​, como complemento de verbo, é SEMPRE ​objeto indireto​.


Já os pronomes ​o, a, e​ como complemento do verbo, são SEMPRE ​objetos diretos​.

Viu verbo? ok. Tem algum pronome oblíquo? Lembre que o Lhe é indireto.

Mais uma vez e BEM simplificadinho pra gravar:

COMPLEMENTO VERBAL

LHE ➯ I​ NDIRETO
​ ​DIRETO
O,A,E ➯

A tia fez aniversário e Joaquim ​deu-lhe​ um presente​. (OI do verbo “deu”)

A tia fez aniversário e Joaquim ​a ​presenteou. (OD do verbo “presenteou”)

Fácil demais, hein, bicho! Que que é isso!

PRONOMES DE TRATAMENTO
Os pronomes de tratamento, como é possível inferir, por evidente, servem
para se dirigir a outra pessoa, não de qualquer jeito, senão de modo mais formal,
respeitando a língua dos falantes.

Em concursos públicos, estes pronomes quase não caem. Em provas de


Língua Portuguesa devem representar por volta de 0000,1%. O que ocorre, porém, é
que eles podem aparecer nas provas de Redação Oficial e Manual de Redação da
Presidência (MRPR). Portanto, vamos rapidamente a eles.

Um adendo importante: a diferença entre ​Vossa Excelência e ​Sua


Excelência​.
Vossa Excelência - ​pronome usado para dirigir-se diretamente à pessoa.
Qual a opinião de Vossa Excelência a respeito da PL tal?
(você a um parlamentar, por exemplo)

Fico contente por Sua Excelência, o parlamentar Fulano, ter votado tal PL​.
(você falando a outrem e falando ​sobre​ o parlamentar)

COESÃO TEXTUAL

PRONOMES DEMONSTRATIVOS

Os pronomes demonstrativos - olha a retórica aqui, se é demonstrativo, ele


demonstra algo, certo? - apontam coisas no textos. Normalmente referem-se aos
sujeitos. É bem comum ver isso na Literatura de ficção, por exemplo.

João foi para a escola de carro, mesmo assim ele chegou atrasado.

Quem chegou atrasado, pessoal? O carro? Claro que não. Por evidência,
quem se atrasou foi João. A palavra ​ele​ retoma, por coesão, a palavra ​João​.

Assim, veremos que os pronomes demonstrativos desempenham o mesmo


papel que a palavra “ele” (caso reto) desempenhou aí no exemplo acima,
obedecendo sempre ao ​tempo​ e ​espaço​ na oração. Vamos conhecê-los.

Este(s), esta(s), isto Presente, Próximo de quem fala


função catafórica momento atual

Esse(s), essa(s), isso Passado Perto da pessoa com


função anafórica próximo quem se fala

Aquele(s), aquela(s), Passado Longe de quem fala e da


aquilo longínquo pessoa com quem se fala

Dica:
Estes pronomes apontam termos anteriores dispostos pelo corpo do texto, como já
foi explanado em aula, no exemplo do João e o carro, lembram-se?

ESTE​ - por coesão exerce função ​catafórica

ESSE​ - por coesão exerce função ​anafórica

AQUELE​ - retoma o primeiro termo citado


Analice e Josefa foram ao funeral. ​Aquela​ de roxo, e
​ sta​ de preto.

Por coesão, temos então:


Aquela​ = retoma Analice
Esta​ = retoma Josefa

PRONOMES RELATIVOS
Aqui o bicho pega. Não a modo de dificuldade, assim veremos. A modo,
porém, de que este tópico despenca em todas as provas e concursos. Mas não se
preocupe, mostrá-los-ei (lembra-se das mesóclies e próclises?) que este tema é fácil
a partir do momento que começarmos a fazer questões.

Onde
Utilizado com referência a ​lugar ​de modo ​restrito​. Isto é, não há como
estabelecer outro sentido para esta palavra. Pode retomar termos por coesão em
uma frase ou funcionar como advérbio que exprime interrogação:
Onde​ você mora, Lucas?

Cujo
Pronome que estabelece posse ou dependência entre termos, o antecedente
e o consequente, concordando sempre em número e gênero com o dependente.

Aquele é um colega ​cujo​ caráter é duvidoso.

ATENÇÃO!
Cuidado quando a banca pedir reescritura de textos. O Cespe é ninja nisso!
Treinei por muito tempo reescritura e hoje digo com convicção: o Cespe e demais
bancas adoram propor equivalência de pronomes mantendo a correção gramatical e
coerência no comando das questões.
Exemplo: pedem pra você trocar o pronome ​cujo por outros pronomes
relativos: que, a/o qual, quem. A dica é: você ​não troca seu CUjo por nada​. E
ponto final.

ATENÇÃO DE NOVO!
NÃO se usa crase após o pronome cujo, do mesmo modo que ​não se
coloca artigo​ após este pronome, como na construção frasal a seguir.

​ ​ filho passou na UnB está contente. ​ ​ERRADO


O pai cujo o
A mãe cuja à filha reprovou na UnB está infeliz.​ ERRADO

Pronomes Relativos: que, quem, o qual, onde, quanto, cujo.

DICA MATADORA:
A partícula ​QUE é muito explorada pelas bancas de concursos porquanto
sofre variações imensas, sintaticamente falando, e por vezes complicadas. Esta dica
vai te ajudar.
O ​QUE ​pode ser:
● Conjunção integrante​: quando o resto da frase puder ser, sem
prejuízo de lógica, intercambiada por ​ISSO​. Introduz-se aí uma
oração subordinada substantiva.

É necessário q ​ ue você venha aqui.​


É necessário i​ sso​. (ou ​isso​ é necessário)

● Pronome relativo​: quando puder ser trocado o QUE pelo ​O QUAL/A


QUAL​. Introduz-se aí uma oração subordinada adjetiva.

O presente ​que​ você me deu é legal.


O presente ​o qual​ você me deu é legal.

Ademais, as bancas também trazem questões quando a partícula ​QUE tem


ou não vírgula, pois ela pode ser uma oração restritiva ou explicativa.

Meu tio, que é médico, deu um parecer novo ao doente.

Se tem vírgula, só pode ser uma oração explicativa. Repare que ele explica
que o tio é médico e a explicação, que é um aposto, está dentro de tais vírgulas.

Guarde a dica​:

● ​ XPLICATIVA
COM VÍRGULA​: E
● SEM VÍRGULA​: RESTRITIVA

Simples assim.

COLOCAÇÃO PRONOMINAL
A colocação pronominal é importante para sintaxe porque confere harmonia e
por vezes elegância às frases. Está ligada aos pronomes oblíquos átonos (me, te,
se, o, a lhe, nos, vos, se, os, as, lhes) e suas distribuições perante o verbo: antes, no
meio e após o verbo.

Próclise ​- ANTES do verbo


Ênclise​ - APÓS do verbo
Mesóclise​ - NO MEIO do verbo

A partir disso, darei mais foco na próclise e ênclise, visto que a mesóclise quase não
cai nas questões, certo?
Próclise
É usada antes do verbo como “fator de atração”, isto é, quando houver a
relação abaixo ​SOMENTE se usará próclise, pois tais construções frasais “puxam”
ou forçam o pronome átono a estar antes do verbo.
​Dica de próclise​: mnemônico ​NARISD.

N​egativas ​➯ ​ ​Não​ te vás para longe de mim.


A​dvérbios ​➯ ​ ​Agora​ se prestam a este serviço.
R​elativos (pronomes) ​➯ ​ ​Acharam o ladrão q
​ ue​ se rendeu na hora.
I​ndefinidos (pronomes) ​➯ ​ ​Poucos​ se negaram a faltar.
S​ubordinativas (conjunções) ​➯ ​ ​Soube​ que me amava.
D​emonstrativos (pronomes) ➯
​ ​Disso me falaram os homens.

