Você está na página 1de 22

Reflexoterapia

Inserir Título Aqui


Inserir Título Aqui
Reflexoterapia Palmar

Responsável pelo Conteúdo:


Prof.ª Dr.ª Gisele Damian Antônio Gouveia
Prof.ª Me. Cintia Vieira Caron

Revisão Textual:
Prof. Me. Claudio Brites
Reflexoterapia Palmar

Nesta unidade, trabalharemos os seguintes tópicos:


• Indicações, Contraindicações e Efeitos
da Reflexoterapia Palmar;
• Técnica de Reflexoterapia nas Mãos;
• Estudo de Caso.

Fonte: Getty Images


Objetivo
• Conhecer a aplicação, a indicação e a contraindicação da Reflexoterapia das mãos.

Caro Aluno(a)!

Normalmente, com a correria do dia a dia, não nos organizamos e deixamos para o úl-
timo momento o acesso ao estudo, o que implicará o não aprofundamento no material
trabalhado ou, ainda, a perda dos prazos para o lançamento das atividades solicitadas.

Assim, organize seus estudos de maneira que entrem na sua rotina. Por exemplo, você
poderá escolher um dia ao longo da semana ou um determinado horário todos ou alguns
dias e determinar como o seu “momento do estudo”.

No material de cada Unidade, há videoaulas e leituras indicadas, assim como sugestões


de materiais complementares, elementos didáticos que ampliarão sua interpretação e
auxiliarão o pleno entendimento dos temas abordados.

Após o contato com o conteúdo proposto, participe dos debates mediados em fóruns de
discussão, pois estes ajudarão a verificar o quanto você absorveu do conteúdo, além de
propiciar o contato com seus colegas e tutores, o que se apresenta como rico espaço de
troca de ideias e aprendizagem.

Bons Estudos!
UNIDADE
Reflexoterapia Palmar

Contextualização
Assista ao vídeo Automassagem das mãos (Reflexologia Palmar),
disponível em: https://youtu.be/UubDelNDrCA

Depois de assisti-lo, acesse o Material Teórico da disciplina de Reflexoterapia da mão,


analisando o funcionamento, localização, indicação, técnicas de massagem, automassa-
gem e precauções dos pontos da Reflexoterapia Palmar.

6
Indicações, Contraindicações
e Efeitos da Reflexoterapia Palmar
Quando indicar a Reflexoterapia Palmar?

A Reflexoterapia Palmar é uma prática integrativa simples, fácil, de baixo custo e sem
efeitos colaterais. A palpação das zonas de reflexo das mãos pode ser realizada com mo-
vimentos circulares com os polegares, com as mãos fechadas do profissional ou usando
bastão de madeira, cristal, pindás, massageadores de pedra de jade ou outros materiais.
O mais utilizado é o apalpador ou digitopressão (BROWN, 2000).

A sessão de Reflexologia pode ser empregada de forma isolada/única ou conjunta às


Práticas Integrativas e Complementares (PICs) – como, por exemplo, aromaterapia, hidro-
terapia, cromoterapia, musicoterapia, fitoterapia, Don In, dentre outras – ou às práticas
biomédicas nos tratamentos de desordens físicas, mentais ou energéticas, má circulação
sanguínea, dores musculares, articulares e dos tendões, controle de problemas gastroin-
testinais, transtornos do humor e do sono, elimina o cansaço, o estresse e o nervosismo.
Favorece, também, o relaxamento corporal, o conforto, o bem-estar e melhora da quali-
dade de vida, permitindo que o corpo funcione em equilíbrio (HALL, 1997).

Quais são as contraindicações da Reflexoterapia Palmar?

A estimulação do microssistema palmar deve ser evitada em situações de febre alta


(acima de 39,5ºC), convulsões, alergias e dermatites na mão, flebites, trombose, varizes
e coágulos de sangue, pacientes que usam medicamentos anticoagulantes, que pos-
suem distúrbios renais, cardiopatias com uso de marca-passo, problemas do coração e
hipertensos descompensados, diabetes, patologias do fígado, crise aguda de doenças
reumáticas (como, gota), psicoses, pacientes imunossuprimidos (como, AIDS em fase
terminal, HIV positivo quando em declínio ou sem tratamento adequado), em uso de
DIU e tuberculose no primeiro mês (BROWN, 2000; HALL, 1997).

Não se deve estimular a zona de reflexo do abdômen e lombar em gestantes nas


primeiras quatorze semanas, dos membros inferiores em casos de varizes expostas com
pós-cirúrgico inferior a três meses ou com fraturas e/ou lesões recentes nas áreas refle-
xas (BROWN, 2000; HALL, 1997).

