Você está na página 1de 6

CENTRO DE INTEGRIDADE PÚBLICA MOÇAMBIQUE

Boa Governação, Transparência e Integridade - Edição Nº 13/2014 - Dezembro - Distribuição Gratuita

Compreendendo os novos termos legais


para Actividade Mineira
Este documento analisa a Lei de Minas (Lei Nº 20/2014, de 18 de Agosto de 2014) e a lei
sobre o regime fiscal aplicável à actividade mineira (Lei Nº 28/2014, de 23 de Setembro de
2014).
De modo geral, estas duas leis pretendem op- 18 de Agosto de 2014, data da sua publicação.
timizar ainda mais os benefícios para Moçam- Muitos dos pormenores apenas serão revelados
bique provenientes do sector de minas, uma quando sairem os respectivos regulamentos de
tendência que tem sido clara desde a aprovação implementação, que deviam ser aprovados e
da lei dos Mega-Projectos. A abordagem geral publicados no prazo de 90 dias à partir da sua
está, também, claramente articulada na Políti- aprovação.
ca e Estratégia governamentais de 2013 para os As empresas que já detêm contratos de mine-
Recursos Mineiros (Resolução Nº 89/2013 de ração ou concessão continuam a ser regidas
31 de Dezembro). pelas disposições da Lei de 2002, a não ser que
A nova legislação era previsível, dadas as alte- explicitamente optem por se regerem por estes
rações profundas no sector nos últimos anos. novos termos (Artigo 83). Contudo, os titulares
De facto, estiveram a circular versões prelimi- de licenças de reconhecimento, prospecção e
nares das novas leis para os sectores de petróleo pesquisa para recursos minerais para constru-
e de minas desde 2012. ção, certificado mineiro e senha mineira têm
Há mudanças significativas entre as leis pre- 180 dias após a entrada em vigor da nova lei
liminares que o governo fez circular e as leis para regularizar os direitos adquiridos no âm-
aprovadas pelo Parlamento. Muitas alterações bito da lei anterior (Artigo 86).
foram feitas pelo Parlamento, sobretudo as que
têm a ver com a transparência dos contratos,
melhoria da fiscalização e monitoria do sector, Transparência e Supervisão
benefícios para os moçambicanos e direitos das Publicação do Contrato (Artigo 8): A nova lei
comunidades. estabelece que “os contratos mineiros são pu-
blicados no Boletim da República, antecedidos
do visto prévio do Tribunal Administrativo,
I. Lei do Sector de Minas – Lei nº no prazo de 30 dias”. A lei também prevê que
os contratos passem a ser publicados em jor-
21/2014 (de 18 de Agosto) nais ou sítios da internet, para além de serem
A nova lei sectorial substitui a Lei nº 14/2002, de remetidos à Assembleia da República. Suben-
26 de Junho de 2002, e entrou em vigor no dia tende-se, aqui, que será publicado o contrato