● Ademais, há dois casos em que a próclise é ​exigida de modo restrito​.

Frases interrogativas ➯​ ​Quem me ama?


Frases exclamativas ➯​ ​Quem me dera!

● Ademais, há duas formas verbais (o Cespe sempre usa este termo quando se refere
aos vermos, preste atenção!) que também exigem de modo restrito a próclise. São
elas:
➽ Gerúndio precedido de preposição ou de negação. Como em:
Em​ se ​ausentando​, foi demitido do trabalho.

➽ Infinitivo pessoal precedido de preposição. Como em:


Por ​se a
​ charem​ infalíveis, foram demitidos do trabalho.

Mesóclise
Usa-se esta no futuro do presente e futuro do pretérito se o verbo não vier
acompanhado de partícula atrativa, conforme os exemplos a seguir:

Convencê-lo-ei a aceitar​ ➜ futuro do presente


Convencê-lo-ia a aceitar ➜​ futuro do pretérito
Não ficarei aqui falando em demasia sobre este tópico, porquanto não cai em prova
ou se cai é bastante raro. ​Andiamo, bambini!

Ênclise
Ocorre ênclise quando o pronome oblíquo átono está posposto ao verbo.
Como no uso da próclise, há regras para uso de ênclise em uma frase. Vamos a
elas.

Regra nº1: ​JAMAIS inicie uma frase com pronome oblíquo átono. ​SEMPRE use
ênclise​. Como no exemplo abaixo:
​Amo-te, amor de minha vida.​

Temos sempre o costume de iniciar a sentença assim “Eu te amo”, o que é incorreto.
Deveria ser “Amo-te”, porque estamos começando uma frase.

● Ademais, usamos ênclise com as seguintes formas verbais:

➽​ Imperativo afirmativo​ (não precedido de palavra atrativa)


Às onze horas recolham-se todos vocês.

➽ ​Gerúndio​ (não precedido de preposição ​em​ ou palavra atrativa)


Faltou a missa, fazendo-se de desentendido.

➽ ​Infinitivo pessoal
Não tinha a intenção de magoar-te

VOZES VERBAIS
Percebemos acima que os pronomes mantêm uma estreita relação com os
pronomes. A seguir vamos ver as vozes verbais, que são, por definição, três: ativa,
passiva e reflexiva.

Voz ativa
O sujeito é ​agente​, isto é, ele ​executa a ação​.
O sol derrete a neve.
Perceba que o Sol pratica ação, sendo portanto um ​sujeito ativo​.

Voz passiva
O sujeito é paciente, isto é, ele sofre uma ação1.
A neve foi derretida pelo sol.
Perceba que a neve sofreu a ação do sol primeiro e com isso seguiu-se que
foi derretida. A neve então é um ​sujeito paciente​, enquanto o sol que praticou a
ação é o​ agente da passiva​.

A voz passiva ​possui dois tipos: sintética e analítica. Saber essas diferenças
para acertar questões é mais tranquilo do que tentar, normalmente do desespero,
saber as nomenclaturas e aplicá-las assim. Vou ensinar uma DICA MATADORA
para vocês só trocarem um para o outro e já era, acertarem questões.
Vamos às duas vozes passivas:

1
Para a lógica e filosofia aristotélica, o ato de sofrer ou padecer a algo chama-se paixão. O sujeito
paciente sofre a paixão, como no exemplo citado: “A neve é derretida pelo sol”, i.e., sofreu a paixão
do astro. Lógica e filosofia estão estritamente ligados à gramática (ex. substantivo vem de substância
que contrapõe ao acidente); isso porém, não entrará nas aulas porque não cai em concursos, só
análise básica de português. Esta nota de rodapé foi só um adendo.
➞ ​Sintética​: Verbo transitivo direto na 3ª pessoa + SE
Vende-se casas.
Olha aí, viu o “se” = Sintética. (​S​ de ​se​, ​S​ de ​S​intética)

➞ ​Analítica​: Locução verbal (principal e auxiliar) + particípio.


Casas são vendidas.
Olha aí, tem dois verbos seguidos (locução)? Analítica.

Fácil, né?

Voz reflexiva
Aqui o sujeito é agente e paciente ao mesmo tempo. Repare, se é reflexivo
ele “vai e volta”, digamos assim.

Lucas​ f​ eriu​- ​se​.


↓ ↔ ↓
sujeito​ ​ ​verbo​ objeto
​reflexivo

Repare que “feriu” está tanto para “Lucas” quanto para “se” (ele mesmo).
Desta forma, o verbo é uma via de mão dupla entre o sujeito e objeto.
Esquematicamente representado assim:

sujeito ​ ← ​verbo​ →
​ ​ ​
objeto

​ TENÇÃO!
A
Fazer SEMPRE o intercâmbio da voz passiva para a voz ativa e vice-versa
ajuda muito na hora das questões do Cespe e demais bancas. Você bate o olho, faz
a troca e pá, muitas vezes só com isso, dependendo do comando - por exemplo
partícula SE que o Cespe adora -, já mata a questão. Vejamos uma troca de voz
verbal.
Resolveram-se as questões.​ (voz ativa)
As questões foram resolvidas.​ (voz passiva)

MODOS E TEMPOS VERBAIS


A função essencial de um verbo é expressar atributo juntamente com a
noção de tempo e essa é sua definição. Tempo e modo estão para o verbo como a
matéria está para a forma. Um verbo sempre afirma algo. Esta função é necessária à
formação da frase pois expressa um pensamento completo.

Modo verbal
Os modos indicam as diferentes maneiras ou modos de um fato se
concretizar (deste ou daquela maneira). Os ​modos verbais declaram de que forma
sujeito e predicado estão relacionados: como certos, possíveis, condicionais etc., já
que a predicação é a relação que o verbo mantém com o sujeito da oração2.
É distinguível a diferença das gramáticas especiais e gerais.

Há, portanto, quatro modos verbais:

Modo indicativo (declarativo)​: diz-se da relação como fato ou certeza sobre


algo.
O carro passou rápido.

Modo potencial: ​diz-se algo como possível ou contingente.

A parede pode ser branca.

Modo interrogativo: ​pede informação e requer uma resposta.

Onde você o achou?


Modo volitivo (imperativo ou optativo/exortativo): ​busca gratificação das
volições e faz referência ao futuro.

➜ Imperativo: ​é normalmente relacionado a uma ordem emitida a


outrem.
João, feche a porta.

➜ Optativo ou Exortativo: ​normalmente é relacionado a algum


desejo emitido a outrem.
Que você tenha sucesso.

FORMAS NOMINAIS DO VERBO


Antes de adentramos no tempo verbal, faremos uma breve explanação
acerca das formas nominais dos verbos. Recebem este nome porque por vezes
comportam-se como nomes ou são ​semelhantes a um substantivo, adjetivo ou
advérbio. Para clarear, tomemos como exemplo o verbo ​amar​.

➜ Infinitivo: ​é a ação propriamente dita e desempenha função análoga ao


substantivo:
ama​ r​.
Sua terminação é sempre em R.

➜ Particípio: ​é a ação já finalizada e desempenha função, por analogia, de


adjetivo ou advérbio:
amad​ o.​
Sua terminação é sempre em DO.

2
​O Trivium - as Artes Liberais da Lógica, da Gramática e da Retórica,​ Irmã Miriam Joseph, É
Realizações, 2008.
➜ Gerúndio: ​é a ação em movimento e ainda não concluída e pode ser
usada em tempos verbais simples ou compostos:
aman​ do.​
Sua terminação é sempre em NDO.

Outro exemplo:
Estou​ ​ uardando​ meu material escolar.
g
verbo verbo
auxiliar principal

Estou = presente do indicativo + guardando = gerúndio

Repare agora que nas locuções verbais, o verbo principal ocorre


sempre com as ​formas nominais do verbo​, ou seja, no ​infinitivo, no
particípio ou no gerúndio​, (este último usado no exemplo acima, que dá a
sensação de ele não ter terminado o ato de guardar, pois ainda o está
fazendo). ​Nestas orações é sempre o verbo auxiliar que se flexiona​.