Em casos de inflamações agudas do sistema linfático e venoso (risco de trombose


venosa e disseminação da inflamação), transplantes, melanomas, principalmente nos
membros superiores, aneurismas conhecidos, gestação alto risco (sobretudo quando há
histórico de aborto espontâneo, sem autorização médica devido ao risco de aborto com
a aplicação da técnica) e doenças infecciosas agudas, porque podem aumentar a disse-
minação do agente infeccioso, as técnicas de Reflexoterapia apresentam contraindica-
ção absoluta (BROWN, 2000; TEAGARDEN, 2019).

7
7
UNIDADE
Reflexoterapia Palmar

Quais são as zonas de reflexo das mãos?

As zonas de reflexo das mãos foram descritas pelo reflexologista Wiliam H. Fitzgerald.
Ele dividiu o corpo em dez zonas, sendo cinco à direita da linha média e as outras cinco
à esquerda. Essas linhas longitudinais percorrem o corpo todo, desde a ponta dos dedos
do pé até o topo da cabeça, da cabeça até a ponta dos dedos das mãos e vice-versa.
Cada zona de reflexo tem uma área correspondente nas mãos, da mesma forma que
vimos na Reflexoterapia Podal (BROWN, 2000; HALL, 1997).

O mecanismo de ação da Reflexoterapia Palmar baseia-se na Teoria das dez zonas


longitudinais. Segundo a mesma, a pressão das zonas longitudinais que cortam a su-
perfície das mãos sensibilizam os terminais nervosos, desintoxicam áreas congestiona-
das e promovem o alívio da dor (BROWN, 2000).

A seguir, apresentamos o caminho das cinco zonas de reflexo presentes nas mãos:
• Primeira zona: inicia-se nos háluxes, vai até as pernas, percorre o centro do corpo
até a cabeça e desce aos polegares das mãos;
• Segunda zona: inicia-se nos segundos dedos dos pés, vai até a cabeça e desce aos
dedos indicadores das mãos;
• Terceira zona: inicia-se nos terceiros dedos dos pés, vai até a cabeça e desce aos
dedos médios das mãos;
• Quarta zona: inicia-se nos quartos dedos dos pés, vai até a cabeça e desce aos
dedos anelares das mãos; e
• Quinta zona: inicia-se nos quintos dedos dos pés, vai até a cabeça e desce aos
dedos mínimos das mãos (Figura 1).

Dessa forma, todos os órgãos, vísceras e estrutura corporal que se localizam na


mesma zona que passa pela cabeça, mão, corpo e pé estão relacionados entre si, de
maneira que, ao estimular uma zona de reflexo da mão toda, a linha longitudinal da zona
de reflexo será estimulada ao longo do corpo (BROWN, 2000; HALL, 1997).

Zonaterapia na Reflexologia Palmar, disponível em: http://bit.ly/2UMlt4R

As mãos são divididas em zonas transversais ou horizontais, que também apresenta-


mos a seguir:
• Linha do diafragma (diafragma, cintura e pelve): compreende a área dos dedos
e representa a zona de reflexo de todos os órgãos acima do diafragma;
• Linha da cintura: inicia-se na prega entre o dedo polegar e o dedo indicador até
metade da palma da mão;
• Linha da pelve (circunda o punho): auxiliam a descrever a localização das zonas
de reflexos nas mãos (BROWN, 2000).

8
Figura 1 – Zonas horizontais ou transversais da mão

A localização das zonas de reflexo palmar baseia-se em diferentes mapas de Refle-


xologia do microssistema das mãos, sendo os principais apresentados como coreano,
ocidental e indiano, os quais detalharemos a seguir.
• Mapa de Reflexoterapia Coreano (Koryo): a abordagem coreana não faz dis-
tinção entre as mãos direita e esquerda. Os órgãos reprodutivos localizam-se
nos dedos mínimos e os membros superiores nos dedos indicadores e anelares.
A coluna é o eixo central da mão e localiza-se ao longo da linha do dedo médio,
percorrendo pelo lado dorsal da mão. Não há zona de reflexo na área do pulso
(HANDREFLEXOLOGYCHARTS, 2019).

Mapa de Reflexoterapia Coreana (Koryo), disponível em: http://bit.ly/2UPa04h

• Mapa de Reflexoterapia Ocidental: representa a parte de cima da cabeça, seios


nasais, olhos, cérebro e as orelhas nas pontas dos dedos, principalmente nos pole-
gares, indicadores e dedos do meio. A palma da mão concentra as zonas de reflexo
dos órgãos e vísceras internos (coração, pulmão, baço, estômago, rim, intestino,
bexiga, vesícula biliar e fígado). Na região interna dos pulsos, localizam-se as zonas
dos órgãos reprodutivos (ROSEWOOD, 2009).
Observação:
Esta abordagem foi a escolhida para conduzir a explicação da prática desta Unidade.

