Você está na página 1de 6

Ministério da Educação

Universidade Tecnológica Federal do Paraná


Câmpus Cornélio Procópio
Departamento de Engenharia Elétrica - DAELE

RELATÓRIO DE ATIVIDADES PRÁTICAS DE ELETRÔNICA DIGITAL

EXPERIMENTO 4

Projeto de um Elevador
De 3 andares

DISCENTES:
Gustavo Emanuel Braga de Carvalho - 1915673
Uriel Abe Contardi - 1914243

Cornélio Procópio, 25 de abril de 2019


1. INTRODUÇÃO – Fundamentos Teóricos

Para os mais diversos problemas na eletrônica digital utiliza-se muitas vezes


das portas lógicas para implementar-se a lógica de determinado problema, um dos
métodos comumente utilizado e que será abordado no presente relatório é utilização
da tabela verdade em conjunto com o método de Karnaugh.
A tabela verdade tem por finalidade caracterizar quando determinado evento
será verdadeiro ou falso para cada situação, vale notar que em determinados casos a
condição de saída poderá ser irrelevante, ou seja casos que não são de importância
para o sistema, estes casos são chamados de don’t care (irrelevante) podendo
assumir qualquer nível lógico. Na Tabela 01 é possível visualizar um exemplo de uma
tabela verdade com duas entradas e apenas uma condição irrelevante.
Tabela 01 – Exemplo de uma tabela verdade com duas entradas e uma saída, existem dois
casos irrelevantes expressos por um “X”.
E1 E2 S1
0 0 1
0 1 1
1 0 X
1 1 0

O método de Karnaugh ou mapa K é um método sistemático para


simplificação de expressões lógicas agrupando a tabela verdade em mintermos ou
maxtermos. Na Tabela 02 mostra-se como é feita a montagem de um mapa K.
Tabela 02 – Mapa K referente a tabela 01.
E1
0 1
E2
0 1 X
1 1 0

2. OBJETIVOS
Entender a lógica de um elevador, a utilização do mapa de Karnaugh e qual a
importância e eficiência da utilização das condições de irrelevância para a construção
de um circuito lógico.

3. MATERIAIS UTILIZADOS
- Software Logisim.

1
4. PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL

Após interpretado o problema construiu-se a tabela verdade para cada caso


atendendo as condições propostas no enunciado do problema, o problema constituía
de 4 entradas sendo a variável M relacionado à movimentação do elevador, M=0
elevador parado e M=1 elevador em movimento e as entradas F1 F2 e F3
correspondendo aos sensores presentes em cada andar assumindo nível lógico 1
apenas quando o elevador estiver posicionado em um dos andares, caso contrário
possuem nível lógico 0. Portanto o total de possibilidade para o problema é de 2 4 =
16.
Em seguida aplicou-se o método de Karnaugh na tabela verdade, utilizando
apenas os mintermos, e adquiriu-se a equação lógica do circuito. Em um segundo
momento a fim de simplificar a equação lógica, atribuiu-se valor lógico 1 para as
condições de irrelevância de forma a simplificar o máximo possível a expressão lógica,
por fim desenhou-se o circuito com os circuitos integrados propostos.

5. RESULTADOS
A tabela verdade adquirida pela interpretação do problema é mostrada na
Tabela 03.
Tabela 03: Tabela verdade referente a lógica de um elevador de 3 andares.
M F1 F2 F3 Saída (S)
0 0 0 0 0
0 0 0 1 1
0 0 1 0 1
0 0 1 1 x
0 1 0 0 1
0 1 0 1 x
0 1 1 0 x
0 1 1 1 x
1 0 0 0 0
1 0 0 1 0
1 0 1 0 0
1 0 1 1 x
1 1 0 0 0
1 1 0 1 x
1 1 1 0 x
1 1 1 1 x

2
A partir da tabela verdade aplicou-se o método de Karnaugh, o mapa referente
a este método é mostrado na Tabela 04:.
Tabela 04: Mapa de Karnaugh apenas com mintermos referente a tabela verdade.
M F1
00 01 11 10
F1 F2
00 0 1 0 0
01 1 X 0 X
11 X X X X
10 1 X 0 X

A equação lógica obtida a partir da tabela 02 considerando apenas os


mintermos é:
̅ . F1. F2
S= M ̅̅̅. ̅̅̅̅ ̅ . F2. F1
F3 + M ̅̅̅. ̅̅̅̅ ̅ . F3. F1
F3 + M ̅̅̅. ̅̅̅̅
F2 (01)

Para simplificar a equação obtida foi atribuído o valor lógico 1 para as condições
de irrelevância de tal forma a obter situações favoráveis para a obtenção de uma
equação mais simplificada, dessa forma chega-se ao mapa K da Tabela 05.

Tabela 05: Mapa de Karnaugh adotando condições de irrelevância favoráveis que estão expressas na
coloração vermelha.
M F1
00 01 11 10
F1 F2
00 0 1 0 0
01 1 1 0 X
11 1 1 X X
10 1 1 0 X

Dessa forma a equação booleana extraída da tabela supracitada é:


̅ . F1 + M
S= M ̅ . F2 + M
̅ . F3 (02)
Aplicando a propriedades de simplificação algébrica:
̅ . (F1 + F2 + F3)
S= M (03)

Por fim desenhou-se o circuito com os C.Is propostos: 7408 (4 portas AND com
duas entradas e uma saída), 7432 (4 portas OR duas entradas e uma saída) e 7404
(6 portas tipo NOT). Além disso utilizando o software Logisim simulou-se o circuito e
adquiriu-se a nova tabela verdade com as considerações dos casos irrelevantes
assumidos anteriormente.
3
Figura 01: Circuito final simulado no software Logisim e a tabela verdade do circuito.

6. CONCLUSÕES

Analisando a tabela verdade do circuito implementado na Figura 01 existem


casos em que o sistema não funcionará como o esperado, por exemplo note que em
determinadas situações o elevador estará parado e os sensores de dois ou três
andares estarão em níveis lógicos 1 simultaneamente, como o problema não forneceu
informações sobre como proceder nestes casos adotou-se isso como casos
irrelevantes e ao final ao utilizar essa condição de irrelevância na simplificação a porta
do elevador ficará aberta para essa situação, em um sistema real de um elevador isto
não poderia acontecer, sendo necessário analisar qual a melhor medida para cada
situação, uma vez que essas ocorrências são possíveis falhas do sistema do elevador.
Conclui-se que utilizar as condições de irrelevância de forma a simplificar a
equação lógica em um projeto é muito útil uma vez que será necessário menos portas
lógicas para a implementação da equação, contudo é de vital importância analisar se
as condições de irrelevância não possuem uma importância real ao sistema,
principalmente em problemas onde não há informações suficientes e concretas, e não
trarão um possível erro ao sistema, como por exemplo o analisado no presente
relatório.

4
7. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
[1] TOCCI, Ronald J.; WIDMER, Neal S.; MOSS, Gregory L. Sistemas digitais:
princípios e aplicações. 10ª Ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 200.

[2] IDOETA, Ivan Valeije; CAPUANO, Francisco Gabriel. Elementos de eletrônica


digital. 40ª Ed. São Paulo: Érica, 200