O ​verbo auxiliar é aquele que, desprovido de sentido total ou parcial,


junta-se com outro verbo formando uma unidade verbal criando assim
significado em uma ​locução verbal​.

TEMPO VERBAL
Os tempos verbais situam algum fato ou ação verbal em determinado
momento: antes, durante ou depois. ​Tempo verbal é o tempo entre o ato próprio e
em si mesmo e o tempo em que se faz referência ao ato.
Desta feita, há 3 tempos verbais principais: ​passado (pretérito), presente e
futuro​. Ademais, subdividem-se em ​simples​ e ​compostos​.

TEMPO PRETÉRITO (PASSADO)


É o tempo passado (pretérito), indicam que um fato ocorreu antes do
momento que se fala. Possui 3 tipos principais.

Pretérito Perfeito
Designa fatos concluídos perfeitamente antes do momento em que se
fala.
​ aminharam​ bastante.
Eles c

Pretérito Imperfeito
Designa um fato que não foi concluído no momento em que outro fato
aconteceu, além de trazer um fato do passado que ocorreu de modo
contínuo.

Minha tia t​ rabalhava naquela empresa quando demitiram minha mãe.


(Fato não concluído).
Quando f​ icava sem dinheiro, ​emprestava dos pais e sempre os
restituía.​ ​(fato que dá sentido de continuidade).

Pretérito mais-que-perfeito
Designa um fato concluído que ocorreu antes de outro também já
concluído.

O pet shop f​ echara​ antes de eu chegar.

Por vezes pode-se intercambiar o pretérito mais que perfeito por uma
conjugação composta, isto é, com uma locução verbal:

O pet shop já tinha fechado antes de eu chegar.

TEMPO PRESENTE
Designa um fato que está ocorrendo no momento em que se fala, i.e.,
no presente.

Hoje ​vou​ à casa de minha mãe.

Por vezes, o presente pode vir com uma locução verbal, como no
exemplo já citado:
Estou​ ​ uardando​ meu material escolar.
g
verbo verbo
auxiliar principal

Estou = presente do indicativo + guardando = gerúndio

TEMPO FUTURO
Designa fatos que irão ocorrer após o momento em que se fala. A
partir disso, temos as seguintes espécies deste gênero:
Futuro do presente
Indica fatos que ocorrem num processo futuro, a partir de qualquer referência
presente.

​ averá​ uma reunião no setor.


Amanhã h

Esta forma, porém, pode aparecer também na forma composta, isto é, com uma
locução verbal. Neste caso pode expressar um fato futuro em relação ao momento em que
se fala, porém levado em conta como passado em relação a outro fato futuro.

​ hegar,​ provavelmente ​teremos terminado​ de comer.


Quando minha mãe c

chegar = futuro + teremos terminado = fato passado em relação ao futuro.


FUTURO DO PRETÉRITO
Indica um processo futuro a partir de uma referência passada.

​ airia​ hoje à noite.


Você disse que s

Há também a possibilidade de ocorrência de locução verbal, na forma


composta e expressará fato que só será possível se outro tiver ocorrido.
O lutador ​teria vencido​ se ​lutasse​ com mais convicção.

CASO ESPECIAL - PARTÍCULA SE

A partícula SE pode, basicamente, assumir duas funções na oração:

● Conjunção
● Pronome

CONJUNÇÃO

a. Conjunção subordinativa integrante​: (liga termos da oração)


introduz orações subordinadas substantivas.

Nunca soube ​se​ era verdade ou não.

Na maioria das questões do Cespe, a partícula SE como subordinativa integrante


nunca é permutável, porquanto incide em incorreção gramatical.

b. Conjunção subordinativa condicional​: (equivale a caso, desde que)

Introduz orações subordinadas adverbiais condicionais

O sucesso ocorrerá ​se​ o público quiser

PRONOME

a. Partícula apassivadora​:

Serve para apassivar verbos transitivos diretos cabendo-lhe função análoga à


do verbo auxiliar na voz passiva sintética.

Cobravam-​se​ juros altos. -> Eram cobrados juros altos.

b. Índice de indeterminação do sujeito​:


Liga-se a verbos intransitivos ou transitivos preposicionados com função de
indeterminar o sujeito da oração.

Fala-​se​ de coisas positivas.


Morre-​se​ de fome por aqui.

c. Pronome reflexivo​:

Podem ser substituídos por “a si mesmo” ou a “si próprio” e possui a função


sintática de:
● Objeto direto
● Objeto indireto
● Sujeito do infinitivo

O professor atrapalhou-se (objeto direto)


Ele se atribui muito valor (Objeto indireto)
Ela deixou-se ficar à janela

d. Partícula integrante do verbo:


Liga-se a verbos pronominais e jamais se podem ser retirados de seus
respectivos verbos, correndo o risco de perderem a correção gramatical. Ex:
Queixar-se, arrepender-se, vangloriar-se, submeter-se.

Joana e Pedro queixaram-​se​ da comida do refeitório.

e. Partícula expletiva​:
Realça um enunciado associando-se a verbos sem desempenhar qualquer
função sintática.

​ e​ foram embora.
Todos s

DICA MATADORA:

COMO ACERTAR RAPIDAMENTE EM PROVA SEM A NECESSIDADE DE


ANÁLISES SINTÁTICAS PROFUNDAS E COMPLEXAS

VTD ​➯ ​P.A. verbo transitivo direto - sem preposição


VTDI ​➯​ P.A. com e sem preposição.

VTI​ ​ ​➯ ​I.I​.S. exige preposição.


V​I ​➯ I​ .I​.S. verbo intransitivo - já tem sentido completo, não há necessidade
de qualquer complemento.
QUESTÕES COMENTADAS CESPE

1. (CESPE/2013/TRE-MS/ANALISTA JUDICIÁRIO)

A substituição do pronome “o”, em “reduziu-o a artigos” (l. 11 e 12), por lhe


preservaria a correção gramatical do texto.

Errado. Veja, o verbo “reduzir” é transitivo direto e indireto (VTDI). e tem dois
complementos, “o” que o acompanha como complemento direto e “a artigos”,
como complemento indireto. Já vimos na aula que “o, a” somente podem ser
complemento ​direto ao passo que “lhe” compete somente ser objeto ​indireto​,
lembram-se das dicas matadoras? Desta forma, preserva a correção
gramatical tal substituição? De forma alguma.

2. (CESPE/2016/FUNPRESP-EXE/CONHECIMENTOS BÁSICOS)
O sujeito da oração 'também aceita trabalho' (l.20) está elíptico e se refere a
'Amadeu Amaral Júnior' (l.18), o que justifica o emprego da forma verbal
“aceita" na terceira pessoa do singular.

Certo. Olha aí a coesão que estudamos hoje. Elipse é sempre omitir algum
termo e as vírgulas normalmente auxiliam nesta empreitada. Aqui a elipse foi
usada para retomar “Amadeu Amaral Junior” pelo verbo “aceita”. Fácil, né?
Para mim questões de referência textual são mais fáceis e se para você
ainda não, peço que por gentileza treine fazendo questões. Com o tempo
você pegará a “manha” e inconscientemente os erros saltarão aos olhos e
você acertará as questões.

3. (CESPE/2014/ANTAQ/CONHECIMENTOS BÁSICOS/NÍVEL MÉDIO)

Um dos principais desafios para o Brasil é conhecer a Amazônia. Sua


vocação eminentemente hídrica impõe, ao longo dos séculos, a necessidade
do deslocamento de seus habitantes através dos rios [...]

Domingos Savio Almeida Nogueira. In: Internet: (com adaptações)

Na linha 2, o pronome “Sua” refere-se ao antecedente “Amazônia”.