Representação esquemática da localização dos pontos das mãos correspondentes aos órgãos
(visão palmar e lateral) da abordagem ocidental, disponível em: http://bit.ly/2UNzkYx

• Mapa de Reflexoterapia Indiano: também chamado de acupressão, imprime uma


representação gráfica das zonas de reflexo diferente das anteriores. Nela, a palma

9
9
UNIDADE
Reflexoterapia Palmar

da mão concentra os principais pontos terapêuticos, onde os polegares represen-


tam a zona correspondente ao cérebro e à glândula pituitária e ponta dos dedos e
os seios nasais. Os olhos localizam-se do lado radial da palma da mão, abaixo dos
dedos indicadores e médios, e as orelhas são representadas embaixo dos dedos
anelares e mínimos (HANDREFLEXOLOGYCHARTS, 2019).

Mapa de Reflexoterapia Indiana, disponível em: http://bit.ly/2UPaTK9

Como ocorre o estímulo das zonas de reflexo nas mãos para se obter um efeito terapêutico?

O microssistema das mãos contém diversas terminações nervosas e vasos sanguíneos.


Dessa forma, a aplicação de um estímulo em uma zona de reflexo palmar coloca em ati-
vidade o “arco reflexo automático”. Esse arco ocorre quando o estímulo da área reflexa
das mãos se afasta mais rápido do que o cérebro leva para processar a dor, reagindo
por de maneira automática e promovendo uma reação corporal interna que permite
ao Sistema Nervoso transmitir o estímulo ao órgão correspondente para regular o seu
funcionamento, controlar a liberação de endorfinas, provocar contração, tonificação e
estabilização dos músculos para buscar a homeostase do corpo.

Acesse o Hand Reflexology: about somatic reflex arcs & the central nervous system, disponível
em: https://bit.ly/2GE9nlI

A zona de reflexo pode, também, sinalizar uma estagnação energética. Consequente-


mente, se houver um bloqueio energético decorrente de um problema de saúde, quando
o terapeuta pressionar a zona correspondente ao órgão ou à víscera em questão, o
indivíduo sentirá dor.

Essa relação ponto-sistema nervoso central-órgão é que torna as terapias reflexas


compatíveis como tratamento das diferentes patologias para o equilíbrio e harmonia
corporal. Quando um órgão, víscera ou estrutura do corpo estiver adoecido ou apre-
sentando sinais e sintomas de desarmonia, a região correspondente nas mãos poderá
apresentar mudança de cor ou forma, dor na palpação (seja ao toque leve, moderado ou
forte), nódulo, cristais ou resistência ao toque na região da zona de reflexo correspon-
dente. Portanto, podemos dizer que é possível observar algum desequilíbrio por meio
das mãos, bem como prevenir doenças e ensinar ao paciente a se autoconhecer (HAL,
1997; BROWN, 2000).

Agora que você já compreendeu as indicações, contraindicações, a localização dos


pontos e o efeito da Reflexoterapia Palmar, vamos aprender como aplicá-la!

10
Técnica de Reflexoterapia nas Mãos
Na terapia reflexa das mãos, o dedo polegar do terapeuta é o utensílio mais importante
na realização das manobras de estimulação das zonas de reflexo. Entretanto, quando há
a necessidade de uma pressão mais profunda, recomenda-se usar um apalpador ou bas-
tão para pressionar a região de forma mais ampla (BROWN, 2000).

As mãos podem revelar muitas coisas. Uma pessoa saudável tem mãos coradas, aque-
cidas, sem manchas, umidade ou viscosidade excessiva, além de um bom tônus muscular
e unhas brilhantes e rosadas. Qualquer desequilíbrio energético de uma ou mais zonas
reflexas palmares promove uma alteração que pode ser percebida pela mudança da cor
e da sensibilidade em pontos alguns específicos. Por exemplo, se houver uma mancha
vermelha localizada sobre a ponta do polegar, isso poderá indicar uma agitação mental,
ansiedade ou insônia (BROWN, 2000; AUTEROCHE; NAVAILH, 1992).

O que podemos observar no momento da avaliação inicial das mãos?

