Você está na página 1de 3

BALANÇO DAS ACTIVIDADES DESENVOLVIDAS ATÉ À INTERRUPÇÃO

PEDAGÓGICA DA PÁSCOA

O trabalho iniciou-se nas turmas da Escola de S. Luís, de acordo com o


estabelecido no Plano Anual de Trabalho, com as actividades de iniciação e preparação
técnica, dando particular enfoque ao desenvolvimento da consciência rítmica e ao treino
das competências rítmicas ao nível da psicomotricidade. Deste trabalho foram excluídas
duas turmas por já terem sido acompanhadas neste trabalho em anos anteriores, e nas
quais se começou directamente numa fase mais avançada do desenvolvimento
performativo, e outras duas por incompatibilidade com as necessidades curriculares dos
estagiários da E.S.E. presentes nas turmas.

Foi este trabalho desenvolvido, de um modo geral, ao longo do primeiro período,


tendo as duas últimas semanas sido dedicadas à preparação e acompanhamento das
performances para a festa de Natal realizada na Escola.

A partir do início do segundo período foi o trabalho dividido em dois ramos


concernentes, um aos primeiros e segundos anos e o outro aos terceiros e quartos. Neste
período veio juntar-se ao conjunto do trabalho um projecto específico para quatro
turmas da Escola do Alto Rodes que, embora contendo alguns aspectos similares ao da
Escola de S. Luís, será adiante objecto de tratamento separado.

Daqueles dois ramos o primeiro assentou num trabalho de construção de


pequenas performances inspiradas em fábulas e contos previamente trabalhados pelos
alunos em aula e cuja preparação constou do desenvolvimento de exercícios de
expressão corporal orientados para a interpretação do comportamento animal; o segundo
constou do lançamento das bases de uma educação musical em torno da iniciação à
flauta de bisel, procurando, relativamente aos quartos anos, obviar a uma propedêutica
da Educação Musical como disciplina curricular do segundo ciclo.

Este trabalho foi apenas interrompido para preparação, montagem e


acompanhamento das performances apresentadas no contexto do desfile de Carnaval
organizado pela Câmara Municipal, o qual mais adiante será especificado juntamente
com as turmas da Escola do Alto Rodes que também apresentaram apontamentos
coreográficos na mesma ocasião.

Ainda durante o primeiro período foi promovida a participação e respectivo


acompanhamento de três turmas de primeiro ano no workshop de dança para crianças
dos 5 aos 7 anos realizado no C.A.P.A. sob orientação da bailarina Aldara Bizarro nos
dias 15 e 16 de Novembro, sendo uma turma da Escola de S. Luís e duas da Escola do
Alto Rodes.

Após o início do segundo período foram lançados, na Escola do Alto Rodes


quatro vertentes de um projecto envolvendo duas turmas do segundo ano e outras duas
do terceiro:

Relativamente às turmas do segundo ano, e de acordo com o princípio


anteriormente descrito, foi definida como área de incidência, a expressão dramática e
como temática o comportamento animal ficando entregue às professoras a selecção de
um conjunto de fábulas extraídas do reportório atribuído a La Fontaine. Numa das
turmas optou-se por uma montagem performativa em torno do exercício da estátua e
dos, anteriormente referidos, exercícios de expressão corporal orientados para a
interpretação do comportamento animal, enquanto na outra se optou pela introdução e
exploração das técnicas e procedimentos associados à tradição da sombra chinesa,
incluindo a representação das personagens e a execução dos bonecos. Estas actividades
foram concebidas e desenhadas com vista à realização dos seguintes critérios
pedagógicos – desenvolvimento de linguagens não verbais, exploração de diversas
possibilidades expressivas do corpo e da voz, associação de diferentes formas de
expressão (dramática, corporal, plástica), desenvolvimento das potencialidades criativas
da escrita (reescrita das fábulas), sistematização da oralidade dos narradores,
desenvolvimento de acções ligadas a histórias e personagens em termos de observação,
sincronização, equilíbrio, controlo emocional, afirmação, interacção, integração,
imaginação, auto-controlo psico-motor e sentido crítico.

Relativamente às turmas do terceiro ano, que tal como as do segundo vêm sendo
acompanhadas desde o início da sua escolaridade, foi destinado trabalho específico na
área da dança e da expressão corporal em torno dos Musicais do anos 40 (music hall,
Broadway), da qual resultou uma coreografia com suporte sonoro de Glenn Miller, e
cujos critérios pedagógicos e estilísticos assentam nos seguintes eixos psico-motores –
uso e manipulação de adereços instrumentais (sombrinhas, bengalas e chapéus) que
concorrem para a eficácia e reforço da expressão corporal, coros e cânones de
movimento, movimentos colectivos de coordenação orgânica, coordenação espacial,
graciosidade e balanço (swing), interpretação das sugestões rítmicas e estruturais da
música.

Deste trabalho foi extraído um apontamento coreográfico do qual os alunos


apresentaram no desfila de Carnaval, juntamente com duas turmas da Escola de S. Luís
que apresentaram dois outros apontamentos especificamente concebidos para essa
finalidade, de acordo com o tema trabalhado colectivamente pela escola, no caso, causas
e consequências do aquecimento global – poluição e animais em risco de extinção.

Está ainda a ser prestado apoio aos professores das duas turmas do terceiro ano,
nos aspectos artístico-culturais da sua participação no projecto Comenius relativamente
ao Chipre.

A partir de uma solicitação da Associação de Pais da EB 2,3 D. Afonso III,


veiculada por pais de alunos que experienciaram as actividades da O.P.A.P. em níveis de
ensino anteriores, foi desencadeada uma acção de revitalização do Clube de Teatro
daquela escola, o que foi feito segundo o princípio da extensão do âmbito das
actividades ao conjunto das artes performativas. Desta operação junta-se em anexo a
proposta inicial de resposta à Associação de Pais.

Numa primeira fase os serviços do Conselho Executivo da Escola procederam à


divulgação, propaganda, recepção de inscrições e selecção dos alunos, os quais foram
organizados em três grupos – um com alunos dos quinto e sexto anos, outro com alunos
do sétimo ano e um outro com alunos do oitavo ano, num total de 30 alunos.
Foi estabelecido em concomitância com a escola o interesse de desenvolver
actividade criativa em torno da Carta da Terra usando para tanto recursos da escrita
criativa, trabalho sobre material iconográfico para além dos recursos criativos e
estilísticos das próprias artes performativas, desenvolvendo a capacidade de
improvisação.

Pela mesma via foi-nos veiculado o interesse de estudantes provenientes do


antigo Clube de Teatro da Escola Secundária João de Deus numa colaboração nesta
acção, a qual possa permitir por em prática o princípio da educação inter-pares e
instrumentos metodológicos de tipo tutorial.

Dado o carácter propedêutico que a fase tardia em que o projecto foi


desencadeado, determinou, foi estabelecido com o Conselho Executivo da Escola um
protocolo de continuação do mesmo para o ano lectivo de 2007/2008.