CERTO​, pois o pronome “Sua” foi usado como elemento coesivo ao retomar
um antecedente o qual é “Amazônia”.

4. (CESPE/2015/TJ-DFT/TÉCNICO JUDICIÁRIO)

Os juízes que se deparam com o tema dos conflitos familiares e da violência


doméstica assistem a situações de violência extrema, marcadas pelo abuso
das relações de afeto 4 e parentesco, pela deslealdade nas relações íntimas
de afeto e confiança.
Theresa Karina de Figueiredo Gaudêncio Barbosa. Paz em casa. In: Correio
Braziliense, 26/2/2015 (com adaptações)

Na linha 1, o “que” é um elemento expletivo, empregado apenas para dar


realce a “Os juízes”.

Errado​. Lembram-se o que é uma partícula expletiva? Ela realça um termo e


pode ser retirado sem prejuízo à correção gramatical e ao sentido do texto.
Lembra-se da manha que passei? Quando puder trocar por ​o qual é um
pronome relativo. Vamos trocar? ​Os juízes os quais se depararam [...] fez
sentido? SIM, logo é um pronome relativo, não um elemento de realce ao
termo “juízes”.
5. (CESPE/2013/PF/ESCRIVÃO)

O que tanta gente foi fazer do lado de fora do tribunal onde foi julgado um
dos mais famosos casais acusados de assassinato no país? Torcer pela
justiça, sim: as evidências 4 permitiam uma forte convicção sobre os
culpados, muito antes do encerramento das investigações. Contudo, para
torcer pela justiça, não era necessário acampar na porta do tribunal, de 7
onde ninguém podia pressionar os jurados. [...]
Maria Rita Khel. A morte do sentido. Internet: (com adaptações)

O emprego dos elementos “onde” (l.2) e “de onde” (l.6-7), no texto, é próprio
da linguagem oral informal, razão por que devem ser substituídos,
respectivamente, por no qual e da qual, em textos que requerem o emprego
da norma padrão escrita

Errado​. Veja que “onde” é pronome relativo nas duas vezes em que ocorrem.
Onde se remete a lugar e não pode ser substituído pelos vocábulos
propostos pelo Cespe, pois fica sem pé nem cabeça. O qual e suas variantes
de gênero e número são substituíveis pelo vocábulo “que” quando for
pronome relativo.

6. (CESPE/2013/POLÍCIA FEDERAL/ESCRIVÃO)

A fim de solucionar o litígio, atos sucessivos e concatenados são praticados


pelo escrivão. Entre eles, estão os atos de comunicação, ​os quais são
indispensáveis para que os sujeitos do processo tomem conhecimento dos
atos acontecidos no correr do procedimento e se habilitem a exercer os
direitos que lhes cabem e a suportar os ônus que a lei lhes impõe.
Internet: jusbrasil.com.br (com adaptações).

Na linha 3, a correção gramatical do texto seria mantida caso a expressão


“os quais” fosse substituída por que ou fosse suprimida, desde que, nesse
último caso, fosse suprimida também a forma verbal “são”.

Certo​. Maaais uma vez o Cespe vem com essa, né? Trocar pronome
relativo. Desta vez está correto e mesmo se suprimir os dois termos manteria
a correção gramatical. Olha a facilidade! E pra Escrivão da PF, hein!

7. (CESPE/2015/MPU/ANALISTA)
Evidencia-se, portanto, que é justamente na fase do 25 inquérito policial que
serão coletadas as informações [...]
Hálinna Regina de Lira Rolim. A possibilidade de investigação do Ministério
Público na fase pré-processual penal. Artigo científico. Rio de Janeiro: Escola
de Magistratura do Estado do Rio de Janeiro, 2010, p. 4. Internet: . (com
adaptações)
Em “Evidencia-se” (l.24), o pronome “se” pode, facultativa e corretamente,
ser tanto posposto — como aí foi empregado — quanto anteposto à forma
verbal — Se evidencia.

Errado! Piada pronta! Pode-se começar frase com pronome oblíquo átono?
Não. Matou-se a questão de Analista do MPU que ganha pra caramba. Fácil
essa, né? Simbora.

8. (CESPE/2016/TCE-PA/ACE)
Eu não lhe podia ouvir tais leviandades em coisas medonhas e graves sem
que o meu coração se apertasse, e um calafrio me corresse a espinha.
Quando a gente se habitua 10 a venerar os decretos da Providência, sob
qualquer forma que se manifestem, quando a gente chega à idade avançada
em que a lição da experiência demonstra a verdade do que os avós [...]
Inglês de Sousa. A feiticeira. São Paulo: Ed. Difusão Cultural do Livro, 2008,
p. 7-8 (com adaptações)
Haveria prejuízo da correção gramatical do texto caso a partícula “se”, no
trecho “Quando a gente se habitua a venerar os decretos da Providência” (l.
9 e 10), fosse deslocada para imediatamente após a forma verbal “habitua”,
escrevendo-se habitua-se.

Certo​. É o que vimos em aula: os casos que pode-se ou não usar ênclise.
Decore o Mnemônico NARISD que são os casos proibitivos. Ex., se a frase
fosse uma negação, a reescritura proposta pelo Cespe incorreria em prejuízo
à correção gramatical, veja: “Quando a gente ​não se habitua a venerar os
decretos da Providência”. Viraria palavra negativa antes do verbo, caso
proibido de usar ênclise e fator de atração de próclise, como visto em aula.
Na questão a seguir veremos a mesma coisa.

9. (CESPE/2013/TRE-MS/ANALISTA JUDICIÁRIO)
No trecho ​“o de que não se trata de norma penal” (l.13-14), o emprego da
próclise em vez da ênclise — não trata-se — justifica-se pela presença de
palavra negativa antecedendo a forma verbal.

Certo. Pessoal, precisa dizer mais alguma coisa? Qualquer palavra negativa
(não, nunca, negativo) é fator de atração. Somente próclise e ponto final.

10. (CESPE/2014/TJ-SE/NÍVEL SUPERIOR)


A vida do Brasil colonial era regida pelas Ordenações Filipinas, um código
legal que se aplicava a Portugal e seus territórios ultramarinos. Com todas as
letras, as Ordenações 4 Filipinas asseguravam ao marido o direito de matar a
mulher caso a apanhasse em adultério. Também podia matá-la por [...]
Ricardo Westin e Cintia Sasse. Dormindo com o inimigo. In: Jornal do
Senado. Brasília, 4/jul./2013, p. 4-5. Internet: (com adaptações).
Não haveria prejuízo para a correção gramatical do texto caso os pronomes
“se” (l. 2) e “a” (l. 5) fossem deslocados para imediatamente após as formas
verbais “aplicava” (l. 2) e “apanhasse” (l. 5), escrevendo-se que aplicava-se e
caso apanhasse-a, respectivamente.

Errado​. A proposta feita pelo examinador do Cespe incorre em erro grave,


pois nas palavras destacadas é obrigatório o uso de próclise. Veja que o
pronome relativo “que” a atrai. É o caso do mnemônico NARISD. O mesmo
se dá com a e a conjunção subordinativa “caso”.

11. (CESPE/2015/MPU/TÉCNICO)
Só no Império, em 1832, com o Código de Processo Penal do Império,
iniciou-se a sistematização das ações do Ministério Público. Na República, o
Decreto n.º 848/1890, ao [...]
Internet: <www.mpu.mp.br>(com adaptações)

Caso se substituísse “iniciou-se” (l.14) por foi iniciada, a correção gramatical


do período seria prejudicada.

Errado. É a mesma coisa. Só passou de VTD + SE pela locução verbal de


sentido análogo, no caso voz passiva analítica (ou verbal). Repare que a
concordância com as palavras mantêm-se.

12. (CESPE/2014/POLÍCIA FEDERAL/AGENTE)


Pedi a um dos homens ao lado da parede que me contasse 13 como tinha
sido sua viagem. Ele objetou. Membros do [...]
James Kynge. A China sacode o mundo. São Paulo: Globo, 2007 (com
adaptações)

A correção gramatical do texto seria preservada caso se substituísse a


locução “tinha sido” (L.13) pela forma verbal fora.