Em uma avaliação inicial das mãos, é importante você observar:


• Temperatura ao toque: fria significa padrão de patologia crônica, Yin, deficiên-
cia de Yang; quente ou sensação de calor na palma significa padrão de patologia
aguda, Yang, deficiência de Yin;
• Textura da pele: dura, seca, escamada ou com calosidades significa que o reflexo
pode estar alterado no local, podendo ser agravado com unhas duras e má circu-
lação, indicando deficiência de sangue, patologias de pulmão e dermatológicas de
fundo emocional, além de baixa de imunidade;
• Tônus muscular: o dorso da mão flácido significa tônus muscular reduzido, popular-
mente conhecido como flacidez, e pode indicar uma deficiência no baço-pâncreas,
problemas gastrointestinais, musculares e fadiga;
• Umidade: também conhecida como hiperidrose, indica tensão nervosa, preocupa-
ção, ansiedade, irritação, excesso de vento/calor (dores migratórias agudas), estag-
nação energética e umidade corporal acima do normal;
• Edemas: indicam problemas circulatórios, renais ou cardíacos ou retenção de líquido.
Quando deixam marcas após a palpação, isso significa umidade na área correspon-
dente do corpo e, quando não deixam, corresponde à estagnação de energia;
• Saliências: podem ser granulações, nódulos ou áreas resistentes e indicam dese-
quilíbrios dos órgãos correspondentes às áreas de reflexo ou estagnação energética;
• Mudança de cor: indica alteração de acordo com o órgão ou víscera em desar-
monia, sendo a coloração entendida como normal aquela que se compara a de um

11
11
UNIDADE
Reflexoterapia Palmar

pé rosado. Quando a mão está muito branca e fria indica fraqueza e deficiência
energética e, em contrapartida, se estiver muito amarelada e edemaciada indica que
a transformação e transporte dos líquidos e nutrientes corporais estão comprome-
tidos. Se o polegar e as pontas dos dedos estiverem muito arroxeados ou violáceos
significa problemas circulatórios, emocionais, psicológicos e estagnação energética
na área da cabeça, o que ocasiona insônia, agitação, irritação e ansiedade. Ade-
mais, mãos frias e azuladas indicam problemas crônicos e osteomusculares e aver-
melhadas sugerem má circulação sanguínea;
• Ponto de tensão: representam tensão no corpo;
• Manchas: a pigmentação vermelha indica calor no sangue e pode piorar nas mu-
lheres antes ou depois do período menstrual, além de estase de sangue na área
reflexa dos pulmões e do coração, com características de agitação e ansiedade.
A pigmentação marrom podem ser um sinal de mau funcionamento do órgão cujo
reflexo está abaixo do ponto em questão. Já as manchas de origem gestacional,
senil ou após trauma pode ser influenciada pelas emoções, como o medo e a inse-
gurança acompanhados do sentimento de não poder/querer se mostrar, ou ainda,
sobrecarga emocional e física que leva ao desgaste de energia de defesa da pele;
• Sulcos: linhas de expressão e mãos enrugadas indicam uma deficiência energética
ou a essência vital e de sangue dos órgãos correspondentes;
• Unhas: quando pálidas, secas e moles indicam raiva, irritação, frustração, intole-
rância, impaciência, patologias relacionadas ao fígado, enxaqueca, menstruação,
dormência nas extremidades do corpo, rigidez articular, espasmos nos tendões e
tremores nas mãos e pés (AUTEROCHE; NAVAILH, 1992).

Após uma boa conversa com o(a) paciente e a avaliação de suas mãos, recomenda-se ini-
ciar a prática. A Reflexoterapia Palmar inclui técnicas de aquecimento, de relaxamento com
movimentos de alongamento nas mãos e o tratamento por meio da digitopressão e/ou mas-
sagem das zonas de reflexo correspondentes aos órgãos e às vísceras localizadas na mão.
Recomenda-se iniciar a massagem com 10 minutos de aquecimento e relaxamento,
seguido 5 a 10 minutos de pressão nos pontos específicos de zonas reflexas a serem
tratados. Em seguida, iniciar a terapia reflexa pela mão direita e, posteriormente, repetir
os movimentos na mão esquerda, totalizando 30 a 40 minutos de sessão.
As principais técnicas de massagem e pressão das mãos são as apresentadas na
Figura 2 (BROWN, 2000), a seguir:

12
Figura 2 – Técnicas básicas de massagens das mãos

Como aplicar a Reflexoterapia Palmar passo a passo?

Dando início aos estudos, acompanharemos a história fictícia de um atendimento de


Terapia Reflexa das Mãos, escrita especialmente para esta Unidade, tratando dor nos
punhos, insônia e ansiedade.

Estudo de Caso
Acompanhe o diálogo a seguir:

Terapeuta Camila (TC): Bom dia! Como você está se sentindo?


Paciente Manuela (PM): Bom dia! Estou com dor nos ombros, me sinto ansiosa,
irritada e não tenho dormido bem. Trabalho muitas horas no computador. Resolvi
marcar uma consulta para o alívio da dor e controlar meu humor.