1
completo, incluíndo os seus anexos. Porém, o deve estar a funcionar no prazo de 12 meses,
melhor seria que a lei indicasse claramente que, ou seja até Agosto de 2015, crendo-se que lei
“todos os contratos –assinados e rubricados, específica será adoptada para reger o funciona-
incluíndo os respectivos anexos – serão dispo- mento do órgão.
nibilizados na íntegra, nos portais (websites) do Instituto Nacional de Minas (Artigo 26): A Lei de
governo, após a sua aprovação pelo TA”, o que Minas também cria um novo órgão regulador,
estaria em consonância com os padrões intrna- o Instituto Nacional de Minas, responsável
cionais de transparência dos contratos. pelo desenvolvimento e fiscalização do sector
Transparência em relação às Receitas (Artigo mineiro, incluindo a aprovação de políticas de
13): Na nova lei, o governo compromete-se a desenvolvimento do sector, analisar e aprovar
“inventariar as receitas resultantes da activida- projectos e estudos técnicos e económicos
de mineira e publicá-las periodicamente e de para abertura de novas minas, bem como a
forma desagregada”. Ao contrário da Lei de Pe- reabilitação e/ou encerramento de minas,
tróleos, não há nenhuma referência explícita à analisar as propostas de atribuição de licenças
publicação, pelas empresas mineiras, dos seus de prospecção e pesquisa, bem como concessões
pagamentos ao Governo. É pena que a lei não mineiras, entre outras. Na verdade, o que a lei
faça nenhuma referência explícita aos requisi- fez foi transformar a Direcção Nacional de
tos da Iniciativa de Transparência da Indústria Minas em Instituto.
Extractiva (ITIE) sobre a reconciliação de pa-
gamentos feitos pelas empresas ao Governo e Maximizar os Benefícios para os
também os novos requisitos de publicação de
Moçambicanos
dados sobre volumes de produção e preços de
venda. Aquisição de bens e serviços (Artigo 22): A Lei
de Minas reforça as obrigações de conteúdo lo-
Papel da Assembleia da República (Artigo 23):
cal. A aquisição de bens e serviços, acima de
Em contraste com muitos outros países em
um valor não especificado, deve ser feita por
desenvolvimento e ricos em recursos naturais,
concurso público. Deve dar-se preferência a
não há qualquer quadro jurídico específico
produtos e serviços locais. Os provedores de
para as receitas do sector mineiro. A nova lei
serviços de nacionalidade estrangeira devem
apenas diz que compete à Assembleia da Re-
estar associados a empresas moçambicanas.
pública garantir a gestão sustentável e transpa-
Enquanto os dois princípios sao bons, eles
rente das receitas, tomando em consideração as
apresentam algumas lacunas, ao não mencio-
necessidades actuais e as das gerações futuras.
nar as valores a partir dos quais é obrigatória
Infelizmente, a lei não faz qualquer outra men-
a realização do concurso público e só reme-
ção do papel do Parlamento na garantia da boa
ter para regulamentação os critérios de parti-
governação e da supervisão do sector mineiro.
cipação e a clarificação das circunstâncias em
que há lugar à adjudicação directa. Quanto a
Responsabilidades Institucionais associação com nacionais, a lei não estabelece
Alta Autoridade da Indústria Extractiva (Arti- nenhum critério, princípio e nem orientações
go 25): A alteração institucional mais profunda para regulamentar as condições em que tal as-
introduzida na nova lei de minas é a criação sociação/parceria deve ocorrer.
de um novo órgão de auditoria directamente Promoção do Empresariado Nacional (Arti-
subordinado ao Conselho de Ministros (Alta go 34): Na nova lei há disposições específicas
Autoridade da Indústria Extractiva). Não se dá para expandir os benefícios do sector mineiro
qualquer detalhe sobre o mandato deste órgão para os moçambicanos, embora estas sejam em
para além do seu controlo sobre os sectores de grande medida aspirações. O Governo atri-
minas e de petróleo. A lei apenas refere que ele bui a si próprio a criação de mecanismos de

2
promoção do empresariado nacional em pro- com base num memorando de entendimento
jectos de mineração. O Governo pretende in- entre o Governo, a empresa e a comunidade.
tensificar a sua participação (presumivelmente Esse memorando é um dos requisitos para a
propriedade de acções) em projectos de activi- atribuição de direitos de exploração mineira.
dade mineira, embora não estejam identifica- As comunidades reassentadas devem receber
das quaisquer metas. E o Governo “promove- habitações condignas com melhores condições
rá” o registo de empresas mineiras na Bolsa de que as que tinham anteriormente.
Valores (em contraste com a Lei de Petróleos, Desenvolvimento local (Artigo 20): Uma per-
segundo a qual as empresas “devem” estar re- centagem das receitas geradas pelas actividades
gistadas). mineiras é atribuída ao desenvolvimento das
Obrigações com o Mercado Nacional (Artigo comunidades onde ocorrem as actividades mi-
21): O Estado poderá exigir que as empresas neiras. Tal como acontece com a Lei dos Petró-
vendam produtos da actividade mineira a pre- leos, não se estabelece nenhuma percentagem
ços de mercado para uso pela indústria local. específica. A Lei refere simplesmente que será
Emprego e formação de moçambicanos (Artigos fixada uma taxa e os fundos canalizados através
33): As empresas devem garantir emprego e do Orçamento do Estado.
formação de moçmbicanos para responder
às necessidades da actividade mineira. Nesse II. Lei Fiscal da actividade mineira –
contexto, a lei obriga que as oportunidades
de emprego sejam publicadas nos jornais de Lei Nº 28/2014, de 27 de Setembro
maior circulação, ou através da rádio, televisão A nova lei fiscal da actividade mineira substitui
e internet, indicando o local mais próximo da as leis existentes Nº 11/2007e Nº13/2007, de
entrega das candidaturas. O Governo deverá 27 de Junho. Ela entra em vigor a 1 de Janeiro
regular o regime de trabalho mineiro. de 2015 e é aplicável a todas as empresas que
realizam actividades mineiras em Moçambique,
Direitos das Comunidades mas não tem efeitos retroactivos. As empresas
que já detenham contratos actualmente
Envolvimento das comunidades (Artigo 32): As
continuarão vinculadas aos termos ainda
comunidades devem receber “informação pré-
vigentes, a não ser que escolham explicitamente
via sobre o início das actividades de explora-
aplicar o novo regime fiscal.
ção” e devem ser consultadas antes do início do
desenvolvimento mineiro. Além disso, o Go- Imposto sobre a Produção (Artigo 12): O impos-
verno compromete-se a criar mecanismos de to sobre a produção (royalty) é a única fonte ga-
envolvimento para garantir a participação das rantida de receita antecipada no sector minei-
comunidades nas áreas de projectos de explo- ro, já que é avaliada como uma percentagem do
ração mineira. valor dos minérios produzidos. A lei prelimi-
nar que circulou ao longo de 2013 sugeria que
Reassentamento e justa indemnização (Artigos
o governo estava a considerar aumentos signi-
30 e 31): Deve ser dada uma compensação justa
ficativos às taxas de royalty em todo o sector
às pessoas que precisem de ser reassentadas