Certo. Essa poderia dar um medinho na hora da prova, mas fique tranquilo,
vamos resolver isso! Esse “tinha sido” é, como já vimos dois verbos, uma
locução verbal, é o tempo composto do verbo ser, que é verbo principal. O
tinha é auxiliar e está no particípio e forma o pretérito mais-que-perfeito
composto. Se a locução verbal representa o pretérito mais-que-perfeito
(composto), a sua forma reduzida - com tempo e modo correto - só pode ser
fora.

13. (CESPE/2014/POLÍCIA FEDERAL/AGENTE)


No passado, os escravos eram capturados e vendidos como mercadoria.
Hoje, a pobreza que torna populações 10 vulneráveis garante oferta de mão
de obra para o tráfico — ao passo que a demanda por essa força de trabalho
sustenta o comércio de pessoas. [...]
Leonardo Sakamoto. O tráfico de seres humanos hoje. In: História viva.
Internet: (com adaptações).
O sentido original do texto seria preservado caso a forma verbal “eram
capturados” (L.8) fosse substituída por foram capturados.

Errado. ​Muda-se o tempo verbal, muda-se o sentido. O Cespe ama fazer


este tipo de pergunta cretina. Leve sempre isso com você: mudou o tempo,
mudou o sentido. Ademais, o verbo “eram” (pretérito imperfeito do indicativo)
passa a ideia de que algo ocorria com frequência e “foram capturados” dá
ideia de passado concluído.

14. (CESPE/2014/TJ-SE/NÍVEL SUPERIOR)


A vida do Brasil colonial era regida pelas Ordenações Filipinas, um código
legal que se aplicava a Portugal e seus territórios ultramarinos. Com todas as
letras, as Ordenações 4 Filipinas asseguravam ao marido o direito de matar a
mulher caso a apanhasse em adultério. Também podia matá-la por
meramente suspeitar de traição. Previa-se um único caso de 7 punição:
sendo o marido traído um “peão” e o amante de sua mulher uma “pessoa de
maior qualidade”, o assassino poderia ser condenado a três anos de desterro
na África. [...]
Ricardo Westin e Cintia Sasse. Dormindo com o inimigo. In: Jornal do
Senado. Brasília, 4/jul./2013, p. 4-5. Internet: (com adaptações)

O emprego do futuro do pretérito em “poderia” (l. 8) indica que a situação


apresentada na oração é não factual, ou seja, é hipotética.

Certa​. Futuro do pretérito indica hipótese ou possibilidade como na proposta


da assertiva.

15. (CESPE/2013/SERPRO/ANALISTA)
A correção gramatical do texto seria preservada caso o verbo permitir, no
segmento “​o que exige o desenvolvimento de um novo quadro conceitual e
analítico que permita captar​” (L.9- 10), fosse flexionado no pretérito imperfeito
do mesmo modo verbal (subjuntivo): permitisse

Errado​. Não existe correção aqui, veja: presente do indicativo expressa uma
ocorrência ​no momento do discurso e o pretérito imperfeito do subjuntivo
expressa um fato hipotético que, verificada no passado, depende de outro
fato que ainda não se realizou.

16. (CESPE/2013/TRT-10ª REGIÃO (DF E TO)/TÉCNICO JUDICIÁRIO)


O encontro terá a participação de ministros de 10 tribunais superiores,
desembargadores, juízes, promotores, advogados, delegados, diretores de
tribunais e professores universitários. Entre as palestras, painéis e
mesas-redondas 13 estão programados temas a respeito de gestão,
informatização, correição virtual, paradigmas, meio ambiente, conciliação,
comunicação, todos eles relacionados à justiça.
Internet: <www.trt10.jus.br (com adaptações)​.
Como o texto trata de um evento que ocorrerá no futuro, o emprego do
presente do indicativo em “estão” (L.13) está em desacordo com as
exigências gramaticais de correlação entre os tempos e modos verbais.

Errado​. É cada absurdo que o Cespe propõe. O encadeamento das ideias


lógicas é esta correlação pedida pela banca. É absurdo dizer que há
desacordo, visto que o tempo e modo são acordantes.

QUESTÕES SOBRE PARTÍCULA SE

1. MPU - 2013 - Analista em Direito

Considerando os sentidos e aspectos linguísticos do texto acima, julgue os


itens a seguir.

No terceiro parágrafo, a partícula “se” é empregada, em ambas as


ocorrências, como índice de indeterminação do sujeito, o que confere maior
formalidade ao texto.

Questão errada. Aqui é fácil, de primeira a gente já mata a questão, pois


“quem nunca se põe? a justiça”, assim não se pode dizer que é IIS.

A justiça não PÕE A SI MESMA ou A SI PRÓPRIA como um problema


isolado.
Ou seja, pronome reflexivo.

2. ANAC - 2012 - Técnico em Regulação de Aviação Civil - Área 2


Com relação às ideias e a aspectos linguísticos do texto acima, julgue os próximos itens.
O emprego da partícula “se” em “ampliou-se” (L.7) indica que o sujeito da oração é
indeterminado.

QUESTÃO ERRADA​. ​Ampliar é verbo transitivo direto, logo, partícula apassivadora.


Pode-se fazer transposição: "Ampliou-se" por "Foi ampliado".

3. STM - 2011 - Analista Judiciário - Revisor de Texto - Conhecimentos


Específicos

Com relação aos sentidos e a aspectos morfossintáticos do texto


acima, julgue os itens que se seguem.

Em “se presos” (L.8), a partícula “se” confere ao período a noção de condição.

QUESTÃO CERTA. Conjunção condicional, basta fazer a troca de ​se​ por ​caso​.

Mais algumas conjunções condicionais: ​contanto que, se, caso, desde que, a menos
que, salvo se, sem que, exceto se, a não ser que.

4. MEC - 2011 - Nível Superior - Conhecimentos Básicos - Todos os Cargos


O emprego do pronome “se” em “se iniciou” (L.10) indica que o sujeito da oração em que
esse pronome ocorre é indeterminado.

QUESTÃO ERRADA. ​Repare, dá passar da voz ativa para passiva? Logo não é IIS,
é PA. O que se iniciou? “A série histórica de resultados”, este é o sujeito.

5. Correios - 2011 - Analista de Correios - Letras

Ainda com relação a esse texto, julgue os itens a seguir.

Se, na linha 18, a conjunção “Se” fosse substituída por Caso​, deveria ser alterado o
tempo e mantido o modo verbal empregado na oração condicional.

QUESTÃO CERTA​. É só trocar corretamente: ​Caso nos apressássemos​. ​Simples assim.

6. SEJUS-ES - 2009 - Agente Penitenciário


QUESTÃO ERRADA​. País é sujeito. Quem comprometeu? R: o país - Não pode ser índice de
indeterminação do sujeito.

Ademais: “Comprometeu-se” o país A SI MESMO a comprar enorme volume do produto

***
Questões de Língua Portuguesa - CESPE/UnB
Comentadas por Lucas Daniel Tomáz de Aquino

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE ​Órgão: ​FUB​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - FUB - Conhecimentos Básicos - Cargos de 1
a7
Texto associado
Com relação às ideias do texto CB3A1CCC, às construções linguísticas nele empregadas e à
sua tipologia, julgue o item subsequente.

No trecho “cheguei em casa e bati na minha máquina” (l. 31 e 32), o autor explora o potencial
plurissignificativo do verbo ​bater para produzir um efeito expressivo de humor dado o contexto
de suas afirmações sobre sua relação com o computador e a máquina de escrever.