13
13
UNIDADE
Reflexoterapia Palmar

A paciente e a terapeuta conversaram por um bom tempo sobre os possíveis fatores pato-
gênicos causadores da insônia, ansiedade e dor nos ombros, tensões e estresses, preocupações,
horas prolongadas frente ao computador, sono conturbado e outra correlação que a paciente
possa fazer com a apresentação de seus problemas. A profissional explica como funciona a
técnica reflexa da mão e inicia as suas observações e palpação, para, então, iniciar o tratamento.

A terapeuta conduz a paciente até a maca, a posiciona deitada de barriga para cima
(em decúbito dorsal) e inicia a sua observação das zonas de reflexos da mão correspon-
dente aos órgãos, glândulas e estrutura do corpo em desequilíbrio energético, por meio
da palpação leve das regiões da mão com a ponta do polegar para identificar o(s) local(is)
da(s) dor(es) ou transtorno(s) do humor. No momento da palpação, a terapeuta fica
atenta à presença de nódulos, áreas de resistência ou cristais em alguma zona de reflexo.

A paciente relata que a dor nos ombros foi agravada progressivamente e se acumu-
lou, gerando uma bursite diagnosticada por seu ortopedista. Também, foi observado que
as pontas do polegar e a lateral da mão próxima ao dedo mínimo direito da paciente
estavam avermelhadas – e sabemos que tais regiões correspondem ao cérebro e ombro,
respectivamente. A zona reflexa do coração, na mão esquerda, também se encontra
avermelhada, além de estar dolorida.

Quando questionada sobre a intensidade da dor ao toque nas áreas citadas acima
(considerando 0 nenhuma dor e 10 o máximo de dor), a paciente classificou como 8 a
dor em seus ombros.

Tais reações são um alerta de que alguma área do corpo está em desequilíbrio (deficiência
ou estagnação) energético. Os desequilíbrios energéticos, na maioria dos casos, não são
percebidos imediatamente pela pessoa e pode gradualmente aumentar até ocasionar uma
patologia física futura.
Essa observação energética inicial não substitui o diagnóstico médico e laboratorial
necessários para uma análise física e clínica efetiva com outras interpretações e
anamneses aprofundadas.
Lembre-se de observar, inspecionar e visualizar de maneira geral as mãos. A intervenção
reflexológica relaciona-se à condição energética do corpo e não há uma relação direta com
a doença física específica. O diagnóstico físico e a prescrição de medicamentos são de com-
petência e atuação do médico.
O profissional que atua com terapias integrativas pode propor um tratamento complemen-
tar, mas nunca substituir o tratamento sem o consentimento do médico responsável, pois
quaisquer intervenções que saiam do escopo de atuação do “não-médico” podem ocasio-
nar em questões éticas e jurídicas.
A avaliação reflexológica dos pontos sensíveis não deve conter um diagnóstico fechado,
devendo haver critérios nas percepções, associações e correlações a partir da observação e
palpação das mãos.

Continue acompanhando a história...

A terapeuta solicitou uma inspiração profunda, posicionou a paciente confortavel-


mente em uma maca e deu início à higienização de suas mãos com algodão e álcool
antes de iniciar o processo do toque/palpação.

14
Segurou a mão direita da paciente com as suas duas mãos, já tratadas com óleo de
amêndoas, para dar início à técnica, apoiando-a em seus quatro dedos da mão esquerda,
deixando o polegar livre para a realização da massagem.

Lembre-se que primeiro você deve fazer a inspeção geral das mãos, depois tocar para hi-
gienizar e só então iniciar a realização da técnica, além de preparar o ambiente de trabalho.
Para isso, recomenda-se que o profissional tenha uma toalha ou rolinho para colocar abaixo
dos punhos com a pessoa na posição de decúbito dorsal (barriga para cima) ou decúbito
ventral (barriga para baixo), pois facilitam as manobras necessárias. Ter um creme hidra-
tante neutro para mãos e pés também é recomendável, pois diminui o atrito no momento
da massagem.
Deve haver uma poltrona ou maca para o(a) paciente e uma cadeira mais baixa, se possível
com rodinhas, para o(a) profissional, de maneira que permita a movimentação do mesmo
durante a aplicação das técnicas.
E não se esqueça de estar sempre com as unhas bem cortadas, para não causar lesões na
pele do(a) paciente!

Continue acompanhando a história...