Royalties Em 2007/08 Propostas de lei Lei definitiva


Diamantes 10% 7-12% 8%
Metais preciosos 6% 6-10% 6%
Metais semi-preciosos 5% 5-10% 3%
Carvão 3% 5-10% 3%

3
mineiro. Comentários provenientes do sector É permitida uma redução de 50% nos royalties
industrial e dos doadores indicavam que um quando a produção de minérios se destina a uti-
aumento relevante nos royalties iria provavel- lização pela indústria local.
mente desencorajar a continuidade do investi- Imposto Sobre a Superfície (artigos 16 a 22 ): São
mento no país. No final, o governo optou por sujeitas a este imposto as entidades que desen-
deixar as taxas inalteradas e até baixá-las. volvam actividade mineira em Moçambique
A tabela acima mostra as taxas de royalties em (com ou sem um título). O Imposto Sobre a
quatro categorias diferentes. Ela permite a com- Superfície é devido anualmente e incide sobre a
paração dos royalties em vigor desde a aprova- área mineira da exploração em causa e as taxas
ção das leis de 2007, a amplitude das alterações variam entre os 17,50 meticais por hectar (MT/
propostas no projecto de lei do governo e os ha) e os 25.000,00MT/ha, consoante o tipo de
resultados finais. As taxas para carvão e metais licença e os anos de vingência da mesma. Hou-
preciosos permanecem as mesmas (3% e 6% ve, claramente, um aumento nas taxas do Im-
respectivamente, enquanto para os metais semi- posto Sobre a Superfície e o valor a ser pago,
-preciosos e para os diamantes houve reduções vai aumentando à medida que os anos passam,
(de 5 para 3% e de 10 para 8%, respectivamente). conforme mostra a tabela abaixo.

Imposto Sobre
Descrição Proposta de lei Lei definitiva
Superfície 2007/2008
a) Licenças de prospecção
e pesquisa para todos
os recursos
i. 1º e 2º ano 2,50 MT/ha1 300,00 MT/ha 17,50 MT/ha
ii. 3º ano 6,25 MT/ha 700,00 MT/ha 43,75 MT/ha
iii. 4º e 5º ano 13,00 MT/ha 1.500,00 MT/ha 91,00 MT/ha
iv. 6º ano 15,00 MT/ha 2,000,00 MT/ha 105,00 MT/ha
v. 7º e 8º ano 20,00 e 25,00 MT/ha 2.500,00 e 3.000,00 MT/ha 210,00 MT/ha
vi. 9º e 10º ano 30,00 MT/ha 3.500,00 MT/ha N/A
b) Concessão Mineira
i. Para água mineral 70.000,00 MT/título 80.000,00 MT/título 85.000,00 MT/ha
c) Para demais recursos
minerais
Do 1º ao 5º ano 25,00 MT/ha 3.000,00 MT/ha 30,00 MT/ha
Do 6º ano em diante 50,00 MT/ha 5.500,00 MT/ha 60,00 MT/ha
d) Certificado Mineiro 20 -100 hectares 20-100 hectáres
.....10.000,00 MT .....11.000,00MT
101-200 hectares 100-200 hectares
.....30.000,00MT ...22.000,00MT
201-300 hectares 200-300 hectares
..... 30.000,00 MT …33.000,00MT
301-400 hectares 300-400 hectares
..... 40.000,00 MT ...45.000,00MT
401-500 hectares..... 400-500 hectares
50.000,00 MT ...55.000,00MT
Do 1º ao 5º ano 17,500,00 MT/ha
Do 6º em diante 25,000,00 MT/ha