Comentário: ​QUESTÃO CORRETA​. O autor usa o verbo​ bater​ no sentido de teclar e no sentido
de fazer violência "ela ia aguentar sem reclamar" (sobre as batidas)
Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​FUB​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - FUB - Conhecimentos Básicos - Cargos de 1
a7
Resolvi certo!
Texto associado

Com relação às ideias do texto CB3A1CCC, às construções linguísticas nele empregadas e à


sua tipologia, julgue o item subsequente.
Considerando os gêneros e tipos textuais, o texto em apreço configura-se como uma crônica em
que se combinam ficcionalidade e narratividade.

QUESTÃO CORRETA.​ Luis Fernando Verissimo é um dos cronistas brasileiros mais famosos
do séc. XX. O texto em apreço é uma crônica (gênero tipicamente brasileiro) que retrata cenas e
fatos do dia-a-dia, normalmente carregado de crítica ou sátira e que pode perfeitamente, como
disse a questão, conter elementos ficcionais (gênero ensaio também pode).

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​FUB​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - FUB - Conhecimentos Básicos - Cargos de 1
a7
Resolvi certo!
Texto associado
Com relação às ideias do texto CB3A1CCC, às construções linguísticas nele empregadas e à
sua tipologia, julgue o item subsequente.

O autor defende a opinião de que, na relação com o usuário, o computador é mais passivo e a
máquina de escrever, mais ativa.

QUESTÃO ERRADA.​ Em nenhum momento Luis Fernando Verissimo afirma que tanto o PC
quanto a máquina são "ativos ou passivos". O início da questão deixa isso bem claro, de que
não é questão de inferência ou interpretação com o comando "O autor defende a opinião".
Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​FUB​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - FUB - Conhecimentos Básicos - Cargos de 1
a7
Resolvi certo!
Texto associado

Com relação às ideias do texto CB3A1CCC, às construções linguísticas nele empregadas e à


sua tipologia, julgue o item subsequente.
A correção gramatical do texto seria preservada caso se inserisse a preposição ​a ​logo após a
forma verbal “ignora”, na frase “Simplesmente ignora você” (l.9).

QUESTÃO ERRADA​. Fácil essa, pois o verbo "ignorar" é VTD, ​quem ignora, ignora algo ou
alguém,​ logo não há preposição posposto nessa forma verbal.

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​FUB​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - FUB - Conhecimentos Básicos - Cargos de 1
a7
Resolvi certo!
Texto associado

Julgue o item que se segue, relativos às ideias e aos aspectos linguísticos do texto CB3A1BBB.
De acordo com o texto, os trabalhadores que compõem a segunda categoria serão os mais
prejudicados pelo avanço da tecnologia sobre o mercado de trabalho, porque “precisam de
ajuda para entender melhor como fazer uso de seus conhecimentos” (l. 17 e 18).

QUESTÃO ERRADA. Os mais prejudicados serão os da primeira categoria. No caso em tela, os


mais prejudicados serão, obviamente, os trabalhadores da primeira categoria, porquanto estes
possuem pouca formação e fazem resistência ao regresso dos estudos.

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​FUB​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - FUB - Conhecimentos Básicos - Cargos de 1
a7
Resolvi certo!
Texto associado

Julgue o item que se segue, relativos às ideias e aos aspectos linguísticos do texto CB3A1BBB.
A correção gramatical e o sentido original do texto seriam preservados caso se substituísse a
expressão “estará em evidência” (l.18) por ​será vítima.

QUESTÃO ERRADA.​ Os tempos verbais mudam o sentido da frase:


​ nquanto ​Será é com certeza
Estará é incerteza, e

​ 016​ ​Banca: C
Ano: 2 ​ ESPE​ Ó
​ rgão: F
​ UB​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - FUB - Conhecimentos Básicos - Cargos de 1
a7
Resolvi certo!

Texto associado
Com relação às ideias do texto CB3A1AAA, às construções linguísticas nele empregadas e à
sua tipologia, julgue o item a seguir.

Em ‘extingui-los’ (l. 15), a forma pronominal ‘los’ refere-se ao termo “prognósticos” (l.13).

QUESTÃO ERRADA. ​Refere-se, no contexto, a "trabalho". Isto é, extinguir os trabalhos. Típica


questão CESPE, quem faz muitas questões, sabe que essas foi fácil.
Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​FUB​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - FUB - Conhecimentos Básicos - Cargos de 1
a7
Resolvi certo!

Texto associado
Com relação às ideias do texto CB3A1AAA, às construções linguísticas nele empregadas e à
sua tipologia, julgue o item a seguir.

O último parágrafo do texto caracteriza-se como predominantemente descritivo, pois apresenta


uma articulação textual de informações e opiniões.

QUESTÃO ERRADA. O último parágrafo do texto é argumentativo (expõe argumentos) e não


um texto descritivo (p.ex.: a casa era ​rosa, de telhas de amianto, porta de madeira​, etc.)

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​FUB​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - FUB - Conhecimentos Básicos - Cargo 20
Resolvi certo!

Texto associado

Texto CB4A1AAA

Julgue o item que se segue, pertinentes a aspectos linguísticos do texto CB4A1AAA.


A correção gramatical e o sentido original do texto seriam preservados se o trecho “promessa de
reinventar a educação superior” ( .3) fosse substituído por ​promessa de reinvenção da
educação superior​.

QUESTÃO ERRADA. ​Na reescritura proposta pela banca há quebra de paralelismo sintático
que aliás o Cespe adora!

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​FUB​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - FUB - Conhecimentos Básicos - Somente
para os cargos 10 e 13
Resolvi certo!

Texto associado

Texto CB1A1BBB
Acerca das ideias e de aspectos linguísticos do texto CB1A1BBB, julgue o item subsequente.

As formas verbais “clangorava” ( .17) e “silvava” ( .18) poderiam ser substituídas pelas formas
clangorou e silvou​, sem prejuízo para os sentidos do texto, uma vez que a noção de passado
seria preservada.

QUESTÃO ERRADA. ​Muda-se o tempo verbal, logo incorre em alteração de sentido. Simples
assim.

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​ANVISA​ ​Prova: ​CESPE - 2016 - ANVISA - Técnico Administrativo -
Conhecimentos Básicos
Resolvi certo!
Texto associado
Considerando as ideias e as estruturas linguísticas do texto, julgue o próximo item.

Com o advento dos medicamentos genéricos, a saúde de uma parcela da população mundial
mudou, pois, com a distribuição gratuita desses medicamentos, essa população passou a ter
acesso a remédios, sendo que algumas pessoas vivenciaram isso pela primeira vez.

QUESTÃO ERRADA. Em lugar nenhum do texto está dizendo que existe distribuição gratuita de
medicamentos.

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​ANVISA​ ​Prova: ​CESPE - 2016 - ANVISA - Técnico Administrativo -
Conhecimentos Básicos
Resolvi certo!
Texto associado
Acerca dos sentidos e de aspectos linguísticos do texto, julgue o item que se segue.

O sentido original do texto e a sua correção gramatical seriam preservados caso o período “Com
o recrudescimento (...) massa da população” (​l.​ 12 a 14) fosse reescrito da seguinte forma: Por
conta do agravamento da epidemia de varíola, foi promovido por Oswaldo Cruz uma massiva
vacinação da população.

QUESTÃO ERRADA. A proposta oferecida pelo Cespe, além de alteração de sentido, incorre
em erro de concordância, pois: "um​a​ massiv​a​ ​vacinação​ foi promovid​o​". Tá faltando uma vírgula
também depois de Oswaldo Cruz.

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​FUNPRESP-JUD​ ​Prova: ​CESPE - 2016 - FUNPRESP-JUD - Analista -
Comunicação e Marketing
Resolvi certo!
Texto associado
Com relação à ideia e à estrutura do texto 1A2AAA, julgue o item a seguir.

A imprensa foi o setor econômico que sofreu mais fortemente o impacto da tecnologia da
informação, visto que trabalha diretamente com a promoção do acesso à informação.

QUESTÃO ERRADA​. Houve extrapolação textual, visto que na redação da assertiva o


examinador generalizou.