Figura 3 – Reflexoterapia das mãos


Fonte: Getty Images

Apresentaremos a seguir o passo a passo da técnica básica de Reflexoterapia


das mãos:
1. A profissional realizou, inicialmente, um procedimento de aquecimento com o
intuito de ativar o fluir do Qi (energia). Ela deslizou a sua mão pela parte interna
do braço do paciente no sentido punho até o cotovelo e retornou deslizando sua
mão pela parte externa do braço no sentido contrário, de 3 a 5 vezes ou por 20
segundos a 1 minuto;
2. Em seguida, entrelaçou os dedos entre o braço da paciente e realizou pressão e
bombeamento no sentido punho até o cotovelo com os seus polegares, de 3 a 5
vezes ou por 20 segundos a 1 minuto;

15
15
UNIDADE
Reflexoterapia Palmar

3. Prosseguiu deslizando o polegar entre os espaços de um dedo no sentido do punho


para os dedos, de 3 a 5 vezes ou por 20 segundo a 1 minuto para cada espaço;
4. Por fim, deslizou sua mão fechada com movimentos circulares na palma da mão
do paciente e finalizou o aquecimento por meio da pressão e bombeamento na
palma da mão, de 3 a 5 vezes ou por 20 segundo a 1 minuto.

A palpação e massagem consistem em pressionar a área contínua ou alternadamente por


cerca de 20 segundos a 1minuto, iniciando pela mão direita e depois partindo para a mão
esquerda, recomendando-se estimular de 3 a 5 vezes cada zona de reflexo correspondente.
Para doenças crônicas, sugere-se a aplicação diária da terapia reflexa da mão por meio da
automassagem e em casos agudos, em intervalos de dois, três ou sete dias.

Continue acompanhando a história...


A terapeuta iniciou as manobras de ativação das zonas reflexas da mão, primeiro pela
palma, seguindo para o dorso da mão direita e repetindo os mesmos movimentos na
mão esquerda.

Apresentaremos a seguir o passo a passo da técnica da palma da mão:


1. A profissional realizou as manobras de massagem e exercícios de alongamento
primeiro com a mão direita e depois com a esquerda. Sustentou a mão direita da
paciente nos dedos da sua mão esquerda, mantendo o polegar livre para realizar
os movimentos na palma da mão da paciente. Iniciou pela ponta do dedo da pa-
ciente, realizando movimentos circulares com o polegar e indicador no sentido
horário e anti-horário do punho até a ponta de todos os dedos, de 3 a 5 vezes
ou por 20 segundos a 1 minuto (posição 3 no link a seguir);
2. Depois aplicou movimentos circulares com seu polegar na palma da mão da
paciente do punho até a ponta de todos os dedos, de 3 a 5 vezes ou por 20
segundos a 1 minuto (posição 4 no link a seguir);
3. Em seguida, realizou novamente movimentos circulares com o polegar e indica-
dor no punho até a ponta de todos os dedos, de 3 a 5 vezes ou por 20 segundos
a 1 minuto (posição 5 no link a seguir);
4. Por fim, massageou toda a palma da mão da paciente com a sua mão fechada
(posição 6 no link a seguir) e aplicou movimentos circulares com seus polegares
na palma das mãos da paciente no sentido do punho até a ponta de todos os de-
dos, de 3 a 5 vezes ou por 20 segundos a 1 minuto (posição 7 no link a seguir).

Os exemplos ilustrados no link a seguir são apenas sugestões e o profissional deve


sentir-se à vontade para adotar a técnica de sua preferência.

Passo a passo da massagem das mãos, disponível em: http://bit.ly/2UOWRsi

Você pode consultar outras sugestões de manobras de Reflexoterapia nas mãos consultado
as páginas 35 a 37 do livro Reflexologia das mãos, de Denise W. Brown. Disponível em:
https://bit.ly/2XAbPiz

16
A intensidade da pressão aplicada nas zonas de reflexo das mãos sempre deve estar
de acordo com a tolerância do(a) paciente e, também ser compatível com a sua idade e
estado. Por exemplo, crianças (quanto mais novas, menos tempo de tratamento precisam),
idosos (em geral a pele tende a ser mais fina e as mãos podem sofrer de osteoporose com
ossos frágeis ou artrite) e pessoas com doença terminal devem receber pressão suave e
leve. Já os adultos, jovens e pessoas saudáveis, podem receber um estímulo mais forte.

Fique atento(a) a sinais e linguagem corporal do(a) paciente referentes a presença de dor,
ou seja, franzir a testa, fechar olhos, gemer, chorar, respirar descompassadamente, suspirar
repentinamente, dentre outros.

Para isso, existem três diferentes técnicas que podem ser aplicadas na palpação:
• Tocar: o toque leve da pele do(a) paciente é importante para observar a sua tem-
peratura, umidade e suor;
• Acariciar: o acariciamento da pele e tecidos mais profundos do(a) paciente é im-
portante para determinar a presença de sensibilidade e/ou inchaço;
• Pressionar: a pressão de níveis relativamente duros a mais profundos da pele do(a)
paciente é importante para identificar nódulos, cristais e/ou áreas resistentes ao toque.

A pressão não deve ser forte nem fraca demais, para que promova o estímulo de
terminações nervosas presentes na mão. Ela deve ser progressiva, ou seja, começar leve
e aumentar a sua intensidade aos poucos para não acomodar o estímulo.