4
Imposto sobre o Rendimento de Pessoas Colectivas uma determinada percentagem. A combinação
(Artigo 23): Tal como na nova lei fiscal dos de um royalty modesto, um imposto sobre o
Petróleos, a Lei de Minas não estabelece uma rendimento de 30-35% e um imposto sobre a
taxa independente para o rendimento das renda do recurso é actualmente vista de modo
empresas, ela simplesmente faz referência às geral como uma boa prática no sector mineiro.
obrigações vigentes ao abrigo das leis do Imposto O projecto de lei de minas propunha um im-
sobre o Rendimento de Pessoas Colectivas posto directo sobre o fluxo de caixa líquido de
(IRPC) e do Imposto sobre o Rendimento de um empreendimento mineiro quando a taxa de
Pessoas Singulares (IRPS). Portanto, a taxa do retorno antes de imposto tivesse ultrapassado
imposto permanece inalterada em 32%. Mas 12-18%. A taxa de imposto proposta era entre
há mudanças importantes na forma como 40-50%. Tal como aconteceu com as propostas
o IRPC será aplicado. O imposto sobre o para os royalties, o resultado final é competitivo
rendimento de pessoas colectivas será avaliado e bem menos oneroso para as empresas e, com
ao nível da concessão mineira. A disposição o IRRM a incidir sobre taxas de retorno acima
frequentemente referida como “ring-fencing” de 18% (o limite superior a faixa originalmente
(delimitação) significa que, em futuros proposta) e a taxa do imposto a ser de apenas
contratos, as empresas não poderão reivindicar 20% (metade da proposta original).
perdas numa concessão nos lucros de outra. A Estabilização (Article 58): Os investidores pro-
lei fiscal também estabelece regras específicas curam garantias claras de que os termos fiscais
para o cálculo do rendimento tributável, acordados no início permanecem os mesmo
deduções permitidas e depreciação de activos. ao longo do projecto. Os governos procuram
Um imposto com retenção na fonte, no valor flexibilidade para acomodar circunstâncias
de 10%, será aplicado a serviços prestados por em mudança. No passado, Moçambique deu
não-residentes. às empresas petrolíferas a garantia de que os
Imposto sobre Mais-Valias (Artigo 39): Como termos dos seus contratos originais seriam
foi documentado em análises anteriores do respeitados. Ao abrigo dos termos da nova lei
CIP, a aplicação de um imposto sobre as mais- fiscal, os termos são garantidos apenas para os
valias no sector extractivo de Moçambique primeiros dez anos da produção. A estabilidade
tem sido muito inconsistente. Alterações ao fiscal pode ser estendida a partir do 11º ano até
IRPC aprovadas em 2012 e efectivas desde ao termo da validade do contrato mediante o
2014 clarificaram que já não existe uma “pagamento de 2% adicionais à taxa do Impos-
taxa descendente com base na duração da to de Produção Mineira a partir do 11º ano de
propriedade. Actualmente o IRPC estabelece produção”.
uma taxa fixa de 32% sobre as mais-valias e esta
disposição é reproduzida na nova lei fiscal do
petróleo. (Endnotes)
1 No decreto 5/2008, de 9 de Abril, que regula os
Imposto sobre a Renda do Recurso Mineiro (Sec- impostos específicos da actividade mineira prevista
ção IV): A alteração mais importante ao regi- na lei número 11/2007, de 27 de Junho, usa-se o
me fiscal é a introdução de um imposto sobre quilómetro quadrado (Km²) como unidade de medição
da extensão da terra concessionada e o CIP fez a
a renda do recurso mineiro (IRRM). Este é
respectiva conversão para hectares, tendo em conta que
um mecanismo desenhado para garantir que 1 quilómetro quadrado equivale a 100 hectares.
a quota do governo aumenta quando um pro-
jecto se torna altamente rentável. Este tipo de
imposto é colectado quando a “taxa interna de
retorno” da empresa (o rácio entre o lucro gera-
do e o montante de dinheiro investido) excede

5
Boa Governação, Transparência e Integridade
FICHA TÉCNICA
Director: Adriano Nuvunga Contactos:
Coordenadora do Pilar: Fátima Mimbire Fax: 00 258 21 41 66 25
Pesquisadores do CIP: Baltazar Fael; Ben Hur Tel: 00 258 21 41 66 16
Cavelane; Borges Nhamire; Edson Cortez; Fátima Cel: (+258) 82 301 6391
Mimbire; Jorge Matine; Lázaro Mabunda; Nélia Caixa Postal: 3266
Nhacume ; Stélio Bila; Teles Ribeiro E-mail: cip@cip.org.mz
Layout & Montagem: Nelton Gemo Website: http://www.cip.org.mz
Endereço: Bairro da Coop, Rua B, Número 79,
Parceiro
Maputo - Moçambique de assuntos
de género:

Parceiros