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​FUNPRESP-JUD​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - FUNPRESP-JUD -
Conhecimentos Básicos - Cargos de Assistente
Resolvi certo!
Texto associado

Texto CB1A1BBB

Vinicius de Moraes. ​Barra limpa​. ​In:​ ​Jornal do Brasil​.

Rio de Janeiro, 31/12/1969 (com adaptações).

Com base nas ideias veiculadas no texto CB1A1BBB, julgue o item subsequente.

Do trecho ‘com o poder de interpretar para alguém o milagre de um sentimento ignorado’ (l. 13 e
14) entende-se que o narrador considera o poeta alguém capaz de explicar por que
determinados sentimentos são ignorados pelo ser humano.

QUESTÃO ERRADA.​ Vinícius de Moraes, no texto, considera-se poeta, e que como tal
interpreta o (prórpio) sentimento do interlocutor, e não "explica o por que dos sentimentos
ignorados pelo ser humano" como afirma a questão.

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​FUNPRESP-JUD​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - FUNPRESP-JUD -
Conhecimentos Básicos - Cargos de Assistente
Resolvi certo!

Texto associado

Texto CB1A1AAA

Clarice Lispector. ​Amor​.​ In:​ ​Laços de família​.

Rio de Janeiro: Rocco, 2009, p. 20-1

Com relação às ideias do texto CB1A1AAA, julgue o item a seguir.

Ana dissimula as suas inquietações com afazeres domésticos.


QUESTÃO CERTA. A personagem "quando o coração apertava", o que ela fazia? "o abafava
com as mesmas habilidades da casa" porque pra ela "estava bom assim". No caso, Ana
escolheu esta vida cotidiana, quieta.

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​FUNPRESP-JUD​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - FUNPRESP-JUD -
Conhecimentos Básicos - Cargo: 4
Resolvi certo!

Texto associado

Texto CB3A1BBB

Júlia Lopes de Almeida. ​A mulher brasileira​.

In:​ ​Livro das donas e donzelas​. Rio de Janeiro:


Editora Livraria Francisco Alves e Cia., 1906 (com adaptações)

Com referência às ideias e aos sentidos do texto CB3A1BBB, julgue o item a seguir.

Infere-se do trecho “Mas não tivesse ela capacidade para a luta (...) nem teria ela conseguido
lecionar em colégios superiores” (l. 16 a 19) que as mulheres brasileiras conquistaram, com
“sacrifícios e coragem” (l.20), o direito do acesso irrestrito às universidades tanto como
estudantes quanto como professoras.

QUESTÃO ERRADA, pois há extrapolação textual. O "Infere-se" que deu margem à


ambiguidade e possibilidade de dar como certa a questão... pq senão daria margem só à
compreensão de "ter sido abertas as portas para lecionar (unicamente)"

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​FUNPRESP-JUD​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - FUNPRESP-JUD -
Conhecimentos Básicos - Cargo: 4
Resolvi certo!

Texto associado

Texto CB3A1AAA
Virginia Woolf. ​Um teto todo seu​. Trad. de Vera Ribeiro.

Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985 (com adaptações).

Com relação às ideias desenvolvidas no texto CB3A1AAA, julgue o item subsequente.


Somente após receber a herança da tia, a narradora tornou-se uma mulher independente, capaz
de governar-se pelos próprios meios.

Questão errada​, pois na l. 9 ela disse "Antes disso (antes de receber a herança), eu ganhara a
vida mendigando (...)". i.e., ela já era capaz de governar a própria vida antes de receber a
herança da tia.

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​FUNPRESP-JUD​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - FUNPRESP-JUD -
Conhecimentos Básicos - Cargo: 4
Resolvi certo!

Texto associado

Texto CB3A1AAA
Virginia Woolf. ​Um teto todo seu​. Trad. de Vera Ribeiro.

Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985 (com adaptações).

Com relação às ideias desenvolvidas no texto CB3A1AAA, julgue o item subsequente.


Infere-se do texto que a narradora acredita ser mais importante para as mulheres ter dinheiro
que votar.

Gabarito: Errado. Linha 7-8: [...] o dinheiro, devo admitir, ​pareceu-me​ [para ela] infinitamente
mais importante. Há na questão uma extrapolação textual. Para a personagem, o mais
importante é o dinheiro; quanto às outras ele nada diz.

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​TCE-PA​ ​Prova: ​CESPE - 2016 - TCE-PA - Auditor de Controle Externo -
Área Comunicação - Publicidade
Resolvi certo!

Texto associado

Acerca das ideias e das estruturas linguísticas do texto 19A2AAA, julgue o item que se segue.

De acordo com o texto, o imposto de renda pode ter surgido na Inglaterra no final do século
XVIII, em decorrência da necessidade desse país de angariar recursos para o financiamento da
guerra que travava contra a França.
QUESTÃO CORRETA. O excerto diz-nos: ​"Imposto de renda SURGIU"​, pretérito perfeito, isto
é, ação já completada no tempo. Já a assertiva do Cespe diz que "​pode ter surgido" ,​ ou seja,
indica possibilidade.

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​TCE-PA​ ​Prova: ​CESPE - 2016 - TCE-PA - Auditor de Controle Externo -
Área Comunicação - Publicidade
Resolvi certo!

Texto associado

Acerca das ideias e das estruturas linguísticas do texto 19A2AAA, julgue o item que se segue.

No texto, o autor defende abertamente um ponto de vista, empregando, para tanto, os


denominados argumentos de autoridade, como, por exemplo, a referência a Rui Barbosa.

QUESTÃO ERRADA. ​Perceba que o autor não defende ideia alguma, todavia concede
informações (datas, pessoas, fatos a respeito da história do imposto de renda). O próprio título
resume o teor textual, que é, portanto,​ informativo,​ e não argumentativo como propôs o
examinador.
Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​TCE-PA​ ​Prova: ​CESPE - 2016 - TCE-PA - Auditor de Controle Externo -
Área Comunicação - Publicidade
Resolvi certo!

Texto associado

Acerca das ideias e das estruturas linguísticas do texto 19A2AAA, julgue o item que se segue.

O termo “proposta” ( .13) retoma, de forma explícita, o trecho “esforços foram realizados para
instituir o imposto de renda no Brasil” ( . 9 e 10).

QUESTÃO ERRADA.​ A retomada textual faz referência à ​introdução do imposto de renda na


Assembleia Constituinte​.

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​TCE-PA​ ​Prova: ​CESPE - 2016 - TCE-PA - Auditor de Controle Externo -
Área Comunicação - Publicidade
Resolvi certo!
Texto associado

Acerca das ideias e das estruturas linguísticas do texto 19A2AAA, julgue o item que se segue.

No primeiro parágrafo, estabelece-se uma relação anafórica entre as expressões “recursos


extras” ( . 3 e 4) e “imposto de renda” ( .2).

QUESTÃO ERRADA.​ O examinador buscou conexão entre os dois termos, porém eles não
formam cadeia coesiva como pedida na assertiva.

Dica de coesão​:

Anafórica​: aponta pra trás (Isso)

Catafórica​: aponta pra frente (Isto)

Nota breve: Atualmente os autores têm abandonado o uso do ​ISSO​ com função exclusivamente
anafórica, passando a utilizá-la também para apontamentos para o que vai ser dito a frente
(autores pós-modernos).
Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​TCE-PA​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - TCE-PA - Conhecimentos Básicos- Cargo
40
Resolvi certo!

Texto associado

Em relação aos elementos linguísticos do texto CB8A1AAA, julgue o item a seguir.

Sem prejuízo do sentido original e da correção gramatical do texto, seu primeiro parágrafo
poderia ser reescrito da seguinte forma: Na democracia participativa, existe várias formas de
atuação do cidadão na condução política e administrativa do Estado, destacando, no Brasil, as
audiências públicas na Constituição e nas demais leis.