Quando pressionar o ponto, é importante perguntar sobre a sensibilidade do(a) pa-


ciente na zona reflexa e todos os pontos sensíveis devem ser estimulados como ponto
de tratamento. Nas áreas relacionadas às doenças a pressão deve ser média a forte,
massageando a área por várias vezes.

Apresentaremos a seguir o passo a passo da técnica do dorso da mão:


1. A profissional virou a mão da paciente para realizar a massagem no dorso de sua
mão. Inicialmente, deslizou seus dois punhos no dorso da mão da paciente no
sentido do meio para os lados, de 3 a 5 vezes ou por 20 segundos a 1 minuto
(posição 9 do link na página 16);
2. Em seguida, deslizou seu polegar entre os espaços de um dedo para o outro do
dorso da mão no sentido dos dedos para o punho, de 3 a 5 vezes ou por 20
segundos a 1 minuto (posição 10 do link na página 16) e finalizou essa etapa
fazendo movimentos circulares com seus polegares no dorso de toda a mão (po-
sição 11 do link na página 16);
3. Para realizar o relaxamento e alongamento das áreas reflexas da mão, entrela-
çou seus dedos com os dedos da paciente e realizou uma rotação do punho no
sentido horário e anti-horário, de 3 a 5 vezes ou por 20 segundos a 1 minuto
(posição 12 do link na página 16) e fez movimentos circulares em todos os dedos
no sentido do punho até a ponta dos dedos, de 3 a 5 vezes ou por 20 segundos
a 1 minuto (posição 13 do link na página 16);

17
17
UNIDADE
Reflexoterapia Palmar

4. Segurou a mão direita com os dois polegares um pouco acima do punho da paciente
e balançou a mão para cima e para baixo, de maneira rápida e ao mesmo tempo
suave (posição 14 do link na página 16). Alongou o punho e o polegar, segurando
o braço da paciente com a palma de sua outra mão próxima ao cotovelo, por 15
segundos (posição 15 do link na página 16). Por fim, fez o alongamento do punho
para baixo e para cima (posição 16 do link na página 16) e aplicou movimentos
circulares com seus polegares no dorso da mão (posição 17 do link na página 16).

Os movimentos circulares leves são indicados para casos de inchaços ou parestesias


das mãos. Devemos repetir na mão esquerda todo o realizado na direita.

5. Para tratar as áreas reflexas do cérebro, coração e ombro relacionados à queixa


principal da paciente (bursite de ombro, ansiedade e insônia), a profissional deslizou
o seu polegar em linhas paralelas da ponta do polegar da paciente até a lateral
externa, face interna e lateral interna realizando compressões nas áreas reflexas es-
pecíficas correspondentes a cabeça e cérebro (face interna e lateral do polegar) para
tratar a ansiedade e insônia. Realizou a massagem com fricção constante, elevando
o punho da paciente para reduzir a pressão e o rebaixando para aumentá-la.

Para estimular as zonas de reflexos de forma específica, é importante adotar o Mapa da


Reflexologia Palmar e tê-lo próximo da área de atendimento para consultas rápidas, se
necessário. Observar e comparar as imagens ampliadas do mapa com a mão do paciente
auxilia na avaliação das zonas de reflexo e na palpação correta das áreas correspondente a
queixa de cada paciente.

Figura 4 – Exemplo de pressão de Reflexoterapia da mão


Fonte: Adaptado de Brown, 2000

18
6. Por fim, a profissional esfregou suas mãos para produzir calor e “abraçou” a mão
da paciente como uma espécie de “sanduíche” (posição 18 do link na página 16).

Respeite os limites do(a) cliente, repita o mesmo procedimento nas duas mãos e lembre-se
que apenas as áreas reflexas do coração e baço localizam-se somente na mão esquerda.

Voltemos para a história do atendimento e vejamos a finalização do tratamento...

Após finalizar a intervenção, sugere-se orientar a ingesta de água ao final da sessão.


No caso de dor, sugere-se a aplicação de compressas quentes na região tratada à noite,
por cerca de 20 minutos e, durante a ducha morna/quente, manter as mãos por mais
tempo debaixo da água, além de realizar automassagem, relaxamento e alongamento
na região.

Para ansiedade e insônia, sugere-se a automassagem com movimentos circulares em


todos os dedos no sentido do punho para a ponta dos dedos, dando uma leve puxadinha
no final para ajudar a equilibrar algumas emoções mais agravadas por 5 minutos.

Áreas reflexas das emoções, disponível em: http://bit.ly/2US2lm3

A terapeuta deu as seguintes orientações finais:


• TC: Como você está?
• PM: Estou muito bem! Me sinto bem relaxada e quando você estava massageando
minhas mãos senti um pleno conforto e alívio da dor no meu pulso.
• TC: Como classifica a intensidade da sua dor após a intervenção com a Reflexote-
rapia das mãos?
• PM: Hum, muito melhor. Classifico a dor como 1 na escala de 1 a 10, mas apenas
quando movimento lentamente o meu punho. Estou aliviada e consigo respirar
melhor, minha cabeça parece leve e estou com um pouco sonolência e sensação
de bem-estar.

Assista à videoaula gravada no estúdio da Universidade. É uma demonstração onde enfa-


tizamos os pontos-chave que você deve lembrar sempre que realizar a prática da Reflexo-
terapia das mãos.

Assim, finalizamos esta Unidade e aguardamos você na próxima, onde abordaremos


a Terapia Reflexa Auricular.

Nos vemos lá!

19
19
UNIDADE
Reflexoterapia Palmar

Material Complementar
Indicações para saber mais sobre os assuntos abordados nesta Unidade:

Leitura
Reflexologia das mãos
BROWN, D. W. Reflexologia das mãos. São Paulo: Manole, 2000. p. 36-57.
https://bit.ly/2XAbPiz
Reflexologia: um método para melhorar a saúde: massagem nos pés e nas mãos para relaxa-
mento e tratamento de diversas doenças
HALL, N. M. Reflexologia: um método para melhorar a saúde: massagem nos pés e
nas mãos para relaxamento e tratamento de diversas doenças. São Paulo: Pensamento,
1997. p. 25-41.
https://bit.ly/2Dvy69B
Reflexologia: como restabelecer o equilíbrio energético
KUNZ, B.; KUNZ K. Reflexologia: como restabelecer o equilíbrio energético. São
Paulo: Pensamento, 1984. p. 85-105.
https://bit.ly/2KUdIFd
Como aplicar Reflexologia das mãos? Aprendendo sobre os reflexos da mão
https://bit.ly/2Vl1r0D

20
Referências
AUTEROCHE, B.; NAVAILH, P. O diagnóstico na medicina chinesa. São Paulo:
Andrei, 1992.

BROWN, D.W. Reflexologia das mãos. São Paulo: Manole, 2000. p. 36-57.

HALL, N. M. Reflexologia: um método para melhorar a saúde: massagem nos pés e


nas mãos para relaxamento e tratamento de diversas doenças. São Paulo: Pensamento,
1997. Disponível em: <https://books.google.com.br/books?id=iowOWYAKOHIC&pg
=PA34&dq=Reflexologia+das+M%C3%A3os&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwi33Z
CEtK_hAhXZHLkGHaxUD2gQ6AEIQTAF#v=onepage&q=Reflexologia%20das%20
M%C3%A3os&f=false>. Acesso em: 19 abr. 2019.

HANDREFLEXOLOGYCHARTS. Hand reflexology: about somatic reflex arcs & the


central nervous  system! 2019a. Disponível em: <https://handreflexologycharts.word-
press.com/2013/09/17/hand-reflexology-about-somatic-reflex-arcs-the-central-nervous-
-system>. Acesso em: 19 abr. 2019.

HANDREFLEXOLOGYCHARTS. Key elements in a reflexology hand chart:


about reflex zones, meridians & dermatomes! 2019b. Disponível em: <http://www.
handreflexologycharts.com/Reflexology/hand-reflexology-charts.htm>. Acesso em: 19
abr. 2019.

KUNZ, B.; KUNZ, K. Reflexologia: como restabelecer o equilíbrio energético. São


Paulo: Pensamento, 1984. p. 85-105.

MILDRED, C.; TAMMY, W. Reflexologia das mãos: chave para a saúde perfeita. São
Paulo: Pensamento, 2002.

ROSEWOOD, O. Hand reflexology: a headache-break hand massage. 2009. Disponí-


vel em: <http://www.handreflexologycharts.com/Reflexology/hand-reflexology-charts.
htm>. Acesso em: 19 abr. 2019.

TEAGARDEN, K. Are there times when I shouldn’t have reflexology? 2019. Dispo-
nível em: <https://www.takingcharge.csh.umn.edu/explore-healing-practices/reflexolo-
gy/are-there-times-when-i-shouldn-t-have-reflexology>. Acesso em: 19 abr. 2019.

VENNELLS, D. O que é reflexologia. Trad. Maria Clara de Biase W. Fernandes. Rio


de Janeiro: Record; Nova Era, 2003.

WIKIHOW. Como aplicar reflexologia das mãos? Aprendendo sobre os reflexos


da mão. 2019. Disponível em: <https://pt.wikihow.com/Aplicar-Reflexologia-das-
-M%C3%A3os>. Acesso em: 19 abr. 2019.

21
21

Você também pode gostar