QUESTÃO ERRADA. ​Já está errado na concordância "existe várias formas". Quando a questão
for de reescritura, é preferível ver primeiramente a correção gramatical. Se tiver uma vírgula no
local errado, a assertiva já está errada.

Lembrem-se, para estar CERTA, não pode haver ​NADA DE ERRADO,​ tem que estar ​100%
correta.​ É mais fácil identificar o erro gramatical porque ele "salta aos olhos"; se estiver
gramaticalmente correta, aí sim vamos para a semântica da proposta de reescritura textual.
Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​TCE-PA​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - TCE-PA - Conhecimentos Básicos-
Cargos 4, 5 e de 8 a 17
Resolvi certo!

O item a seguir apresenta trechos adaptados de textos do sítio do TCE/PA. Julgue-o quanto à
correção gramatical.

Foi lançado no TCE/PA a campanha de arrecadação de capas de resmas de papel, que serão
transformadas em sacolas e distribuídas à cerca de mil pacientes.

QUESTÃO ERRADA: ​o correto seria “foi lançada”. O quê? A campanha, onde? no TCE do
Pará. Outra coisa: “à cerca” não vai crase, pois não há exigência de preposição.

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​TCE-PA​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - TCE-PA - Conhecimentos Básicos-
Cargos 4, 5 e de 8 a 17
Resolvi certo!

Texto associado
Julgue o item seguinte, com relação aos aspectos linguísticos do texto CB5A1BBB.

A substituição do vocábulo “olvidar” (l.23) por ​esquecer manteria o sentido e a correção


gramatical do texto.

QUESTÃO CORRETA.​ O Cespe adora fazer essas questões de semântica com uma palavra
só. A dica é ficar ligado em palavras difíceis e sublinhá-las durante a leitura. Ex: no concurso do
TCU/2015 foi a palavra "destarte" que a banca sugeriu a intercambiação com outra, e assim por
diante.

No caso em tela, os que falam espanhol podem ter certa facilidade ou tino para acertar a
questão mesmo sem saber a semântica perfeita da palavra em língua portuguesa.
Simplesmente porque o verbo "olvidar" quer dizer "esquecer-se" (Não se pode ​esquecer que.​ ..),
o mesmo verbo espanhol (​No se puede olvidar que.​ ..).

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​TCE-PA​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - TCE-PA - Conhecimentos Básicos-
Cargos 4, 5 e de 8 a 17
Resolvi certo!

Texto associado
A respeito das ideias veiculadas no texto CB5A1AAA, julgue o próximo item.

As contas do prefeito e da prefeitura devem ser prestadas separadamente, uma vez que servem
a funções distintas.

QUESTÃO ERRADA. ​Em momento algum o texto argumenta o que propõe a questão. O Cespe
usa uma técnica argumentativa chamada ​sofisma​, que é a tentativa de indução ao erro para
com outrem. Na questão em tela, o examinador trocou o termo "município" por "prefeitura", e
que, num primeiro momento, no contexto da leitura do texto, estes parecem semanticamente
equivalentes.

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​INSS​ ​Prova: ​CESPE - 2016 - INSS - Analista do Seguro Social - Serviço
Social
Resolvi certo!

Texto associado

Julgue o item subsequente, que versam sobre os sentidos e os aspectos linguísticos do texto
acima.

A substituição de “destacou-se” (l.11) por ​foi destacado​ prejudicaria o sentido original do


período.
Questão certa​. É só ser racional: "Martins Pena foi destacado de fato (...)" fica sem ​SENTIDO
que foi o que a questão pediu. Fica incoerente também.

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​FUNPRESP-EXE​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - FUNPRESP-EXE -
Conhecimentos Básicos - Cargos de 1 a 6 e 8
Resolvi certo!

Texto associado

Julgue o item seguinte, referente aos aspectos linguísticos e às ideias do texto ​O homem que
só tinha certezas​.

Depreende-se do texto que o personagem principal perdeu repentinamente a capacidade de ter


certezas devido ao fato de ter se apaixonado.

QUESTÃO ERRADA​. FÁCIL, foi perdendo paulatinamente e não repentinamente.

Gostei (​15​)

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​FUNPRESP-EXE​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - FUNPRESP-EXE -
Conhecimentos Básicos - Cargos de 1 a 6 e 8
Resolvi certo!

Texto associado

Julgue o item seguinte, referente aos aspectos linguísticos e às ideias do texto ​O homem que
só tinha certezas​.

O narrador do texto sugere que o personagem central adquiriu paulatinamente a habilidade de


ter certezas.

Questão errada.​ Leiam o título do texto ​sempre​. Assim como o nome do autor e a fonte.

DICA:​ Assim como a palavra prescinde (não precisa), o Cespe adora essa palavra:
paulatinamente (vagarosamente).

Ano: ​2016​ ​Banca: ​CESPE​ ​Órgão: ​FUNPRESP-EXE​ ​Provas: ​CESPE - 2016 - FUNPRESP-EXE -
Conhecimentos Básicos - Cargos de 1 a 6 e 8
Resolvi certo!

Texto associado
Com relação às ideias e aos aspectos linguísticos do texto ​Um amigo em talas​, julgue o item
que se segue.

De acordo com o texto, os hóspedes da pensão ficavam espantados com os anúncios de jornal
referentes a Amadeu Amaral Júnior.

QUESTÃO ERRADA. O autor diz na linha 22 “muita gente”, não os hóspedes.

DICA IMPORTANTE:​ A banca Cespe/UnB está seguindo, desde 2012/2013, uma tendência de
colocar textos literários em suas provas. Raramente ela coloca literatura dos anos 2000 pra cá
(como na prova do STF que caiu um excerto do "Diário da Queda", do Michel Laub). É
necessário uma nota de rodapé aqui: A Cespe/UnB gosta de ​poemas e literatura em prosa
brasileira clássica​, especialmente os consagrados: Graciliano Ramos, Oswald de Andrade e
todos os cânones tupiniquins. ​Principalmente M​ achado de Assis. Abraço.

Análise de questões CESPE

Questões certas​: o elaborador sempre tenta minimizar a probabilidade de recursos,


deixando as questões mais abertas.
Questões erradas​: normalmente a leitura da questão não é fluida e mistura conceitos
diferentes

INCLUSIVAS

Quando a banca quer assegurar que o item seja verdadeiro, colocam palavras
inclusivas, que admitem exceções:

em geral é

MATAR pode ser CRIME

em regra é

normalmente é

predominantemente é

PALAVRAS EXCLUSIVAS

Já quando eles querem se assegurar que o item seja falso, colocam palavras
exclusivas, que não admitem exceções:

nunca é

MATAR sempre é CRIME

obrigatoriamente é
não é

não pode ser

“Matar geralmente é crime,​ salvo raras exceções​ previstas em lei.”

TREINO DE QUESTÕES ERRADAS

​MTE - Técnico Administrativo - 2014 (Ex. de palavra que restringiu o enunciado)

APENAS por meio de prévia aprovação em concurso público de provas ou provas e títulos,
poderá o cidadão brasileiro ter acesso aos cargos e empregos públicos.

STF - Técnico Administrativo - 2013 (excludente)

Submetem-se ao referido regime jurídico apenas os servidores civis ocupantes de cargos na


administração direta federal, aí incluídos os servidores do Ministério Público da União, do
Senado Federal, da Câmara dos Deputados e do TCU.

STF - Técnico Administrativo - 2013 (mistura de conceitos)

O regime jurídico estatutário que trata a lei 8.112/90, é aplicável aos servidores da
administração direta, das autarquias e das empresas públicas federais

TRE/GO - Técnico Administrativo - 2015 (mistura de conceitos)

Remoção é o deslocamento do servidor, a pedido, no âmbito do mesmo quadro, com ou sem


mudança de sede.

Mistura de conceitos:

Remoção​ - mesmo quadro/mesma sede

Redistribuição​ - quadro diferente